Conselheiros vão acompanhar volta às aulas em fevereiro

A Prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria Municipal de Educação (SME), irá reunir um grupo de especialistas de várias áreas para formar um grupo de conselheiros que irá acompanhar a retomada das aulas presenciais na capital, em 15 de fevereiro, com 35% dos estudantes.

A adesão às atividades presenciais é facultativa aos estudantes, sendo que aqueles que as famílias optarem pelo ensino remoto deverão realizar as atividades de caráter obrigatório por meio da plataforma Google Classroom ou de outros meios de disponibilização das atividades, inclusive material impresso a ser retirado pelos responsáveis, conforme organização da escola.

Além de representantes da educação, o núcleo de conselheiros contará com pediatras, infectologistas e psicólogos para debater e criar instrumentos de acolhimento aos pais, responsáveis e educadores.

Preparação das escolas

A Prefeitura de São Paulo já se preparava para um retorno diferente e por isso investiu quase R$1,7 bilhão ao longo de 2020 na compra de equipamentos, reforma e manutenção das escolas, compra de equipamentos, ampliação da banda larga, na compra e distribuição de 465 mil tablets no valor de R$437 milhões, aquisição de livros didáticos e na entrega de cartões alimentação para 1 milhão de alunos. 

Um terço das unidades foram reformadas, com um investimento de R$ 274 milhões em 552 escolas e repassados R$297 milhões através Programa de Transferência de Recursos Financeiros (PTRF) para que as unidades realizassem o necessário para o retorno. 

Também foram adquiridos 760 mil kits de higiene (sabonete líquido, copo e nécessaire), 2,4 milhões de máscaras de tecido, 6,2 mil termômetros digitais e 75 mil protetores faciais que serão destinados a alunos e servidores, com investimento total de cerca de R$ 20 milhões. 

A pasta firmou uma parceria que realizará vistoria nas escolas municipais. Foi criado um check-list que será vistoriado por técnicos de saúde, que darão um parecer positivo ou não para  a reabertura da unidade de ensino. 

Por Pref. de SP

Enem: Mais da metade dos estudantes faltaram em 2º dia

Braços de estudante estendidos para medição de temperatura antes da prova em 2020
(Marcello Casal Jr./Agência Brasil)

O segundo dia de aplicação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020 teve 55,3% de faltas, abstenção recorde no exame, de acordo com o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Do total de 5.523.029 inscritos no exame, menos da metade, 2.470.396, compareceu aos locais de prova. O índice foi maior que no primeiro dia, quando 51,5% dos inscritos não compareceram às provas. 

A média histórica de abstenção no Enem, segundo o Inep, é de cerca de 27%. O recorde anterior havia sido registrado em 2009, com 37,7% de abstenção. Foram eliminados no segundo dia 1.274 participantes por descumprirem as regras do exame, além de 14 emergências médicas. No primeiro dia, 2.967 candidatos foram eliminados.   

De acordo com o presidente do Inep, Alexandre Lopes, o número de faltosos foi maior do que o esperado, mesmo assim, a realização do exame foi vitoriosa. “Têm vários motivos que podem levar as pessoas a fazerem ou não a prova do Enem, é uma decisão individual e eu respeito a decisão individual das pessoas. O que é importante é o Inep assegurar a oportunidade e isso nós fizemos. Estamos dando a oportunidade de quem quer fazer o Enem poder fazer”, diz. “Conseguimos assegurar, no meio da pandemia, que 5,6 milhões pudessem fazer a prova e que 2,5 milhões fizessem as provas. Acho que isso é uma vitória”, acrescenta.

Segundo Lopes, o segundo dia transcorreu com tranquilidade. Não houve, até o momento, notificações de pessoas que foram impedidas de realizar o exame por conta da lotação das salas, como ocorreu no primeiro dia de aplicação. O Inep atualizou os números divulgados no último domingo. Até o momento, foi confirmado que isso ocorreu em 11 cidades, em 37 escolas.

Tanto esses estudantes quanto os participantes que foram prejudicados por questões logísticas, como falta de luz no local de prova, e aqueles que não fizeram o exame por apresentarem sintomas de covid-19 ou outra doença infectocontagiosa terão direito a fazer o exame na data da reaplicação, nos dias 23 e 24 de fevereiro. 

O pedido para participar da reaplicação deve ser feito na Página do Participante. O sistema estará aberto, segundo Lopes, a partir das 12h desta segunda-feira (25). O prazo vai até o dia 29. Os resultados serão divulgados no dia 12 de fevereiro, quando os estudantes saberão se os pedidos foram aceitos ou não.

