Após reforma, Santos Dumont volta a operar

Por  Douglas Corrêa 

Pista principal do aeroporto foi reformada durante um mês de obra
(Fernando Frazão/Agencia Brasil)

Depois de ficar fechada por quase um mês para reformas, a pista principal do Aeroporto Santos Dumont, que opera voos domésticos no Rio de Janeiro, reabriu às 6h, da manhã deste sábado (21). As obras de reforma da pista começaram no dia 24 de agosto e custaram R$ 9 milhões.

Durante os serviços na pista principal, as companhias aéreas mantiveram suas operações com aeronaves de menor porte na pista auxiliar do aeroporto. Os demais voos, com aeronaves maiores, foram deslocados para o Aeroporto Internacional Tom Jobim/Galeão, na Ilha do Governador, na zona norte.

Na manhã de hoje, o primeiro voo da Azul para Congonhas, em São Paulo, partiu às 6h31. Os voos da Latam também estão saindo normalmente, a partir de hoje, do Santos Dumont. Apenas a Gol manteve os voos deste sábado no Aeroporto Internacional Tom Jobim/Galeão.

Concessões

Em julho, o brigadeiro Hélio Paes de Barros assumiu o comando da Infraero e anunciou que um dos pilares de sua gestão é cumprir o cronograma de concessõesestabelecido pelo governo federal. O atual governo pretende conceder ao setor privado toda a rede de aeroportos que ainda está sob a responsabilidade da Infraero, entre eles, o Aeroporto Santos Dumont.

A sexta rodada de concessões de aeroportos está em fase de estruturação. A previsão é que no segundo semestre de 2020 sejam leiloados mais 22 aeroportos, divididos em três blocos regionais.

Já a sétima rodada, prevista para o primeiro trimestre de 2022, deve incluir dois dos terminais mais importantes para a Infraero: os aeroportos de Congonhas e Santos Dumont.

Aeroporto Santos Dumont volta a operar amanhã

Por Vitor Abdala

Avião se aproxima para pouso no Aeroporto Santos Dumont (Alexandre Macieira/Riotur)

Depois de ficar quase um mês fechada para reformas, a pista principal do aeroporto Santos Dumont, que opera voos domésticos no Rio de Janeiro, reabrirá às 6h deste sábado (21).

Segundo a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), com isso o terminal poderá operar normalmente a partir desse horário.
 
As obras de reforma da pista começaram no dia 24 de agosto e custaram R$ 9 milhões. Durante os serviços na pista principal, as companhias aéreas mantiveram suas operações com aeronaves de menor porte na pista auxiliar do aeroporto.

Os demais voos, com aeronaves maiores, foram deslocados provisoriamente para o aeroporto internacional Tom Jobim/Galeão.
 
De acordo com a Infraero, “os trabalhos garantem a continuidade das operações nas mesmas condições de segurança, e de acordo com os requisitos regulatórios demandados pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), oferecendo melhora no contato entre os pneus das aeronaves com a pista molhada ou seca”.

A última vez que a pista principal do aeroporto passou por manutenção foi em 2009. A expectativa é que a atual recuperação da pista dure em torno de 10 anos, até uma nova manutenção.

Santos Dumont em obras a partir de hoje afeta ponte aérea Rio-São Paulo

Por Vinícius Lisboa

(Tania Rêgo/Agência Brasil)

As obras de manutenção da pista principal do Aeroporto Santos Dumont começam hoje (24) e vão até 21 de setembro. Nesses 29 dias, o aeroporto, localizado na região central do Rio de Janeiro, continuará a receber aeronaves menores na pista auxiliar, o que incluirá parte dos voos da Azul e da Passaredo.

A reforma da pista principal do aeroporto será executada 24 horas por dia e sete dias por semana. Com as obras, será instalada uma camada porosa de atrito que vai melhorar o contato entre os pneus das aeronaves e a pista, reduzindo restrições nas operações em dias secos e chuvosos. 

A pista principal do Santos Dumont tem 1.323 metros de comprimento e 42 metros de largura, enquanto a pista auxiliar tem 1.260 metros por 30 metros. Para que a pista auxiliar possa receber aeronaves 3C, como o Embraer E-190, o Airbus A318 e o Boeing 737-700, foi feita uma reforma de cabeceira e a implantação do sistema indicador de rampa. 

A última vez que o Santos Dumont passou por obras desse tipo foi em 2009, e a previsão da Infraero, empresa responsável pela administração dos principais aeroportos do país, é que as intervenções atuais tenham validade de mais 10 anos. 

