Viaturas da Polícia Federal estacionada em rua onde foram realizadas buscas.

PF prende mais 15 envolvidos no roubo a banco em Araçatuba

A Polícia Federal  (PF) prendeu hoje (16) mais 15 pessoas acusadas de participar do roubo a bancos em Araçatuba, interior paulista, em agosto deste ano. Ao todo, já foram presas 32 pessoas acusadas pelo mega assalto.

A ação de hoje teve apoio da Polícia Militar de São Paulo e envolveu 90 agentes federais. Foram realizadas ainda, além das prisões, 21 ações de busca e apreensão nas cidades de Araçatuba (SP), Osasco (SP), Campinas (SP), Santo André (SP), Guarulhos (SP), Monte Mor (SP), Foz do Iguaçu (PR) e na capital paulista.

Viaturas da Polícia Federal estacionada em rua onde foram realizadas buscas.
Equipe da PF em um dos endereços alvos da operação (PF/Reprodução)

A PF tem atuado para identificar os diversos núcleos que participaram da ação. Segundo as investigações, os criminosos se dividem por funções, com responsáveis por monitorar a ação da polícia, os que adquirem veículos para a realização do assalto e fuga e os que somente financiam o crime, participando dos lucros posteriores.

A estimativa da PF é que, nos diversos níveis de participação, incluindo os que efetivamente fizeram o roubo, cerca 50 pessoas estão envolvidas no crime.

O assalto

(Reprodução)

Na madrugada do dia 30 de agosto, um grupo atacou com explosivos duas agências bancárias – uma do Banco do Brasil e outra da Caixa Econômica Federal – em Araçatuba, no interior paulista. Os ladrões também espalharam explosivos por diversos pontos da cidade.

Na fuga, houve troca de tiros com a polícia e reféns foram usados como escudo, colocados até sobre os capôs dos carros da quadrilha. Três pessoas, incluindo dois assaltantes, morreram na ação  e mais três pessoas ficaram feridas.

por Agência Brasil

Preso mais um suspeito do mega assalto de Araçatuba

(Polícia Federal/via Agência Brasil)

A Polícia Federal (PF) prendeu hoje (4) em Campinas (SP) mais uma pessoa suspeita de participar do roubo a bancos em Araçatuba, no interior paulista, em agosto. Foram cumpridos dois mandados de busca e apreensão, sendo um deles em Hortolândia (SP) e o outro em Campinas.

Até o momento, a PF já realizou 17 prisões de pessoas suspeitas de participação no assalto, além de ter cumprido 56 ordens de busca e apreensão.

Assalto

(Reprodução)

Na madrugada do dia 30 de agosto, um grupo atacou com explosivos duas agências bancárias – uma do Banco do Brasil e outra da Caixa Econômica Federal – em Araçatuba, no interior paulista. Os ladrões também espalharam explosivos por diversos pontos da cidade.

Na fuga, houve troca de tiros com a polícia e reféns foram usados como escudo, colocados até sobre o capô dos carros da quadrilha. Três pessoas, incluindo dois assaltantes, morreram na ação, e pelo menos três ficaram feridas.

Por Agência Brasil

Polícia Federal prende mais seis suspeitos de assalto a banco

(Reprodução)

A Polícia Federal (PF) cumpriu hoje (28) um mandado de prisão temporária e dois de busca e apreensão em Guararapes, no interior paulista, a partir das investigações sobre o roubo a banco em Araçatuba, ocorrido em agosto. Outra ordem de busca e apreensão foi realizada em Agudos, em São Paulo.

Segundo a PF, as investigações apontaram mais um suspeito de ter participado do crime. Até o momento, 16 pessoas já foram presas por suspeita de envolvimento com o assalto. A polícia diz que continua apurando quem foram os integrantes do grupo criminoso que fez o roubo.

Assalto

Na madrugada do dia 30 de agosto, um grupo atacou com explosivos duas agências bancárias – uma do Banco do Brasil e outra da Caixa Econômica Federal – em Araçatuba, no interior paulista. Os ladrões também espalharam explosivos por diversos pontos da cidade.

Na fuga, houve troca de tiros com a polícia e reféns foram usados como escudo, colocados até sobre o capô dos carros da quadrilha. Três pessoas, incluind

Por Agência Brasil

Presos mais sete suspeitos de participar de assalto a banco em Araçatuba

(Polícia Federal/via Agência Brasil)

A Polícia Federal prendeu hoje (14) sete pessoas suspeitas de participação no assalto ocorrido na cidade de Araçatuba, no interior do estado, em agosto. Segundo o órgão, as buscas continuam para a captura de um oitavo suspeito.