Segundo o Inep, até o momento, 18.210 candidatos solicitaram a reaplicação por conta de doenças infectocontagiosas. Desses pedidos, o Inep aceitou 13.716. “Nesses casos não é preciso pedir a reaplicação porque o pedido foi feito no sistema, já foi deferido. Para essas pessoas, já estamos trabalhando na elaboração da prova. 

Enem 2021

Lopes confirmou a realização este ano do Enem 2021. Segundo ele, a prova deverá ocorrer no final do ano, entre novembro e dezembro. A autarquia se prepara para realizar o exame novamente em um ambiente de pandemia. “Vamos fazer o Enem no final do ano, também no ambiente de pandemia. Entendemos que a aplicação do Enem em novembro, dezembro será sob a cortina da pandemia. Em breve, soltaremos o edital do Enem 2021. Precisamos começar agora a preparar a aplicação do Enem”, diz. 

De acordo com Lopes, é importante que o Inep mantenha o calendário das avaliações para que a sociedade não seja prejudicada e para que os estudantes não interrompam a trajetória de estudos. 

Gabaritos

O Enem 2020 tem uma versão impressa, que começou a ser aplicada no último domingo (17) e terminou neste domingo, e uma digital, [LINK: https://agenciabrasil.ebc.com.br/educacao/noticia/2021-01/presidente-do-inep-explica-como-sera-primeira-edicao-do-enem-digital] realizada de forma piloto para 96 mil candidatos, nos dias 31 de janeiro e 7 de fevereiro.

As notas do Enem podem ser usadas para acessar o ensino superior e participar de programas como o Sistema de Seleção Unificada (Sisu) e o Programa Universidade para Todos (ProUni). O gabarito das provas da edição impressa será divulgado na quarta-feira (27).

Por Mariana Tokarnia, da Agência Brasil

Estado lança campanha para combater evasão escolar

(André Bueno/Câmara Municipal de SP)

A Secretaria da Educação do Estado de São Paulo lançou hoje (2) a campanha de busca ativa e combate ao abandono escolar dos estudantes da rede estadual de ensino, em conjunto com os criadores de conteúdo do aplicativo TikTok e da produtora KondZilla. O objetivo é, com a ajuda de influenciadores digitais e falando a linguagem dos jovens, informar o máximo de estudantes sobre as potencialidades do Centro de Mídias SP e como eles podem entregar as atividades, além de reforçar a importância da continuidade dos estudos e da retomada das atividades presenciais nas cidades onde já é possível. 

“O Kond [produtor Konrad Dantas] se transformou numa grande produtora e comunicadora que chega no jovem em um linguajar que muitas vezes nós não conseguimos. Queremos ter uma forma de comunicação para ter essa construção de algo que seja mais perene. Todos remando juntos pela educação. Além disso, queremos incentivar a entrega de atividades dos alunos, e a campanha seguirá constante durante o mês de dezembro”, disse o secretário estadual da Educação, Rossieli Soares.

Entre os criadores de conteúdos participantes da campanha estão Esdras Saturnino, Michel Brito, Yasmin Brossi, Caio Pericinoto, Rayl Simon e Fernanda Evan.  

“É fundamental que o jovem não desperdice a oportunidade de estudar, este é o momento de se preparar para a construção de um futuro. Muitos jovens querem dar uma vida confortável aos pais, assim como eu, e só é possível se preparar para isso através da educação. Não tem outra maneira”, disse o produtor Konrad Dantas, no lançamento da campanha.

O Centro de Mídias SP foi inaugurado em abril para ampliar a oferta aos alunos de uma educação mediada por tecnologia, mesmo com a suspensão das atividades presenciais. Por meio de dois aplicativos e dois canais abertos de televisão, são oferecidos conteúdos de todas as disciplinas aos alunos de todos os ciclos de ensino matriculados na rede estadual. Pelos aplicativos os estudantes podem acompanhar aulas ao vivo e interagir com os professores e colegas.

Por Flávia Albuquerque – Repórter da Agência Brasil

Alunos de Etecs e Fatecs recebem chip para conexão à internet

Mais de 22 mil alunos das Escolas Técnicas (Etecs) e Faculdades de Tecnologia (Fatecs) estaduais receberam pacotes de dados do Centro Paula Souza (CPS) para acesso às aulas remotas. A entrega dos chips foi realizada após um levantamento junto à comunidade escolar para identificar os estudantes que tiveram dificuldades para acessar a Plataforma Microsoft Teams.

