Insira suas palavras-chave de pesquisa e pressione Enter.

Mortes crescem 10 vezes entre jovens e adultos de SP

Estado também tem 46.131 casos de COVID-19.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp

O número de mortes por coronavírus entre crianças, jovens e adultos cresceu dez vezes no último mês. Nesta segunda-feira (11), eram 1.004 vítimas nessas faixas etárias, incluindo a quarta criança que faleceu com COVID-19 (doença causada pelo novo coronavírus) em São Paulo, de apenas quatro anos e residente em Francisco Morato. Em 11 de abril, nenhuma criança ainda tinha falecido com esse diagnóstico, e havia 100 óbitos de pessoas com menos de 60 anos.

Entre os idosos, a mortalidade aumentou seis vezes, passando de 460 para 2.739 nesse intervalo de tempo. Considerando pessoas de todas as idades, São Paulo registra hoje um total de 3.743 óbitos pela enfermidade.

O Estado também tem 46.131 casos de COVID-19, número 5,4 vezes maior que o registrado um mês atrás (eram 8.381). O aumento foi proporcional entre os grupos de idosos e não idosos.

Atualmente, há 9,7 mil pacientes internados em SP, sendo 3.871 em UTI e 5.877 em enfermaria. A taxa de ocupação dos leitos de UTI reservados para atendimento a COVID-19 é de 68,2% no Estado de São Paulo e 89,6% na Grande São Paulo.

Avanço no território

Em um mês, a doença avançou pelo Estado e o número de cidades com óbitos e casos quase triplicou. Até o momento, infecções foram confirmadas em 64% do território estadual. Já há uma ou mais pessoas infectadas em 414 cidades, e pelo menos um óbito em 179 municípios. Em 11 de abril, havia casos em 161 cidades e óbitos em 61.

Somente nas últimas duas semanas, 125 novas cidades passaram a ter casos e 48 registraram mortes. Em 27 de abril, eram 289 municípios com uma ou mais pessoas infectadas e 131 com vítimas fatais.

Perfil da mortalidade

Entre as vítimas fatais, estão 2.194 homens e 1.549 mulheres. Os óbitos continuam concentrados em pacientes com 60 anos ou mais, totalizando 73,2% das mortes. Observando faixas etárias subdividas a cada dez anos, nota-se que a mortalidade é maior entre 70 e 79 anos (918 do total), seguida por 60-69 anos (843) e 80-89 (728).

Também faleceram 250 pessoas com mais de 90 anos. Fora desse grupo de idosos, há também alta mortalidade entre pessoas de 50 a 59 anos (519 do total), seguida pelas faixas de 40 a 49 (276), 30 a 39 (160), 20 a 29 (35) e 10 a 19 (10), e quatro com menos de dez anos.

Os principais fatores de risco associados à mortalidade são cardiopatia (58,8% dos óbitos), diabetes mellitus (43,8%), doença neurológica (11,5%), doença renal (11%) e pneumopatia (10,1%). Outros fatores identificados são imunodepressão, obesidade, asma e doenças hematológica e hepática.

Esses fatores de risco foram identificados em risco: 3.004 pessoas que faleceram por COVID-19 (80,3%) do total. A relação de casos e óbitos confirmados por cidade pode ser consultada em: https://www.saopaulo.sp.gov.br/coronavirus/.

*Com informações do Governo do Estado de SP

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos Relacionados

Últimas - notícias

Orelhas & Tiaras

Play
Play
Play
previous arrow
next arrow
previous arrownext arrow
Slider

Podcast

SP AGORA - O melhor conteúdo de São Paulo
SP AGORA - O melhor conteúdo de São Paulo
As últimas notícias de São Paulo e do Brasil.
As manchetes dos principais jornais do país
by SPAGORA

Você vai ouvir na voz do repórter Paulo Édson Fiore as manchetes dos principais jornais brasileiros.

As manchetes dos principais jornais do país
Comandante da PM afasta policial após ele apreender carro de vereadora
As manchetes dos principais jornais do país

Outras - notícias

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest