Árvore cai em carro, mata mulher e fere 3 pessoas, incluindo 2 crianças

(TV Globo/Reprodução)

Uma árvore de grande porte caiu hoje (1) em cima de uma carro onde estavam quatro pessoas, sendo duas crianças. O acidente aconteceu durante a chuva forte que atingiu a cidade no começo da tarde. Uma mulher não resistiu ao ferimento e morreu no local.

O carro seguia pela rua Thirso Martins, na região da Vila Mariana, quando o tronco da árvore caiu sobre o veículo. Segundo o corpo de bombeiros, as quatro pessoas que estavam no carro ficaram presas nas ferragens. Um garoto de 10 anos e uma menina de 8 anos foram retirados conscientes. Um homem, adulto, foi retirado do carro após cerca de duas horas e meia de trabalho de resgate.

(Corpo de Bombeiros/Reprodução)

Em outra ocorrência, no Ipiranga, outro carro foi atingido por árvore. Duas pessoas também ficaram presas no veículo, que estava cercado por fios de energia elétrica energizados.

Desde a zero hora desta terça-feira (1), o Corpo de Bombeiros registrou 63 chamados para quedas de árvores.

Alagamento

A chuva também provocou alagamentos na Capital. No corredor norte-sul, houve registro de enchente na 23 de maio e na Avenida Rubem Berta. Também houve alagamento na Avenida Professor Abrahão de Moraes, na Luiz Inácio de Anhaia Mello, na Avenida Inajar de Souza e na Marginal Pinheiros.

Árvore cai e fere idosa de 87 anos na Avenida Paulista

A queda de uma árvore de grande porte em plena Avenida Paulista, um dos principais cartões postais de São Paulo, feriu uma idosa de 87 anos. O acidente aconteceu durante a tarde de hoje (19).

Segundo o Corpo de Bombeiros, a vítima sofreu um corte na mão e uma fratura na perna. A idosa foi socorrida pelos bombeiros e levada para o hospital Santa Catarina.

A pista sentido Paraíso da avenida, na altura do Masp, ficou completamente interditada. Um veículo também foi atingido pelos galhos da árvore.

Metrô suspende retirada de 355 árvores para obras

Após manifestação contrária de moradores locais, o Metrô de São Paulo interrompeu a retirada de 355 árvores em uma área do Jardim Têxtil, na Vila Formosa – zona leste da capital paulista –, onde planejava instalar um canteiro de obras para a ampliação da Linha 2-Verde, com a construção de um estacionamento de trens. O Metrô informou que vai reavaliar o projeto.

(Jornal da Região/Reprodução)

Ontem (20) houve uma reunião entre representantes do Metrô e dos moradores para tratar das obras e um novo encontro será agendado, segundo a companhia, para detalhar e discutir melhor o que pode ser feito. “O Metrô irá rever o projeto de supressão das árvores na extensão da Linha 2-Verde e as medidas de manejo e compensação arbóreas só serão definidas e executadas após reuniões com as comunidades locais para a prestação de todos esclarecimentos”, disse em nota.

De acordo com a assessoria de imprensa do Metrô, há autorização da Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb) para a derrubada das árvores. O Metrô acrescentou, em nota, que “cumpre com todos os requisitos ambientais em suas obras, que trazem diversos benefícios à população, deixando de emitir milhares de toneladas de CO2 com o funcionamento das linhas”. 

Procurada pela reportagem, a Cetesb não informou se havia autorizado a derrubada das árvores nem se aquela é uma área de preservação ambiental. 

O Ministério Público do Estado de São Paulo informou que foi aberto um procedimento preparatório de inquérito civil, na quarta-feira (19) em que foram expedidos ofícios com pedido de informação para o Metrô, Secretaria do Verde e Meio Ambiente e para Cetesb sobre a derrubada das árvores. 

No documento, o promotor Ivandil Dantas da Silva pede “com máxima urgência” que seja realizada vistoria no local por um engenheiro e que seja feita análise do parecer técnico da Cetesb para identificar “se a vegetação a ser suprimida é especialmente protegida, se a compensação ambiental é adequada e suficiente, se houve justificativa de ausência de alternativas técnicas e locacionais à intervenção em APP [área de preservação permanente]”.

Por Camila Boehm – Repórter da Agência Brasil

Capital recebeu 14 mil mudas de árvores este ano

A Prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria do Verde e Meio Ambiente (SVMA), realizou o plantio de mais de 14 mil mudas de plantas na cidade em 2020. Apenas no mês de maio, 1.591 mudas foram plantadas na cidade.