Leonardo Almeida é um dos que receberam o cartão de acesso à internet para acompanhar as atividades desenvolvidas na Plataforma Teams (Gov. do Estado/Reprodução)

Essa é a ferramenta adotada pelo CPS para uso nas atividades acadêmicas durante o período em que as escolas estão fechadas. Desde que recebeu o chip, o estudante Leonardo Almeida, de 20 anos, que cursa Desenvolvimento de Sistemas na Etec Dra. Ruth Cardoso, em São Vicente, não precisa mais pedir a senha do vizinho para usar sua rede e enfrentar oscilações no sinal. “Estava ótimo no início, mas o sinal foi ficando fraco, fraco, até cair de vez”, conta.

E a visita à lan house não vai mais fazer parte da rotina de Amanda Gabriela Marques de Queiroz, de 30 anos, aluna do curso de Segurança da Informação, da Fatec São Caetano. “Foi a saída que eu encontrei, mas era insustentável”, conta. “Se eu não tenho recursos para ter internet em casa, não podia ficar pagando uma lan house”, diz.

A solução também chegou para aqueles que tentaram usar o pacote de dados do celular, como Mickaelly Tatiane Silva Mota, de 27 anos, estudante de Processos Metalúrgicos da Fatec Sorocaba. “Eu só conseguia assistir meia aula com o 4G”, revela.

Se continuasse dependendo do plano de dados do celular, Sarah Santos Bento, de 17 anos, teria que escolher só algumas semanas do mês para acompanhar o curso. Aluna de Eventos na Etec Professora Dra. Doroti Quiomi Kanashiro Toyohara, do bairro de Pirituba, na capital, ela conta que as sessões virtuais com professores consumiam todos os dados do pacote de um mês inteiro. “Depois eu passava uma, duas semanas, sem internet para uso pessoal”, afirma.

Comunidade escolar

A pandemia obrigou o CPS a se reinventar e, em menos de um mês, transportar as aulas presenciais para o ambiente virtual. Toda a comunidade escolar teve de se adaptar. Diante do desafio de garantir a presença dos estudantes nas aulas online, a instituição fez um amplo levantamento entre os seus mais de 300 mil alunos. O objetivo era localizar aqueles que enfrentavam algum tipo de dificuldade de acesso à plataforma de ensino remota.

Foram identificados 22,5 mil estudantes e cada um recebeu um cartão para acesso à internet com disponibilidade de 20 gigabytes por mês, a ser usada exclusivamente para acesso às aulas.

A oferta dos chips foi mais uma das ações do Centro Paula Souza para garantir o acompanhamento das aulas durante o período de isolamento social. Graças a esse recurso e ao empenho de alunos e professores, o semestre teve finais felizes, apesar da pandemia.

Leonardo conseguiu entregar seu Trabalho de Conclusão de Curso (TCC), feito em grupo, e terminou o curso. Agora, ele estudará Logística na mesma Etec. Amanda, que já havia perdido as esperanças de ter um bom desempenho no semestre, foi aprovada em seis das oito matérias em que estava matriculada. “Não adiantaria passar e não entender”, afirma, ao explicar que deixou as matérias mais complexas para a segunda metade do ano.

Sarah, que foi conversando com os professores sobre as dificuldades que enfrentava no acesso à internet, contou com a compreensão e apoio dos educadores e fechou o semestre com boas notas. Mickaelly conseguiu ser aprovada em quatro das oito matérias que cursou. “Graças a esse chip, felizmente, não perdi o semestre”, salienta.

O cartão de acesso à internet ficará disponível para o segundo semestre letivo e novos alunos também serão contemplados.

*Conteúdo do Gov. do Estado de SP

Aluno de Santos vence concurso sobre reciclagem


Henrique Silva Ferreira, 10 anos, aluno do 5º ano B da escola municipal João Papa Sobrinho, foi o vencedor do concurso ‘O que vira lixo na sua casa?’, que envolveu 235 estudantes de oito municípios do Estado.

O trabalho dele consistiu em observar os resíduos descartados em casa, separá-los e quantificá-los, produzindo um relatório fotográfico e uma redação.

“Com essa atividade, aprendi que é muito importante separar o lixo e que o óleo de cozinha pode provocar entupimento dos canos aqui de casa, além de poluir o meio ambiente”, disse Henrique.

A cerimônia de entrega da premiação, um tablet, aconteceu na manhã desta quarta-feira (22), com a presença do secretário municipal de Meio Ambiente, Marcio Gonçalves Paulo e Daniela Taborda Prado Moran, representando a Secretaria Municipal de Educação.

A iniciativa faz parte das ações de educação ambiental do Programa Meio Ambiente nas Escolas (PMANE), responsável por implantar a Logística Reversa do óleo de cozinha, que em Santos é feita em parceria com as pastas do Meio Ambiente e Educação.