Voos transferidos

Durante a obra, o Aeroporto Internacional Tom Jobim – Rio Galeão deve receber 6 mil voos que passariam pelo Santos Dumont, incluindo todas as viagens das companhias Gol e Latam. Segundo a concessionária Rio Galeão, o aeroporto internacional receberá 767 mil passageiros a mais no período, o que representa um acréscimo de 73% em sua movimentação normal.

A Latam vai oferecer transporte terrestre gratuito entre o Santos Dumont e o Terminal 1 do Galeão no período das obras. Os clientes poderão embarcar, por ordem de chegada, em ônibus que partirão de hora em hora. Para usar o serviço, será preciso apresentar documento pessoal com foto válido para embarque, além do localizador do voo, da reserva ou do cartão de embarque. 

A Gol também vai oferecer transporte gratuito entre os dois aeroportos e alerta que podem ocorrer pequenos ajustes no horário de partida dos voos transferidos para o Galeão. 

A Azul manterá no Santos Dumont, entre os dias 24 e 31 de agosto, os voos entre o Rio de Janeiro e as cidades de Campos dos Goytacazes, no norte fluminense, e São José dos Campos e Ribeirão Preto, no interior paulista, além de voos para o Aeroporto de Congonhas, em São Paulo. Entre os dias 1º e 21 de setembro, além destes, a companhia vai retomar a ligação Rio-Vitória. Todos os outros voos da Azul serão transferidos para o Galeão.

Lojistas

A queda na circulação de passageiros no Santos Dumont preocupa lojistas e vendedores do aeroporto e do Shopping Bossa Nova Mall, que fica ao lado do terminal.

Gerente de uma loja de óculos, Robert Alves teme que o faturamento anual seja prejudicado. “Vai impactar diretamente no nosso dia a dia”, disse Alves. “Estamos vendo a possibilidade de conseguir parcerias com outras lojas para dar descontos.”

Funcionário de um quiosque de bebidas no aeroporto, Marcelo Matias disse que sua escala de trabalho pode ser mudada para compensar a redução no número de clientes. “Estamos pensando em fazer escala 12 por 36 porque o público vai cair bastante”, informou Matias.

*Colaborou Tatiana Alves, repórter do Radiojornalismo da EBC

Azul inicia operação na ponte aérea Rio-SP a R$ 99

E-195, fabricado pela Embraer, será usado inicialmente pela Azul nos voos entre Congonhas e Santos Dumont (Azul/Reprodução)

A Azul Linhas Aéreas anunciou o início das operações na ponte aérea Rio-São Paulo no dia 29 de agosto, com preços que partem de R$ 99 por trecho, entre os aeroportos de Congonhas e Santos Dumont. Ao todo, serão 17 voos em cada sentido por dia e as passagens já estão à venda. A informação é do jornal Folha de S. Paulo.

A companhia, que herdou slots da Avianca, vai operar com a aeronave brasileira, da Embraer, E-195, autorizado a atuar, inclusive, durante as obras de reparo da pista principal de Santos Dumont, ao contrário de Latam e Gol. Nesse período, o E-195 da Azul vai pousar e decolar pela pista auxiliar.

A rota entre os dois aeroportos é uma das mais movimentadas do mundo.

Congonhas e Santos Dumont devem ser privatizados até 2022

Por Vinícius Lisboa

(Arquivo/SP Agora)

O governo federal pretende conceder à iniciativa privada mais 44 aeroportos da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) até o 2022, o que inclui os aeroportos Santos Dumont, no Rio de Janeiro, e Congonhas, em São Paulo. A informação foi dada hoje (24) pelo ministro da infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, que participou de reunião com o Conselho Empresarial do Grupo de Líderes Empresariais (Lide), no Copacabana Palace, no Rio de Janeiro.

O ministro afirmou que o governo testou em março o modelo de leilão de concessão em blocos com 12 aeroportos e avalia que o resultado foi bem sucedido. “O modelo deu certo, foi bem aceito, os investidores vieram e tivemos ágios bastante interessantes”.

Na próxima rodada, prevista para outubro de 2020, serão leiloadas as concessões de 22 aeroportos, que serão oferecidos nos blocos Sul, Centro-Oeste e Norte 1. Na sétima rodada, prevista para o fim de 2021 ou início de 2022, serão mais 22, com o bloco Norte 2 e dois blocos do Sudeste, um encabeçado pelo Santos Dumont, e outro pelo Aeroporto de Congonhas.

“Por que esses ficaram por último? Esses dois aeroportos são muito importantes para a estabilidade financeira da Infraero. Tem dois objetivos. Primeiro, estamos convidando o investidor a conhecer o mercado brasileiro e já vir para a sexta rodada. E é como se a gente afirmasse assim: o melhor está ficando para o final”, detalhou ele a jornalista depois de participar do evento.