Na operação de hoje, a Polícia Federal também cumpriu 24 mandados de busca e apreensão no estado de São Paulo, sendo seis na capital, um em Campinas, um em Águas de Santa Bárbara, três em Mairiporã, três em Osasco, cinco em Guarulhos, dois em Cotia, um em Itapecerica da Serra e dois em Itapevi.

A ação envolveu mais de 100 policiais federais e contou com o apoio da Polícia Militar de São Paulo e do Batalhão de Ações Especiais da Polícia Militar (Baep) de Campinas.

Até o momento, segundo a Polícia Federal, 15 pessoas envolvidas no crime já foram presas e 51 mandados de buscas e apreensões já foram cumpridos desde o assalto. “A Polícia Federal segue empenhada na identificação completa da organização criminosa e seguindo todas as linhas de investigação possíveis”, diz o órgão, em nota.

O assalto

Na madrugada do dia 30 de agosto, um grupo atacou com explosivos duas agências bancárias – uma do Banco do Brasil e outra da Caixa Econômica Federal – em Araçatuba, no interior paulista. Os ladrões também espalharam explosivos por diversos pontos da cidade.

Na fuga, houve troca de tiros com a polícia e reféns foram usados como escudo, colocados sobre o capô dos carros da quadrilha. Na ação, três pessoas morreram e pelo menos outras três ficaram feridas.

Por Agência Brasil

Viaturas da Polícia Federal estacionada em rua onde foram realizadas buscas.

Operação da PF apura roubo a banco de Araçatuba

Equipe da PF em um dos endereços alvos da operação (PF/Reprodução)

A Polícia Federal (PF) cumpriu hoje (1º) quatro mandados de busca e apreensão como parte da investigação de assaltos a agências bancárias em Araçatuba (SP) no último dia 30 de agosto. A polícia informou que já foram cumpridos 32 mandados relativos ao crime, sendo cinco prisões temporárias e 27 ordens de busca e apreensão.

Ainda de acordo com a PF, estão sendo colhidos elementos que vão permitir a identificação e prisão de mais integrantes da organização criminosa responsável pelos assaltos. Já foram presas oito pessoas acusadas de envolvimento no roubo.

Ataque com explosivos

Na madrugada do dia 30 de agosto, um grupo atacou com explosivos duas agências bancárias – uma do Banco do Brasil e outra da Caixa Econômica Federal – em Araçatuba, no interior paulista. Os ladrões também espalharam explosivos por diversos pontos da cidade.

Na fuga, houve troca de tiros com a polícia e reféns foram usados como escudo, colocados sobre o capô dos carros da quadrilha. Três pessoas, incluindo dois assaltantes, morreram na ação, e pelo menos outras três ficaram feridas.

Por Agência Brasil

Justiça solta suspeito de financiar mega assalto em Araçatuba

(Reprodução)

Um homem preso por suspeita de financiar assaltos a agências bancárias de Araçatuba (SP) foi solto após passar por audiência de custódia. O Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP) informou que as prisões em flagrante dos indiciados foram relaxadas. 

“Eles foram presos em Sorocaba pelo crime de associação criminosa, previsto no artigo 3º da Lei n.º 12.850/13. No entanto, o juízo do plantão de Sorocaba entendeu que não havia indício que os vinculasse ao caso de Araçatuba, porque não houve apreensão de nenhum instrumento ou produto de crime relacionado ao caso em poder dos autuados (dinheiro, armas, explosivos etc.), com exceção de uma denúncia anônima. Por essa a razão, foi determinado o relaxamento das prisões em flagrante”, informou o tribunal, em nota. 

O suspeito Paulo César Gabrir, de 33 anos, a esposa dele, Michele Maria da Silva, de 40 anos, e o jovem Emerson Henrique Dias, 25 anos, foram presos em Sorocaba (SP). A mulher e o jovem também foram soltos. 

O crime

Três agências bancárias foram atacadas por criminosos fortemente armados na região central de Araçatuba (SP), na madrugada do dia 30 de agosto. Duas agências bancárias tiveram seus caixas danificados por ação de explosivos e outras agências foram foram atingidas por disparos de arma de fogo. Três pessoas morreram e três ficaram feridas. Até o momento, quatro suspeitos continuam presos.

Por Ludmila Ferreira – repórter da Agência Brasil 

Preso suspeito de financiar mega assalto em Araçatuba

Roubo a banco em Araçatuba (Rede social/Reprodução)

A Polícia Civil prendeu, em Sorocaba, interior de São Paulo, um homem de 33 anos, apontado como o financiador dos ataques contra instituições financeiras em Araçatuba, no último dia 30. Ele admitiu ter financiado a operação para roubar bancos e revelou informalmente que a logística do plano de invasão da cidade custou R$ 600 mil.