Em Santos, o PMANE teve início em outubro de 2019, com a instalação de pontos de coleta de óleo de cozinha usado e ações de educação ambiental. O óleo recolhido é repassado às indústrias para diversas utilizações como, por exemplo, a produção do biodiesel.

Além da Papa Sobrinho, outras nove escolas participam: Avelino da Paz Vieira, Auxiliadora da Instrução, Dos Andradas, Colégio Santista, Pedro II, Dr. Porchat de Assis, Gota de Leite, Mario de Almeida Alcântara e Barão do Rio Branco.

Entre outubro e novembro do ano passado, as unidades recolheram 400 litros de óleo de cozinha usado, ultrapassando a meta inicialmente prevista, que era de 300 litros.

O programa atende à Lei Federal 12.305/2010, que instituiu a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) e criou a Logística Reversa (LR), que consiste na instalação e administração de pontos de entrega voluntária (PEVs) de resíduos como pilhas e baterias, eletroeletrônicos, remédios, pneus, lâmpadas e óleo de cozinha, entre outros.

Santos já tem PEVs de lâmpadas, pneus, remédios, pilhas e baterias, entre outros. Os endereços podem ser consultados na internet.

O PMANE em Santos é realizado pelo Instituto Auá de Empreendedorismo Socioambiental, em parceria com a Preserva Recicla e o apoio da Importação, Exportação e Indústria de Óleos S.A. Araucária (Imcopa).

*com informações da Prefeitura de Santos

Lei que suspende pagamento de alunos do Fies é publicada

O presidente da República, Jair Bolsonaro, sancionou, com um veto, o Projeto de Lei 1079/20 , que suspende até 31 de dezembro de 2020 os pagamentos dos estudantes ao Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) em razão do estado de calamidade pública decretado por causa da pandemia de Covid-19.

(Marcello Casal Jr./Agência Brasil)

A nova lei (14.024/20) foi publicada no Diário Oficial desta sexta-feira (10) e altera a Lei do Fies. O projeto, de autoria do deputado Denis Bezerra (PSB-CE), foi aprovado pelos parlamentares no dia 18 de junho.

Quem tem direito

Conforme a lei, terão direito à suspensão dos pagamentos os estudantes em dia com as prestações do financiamento e aqueles com parcelas em atraso por, no máximo, 180 dias, contanto que fossem devidas até 20 de março de 2020, pois a partir dessa data contam com suspensão.

Serão suspensas as parcelas do saldo devedor, os juros incidentes sobre elas, parcelas oriundas de renegociações de contratos e eventuais multas por atrasos em pagamentos.

Como pedir a suspensão

Para obter o benefício, estudante deverá manifestar esse interesse ao banco no qual tem o financiamento, por meio dos canais de atendimento disponibilizados para essa finalidade.

A alteração no contrato poderá ser feita presencialmente ou mediante assinatura eletrônica, conforme regulamento.

O que foi vetado

O Fies financia cursos de graduação para alunos de faculdades privadas. Em 2017, o programa passou por uma reformulação com o objetivo de diminuir a inadimplência, sendo instituído o chamado Novo Fies, mas regras dos contratos antigos ainda se aplicam aos que estavam vigentes na ocasião das mudanças na lei.

É o Comitê Gestor do Fies que define os cursos aptos ao financiamento complementar do chamado Novo Fies. O trecho vetado tirava do Comitê Gestor essa competência.

De acordo o presidente, o trecho vetado estava “em descompasso com as atuais diretrizes delineadas para o Novo Fies, além de estimular o inadimplemento dos beneficiários do programa”.

“No sentido de preservar o desenho do Fies, recentemente aperfeiçoado e com constante avaliação pelo Poder Executivo é imposto o veto”, concluiu Bolsonaro.

Possibilidades de parcelamento

A lei publicada nesta sexta-feira institui o Programa Especial de Regularização do Fies.

Pelo texto, no caso de quitação integral, até 31 de dezembro de 2020, haverá redução de 100% dos encargos moratórios (juros e multas).

Outra possibilidade é a quitação em quatro parcelas semestrais até 31 de dezembro de 2022 ou em 24 parcelas mensais com redução de 60% daqueles encargos. O parcelamento começa em 31 de março de 2021.

O estudante também poderá fazer o parcelamentos em 145 ou 175 parcelas mensais e sucessivas, com redução de 40% e 25% dos encargos moratórios, respectivamente. Mas esses pagamentos começam a partir de janeiro de 2021.

