Cuidados para ter com seroma pós abdominoplastia

Seroma pode ocorrer na abdominoplastia pós bariátrica. Seguir recomendações médicas ajuda na prevenção do problema

A abdominoplastia é a cirurgia plástica recomendada para remoção do excesso de pele da região abdominal, indicada após perda significativa de peso, como após a cirurgia bariátrica.

A recuperação pós-abdominoplastia influencia os resultados estéticos do tratamento e também a segurança do paciente, sendo fundamental adotar bons cuidados que minimizem os efeitos colaterais, como a formação de seroma.

A seguir entenda o que é e como se forma o seroma e também quais as recomendações pós-operatórias para preveni-lo.

O que é o seroma?

O seroma é um líquido de aspecto amarelo avermelhado e inodoro que sai pela cicatriz após alguns procedimentos cirúrgicos, sendo considerado comum após a abdominoplastia devido à extensão dessa cirurgia plástica.

O seroma é formado por plasma e linfa, podendo conter também um pouco de soro fisiológico usado na cirurgia e sangue, o que resulta na aparência avermelhada dele.

Essa secreção se forma em decorrência da tensão entre as camadas de tecidos que foram lesionadas, intencionalmente ou não, durante a cirurgia plástica.

Ela é liberada durante o processo de cicatrização e é previsível em muitos quadros pós-operatórios, sendo uma ocorrência normal da recuperação dos tecidos.

Juntamente com o seroma, o paciente pode identificar sintomas adicionais como dor e desconforto na região operada, vermelhidão e inchaço.

Entretanto, o seroma pode se tornar um problema no pós-operatório da abdominoplastia quando ele fica encapsulado por não ter sido expelido ou reabsorvido pelo organismo. Nesses casos, ele apresenta as seguintes características: elevação no local da cirurgia, sensação de líquido deslocado e dor na região.

No caso de seroma encapsulado ele pode resultar em complicações pós-cirúrgicas, como quadros infecciosos, comprometimento da estética da cicatriz e má-cicatrização. 

Dessa forma, ao identificar qualquer alteração mais incomum na região da cicatriz, o ideal é buscar auxílio médico imediato, especialmente se houver febre, mau odor na secreção expelida pela cicatriz, vermelhidão intensa e dor intensa.

O seroma é mais preocupante quando ele fica encapsulado abaixo da pele ou quando se forma tardiamente, ou seja, há mais de duas semanas da realização do procedimento.

Os seromas tardios são mais comuns no caso das cirurgias abdominais, incluindo a abdominoplastia, e na mamoplastia de aumento.

Quando o seroma apresenta-se como uma complicação do pós-operatório da cirurgia plástica, o especialista pode indicar a remoção cirúrgica do líquido e ministrar antibióticos para o caso de quadros infecciosos instalados.

Como prevenir seroma após a abdominoplastia?

Verifica-se assim que o seroma pode ser uma ocorrência comum após a abdominoplastia juntamente com o inchaço e hematomas na região operada.

Em outros casos, o quadro apresenta-se como uma complicação pós-operatória e demanda assistência médica especializada.

Entretanto, a formação de seroma após a abdominoplastia pode ser prevenida com alguns cuidados no pós-operatório.

Cinta pós-cirúrgica

A principal estratégia pós-operatória para prevenir o seroma é o uso da cinta pós-cirúrgica.

No caso da abdominoplastia, ela é colocada pela equipe médica ainda no centro cirúrgico e deve ser mantida continuamente por cerca de uma semana.

Posteriormente, é possível removê-la apenas para tomar banho por um período de 30-90 dias, de acordo com a evolução do quadro.

Drenos

Alguns estudos apontam que o uso de drenos no pós-operatório da abdominoplastia é uma opção para reduzir o tempo de recuperação dessa cirurgia plástica.

O uso do dreno, entretanto, não é consenso entre os médicos, sendo que alguns optam por esse recurso preventivamente e outros preferem utilizá-lo apenas se houver a formação de seroma.

Drenagem linfática

Uma recomendação do pós-operatório da abdominoplastia é a realização de sessões de drenagem linfática.

Esse tipo de massagem pós-cirúrgica contribui na eliminação da linfa pelo sistema linfático, sendo ela um dos componentes do seroma.

A drenagem linfática reduz as chances de incidência de seroma, ameniza o inchaço e hematomas e acelera a cicatrização. 

Higienização

Durante o pós-operatório é fundamental ter cuidado com o local da incisão cirúrgica.

Após a remoção da cinta cirúrgica, deve-se limpar o local da incisão com sabão neutro e secar bem. A umidade na região é um dos fatores que aumenta as chances de desenvolver seroma.

Todos os cuidados recomendados pela equipe médica no pós-operatório ajudam a reduzir a incidência de problemas na recuperação, seja a formação de seroma ou outros.

Mesmo uma alimentação balanceada, tomar as medicações prescritas e fazer o repouso correto ajudam a reduzir as chances de seroma devido minimizar os impactos e atritos do local operado.

Qualquer alteração mais significativa no local da incisão cirúrgica ou no quadro geral de saúde deve ser informada com urgência à equipe médica.

Nos casos de abdominoplastia pós bariátrica é fundamental que o paciente siga a risca às orientações da equipe médica, evitando complicações no quadro pós-operatório.

Você usa o Telegram?

Entre em nosso canal no Telegram e receba nossas atualizações de notícias direto no seu celular. Basta clicar aqui

Compartilhe notícia

Artigos Relacionados

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie!.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.