PM estima 125 mil a favor de Bolsonaro na avenida Paulista

(Wesley Diego/Cenarium/via TV Cultura)

A manifestação a favor do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) realizada nesta terça (7) na Avenida Paulista, em São Paulo, reuniu cerca de 125 mil pessoas, segundo a Polícia Militar. O número corresponde a pouco mais de 6% do esperado pelos organizadores do evento, que previam 2 milhões de apoiadores.

Em nota, a Secretaria de Segurança Pública de São Paulo contabilizou um total de 140 mil manifestantes na tarde de hoje: 125 mil no ato pró-Bolsonaro e 15 mil no evento da oposição, no Vale do Anhangabaú. 

“A estimativa do público foi realizada pela área técnica da pasta a partir do uso de imagens aéreas, análise de mapas e georreferenciamento, determinando a extensão dos atos tanto na região da Avenida Paulista (125 mil pessoas) quanto no Vale do Anhangabaú (15 mil pessoas), bem como nas áreas adjacentes”, afirmou a SSP. 

Expectativa de 2 milhões

Em encontro com o governo de São Paulo para definir estratégias de segurança, os organizadores do evento pró-Bolsonaro afirmaram que a estimativa de participação era de cerca de 2 milhões de pessoas.

Em discurso na última quinta (2), o presidente disse esperar “um recorde” nas manifestações marcadas para esta terça: “Como tenho um compromisso em São Paulo no dia 8, pretendo ocupar um carro de som na Paulista, que deve ter umas 2 milhões de pessoas. Pelo que tudo indica, vai ser um recorde de pessoas”.

Por TV Cultura

Vacina contra covid-19 está disponível hoje em parques e na Avenida Paulista

(Roberto Parizotti/FotosPublicas)

A campanha de vacinação contra a covid-19 prossegue, neste domingo (5), com postos distribuídos também por parques e até na Avenida Paulista. Até às 16h, farmácias parceiras da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) vão aplicar doses na Avenida Paulista, 266 e 2.371. Estes dois locais terão vacina para primeira aplicação e segunda dose. O megaposto da galeria Prestes Maia, na região central, também estará aberto até 17h.

A campanha contra a covid-19 também ocorrerá em sete parques da cidade, até 17h, para primeira e segunda dose aos públicos elegíveis. Na região central estará aberto o Centro Esportivo Esportes Radicais; na Zona Sul, o Parque do Guarapiranga; na Zona Leste, os parques do Carmo, em Itaquera e Parque Recreativo Ceret, no Tatuapé; na Zona Oeste, o Parque Villa-Lobos e na Zona Norte estará aberto o Parque da Juventude.

Ontem (4), a cidade de São Paulo ultrapassou 15 milhões de doses aplicadas contra a covid-19. Pelo menos cinco milhões de pessoas que vivem na Capital já estão com o esquema vacinal completo.

Público-alvo

  • No momento, os adolescentes entre 15 e 17 anos são prioridade na campanha de vacinação.
  • Na segunda-feira (6), toda a rede estará em funcionamento para o início da vacinação de adolescentes de 12 a 14 anos de idade.
  • Também será iniciada a vacinação da dose adicional para idosos acima de 90 anos, que segue até o dia 12 de setembro.
  • Na terça-feira (7), feriado nacional, não haverá vacinação, que retorna quarta (8), com o funcionamento de toda a rede.

Paulista terá espaço para ciclistas e pedestres no domingo

(Arquivo/Marcelo Pereira/Pref. de São Paulo)

No próximo domingo (18), a Avenida Paulista, na região central de São Paulo, ficará fechada para carros para permitir o lazer dos pedestres e ciclistas durante parte do dia, em caráter experimental.

De acordo com o Comitê de Eventos da Prefeitura, o tráfego de veículos ficará suspenso das 8h às 12h no trecho entre a Rua da Consolação e a Praça Oswaldo Cruz. A decisão foi tomada pelo comitê, levando em conta que 70% da população elegível já foi vacinada com ao menos uma dose contra a covid-19. 