Profissionais de saúde

Pela nova lei, médicos, enfermeiros e demais profissionais de saúde atuantes no enfrentamento do coronavírus no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS) poderão contar com desconto nas prestações do Fies a partir do sexto mês de trabalho.

Atualmente, o desconto é permitido a médico integrante de equipe de saúde da família oficialmente cadastrado ou médico militar das Forças Armadas, com atuação em áreas com carência e dificuldade de retenção desse profissional; e ao professor graduado em licenciatura e em exercício na rede pública de educação básica com jornada de, no mínimo, 20 horas semanais.

Pela nova lei, regulamento poderá autorizar, para os profissionais de saúde atuantes no enfrentamento da pandemia, desconto de 50% do valor mensal devido pelo financiado.


Cadastro negativo

O estudante que obtiver o benefício de suspensão do pagamento não poderá ser inscrito em cadastros de inadimplentes e não será considerado descumpridor de quaisquer obrigações junto ao Fies.

Com o objetivo de permitir ao governo reforçar o fundo de garantia do Fies, a lei autoriza a União a colocar mais R$ 1,5 bilhão no Fundo Garantidor do Fies (FG-Fies). Atualmente podem ser alocados até R$ 3 bilhões.

Por Lara Raje – Agência Câmara de Notícias

Universidade dará desconto de até 40% para novos alunos

O momento exige cuidados para a contenção do COVID-19 no Brasil, mas para quem quiser conquistar o sonho de se tornar um universitário poderá participar da campanha on-line, que ocorrerá entre os dias 11 e 16 de maio e será realizada simultaneamente em diversos campi e polos de ensino a distância. As inscrições são gratuitas e as provas poderão ser agendadas diretamente no portal da Estácio em um dos horários disponíveis. Confira a programação da unidade ou polo escolhido em  http://inscricoes.estacio.br/.

A Semana Imperdível vai possibilitar o início da graduação com até 40% de desconto em cursos das modalidades à distância e presenciais, que passaram a ser oferecidas por meio de aulas ao vivo pela internet para mais de 300 mil alunos. A plataforma de ensino que possibilita a continuidade das aulas presenciais durarem a manutenção das medidas de isolamento social foi aprovada por 94% dos estudantes. Já na modalidade digital os cursos seguem sem alterações. E se a preocupação com o futuro é o impedimento para iniciar a graduação, na Estácio o seguro educacional protege os alunos que tenham perdido o emprego. Totalmente sem custos, o benefício garante um crédito de até seis vezes o valor da mensalidade. Saiba mais informações em https://portal.estacio.br/seguroeducacional.

Para garantir descontos de até 40% no primeiro semestre além de descontos até o final do da graduação, os candidatos precisam ser aprovados entre os dias 11 e 16 e efetuarem a confirmação de matrícula até o dia 23 de maio com o pagamento referentes à primeira mensalidade. A campanha é válida para diversos cursos, como Arquitetura e Urbanismo, Direito, Engenharia de Produção, Marketing, entre outros, conforme regulamento. Os descontos são válidos para matriculados no 2º semestre de 2020 e não são cumulativos entre si nem com quaisquer outros descontos. Esta campanha não é válida para o curso de Medicina e todos os detalhes estão descritos no regulamento no site.

Ao participarem do vestibular on-line os candidatos precisarão estar atentos à conexão de internet e devem permanecer em um ambiente calmo que facilite a concentração. O tempo para a realização da prova é limitado em até uma hora ininterrupta, desta forma, o candidato não poderá pausar a avaliação. Todas as informações estão disponíveis no site. É necessário ler as instruções com atenção e antes de iniciar a prova.

Quem fez a prova o Enem ou já possui um diploma de ensino superior, não precisa prestar o vestibular. Nesse caso, basta realizar a inscrição no site inscricoes.estacio.br. Para ingressar pelo ENEM é necessário ter obtido nota acima de 300 na redação e no mínimo 100 em cada uma das provas objetivas do exame (estas notas serão comprovadas com o boletim de notas do ENEM. Após, basta encaminhar cópias do RG, CPF, histórico de conclusão do ensino médio pelo portal do candidato. Para quem for iniciar a segunda graduação, é necessário realizar a inscrição e enviar, além dos documentos citados, o diploma de graduação.

Ao iniciar seus estudos em uma das mais respeitadas instituições de ensino do Brasil, o aluno da Estácio contará com diversas vantagens como material didático digital sem custo; um corpo docente formado por especialistas, mestres e doutores; amplo acervo bibliográfico; orientação de carreira e encaminhamento para o mercado de trabalho, entre outras vantagens.

