Técnicos de Israel chegam hoje à noite para atuar em Brumadinho

Por Carolina Gonçalves

Chegada está prevista para 22h deste domingo (Forças de Defesa de Israel/Via Agência Brasil)

Em menos de quatro horas, mais de 130 soldados e oficiais das Forças de Defesa de Israel (FDI) desembarcam no Aeroporto Internacional de Confins, em Belo Horizonte, de onde seguirão para as proximidades de Brumadinho (MG). Em nota divulgada hoje (27), o Exército israelense afirmou que o principal objetivo da delegação é localizar e resgatar pessoas desaparecidas na região.

O grupo liderado pelo coronel Golan Vach, da Unidade Nacional de Busca e Resgate no Comando de Frente Interno de Israel, inclui engenheiros especialistas, médicos, equipes de busca e resgate, bombeiros, soldados da unidade de missões submarinas da Marinha Israelense (YALTAM 707), representantes do Ministério das Relações Exteriores e o Embaixador de Israel no Brasil, Yossi Sheli. A delegação desembarca por volta das 22h.



O envio da equipe com equipamentos avançados de localização de celulares, radares submarinos e aviões foi confirmado pelo primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu. O premier ligou diretamente para o presidente Jair Bolsonaro na tarde de ontem (27), depois do sobrevoo na área atingida após o rompimento de uma barragem de contenção rejeitos da mineradora Vale, em Brumadinho (MG).

Ao falar em nome do presidente Bolsonaro, internado para exames pré-operatórios em São Paulo, o porta voz do Planalto, Otávio Santana do Rêgo Barros, destacou o agradecimento brasileiro ao reforço dos trabalhos de resgate em Brumadinho.

“São cerca de 150 homens e mulheres além de equipamentos para reforçar a importante missão em Brumadinho. O presidente pediu para destacar o imediato apoio do primeiro ministro Netanyahu”, destacou o general.

A delegação chega ainda com vacinas e equipamentos médicos. De acordo com a assessoria do Exército de Israel, ainda não há informações sobre as estratégias a serem utilizadas em Minas Gerais.

As FDI e o Estado de Israel continuarão a ajudar com sua experiência e capacidade nas casualidades de qualquer desastre em toda parte do mundo. A iniciativa israelense envolve trabalhos de apoio a diversos países vítimas de desastres desde 1953. A ajuda enviada ao Brasil é o dobro da destinada ao México, em decorrência do terremoto de 2017.

De acordo com a assessoria do grupo, 27 missões humanitárias foram enviadas em todo o mundo, desde atendimento a refugiados de guerra, como o que ocorreu em 1975, quando as equipes atuaram no atendimento a refugiados da guerra entre o Vietnã e o Camboja, até resgate de feridos e mortos de fenômenos como o terremoto atingiu o Nepal, matando mais de 2 mil pessoas e ferindo mais de 4,7 mil pessoas em 2015.

Bombeiros retomam buscas por sobreviventes em Brumadinho

[masterslider id=”32″]

O tenente-coronel Flávio Godinho, coordenador da Defesa Civil de Minas Gerais, informou há pouco que foram retomadas as buscas por sobreviventes do rompimento da barragem de rejeitos mineradora Vale em Brumadinho, ne região metropolitana de Minas Gerais, que ocorreu na sexta-feira (25). As buscas haviam sido suspensas por causa do risco de rompimento da barragem número 6, que é de água. Godinho afirmou ainda que não haverá mais retirada de moradores de suas casas.

“Retomamos para o risco um [em uma escala de um a três de risco de rompimento]. A barragem não oferece risco para as pessoas que moram lá e nem para os bombeiros”, disse há pouco em entrevista aos jornalistas em Brumadinho.



Godinho afirmou que os moradores, que tinham sido deslocados, podem voltar às suas casas. “Podem retornar para suas casas”.

Cerca de 30 minutos antes, o Corpo de Bombeiros de Minas Gerais havia informado que o risco de rompimento da segunda barragem na Mina Córrego do Feijão, era no nível dois, em uma escala de um a três. Devido ao risco de rompimento, cerca de 3.000 pessoas seriam retiradas de casa.