(Pref. de São Paulo/Reprodução)

A Divisão de Produção e Herbário Municipal (DPHM) é responsável pelo fornecimento de mudas destinadas aos plantios que são realizados nas áreas públicas do município, como parques e escolas. Além disso, a Divisão promove pesquisas e experimentações visando o aprimoramento da produção de mudas.

A Divisão de Arborização Urbana (DAU) é responsável pela equipe de DPHM, e realiza a gestão de fornecimento dessas mudas para equipes de plantio da SVMA, para equipes de manejo arbóreo das subprefeituras e aos munícipes através da Campanha Permanente de Incentivo à Arborização.

A implantação de novas árvores no município é também responsabilidade da equipe técnica de DAU, que localiza áreas, elabora projetos de plantio, além de fiscalizar as empresas contratadas para a execução dos trabalhos.

*Com informações da Pref. de São Paulo

Escâner vai registrar situação das árvores na capital

Equipamento é transportado em cima de uma caminhonete (Rovena Rosa/Agência Brasil)


A prefeitura de São Paulo iniciou hoje (29) um projeto piloto para catalogar,com auxílio de scanner as árvores das ruas da cidade. Um carro com câmera que registra em 360 graus vai rodar a Rua Ribeiro Lacerda, no Ipiranga, zona sul paulistana, coletando informações das árvores que estão ao longo da via.

scanner é um aparelho de leitura ótica que permite converter imagens, fotos, ilustrações e textos em papel em um formato digital que pode ser manipulado em computador. O equipamento registra informações como altura, diâmetro, inclinação e espaçamento dos troncos.

A ideia é que as informações sejam usadas para tomar decisões sobre poda e remoção de árvores. Segundo o secretário adjunto de Verde e Meio Ambiente, Ricardo Viegas, caso o projeto piloto tenha sucesso, poderá ser usado na elaboração do plano municipal de arborização urbana. Viegas disse que o estudo incluirá as espécies plantadas na cidade, a quantidade delas e as estratégias para gestão dessa cobertura vegetal.

Ele explicou que o inventário municipal mostra que a capital paulista tem hoje 651 mil árvores, mas que esse levantamento precisa ser atualizado constantemente. “Isso foi feito, há um bom tempo, por engenheiros e biólogos da prefeitura com uma metologia bastante ultrapassada, e o rendimento desse levantamento é muito baixo, lento”, disse Viegas sobre os procedimentos feitos com medição manual e fotografias.

Com o scanner, o secretário acredita que o procedimento terá um ganho de velocidade incomparável. A avaliação dos resultados deve ser feita nos próximos três meses. A partir daí, será possível ter uma ideia das vantagens e também dos custos para implantação do projeto em toda a cidade.

O sistema foi doado por uma empresa privada, a Metro Cúbico Engenharia. A intenção, segundo a companhia, é “apresentar uma alternativa tecnológica de última geração para o cadastramento de árvores, que consiste em obter todas as suas medidas”.

Por  Daniel Mello – Repórter da Agência Brasil

Temporal derruba árvores e provoca enchente em 15 locais

Por Bruno Bocchini

Pistas no Elevado João Goulart ficaram alagadas (Jorge Araújo/Fotos Públicas)


A forte chuva que atinge a capital paulista nesta terça-feira (10) causou o transbordamento de córregos e rios, alagamentos, queda de árvores e aumento dos congestionamentos no trânsito.

Em Itaquera, na zona leste de São Paulo, o Rio Verde transbordou em decorrência das precipitações que atingiram o bairro. Em Perus, na região norte, houve o extravasamento do Córrego Perus, assim como em Tremembé, na mesma região, onde houve o transbordamento do Córrego Paciência. O Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE) da prefeitura decretou estado de alerta nas três localidades. As demais áreas da cidade estão em estado de atenção.

O Corpo de Bombeiros informou que foram registradas 15 ocorrências de alagamento na cidade e 13 chamados em razão da queda de árvores. De acordo com a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), o congestionamento, às 19h, era de 13,8% das vias monitoradas, acima da média para o horário (10%).

https://twitter.com/BombeirosPMESP/status/1204508528448286720

Às 19h, imagens do radar meteorológico do CGE mostravam chuva moderada em toda a capital paulista. Segundo previsão do CGE, as próximas horas continuarão com chuvas, gradativamente perdendo intensidade e abrangência. 