Alunos carentes receberão R$ 55 mensais do Estado

O Governador do Estado de São Paulo João Doria durante entrevista coletiva de imprensa sobre o Coronavírus. Dia: 25/03/2020 Local: São Paulo/SP Foto: Governo do Estado de São Paulo/SP

O governador de São Paulo, João Doria, anunciou hoje (25) que o Programa Merenda em Casa vai oferecer R$ 55 por mês para 700 mil estudantes de famílias mais vulneráveis do estado e que constam do Cadastro Único do governo federal. Segundo o governador, a medida começará a ser implantada no dia 1º de abril e valerá enquanto as aulas estiverem suspensas no estado.

Doria informou que os recursos serão de R$ 40,5 milhões por mês. “A medida vai perdurar enquanto as aulas estiverem suspensas. É uma medida protetiva, de atenção às famílias e às crianças mais vulneráveis do nosso estado. O valor é suficiente para comprar uma cesta básica”, afirmou o governador.

Outra medida anunciada hoje é a antecipação da vacina de gripe para as forças policiais do estado, como policiais, bombeiros e agentes penitenciários. A vacinação terá início no no dia 30 deste mês e a expectativa é vacinar 100 mil pessoas.

Segundo o prefeito de São Paulo, Bruno Covas, nos dois primeiros dias de vacinação contra a gripe, que envolve principalmente idosos, 667 mil pessoas foram imunizadas na cidade. A vacinação na capital paulista está ocorrendo em 468 unidades básicas de saúde e em 450 escolas. A intenção é vacinar 1,8 milhão de idosos na capital.

Coronavírus



Em entrevista coletiva hoje no Palácio dos Bandeirantes, sede do governo paulista, Covas disse que a capital vai ter mais 100 leitos, doados pelas empresas Ambev e Gerdau. Os novos leitos serão construídos ao lado do Hospital do M’Boi Mirim. Com isso, somarão 2,1 mil leitos para observação de pacientes de coronavírus na cidade de São Paulo.

Segundo o prefeito, as empresas vão arcar com o custo de instalação dos leitos e com parte dos gastos com a manutenção nos próximos quatro meses seguintes. A expectativa é que, em três semanas, os leitos estejam prontos para ser usados.

Ao lado de Doria, o prefeito anunciou a antecipação das obras do Hospital Municipal da Brasilândia de junho para abril. “Teremos mais 150 leitos de UTI [unidade de terapia intensiva] à disposição na luta contra o coronavírus”, disse Covas.

Casos

O estado de São Paulo tem 810 casos confirmados de coronavírus, com 40 mortes. Dos 40 óbitos, apenas três são de pessoas menores de 60 anos, que tinham comorbidades. Há ainda 59 pacientes internados em unidades de terapia intensiva.

Reunião com presidente

Doria e os demais governadores dos estados do Sudeste reuniram-se na manhã desta quarta-feira com o presidente Jair Bolsonaro. Por meio das redes sociais e durante entrevista coletiva realizada na tarde de hoje após a reunião, Doria comentou o pronunciamento feito pelo presidente na noite de ontem (24) em que Bolsonaro pediu aos governadores a suspensão de medidas mais restritivas no combate ao coronavírus.

“Não é hora de separatismo, não é hora de rivalidades. É hora de todos estarmos juntos no combate a essa gravíssima crise. Posicionei ao presidente Jair Bolsonaro que eu havia ficado decepcionado com a intervenção feita por ele na noite de ontem, em rede nacional de televisão. Discordei do posicionamento do presidente, entendendo que, para os brasileiros de São Paulo, e represento 46 milhões de brasileiros, o conteúdo do que ele disse foi absolutamente equivocado e sem sintonia inclusive com as orientações do próprio Ministério da Saúde”, disse Doria.

“Não é uma gripezinha ou um resfriadinho. É um assunto sério, difícil e a maior crise de saúde pública da história do país”, acrescentou.  “Não há nenhuma razão para o abrandamento do isolamento. Estamos seguindo protocolos internacionais”, informou.

Outro assunto abordado na reunião com o presidente, segundo Doria, foi a possibilidade de confisco de respiradores por parte do governo federal. “Havia surgido a notícia de que o Ministério da Saúde centralizaria e confiscaria dos fabricantes os respiradores, todos produzidos aqui em São Paulo, fora os importados. Mas em São Paulo não vamos permitir que isso aconteça. Se for necessário, entraremos no Supremo Tribunal Federal. De São Paulo não se confisca medicamentos nem equipamentos. Tenho certeza de que não ocorrerá, mas se ocorrer, vamos tomar as medidas”, disse o governador.