Em seu discurso, o ministro avaliou que a concessão dos aeroportos vai impulsionar o mercado de aviação civil e afirmou que o governo planeja “mudar a vocação da Infraero”. “Ela começa agora a olhar para os aeroportos regionais. Uma das nossas preocupações é fomentar a aviação regional, que vai acabar alimentando os aeroportos de grande porte que são hoje administrados pela Infraero e serão transferidos para a inciativa privada”.  

*Com informações de Lígia Souto, do Radiojornalismo da EBC

Azul vai operar voos no Guarujá

Por Camila Maciel

Três destinos estão sendo estudados a partir do Guarujá (Azul/Reprodução)

Como parte da contrapartida para a redução da alíquota do Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) sobre o combustível de aviação em São Paulo, as cidades de Araraquara, no interior paulista, e Guarujá, na região litorânea, receberão voos ainda este ano.

Os dois novos voos serão ofertados pela Azul Linhas Aéreas Brasileiras. Araraquara, cidade com 230 mil habitantes, oferecerá um voo diário para Campinas, a partir do dia 1º de setembro. Do Aeroporto Internacional de Viracopos, os passageiros terão acesso a 60 destinos nacionais e internacionais.

O voo que sairá de Guarujá, no litoral paulista, não tem data para início das operações, pois depende da conclusão de obras estruturais no aeroporto da cidade. O município, com 380 mil habitantes, terá voos para os aeroportos do Santos Dumont, no Rio de Janeiro; Belo Horizonte, em Minas Gerais, e Curitiba, no Paraná.

ICMS

O percentual do ICMS sobre os combustíveis de aviação passará de 25% para 12% em 1º de junho. Em seis meses, o setor deve criar 70 voos para 21 estados, sendo que seis deles vão atender exclusivamente destinos no território paulista.

Com a renúncia fiscal, a arrecadação prevista para 2019 sobre a comercialização de querosene aéreo cairá de R$ 627 milhões para R$ 422 milhões. A medida pretende diminuir o custo operacional das companhias aéreas. Os voos fazem parte do programa “São Paulo Pra Todos”, lançado em fevereiro deste ano.

A expectativa do governo de São Paulo é que a malha área e o fluxo de passageiros em São Paulo se ampliem em todas as regiões do estado. O estado concentra 44% do mercado de aviação civil do Brasil, de acordo com a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

Stopover

Outra medida compensatória das companhias é implementação do stopover, que é a possibilidade de que passageiros fiquem até três dias em conexão no estado sem pagar novo bilhete. As empresas aéreas vão criar um fundo de R$ 40 milhões para custear um plano de marketing, que incentivará a ampliação da permanência de visitantes em São Paulo por meio desse mecanismo, que é inédito no Brasil.

Um estudo da Secretaria de Turismo do estado mostra que se 2,5% dos passageiros que passam pelos três maiores aeroportos de São Paulo fizerem a conexão com o stopover, um total de R$ 6,9 bilhões serão injetados na economia do estado. A estimativa é que a sejam gerados 59 mil empregos nos próximos 18 meses a partir da desoneração, com previsão de R$ 1,4 bilhão em salários anualmente.

*Atualizado às 8h48

Aeroportos da Infraero vão receber 5 milhões de pessoas até janeiro

Aeroporto de Congonhas, em São Paulo (Arquivo/Infraero/Reprodução)

A Infraero (Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária) espera receber 5 milhões de passageiros, entre embarques e desembarques, em seus aeroportos neste fim de ano. Ela acredita que o movimento de aeronaves deve ser de aproximadamente 42 mil pousos e decolagens no período entre os dias 17 de dezembro e 6 de janeiro.

De acordo com a empresa, a preparação para receber o fluxo intenso de passageiros começou em novembro e passou pela manutenção preventiva de esteiras de despacho e restituição de bagagens, sinalização de pista, pontes de embarque, escadas rolantes, raios-x e detectores de metal, entre outros.

Dentre os aeroportos administrados pela Infraero estão os de Congonhas, Santos Dumont, Curitiba, Recife e Manaus.



Preparativos

“Esse cuidado prévio vai garantir que passageiros, companhias aéreas e demais clientes dos nossos aeroportos tenham uma passagem tranquila pelos terminais, sejam eles de grandes cidades ou do interior do Brasil”, disse o diretor de Operações Serviços Técnicos da Infraero, João Márcio Jordão, em declaração publicada no site da empresa.

O monitoramento dos aeroportos também será reforçado em todas as etapas de embarque e desembarque. Eles terão capacidade para atuar na correção de qualquer situação que possa prejudicar as operações.

Junto com eles, equipes de limpeza e manutenção vão intensificar suas atividades, com atenção especial para os horários de maior movimento, garantindo que a demanda seja bem atendida.