Ventania quebra vidros, derruba árvores e fere 2 pessoas

Por Elaine Patrícia Cruz

Tempo fechou e provocou ventania com chuva e raios no fim do dia (Nivaldo Lima/SP Agora)

Duas pessoas ficaram feridas na tarde desta terça-feira (30) no centro de São Paulo, após serem atingidas por estilhaços de vidros de prédios que se quebraram após uma forte ventania que atingiu a capital.

Segundo o Corpo de Bombeiros, as vítimas estavam na Rua Líbero Badaró. Duas mulheres ficaram feridas, uma de 34 anos e outra, de 24 anos. Ambas tiveram ferimentos leves nas costas e foram levadas ao Hospital Beneficência Portuguesa.

A ventania também provocou a queda de muitas árvores na capital.

De acordo com o Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE), uma frente fria de fraca atividade formou chuvas que atuaram de foram moderada ou com forte intensidade em várias regiões da capital paulista. Imagens do radar meteorológico confirmaram o término das chuvas em São Paulo neste momento, mas uma nova área de chuva pode atingir a cidade durante a noite e a madrugada.

Para esta quarta-feira (31), a previsão é de sol entre nuvens, com elevação das temperaturas no decorrer do dia. Não há expectativa de chuva na Grande São Paulo. No fim de semana, no entanto, uma frente fria mais intensa deve provocar mudança no tempo, provocando chuvas e queda da temperatura.

Ventania na região da Freguesia do Ó, na zona norte da capital (Nivaldo Lima/SP Agora)

Chuva interrompe blocos no pós-carnaval e complica o trânsito

As fortes chuvas na cidade de São Paulo hoje (9) causaram desabamentos, queda de árvores e enchentes. Com isso, toda a capital paulista ficou em estado de atenção até as 19h27.

Segundo o Corpo de Bombeiros, entre meia-noite e 18h05, foram registrados seis desabamentos, 43 quedas de árvores e 3 pontos de enchentes. Na região da Barra Funda, zona oeste, ruas ficaram alagadas e o show da cantora Cláudia Leitte foi interrompido por causa da chuva forte e do vento. Milhares de pessoas acompanhavam o trio elétrico, mas ninguém se feriu.

De acordo com o Centro de Gerenciamento de Emergência Climática (CGC), órgão da Prefeitura de São Paulo, houve estado de atenção para alagamentos na Zona Sul, Zona Norte, Zona Leste, Centro, Marginal Tietê, Zona Oeste, Marginal Pinheiros e Zona Sudeste.

Segundo o CGC, as chuvas ganharam força e se deslocaram da região de Santo Amaro e Cidade Ademar, na Zona Sul.

“Essas áreas de instabilidade são formadas pela combinação de calor e grande disponibilidade de umidade. As precipitações variam de intensidade e possuem deslocamento lento, o que aumenta o potencial para formação de alagamentos”, diz o CGC.

Próximos dias

De acordo com o CGC, a propagação de uma frente fria pelo oceano, afastado do continente e na altura do litoral paulista, muda a direção dos ventos no domingo (10). Por isso, a temperatura máxima não deve passar dos 27°C e mais chuvas são esperadas ao longo do domingo.

Na segunda-feira (11), o sistema frontal se afasta para o litoral fluminense. No entanto, os ventos úmidos que sopram do mar formam muita nebulosidade em toda a faixa leste paulista. A chuva leve e os chuviscos serão ocasionais. Os termômetros oscilam entre 18°C e 24°C.

*com informações da Agência Brasil

Queda de árvores fere motorista e deixa bairros sem luz

(Reprodução)

Um homem de 43 anos ficou ferido depois que uma árvore de grande porte caiu sobre o carro dele na Alameda Santos, cruzamento com a Augusta, na região da Avenida Paulista. O motorista foi socorrido e levado para o hospital Beneficência Portuguesa.

Desde ontem até o fim da tarde de hoje (26), 665 árvores caíram na capital paulista e região metropolitana. Na Avenida Doutor Arnaldo, na região do Sumaré, outra árvore atingiu carros.

Na hora da queda os veículos estavam vazios. O acidente provocou a derrubada de fio de energia elétrica e a região está sem energia desde às 13h45.

A Enel, concessionária de Energia Elétrica, informou aos clientes que a previsão para restabelecer o fornecimento era 16h. Mas logo depois reviu para 2h da madrugada.

Árvore de grande porte atingiu carros e a fiação elétrica no bairro Sumaré (Reprodução)