Outros dois suspeitos foram detidos em casa: uma comerciante, que constava como foragida por tráfico, e um mecânico, que saiu recentemente de um presídio na região de Araçatuba. Todos foram autuados por organização criminosa. As prisões ocorreram no feriado de ontem (7).

As ações que resultaram nas prisões foram realizadas por policiais da 1ª Delegacia da Divisão de Investigações Sobre Crimes Contra o Patrimônio (Disccpat), do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic). Eles receberam informações sobre um homem que mantinha um padrão alto de consumo, ostentava veículos de luxo e poderia estar envolvido na invasão a bancos de Araçatuba.

Os policiais fizeram uma busca na residência dele e encontraram uma grande quantidade de documentos relacionados ao crime organizado que indica a presença do suspeito em atividades em vários estados.

Outros cinco suspeitos de envolvimento nos crimes já haviam sido detidos pela polícia. Os materiais foram encaminhados à Polícia Federal, que prosseguirá as investigações.

Por Flávia Albuquerque – Repórter da Agência Brasil 

Polícia prende mais dois envolvidos em mega assalto de Araçatuba

A Polícia Civil prendeu nesta sexta-feira (3) dois suspeitos de participarem do ataque a três agências bancárias no Centro de Araçatuba, no interior de São Paulo. Os dois homens foram presos durante operação contra o tráfico de drogas em São Pedro, na região de Piracicaba. Sete pessoas suspeitas de envolvimento na ação realizada na madrugada desta segunda-feira (30) foram presas.

De acordo com a polícia, um dos homens era foragido por homicídio e chegou a apresentar um documento falsificado após ser encontrado em um sítio. Foram apreendidas e encaminhadas para perícia roupas táticas, coletes balísticos, lanternas, binóculos, máquina para contar dinheiro, munições, carros, e cerca de R$ 3 mil.

Os suspeitos foram enviados para a sede do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic), em São Paulo, para prestar depoimentos. Os dois devem ser transferidos para o Centro de Detenção Provisória (CDP) do Belém.

Por TV Cultura

Bandidos aterrorizam cidade para roubar bancos

Três agências bancárias foram atacadas por criminosos fortemente armados na região central de Araçatuba (SP), no início da madrugada desta segunda-feira (30). Segundo a Secretaria de Segurança Pública do estado (SSP-SP), estão em andamento buscas para localizar os criminosos. 

Unidades territoriais da Polícia Militar de Araçatuba, com o apoio de equipes de Bauru, São José do Rio Preto e Presidente Prudente, além do Águia e da Polícia Civil, participam das diligências.  

As forças de segurança já conseguiram deter dois suspeitos de participar da ação. Uma equipe do Grupo de Ações Tática Especiais (Gate ) também está em deslocamento para o município. 

A SSP informou que ao menos três pessoas morreram e três ficaram feridas. O caso já é investigado pela Departamento Estadual de Investigações Criminais de Araçatuba, com o apoio da 5ª Delegacia de Polícia de Investigações sobre Furtos e Roubos a Bancos.

A Polícia Militar de Araçatuba disse que pelo menos duas agências bancárias tiveram seus caixas danificados por ação de explosivos e que outras agências foram alvos de disparos de arma de fogo. “Os infratores da lei usaram transeuntes que passavam no local como escudo humano para transitar a pé e com os veículos utilizados na ação criminosa e utilizaram drones para monitorar toda a ação, tanto na chegada ao perímetro urbano quanto na fuga para a zona rural. Foram deixados explosivos em pelo menos 14 pontos da cidade, incluindo um caminhão carregado com emulsão em  frente a uma das agências atacadas”, informou em nota divulgada à imprensa. 

Durante a fuga, os veículos utilizados na ação foram deixados para trás com farta munição e armas de grosso calibre, entre elas fuzis calibre .50 e 7.62 mm, além de “miguelitos”, que são artefatos de metal utilizados para furar pneus de veículos.

Segunda a PM de Araçatuba, ainda não há um número exato de suspeitos, “mas estima-se que a ação tenha contado com pelo menos 15 deles no centro da cidade”.

https://twitter.com/thalespatrizzi/status/1432207940627410945

Com a intenção de isolar a cidade, os infratores incendiaram veículos nas pontes do Rio Tietê, em Buritama, e Santo Antônio do Aracanguá. Também incendiaram veículos próximo ao trevo de Guararapes e na praça de pedágio em Glicério, bem como dois veículos no centro de Araçatuba.