A avenida estava fechada ao público desde março de 2020, devido ao estado de emergência da capital em razão à pandemia do coronavírus. A ação ocorrerá em caráter experimental e de acordo com todos os protocolos sanitários estabelecidos pela Vigilância Sanitária, como o uso de máscaras, álcool em gel e distanciamento entre as pessoas, sem aglomerações.

“Neste sentido, o horário para a intervenção, das 8h às 12h, foi escolhido justamente por ser um período mais tranquilo com relação ao número de frequentadores. De acordo com o funcionamento da Paulista, o Comitê irá analisar, em uma segunda etapa, a abertura do Vale do Anhangabaú, na região do Triângulo Histórico, no Centro da cidade”, disse a prefeitura, em nota.

Por Flávia Albuquerque, da Agência Brasil

‘Panela Cheia Salva’ terá ponto de arrecadação
 de alimento na região da Paulista

(Reprodução)

O Shopping Pátio Paulista, ao lado da Avenida Paulista, promove a partir do dia 14 de junho o projeto Panela Cheia Salva, movimento que une esforços das ONGS Central Única de Favelas (CUFA) Gerando Falcões, e Frente Nacional Antirracista. 

Com um ponto de arrecadação de alimentos, localizado no Piso 13 de Maio, a ação receberá doações de alimentos. Além disso o Pátio irá doar R$20 mil para contribuir com o projeto.

O Movimento Panela Cheia tem como objetivo ampliar o alcance de suas campanhas, chamando a atenação da sociedade para o problema da fome no Brasil.

As três instituições parceiras têm atuação nacional e um histórico vitorioso de luta contra a fome, presentes em mais de 5 mil comunidades no país inteiro.

Além das doações diretamente no shopping, os clientes podem efetuar suas doações pelo site  www.shoppingpatiopaulista.com.br e obter mais informações sobre o projeto. 

“Sabemos do grande potencial que temos para promover ações de impacto social e o quanto precisamos unir esforços em um momento tão delicado como este que estamos vivendo. O Panela Cheia Salva tem contribuído com muitas famílias e nós seremos mais um parceiro a arrecadar recursos para as pessoas em situação de vulnerabilidade”, destaca Ilton Nóbrega, Superintendente Interino do Shopping Pátio Paulista. 

O Shopping Pátio Paulista redobrou os cuidados com práticas de higiene e reforçou junto aos operadores a importância da adoção de medidas de prevenção e combate ao Covid-19, como distanciamento social, higienização das superfícies de contato, adoção de sensores de aproximação nos guichês de estacionamento, além do uso obrigatório de E.P.I.s de todos os lojistas e colaboradores. O cuidado com a saúde dos clientes e o respeito às orientações das autoridades públicas seguem sendo prioridade. 

Mais informações sobre as ações do Shopping Pátio Paulista, podem ser esclarecidas pelo aplicativo disponível para download nos sistemas Android e IOS ou pelo site.

Metrô abre licitação para construir novo acesso à Estação Paulista

(Gov. do Estado de São Paulo)

O Metrô lançou na última terça-feira (15) o edital para a licitação que vai contratar as obras de um novo acesso para a estação Paulista, da Linha 4-Amarela. A nova entrada ficará na Rua Bela Cintra e, segundo o governo do Estado de São Paulo, “vai distribuir melhor o fluxo de passageiros que utilizam a estação, com mais uma nova alternativa para chegar e sair da estação”.

O recebimento das propostas das empresas interessadas na construção está marcado para 20 de agosto. “Após a contratação, as obras serão iniciadas assim que concluído o processo de desapropriação de uma área na Rua Bela Cintra, onde será construído o novo acesso”, diz comunicado à imprensa

A construção da nova entrada vai aproveitar uma área técnica já existente na estação. Esse acesso deverá levar os passageiros à entrada da Rua da Consolação, onde estão as escadas rolantes, escadas fixas e elevador.

