Vacina de Oxford é eficaz contra a variante de Manaus, aponta estudo

Estudo preliminar foi feito pela Universidade de Oxford
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp
(Fiocruz/Reprodução)

Dados preliminares de um estudo feito pela Universidade de Oxford em parceria com a AstraZeneca indicam que a vacina desenvolvida pela dupla induz uma resposta imunológica adequada contra a variante de Manaus. Os detalhes do estudo não foram divulgados, mas a informação foi confirmada. 

Os resultados dos estudos é uma ótima notícia para o Brasil. A Fiocruz já tem um acordo com a Oxford para produzir 200 milhões de doses do imunizante até dezembro. Em março, a promessa é da fundação entregar 3,8 milhões de doses ao programa Nacional de Imunização (PNI).

Além disso, o país é o que mais sofre com a cepa do Amazonas. Ao menos 17 estados já confirmaram casos com a variante de Manaus. Havia o temor de que as vacinas não sejam eficazes contra as variantes, como a do Reino Unido e da África do Sul. 

Segundo Sue Ann Costa Clemens, coordenadora dos centros de pesquisa da vacina de Oxford no Brasil, o artigo foi finalizado e está em processo de submissão para uma revista científica. “Acredito que até a semana que vem possamos ter a divulgação pública dos resultados”, diz.

Vacinação no Brasil 

A campanha nacional de imunização vacinou 7.941.173 pessoas até a noite da última sexta-feira com, pelo menos, a primeira dose. Isso é o equivalente a 3,75% da população do país. 

Ao todo, 2.611.071 pessoas receberam as duas doses da vacina, de acordo com recomendação dos laboratórios que produzem a CoronaVac e a Oxford/AstraZeneca. O número corresponde a apenas 1,23% da população do Brasil.

Por TV Cultura

Compartilhe notícia

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp

Veja também

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie!.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias relacionadas