Segundo Doria, os governadores de todo o país vão se reunir hoje, às 16h, por teleconferência, para discutir a grave situação do país e também as ações adotadas pelo presidente da República.

O pronunciamento de Bolsonaro também repercutiu entre outras autoridades políticas e na sociedade civil. Em entrevista coletiva no Palácio Guanabara após a videoconferência com o presidente Jair Bolsonaro, o governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, defendeu o diálogo entre governadores e o governo federal. “Espero que o presidente continue mantendo o diálogo e dando abertura para que os governadores falem de forma respeitosa aquilo que entendemos ser pertinentes. No momento não há espaço para abertura do confinamento e muito menos de afrouxamento das medidas que tomamos.”, disse.

Ontem  à noite, após o procunciamento de Bolsonaro, o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), e o vice-presidente da Casa, Antonio Anastasia (PSD-MG), divulgaram nota em que afirmam que o momento é de união. “Reafirmamos e insistimos: não é momento de ataque à imprensa e a outros gestores públicos. É momento de união, de serenidade e equilíbrio. A Nação espera do líder do Executivo, mais do que nunca, transparência, seriedade e responsabilidade.”

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), considerou o prinunciamento “equivocado”. “O momento exige que o governo federal reconheça o esforço de todos – governadores, prefeitos e profissionais de saúde – e adote medidas objetivas de apoio emergencial para conter o vírus e aos empresários e empregados prejudicados pelo isolamento social.”

A Sociedade Brasileira de Infectologia afirmou nesta quarta-feira, em nota, que a fala do presidente pode dar a falsa impressão à população de que as medidas de contenção social são inadequadas. A entidade considera “temerário” afirmar que as mortes na Itália sejam relacionadas apenas ao clima frio do inverno europeu. “A pandemia é grave, pois até hoje já foram registrados mais de 420 mil casos confirmados no mundo e quase 19 mil óbitos, sendo 46 no Brasil.”

Por Elaine Patricia Cruz – Repórter da Agência Brasil 

10 mortes: Massacre em Suzano completa um ano

(Arquivo/Rovena Rosa/Agência Brasil)

Um ano após o massacre na Escola Estadual Raul Brasil, em Suzano, na região metropolitana de São Paulo, completado hoje (13), que resultou na morte de dez pessoas, o governo do estado busca acelerar projetos que aumentem a segurança dentro das escolas. 

Na capital paulista, por exemplo, na Escola Estadual Caetano de Campos, região central da cidade, um policial da reserva permanece dentro do colégio no período das aulas, como parte de um projeto-piloto do governo que está em desenvolvimento.

A Secretaria Estadual de Educação criou também um gabinete integrado de segurança escolar, em que há a participação da Polícia Militar e da Secretaria de Segurança Pública. De acordo com a pasta, um relatório com os resultados da ação deverá ser publicado nos próximos meses. 



Seis das vítimas do massacre em Suzano (Reprodução)

O governo do estado promete ainda novas câmeras de segurança nas escolas, assim como redes de wi-fi para possibilitar o acesso remoto às imagens. Novos protocolos de funcionamento dos portões dos colégios também estão sendo implementados, assim como orientações para elaboração dos regimentos internos, que é feito por cada escola.  

De acordo com a secretaria, o governo dispõe de R$ 1,1 bilhão para realizar obras em mais de 1,3 mil escolas. Além das mudanças estruturais, o governo fez alteração na parte pedagógica e está implementando nova disciplina, chamada Projeto de Vida, que, entre outras atribuições, leva para a sala de aula a questão do bullying

“A disciplina é sobre o desenvolvimento do projeto de vida do aluno. Tem que haver um espaço dentro da escola para que a gente cada vez mais escute, entenda quais são os sonhos, os desejos dos nossos estudantes, para que a própria escola se organize em torno deles e dê apoio. Neste ano, a disciplina já começou para todas as escolas, desde o 6° ano até o ensino médio”, destacou o secretário de Educação do estado, Rossieli Soares.

O governo estadual está também criando equipes multidisciplinares para trabalhar com as diretorias de ensino. Segundo a pasta, uma resolução, que deverá ser publicada em breve, vai incorporar psicólogos e assistentes sociais para desenvolver trabalhos na rede de ensino, especialmente nos grandes centros paulistas. A pasta informou que chamou, ainda em 2019, 1,5 mil novos funcionários concursados – agentes de organização escolar – e mais 2 mil temporários.

Suzano

De acordo com a Secretaria de Educação, 90% das reformas na Escola Estadual Raul Brasil, em Suzano, onde ocorreu o massacre, estão concluídas. O término, inicialmente previsto para março, deverá ocorrer no mês de abril. O projeto, que custará mais de R$ 3,1 milhões, está sendo financiado com a ajuda de parceiros privados. 