A identidade das três pessoas mortas durante a ação criminosa ainda está sendo checada. De acordo com a PM, há informações de que algumas pessoas deram entrada no Pronto Socorro Municipal com ferimentos provenientes de arma de fogo. “Ainda não há o número exato de feridos e nem  sua identificação. Um rapaz, ao passar de bicicleta próximo a um artefato, foi vítima da explosão e teve um das pernas amputada”.

A PM solicita à população  de Araçatuba que evite passar pelo centro da cidade, pois ainda há muitos explosivos no local e pode ser que mais artefatos sejam encontrados. “Caso algum cidadão se depare com algo estranho, por favor, não mexa, ligue para o número de emergência 190. Policiais militares estão trabalhando de forma incansável na busca pelos autores desse delito. Pelo menos dois deles já foram capturados”, acrescenta a nota.

Por Ludmilla Souza – Repórter da Agência Brasil 

Estado de SP tem quatro regiões na fase vermelha

O governador de São Paulo, João Doria, anunciou hoje (10) a sexta atualização do Plano São Paulo, plano de retomada econômica gradual, que dividiu o estado em regiões. Com esta nova atualização, quatro regiões do estado vão permanecer na fase 1 – vermelha e terão que manter seus comércios fechados, podendo abrir somente as atividades consideradas essenciais – de logística, abastecimento, saúde e segurança.

Coletiva de Imprensa com Area do Governo e Area da Saúde

Estão na fase vermelha as regiões de Campinas, Ribeirão Preto, Franca e Araçatuba, que já se encontravam nessa condição na atualização anterior do plano. No caso da região de Araçatuba, o que influenciou para a sua manutenção na fase vermelha foi a variação das internações. Já no caso das outras três regiões, o que influenciou foi a taxa de ocupação de leitos de unidades de terapia intensiva (UTI), que estão acima de 80%.

Com a nova atualização, sete regiões do estado passaram para a fase 3 – amarela, que permite a reabertura de bares, restaurantes e salões de beleza com 40% da capacidade e expediente diário de até seis horas. Três dessas regiões já estavam na fase 3 e se mantiveram assim nessa nova atualização: a capital paulista e as sub-regiões sudoeste e sudeste da região metropolitana. A elas se acrescentaram agora as regiões da Baixada Santista, Registro e duas novas sub-regiões metropolitanas: leste e oeste.

Da região metropolitana do estado, somente a sub-região norte teve que se manter na fase 2-laranja: a norte, que compreende as cidades de Caieiras, Cajamar, Francisco Morato, Franco da Rocha, Mairiporã, conhecida como região de Franco da Rocha.

O restante do estado está na fase 2-laranja. Nesta fase estão as áreas de Bauru, Marília, Piracicaba, Presidente Prudente e Sorocaba, que estavam anteriormente na fase vermelha, e as regiões de Araraquara, Barretos, São João da Boa Vista, São José do Rio Preto, Taubaté e a sub-região norte da região metropolitana (Franco da Rocha), que já estavam nessa fase.

A etapa laranja permite funcionamento com 20% da capacidade de atendimento presencial em escritórios em geral, imobiliárias, comércio de rua, shoppings e concessionárias. A abertura é restrita a quatro horas diárias, todos os dias, ou seis horas durante quatro dias e fechamento por outros três.

As regiões que permanecerem por 28 dias seguidos na etapa amarela também poderão reabrir, com limitações, espaços culturais como museus, bibliotecas, cinemas, teatros e salas de espetáculos. Se a estabilização da pandemia se mantiver até o final do mês, a capital e as sub-regiões sudeste e sudoeste poderão obter essa permissão no próximo dia 27.

A nova classificação começa a valer a partir da próxima segunda-feira (13) e as regiões do estado permanecerão assim até a próxima atualização do plano, no dia 24 de julho. Apesar de várias regiões do estado já poderem dar início a seu processo de retomada econômica, o governador de São Paulo informou que vai estender o período de quarentena no estado até o dia 30 de julho.

O Plano São Paulo é dividido em cinco fases que vão do nível máximo de restrição de atividades não essenciais (vermelho) a etapas identificadas como controle (laranja), flexibilização (amarelo), abertura parcial (verde) e normal controlado (azul). O Plano São Paulo também é regionalizado, ou seja, o estado foi dividido em 17 regiões [com a região metropolitana dividida em cinco sub-regiões] e cada uma delas é classificada em uma fase. 

Mapa das regiões SP
Mapa das regiões do Estado – Governo do Estado

Por Elaine Patricia Cruz – Repórter da Agência Brasil