Paralelamente, o Metrô informou que trabalha em outro projeto para construir um novo túnel de ligação entre as estações Consolação (Linha 2-Verde) e Paulista (Linha 4-Amarela), “ampliando a capacidade de transferência entre essas estações”.

A licitação para as obras está em andamento e a meta é assinar o contrato e iniciar os trabalhos no segundo semestre deste ano.

Bandido tenta furtar jornalista sueco e é gravado pela própria vítima

(Reprodução)

Um jornalista sueco, correspondente internacional, que cobria as manifestações na Avenida Paulista sofreu uma tentativa de furto no último sábado (8). Um homem de bicicleta, que levava a mochila de um aplicativo de delivery nas costas, tentou furtar seu celular.

Henrik Brandão Jönsson, a própria vítima, publicou o vídeo da situação em suas redes sociais. Na gravação, é possível ver o jornalista falando para a câmera do celular, e na sequência o ciclista tenta pegar o aparelho, que filmou a curta perseguição. “Desgraçado, ei, polícia, pega esse cara”, gritou o sueco.

Mais tarde, ele publicou uma matéria em que revela o que disse a um jornal sueco. “Gritei palavras muito feias em português e não consigo traduzi-las em sueco. Usamos outras palavras aqui. Mas, em sueco, você poderia traduzir em ′’merda do inferno’ e ‘merda”, aponta.

Jönsson ainda se desculpou com as pessoas que viram a cena: “Desculpa por todos os palavrões.”

(Reprodução)

*Com TV Cultura

Avenida Paulista completa 129 anos

(Roberto Parizotti/Fotos Públicas)

Símbolo da cidade de São Paulo, palco de manifestações e corredor cultural e de negócios, a Avenida Paulista completa 129 anos hoje (8). Para celebrar a data, sete instituições culturais situadas na principal avenida da cidade resolveram lançar um site, o Paulista Cultural.

Por meio da ferramenta, lançada na manhã de hoje (8 ), o visitante pode acessar a programação de cada instituição e conhecer um pouco cada uma delas. O site também traz informações sobre o horário de funcionamento dos museus e espaços culturais e permite que seja feito o agendamento das visitas. Durante a pandemia do novo coronavírus, a visita tem que ser agendada. 

“O espaço vai permitir que as pessoas acompanhem a programação disponível na Paulista. Você vai poder planejar sua visita por data, por tema ou por instituição e ver tudo o que está acontecendo na avenida. Vai conhecer protocolos e regras para garantir uma experiência tranquila e agradável neste momento de pandemia”, disse Joana Fernandes, coordenadora do Instituto Moreira Salles (IMS), durante live de lançamento do site.

O projeto da Paulista Cultural foi iniciado pelo Museu de Arte de São Paulo (MASP), em 2017, inspirado pelo Museum Mile, iniciativa que congrega museus da 5ª Avenida, em Nova York. A ideia foi agregar as sete instituições culturais que se localizam na avenida: Japan House São Paulo, Casa das Rosas, Sesc Avenida Paulista, Itaú Cultural, MASP, Centro Cultural Fiesp e Instituto Moreira Salles.

Em 2018, ocorreu a primeira edição do evento. As instituições se uniram e ofereceram um dia de programação gratuita, com atividades a céu aberto e intercâmbio entre as casas. No ano passado, na segunda edição do evento, o público participante cresceu 13%, somando 46,5 mil pessoas.

Para este ano, estava programada a terceira edição do evento, que não pode ser realizada por causa da pandemia do novo coronavírus. Em resposta, as instituições resolveram criar o site, agregando, em um só espaço, informações sobre a programação de todas as instituições.

A Paulista

A Avenida Paulista tem quase três quilômetros de extensão e pode ser percorrida em 3.818 passos. Os paulistanos brincam que ela é como o casamento, “começa no Paraíso e termina na Consolação”. A avenida foi inaugurada em 8 de dezembro de 1891, ainda sem construções.