Segundo o Corpo de Bombeiros, a água da barragem está sendo bombeada para reduzir o risco. No momento, conforme os bombeiros, a barragem tem um volume de água equivalente a 840 mil metros cúbicos.

De acordo com Godinho, se houver mudança no nível, a população será avisada.

Lista de desaparecidos é atualizada e 287 pessoas são procuradas

Por  Vitor Abdala 

[masterslider id=”32″]

Cerca de 460 pessoas procuraram a polícia em busca de parentes desaparecidos, segundo informações divulgadas pelo chefe da Polícia Civil de Minas Gerais, Wagner Pinto de Souza. De acordo com o delegado, não necessariamente há 460 desaparecidos, uma vez que várias pessoas podem aparecer em busca de uma única pessoa.

Conforme os bombeiros, 361 pessoas foram localizadas e 287 continuam desaparecidas, entre funcionários da Vale e moradores da região atingida.



Souza afirmou ainda que 16 dos 37 corpos encontrados já foram identificados. “Dessas 16, oito já foram entregues aos familiares para o devido sepultamento”, disse o chefe da Polícia Civil mineira. “Há de se ressaltar a dificuldade de fazer a identificação desses corpos. Temos que fazer o reconhecimento primeiro através dos familiares, depois através das impressões digitais. Posteriormente através da arcada dentária e, por fim, através do DNA.”

Parentes têm reclamado de dificuldade de acesso às informações. A Defesa Civil informou que está unificando os dados, que são divulgados primeiramente aos parentes e depois para a imprensa.

Inquérito

Segundo o delegado, o inquérito policial que investiga responsabilidades pelo desastre ambiental foi instaurado na própria sexta-feira (25), dia do rompimento da barragem. “Estamos arregimentando o máximo de informações e estamos preocupados com a parte da perícia criminal. Já estamos fazendo o nosso trabalho, dentro da arregimentação das provas técnicas, das provas documentais e também das provas testemunhais”.

Risco de novo rompimento faz Vale evacuar área com 24 mil pessoas

Cerca de 24 mil pessoas estão sendo evacuadas pelos bombeiros das áreas sob risco em Brumadinho (MG). A informação foi divulgada pelo porta-voz do Corpo de Bombeiros de Minas Gerais, tenente Pedro Aihara. Às 5h30, uma sirene alertou para o risco de rompimento de uma nova barragem da Mina Córrego do Feijão, a Barragem VI.

Entre as áreas sob risco estão Parque da Cachoeira, Pires e Bairro Novo Progresso. “As áreas para onde as comunidades estão sendo levadas são as áreas previstas no plano de ação de emergência da barragem. O Corpo de Bombeiros permanece com todas as aeronaves de prontidão, para se for necessário deslocar equipes ou mesmo realizar ações de resgate e salvamento”, disse o tenente.

Segundo o porta-voz, por enquanto, os bombeiros estão focando seus esforços na evacuação e, por isso, os trabalhos de busca e salvamento de vítimas da Barragem 1, que rompeu na última sexta-feira (25).

[masterslider id=”32″]

Sobe o número de mortes após rompimento de barragem

Por  Heloisa Cristaldo e Vitor Abdala

[masterslider id=”32″]

Subiu para 37 o número de vítimas em Brumadinho, das quais oito foram identificadas, segundo o Corpo de Bombeiros de Minas Gerais. Até o momento, 192 pessoas foram resgatadas após a tragédia na Mina Córrego do Feijão, em Brumadinho, nos arredores de Belo Horizonte (MG). Neste momento, as buscas estão suspensas após risco de novo rompimento na região.

Moradores de quatro zonas de risco (Parque da Cachoeira, mais próxima à barragem B6; Pires; Centro de Brumadinho; Bairro Novo Progresso) estão sendo orientados a sair de suas residências devido ao risco de rompimento da barragem. A orientação do Corpo de Bombeiros é que a população siga para um dos três pontos de apoio na cidade: Igreja Matriz, Delegacia de Brumadinho e Morro do Querosene

O Corpo de Bombeiros informou ainda que o acesso à cidade está bloqueado, em razão de risco iminente de rompimento. Dessa forma, moradores não estão autorizados a voltar em suas residências para recuperar seus pertences.

