Mais da metade dos internados em UTIs tem menos de 60 anos

É a primeira vez que este perfil de pacientes se torna maioria
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp

Pela primeira vez desde o começo da pandemia, mais da metade dos internados com covid-19 em Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) no Brasil tem menos de 60 anos.

A informação foi divulgada nesta sexta-feira (21/05) pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), no Boletim Observatório Covid-19.

A análise comparou a primeira semana de janeiro com a primeira semana de maio e verificou que a mediana da idade de internações em UTIs foi de 68 anos para 58 anos. Em relação a internações hospitalares, a mediana caiu de 66 anos para 55 anos.

O boletim também mostra que cada vez pessoas mais jovens estão morrendo devido à covid-19 no Brasil. Em relação aos óbitos, ao longo deste ano, os valores de mediana de idade caíram de 73 anos para 63 anos.

De acordo com a Fiocruz, a pandemia está “rejuvenescendo”. Alguns dos motivos para a mudança do perfil dos infectados são a redução dos casos graves em idosos devido à vacinação e a maior exposição dos jovens em razão do relaxamento de medidas de restrições e da necessidade de sair para trabalhar.

A Fiocruz também alertou no boletim que as taxas de ocupação de leitos de UTIs covid-19 para adultos no Sistema único de Saúde (SUS), que vinham mantendo tendência de queda lenta, mas consistente, apresentaram pequenas elevações em muitos estados e capitais na semana de 10 a 17 de maio.

Segundo o boletim, a análise reforça que é preciso ficar atento. “Caso não seja mantida uma queda sustentável, a pandemia poderá retomar a sua expansão”, alerta o documento.

No total, o Brasil registra oficialmentemais de 15 milhões de casos de covid -19 e mais de 446 mil mortes. Em números absolutos, o Brasil é o segundo país do mundo com mais mortes, atrás apenas dos Estados Unidos, que somam mais de 589 mil óbitos. É ainda o terceiro país com mais casos confirmados, depois de EUA (33 milhões) e Índia (26 milhões).

De acordo com a plataforma Our World in Data, da Universidade de Oxford, cerca de 18% da população brasileira recebeu ao menos uma dose de vacinas contra a covid-19 e 8,5%, as duas.

Por Deutsche Welle

le (Agência Brasil, ots)

Compartilhe notícia

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp

Veja também

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie!.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias relacionadas