Segundo a Associação Paulista Viva, a criação da rua partiu da ideia de se criar um eixo sofisticado, voltado para a burguesia endinheirada da cidade. O idealizador foi o engenheiro Joaquim Eugênio de Lima, que escolheu, para isso, uma região alta, de onde se podia ver toda a cidade.

Seus primeiros moradores, que ali construíram casarões e palacetes imponentes, foram fazendeiros e industriais, entre eles, os barões do café. Mas, na década de 1930, com a queda da Bolsa, a Paulista também começou a mudar e a se verticalizar, dando espaço para escritórios e centros comerciais. Seus novos moradores passaram a ser advogados, médicos e consulados.

Décadas depois, os antigos casarões passaram a ser destruídos e restam poucos na avenida. Entre os que resistiram, está a mansão em estilo clássico francês de trinta cômodos, construída pelo escritório de Ramos de Azevedo, e que hoje se transformou na Casa das Rosas.

Mas foi em 1968 que a Avenida Paulista ganhou seu melhor retrato, pelo qual se tornou mais conhecida: neste ano foi construída a sede do Museu de Artes de São Paulo (MASP), com um icônico projeto arquitetônico de Lina Bo Bardi. Com o museu, a Avenida Paulista também ganhou o seu mais famoso vão livre, que se transformou no espaço mais democrático da cidade, com feiras de antiguidades, exibição de filmes da Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, manifestações e celebrações.

Até o início dos anos 2000, a Avenida Paulista era o principal centro financeiro do país, reunindo escritórios, consulados, hotéis, bancos, centros educacionais, livrarias, hospitais, salas de cinema, teatros, bares, restaurantes e centros culturais. Nos últimos anos, o coração financeiro se espalhou pela metrópole, mas a avenida continuou sendo referência e cartão-postal da cidade.

Por Elaine Patrícia Cruz, Agência Brasil

Árvore cai e fere idosa de 87 anos na Avenida Paulista

A queda de uma árvore de grande porte em plena Avenida Paulista, um dos principais cartões postais de São Paulo, feriu uma idosa de 87 anos. O acidente aconteceu durante a tarde de hoje (19).

Segundo o Corpo de Bombeiros, a vítima sofreu um corte na mão e uma fratura na perna. A idosa foi socorrida pelos bombeiros e levada para o hospital Santa Catarina.

A pista sentido Paraíso da avenida, na altura do Masp, ficou completamente interditada. Um veículo também foi atingido pelos galhos da árvore.

Ciclofaixas de Lazer voltam hoje na Capital

As ciclofaixas de Lazer da capital paulista voltaram a operar neste domingo (19). O prefeito Bruno Covas e a secretária municipal de Mobilidade e Transportes, Elisabete França, acompanharam, de manhã, a retomada das atividades na ciclofaixa de lazer da Avenida Paulista.

(Marcelo Pereira/Pref. de São Paulo)

Segundo o prefeito Bruno Covas, a cidade conta com 117 km de ciclofaixas de lazer e a empresa Uber fez um investimento de cerca de R$ 12 milhões para que as ciclofaixas possam funcionar pelos próximos 12 meses. A iniciativa é uma das etapas da retomada das atividades na cidade em meio à pandemia do novo coronavírus.

“Apesar de todo esse processo de flexibilização na cidade, nós ainda estamos enfrentando pandemia do coronavírus. Peço que as pessoas se lembrem da utilização da máscara, evitem aglomerações e todas as recomendações que a gente tem feito continuam a valer também para as ciclofaixas de lazer. Elas nunca foram proibidas na cidade de São Paulo, mas não tínhamos nenhum patrocinador que queria colaborar. Agradeço à Uber por essa disposição”, disse o prefeito.  

As ciclofaixas de Lazer voltaram a operar nos mesmos trechos e horários de antes, aos domingos e feriados, das 7h às 16h. A empresa também oferecerá aos usuários todas as condições de segurança exigidas pelo Poder Público e a sinalização será complementada com mensagens de prevenção ao novo coronavírus.

