Armado com faca, aluno de 14 anos ataca professor

Ceu onde o crime aconteceu (TV Globo/Reprodução)

 Um aluno de 14 anos, estudante do 7º ano do Centro Educacional Unificado (CEU) Aricanduva, zona leste da capital paulista, esfaqueou um professor na manhã de hoje (19). Segundo a Polícia Militar, o estudante, que também ficou ferido, saiu da sala de aula e encontrou o professor no corredor, quando o golpeou. O aluno teria voltado para a sala de aula e se ferido ao contar aos colegas o que tinha feito.

Em nota, a prefeitura informou que o estudante e o professor da Escola Municipal de Ensino Municipal Paulo Gomes Cardim estão sendo atendidos pelos serviços de saúde. O professor foi socorrido no Pronto-Socorro Municipal Jardim Iva e encaminhado para o Hospital Estadual da Vila Alpina.

O aluno foi socorrido ao Hospital das Clínicas. “A direção do CEU suspendeu as atividades de hoje na unidade. Equipes de saúde estão no local realizando atendimento psicológico dos estudantes, professores e servidores”, diz a nota.

Bombeiros mobilizam 14 viaturas em incêndio

Um incêndio em um depósito na avenida Rio das Pedras, na zona leste de São Paulo, mobilizou 14 viaturas do Corpo de Bombeiros. O chamado foi por volta de 4h de hoje (6).

Inicialmente, a corporação deslocou oito equipes, mas por volta de 6h30 novas viaturas foram enviadas ao local.

O trabalho de combate às chamas envolveu mais de 40 policiais. Apesar das proporções do incêndio, ninguém se feriu. O fogo foi extinto por volta de 8h.

Carro funerário ‘perde’ caixão na zona leste de SP; Veja os vídeos

Uma cena inusitada parou o trânsito do movimentado viaduto Aricanduva, na penha, zona leste de São Paulo, nesta terça-feira (17). Um carro funerário deixou cair um caixão que estava sendo transportado.

A cena inusitada chamou a atenção de motoboys que passavam pelo o local(Foto: Reprodução)

Motoqueiros que passavam pelo local estacionaram na pista enquanto esperavam o retorno do carro funerário. Quando a agente chegou, disse que não havia corpo dentro do caixão.

O veículo, da prefeitura de São Paulo, seguia em direção ao Instituto Médico Legal onde retiraria um corpo. Veja as imagens gravadas pelos motoboys.

[KGVID]http://spagora.com.br/wp-content/uploads/2018/07/WhatsApp-Video-2018-07-17-at-16.16.57.mp4[/KGVID]

[KGVID width=”600″ height=”336″]http://spagora.com.br/wp-content/uploads/2018/07/VID-20180717-WA0053.mp4[/KGVID]

 

Policial Militar suspeito de estupro tem prisão revogada em SP

A Polícia Civil de São Paulo revogou nesta segunda-feira (22) o pedido de prisão temporária de um cabo da Polícia Militar suspeito de raptar e estuprar uma mulher no último dia 14 na Zona Leste de São Paulo. O homem negou o crime à polícia e não foi reconhecido pela vítima, que esteve na delegacia onde ele prestou depoimento.

Imagens de câmera de segurança que circulam pelas redes sociais mostram o momento em que um homem estaciona o carro na rua Antônio La Giudice, no Jardim Aricanduva, na Zona Leste. Eram 7h de 14 de janeiro, um domingo.

As imagens mostram que o homem parece pegar no porta-malas do carro algo que em seguida ele coloca na cintura. Não dá para identificar o que é. O homem fica à espreita na esquina, até que a vítima aparece. Ela resiste ir com ele, e o homem levanta a blusa dela e arrasta a jovem para dentro do carro.

O delegado que cuida do caso diz que pediu a prisão preventiva do cabo Paulo Emídio dos Santos no último sábado (20) porque a vítima identificou o policial como o autor do estupro por meio de uma foto.

Nesta segunda-feira, Paulo Emídio se apresentou ao 66ºDP, na Zona Leste, e negou o crime. Ele levou documentos para mostrar que estava fora de São Paulo no dia do crime. A vítima foi chamada e não reconheceu o policial. Por isso, o delegado revogou o pedido de prisão e decidiu continuar a investigação.

Em dezembro do ano passado, Paulo Emídio dos Santos tinha sido levado para a delegacia acusado de importunação violenta ao pudor. Ele negou o crime e foi liberado. Segundo boletim de ocorrência, a vítima, de 19 anos, contou que andava na rua quando o PM passou num carro e mostrou o órgão genital. O carro é do mesmo modelo do que aparece no vídeo gravado no Jardim Aricanduva no dia 14.

Sobre esse crime de atentado ao pudor, a defesa de Paulo Emídio dos Santos informou que o PM foi confundido por ter o carro igual ao do criminoso e morar na mesma região.

A SSP informou em nota que o 66º DP (Jardim Aricanduva) instaurou inquérito para investigar o caso ocorrido no último domingo (14), no bairro de Aricanduva, zona leste da capital. As investigações seguem em sigilo.