Coronavírus: MG tem 1º caso suspeito da nova pneumonia

Mulher esteve na China, Ministério da Saúde nega caso suspeito.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp

Um caso suspeito de Coronavírus, a nova pneumonia, que já matou 17 pessoas na China, está sendo investigado em Minas Gerais. A informação foi confirmada pela Secretaria Estadual de Saúde do Estado.

A paciente, de 35 anos, deu entrada, ontem (21), na UPA Centro Sul, em Belo Horizonte, e, segundo o Estado, a mulher esteve em Shangai, na China, e desembarcou no Brasil no dia 18. Ainda segundo a secretaria, a paciente apresenta “sintomas respiratórios compatíveis com doença respiratória aguda”, informa a nota.

“Tendo em vista o contexto epidemiológico atual do país onde a paciente esteve, foi considerada a hipótese de doença causada pelo novo Coronavírus, que é microorganismo de alerta sanitário internacional, considerando o potencial pandêmico com alto risco à vida e impacto assistencial”, esclarece.

A mulher, que não apresenta quadro clínico grave, foi levada para o Hospital Eduardo de Menezes (HEM) e “todas as medidas assistenciais para redução de risco de transmissão foram tomadas”.

O caso segue em investigação. “Conforme informações que foram repassadas pela paciente ao CIEVS BH, a mesma relatou que não esteve na região de Wunhan (área onde se concentra o maior número de pacientes) e que também não teve contato com pessoa sintomática na China”, informa a secretaria.

A paciente foi submetida a exames e ainda não há resultados conclusivos.

Ministério da Saúde

Apesar de a Secretaria Estadual de Saúde de Minas Gerais confirmar o caso suspeito, o Ministério da Saúde nega a existência dele.

“O Ministério da Saúde informa que, até o momento, não há detecção de nenhum caso suspeito, no Brasil, de Pneumonia Indeterminada relacionado ao evento na China. O caso noticiado pela SES/MG não se enquadra na definição de caso suspeito da Organização Mundial da Saúde (OMS), tendo em vista que o paciente esteve em Xangai, onde não há, até o momento, transmissão ativa do vírus. De acordo com a definição atual da OMS, só há transmissão ativa do vírus na província de Whuan”, informa o ministério.

A nota também diz que o Governo brasileiro monitora a situação e adotou medidas.

“Entre essas ações, (sic) estão a adoção das medidas recomendadas pela OMS; a notificação da área de Portos, Aeroportos e Fronteiras da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa); a notificação da área de Vigilância Animal do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA); e a notificação às Secretarias de Saúde dos Estados e Municípios, demais Secretarias do Ministério da Saúde e demais órgãos federais com base em dados oficiais, evitando medidas restritivas e desproporcionais em relação aos riscos para a saúde e trânsito de pessoas, bens e mercadorias”.

*Atualizada às 17h40

Compartilhe notícia

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp

Outras notícias

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie!.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias relacionadas