De acordo com a prefeitura, até o fim do ano a capital terá mais 173,5 km de vias (ciclovias e ciclofaixas) para ciclistas, além dos 310 km que estão sendo requalificados. “É um investimento para que a gente possa ter mais pessoas utilizando esse modal com a devida segurança que é necessária”, disse o prefeito.

A prefeitura divulgou orientações aos ciclistas:

– O uso de máscara é obrigatório a todos, inclusive durante a prática de exercício físico

– Mantenha distância segura dos demais ciclistas

– Não compartilhe garrafas de água ou alimentos

– Sempre que possível, lave as mãos ou as higienize com álcool gel

– Em casa, tome banho e higienize suas roupas e seus equipamentos

Por Camila Boehm – Repórter da Agência Brasil 

Festa da virada do ano é cancelada em São Paulo

Por causa da pandemia do novo coronavírus, o prefeito de São Paulo, Bruno Covas, decidiu cancelar, este ano, as celebrações de ano-novo na capital, tradicionalmente realizadas na Avenida Paulista. O réveillon na Paulista costuma atrair até 2 milhões de pessoas que assistem a diversos shows e à queima de fogos na passagem de ano.

Virada para o início de 2020 na Avenida Paulista reuniu mais de 2 milhões de pessoas (Arquivo/Marcelo Pereira/Fotos Públicas)

“Hoje anunciamos que também não teremos réveillon na Paulista nesta virada de ano de 2020 para 2021. Tanto a prefeitura quanto o governo do estado entendem ser muito temerário organizar um evento para 1 milhão de pessoas na Avenida Paulista para dezembro deste ano”, disse Bruno Covas, em entrevista coletiva concedida hoje (17) no Palácio dos Bandeirantes.

Segundo o prefeito, o réveillon trazia alguns benefícios econômicos para a cidade no setor de turismo, mas, em virtude do risco que a festa pode provocar, aumentando o número de infectados pelo novo coronavírus, a decisão foi pelo cancelamento. “Avaliamos isso, mas, com a temeridade de organizar um evento para 1 milhão de pessoas, e o impacto que isso pode ter na área da saúde é bem maior do que qualquer prejuízo econômico que a cidade possa ter nesse instante. Não há nenhuma possibilidade de se pensar, neste momento, em uma festa que reúne 1 milhão de pessoas.”

Na semana passada, o prefeito já havia anunciado que outro grande evento paulistano, a Virada Cultural (que promove 24 horas ininterruptas de atrações culturais por toda a cidade), será realizada em setembro, mas somente de forma online este ano.

Quanto à Parada LGBTQ+ e a Marcha para Jesus, que também mobilizam multidões, há previsão de que sejam realizadas em novembro. O prefeito informou que tem conversado com os organizadores dos dois eventos para avaliar a possibilidade de realização este ano.

Carnaval

Bruno Covas disse também que planeja adiar o carnaval na cidade e que já está em contato com as escolas de samba da capital e com prefeitos de outras cidades do país para tentar uma nova data conjunta para os festejos no Brasil.

Segundo o prefeito, a preparação do carnaval no Sambódromo exige pelo menos seis meses de antecipação. Por isso, as autoridades correm para tentar adiar a data.

“Na nossa cidade temos também o carnaval de rua, que requer prazo menor de organização do que o carnaval do Sambódromo. Em dois ou três meses, conseguimos organizar o carnaval de rua. Para a realização no Sambódromo, são pelo menos seis meses, entre a preparação dos carros alegóricos e os ensaios das escolas. Não é apenas aglomeração no dia do desfile, são 2 ou 3 mil pessoas em uma quadra ensaiando para o carnaval. Estamos levando tudo isso em consideração”, afirmou Bruno Covas.

Por Elaine Patricia Cruz – Repórter da Agência Brasil