“O projeto foi pensado para ampliar os espaços de convivência, para que haja uma releitura da própria escola, que é antiga e já precisava receber intervenções. Além disso, a mudança olhou para aspectos de segurança”, disse o secretário Rossieli Soares. Está sendo construída, por exemplo, uma entrada exclusiva para alunos à escola, e outra para a comunidade e ex-alunos, que não dará acesso aos estudantes. 

A revitalização da unidade inclui a construção de novas áreas comuns, de estudo, de convivência e administrativas. Prevê ainda a demolição e reconstrução de novas salas de aula, do Centro de Ensino de Línguas (CEL), banheiros e cantinas, além da reforma das salas de leitura e informática.

Também está sendo criada uma área de 1,5 mil metros quadrados para uso comum, que contará com paisagismo, além de um espaço destinado à prática de esportes, aulas ao ar livre e bicicletário.

De acordo com a pasta, o muralista Eduardo Kobra e sua equipe vão pintar painéis internos e os muros externos da escola. Os desenhos serão criados a partir de um concurso que vai reunir os alunos das 60 escolas da região de Suzano e selecionar os melhores trabalhos. 

Em 13 de março de 2019, dois ex-alunos entraram armados na escola pela porta da frente, assassinaram seis colegas, dois funcionários e se suicidaram.

Câmeras da escola gravaram momento em que atirador abriu fogo contras as vítimas (Reprodução)

Por Bruno Bocchini – Repórter da Agência Brasil

Jabaquara: Orientação jurídica gratuita inclui novas áreas

(Google Street View)

O Núcleo de Práticas Jurídicas (NPJ) da faculdade Estácio Conceição, no Jabaquara, zona sul de São Paulo, passará a oferecer novos serviços de orientação jurídica de graça. Questões de gênero, sexualidade e discriminação passam a ser contempladas pelos atendimentos.

“Além de ampliarmos os nossos serviços que já oferecemos vamos trabalhar também nas esferas como conciliações, judicialização e orientação jurídica”, comentou o professor Luan Conceição, coordenador do Núcleo.

O trabalho é uma oportunidade para os moradores de baixa renda receberem consultoria jurídica gratuita. O atendimento é realizado pelos alunos de Direito a partir do 7º semestre, sob orientação e supervisão de professores.



O Núcleo faz parte do programa de prática profissional do estágio obrigatório exigido pelo Ministério da Educação e pela OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) para garantir aos alunos a possibilidade de colocar em prática o que aprendem na sala de aula.

As novas equipes de atendimento e os serviços incluídos serão apresentados em dois eventos esta semana.

(Divulgação)

Sobre a Estácio

A Estácio é uma das maiores e mais respeitadas instituições do setor educacional brasileiro. Há 50 anos, proporciona acesso a um ensino de qualidade em larga escala e de maneira única. Está presente em 23 estados e no Distrito Federal, por meio do ensino presencial, e em todo o Brasil com o ensino digital, contando com mais de 570 mil alunos matriculados.

Oferece cursos de Graduação e Pós-graduação (lato sensu e stricto sensu), além de soluções corporativas e cursos de extensão. Aposta na tecnologia e na inovação como diferenciais para aprimorar o aprendizado, com currículos alinhados às necessidades do mercado de trabalho. A busca constante pela qualidade acadêmica e os investimentos na área de ensino geraram ótimos resultados nos últimos anos – suas instituições e cursos e são reconhecidos pelo MEC com elevados conceitos de qualidade.

Atuante em projetos que contribuem para o desenvolvimento social e cultural do País, a Estácio promove o Programa de Responsabilidade Social Corporativa Educar para Transformar. O programa, que apoia iniciativas em cinco pilares – Esporte, Escola, Cidadania, Cultura, Inovação e Empreendedorismo – reflete o compromisso da Estácio de oferecer uma educação acessível e de qualidade e, assim, gerar um impacto positivo para a construção de uma sociedade mais justa.

Serviços

Núcleo de Práticas Jurídicas

  • Endereço: Av. Eng. Armando de Arruda Pereira, 673 – Jabaquara
  • Telefone: (11) 3780-7800
  • E-mail: [email protected]

Horários de atendimento à população:

  • Segunda-feira: das 10h às 12h e 18h às 20h
  • Quarta-feira: das 10h às 12h e 18h às 20h
  • Quinta-feira: das 10h às 12h e 18h às 20h
  • Sexta-feira: das 10h às 12h e 18h às 20h