Bombeiros

“Estamos com equipes da Academia de Bombeiros Militares. Nesse local existem cerca de 25 casas. Devido ao risco de rompimento da barragem, os trabalhos de busca estão temporariamente interrompidos, porque nosso foco agora é todo efetivo está empenhado na evacuação dessas áreas”, disse o porta-voz do Corpo de Bombeiros, tenente Pedro Aihara.

Confirmadas 34 mortes após rompimento de barragem em Minas

(Corpo de Bombeiros/Reprodução)

O Corpo de Bombeiros de Minas Gerais divulgou boletim no final do dia (26) confirmando a morte de 34 pessoas por causa do rompimento de barragem de rejeitos da mineradora Vale no Córrego do Feijão, em Brumadinho (MG). Ainda segundo os bombeiros, 23 pessoas foram encaminhadas aos hospitais e 81 estão desabrigadas.

Nesta tarde, o governo de Minas Gerais confirmou a identificação da primeira vítima do rompimento da barragem. Trata-se da médica Marcelle Cangussu, de 35 anos, que trabalhava na companhia.

A Defesa Civil de Belo Horizonte divulgou alerta para o aumento da intensidade das chuvas na região, recomendando atenção redobrada. Mais cedo, autoridades locais que coordenam as equipes de busca e resgate alertaram que as chuvas poderiam complicar a busca por sobreviventes.



Os bombeiros buscam por sobreviventes em quatro locais: um ônibus e uma locomotiva já localizados, um prédio próximo ao restaurante da Vale e também a comunidade Parque das Cachoeiras. Quatorze aeronaves fazem o trabalho de busca e resgate de vítimas, incluindo helicópteros da Polícia Militar e da Polícia Civil de Minas Gerais e da Força Aérea Brasileira, além de uma aeronave cedida pelo estado do Rio de Janeiro.

O rompimento da barragem B1 ocorreu no início da tarde de ontem (25), na Mina Córrego do Feijão. A quantidade de rejeito acumulado na estrutura fez com que uma outra barragem transbordasse. A lama atingiu uma área administrativa da companhia e parte da comunidade de Vila Ferteco. A barragem estava há mais de três anos inativa, sem receber resíduos. A última auditoria não apontou nenhuma irregularidade, segundo a mineradora. A Vale ainda não informou o que motivou o rompimento.

Bombeiros paulista coloca 37 homens à disposição de Minas Gerais

(Reprodução)

O Corpo de Bombeiros de São Paulo colocou à disposição de Minas Gerais 37 homens. Eles podem ser acionados assim que houver convocação.

A informação foi divulgada pela corporação por meio do Twitter. Equipes dos bombeiros do Rio de Janeiro já estão trabalhando na região em que a barragem rompeu.

O Estado de São Paulo colocou à disposição também equipamentos, cães de busca e viaturas.

 

https://twitter.com/BombeirosPMESP/status/1089169175560548353

Sobe para 11 as mortes da barragem da Vale

Por  Paula Laboissière

Sobrevoo da área atingida pelo rompimento da barragem em Brumadinho (Isac Nóbrega/Presidência da República/Fotos Públicas)

O Corpo de Bombeiros de Minas Gerais atualizaram para 11 o número de corpos resgatados após o rompimento da barragem re rejeitos da mineradora Vale em Brumadinho. De acordo com a corporação, um ônibus com funcionários da empresa já foi localizado e nenhum dos ocupantes sobreviveu.

“Como é um local de difícil acesso e precisamos de um maquinário especial para acessar a estrutura e retirar essas vítimas, ainda não fechamos o número de óbitos. Mas esse número de óbitos vai aumentar”, informou o Corpo de Bombeiros.

Desaparecidos

Conforme os dados, 166 funcionários da Vale e 130 terceirizados estão desaparecidos.

Das 176 pessoas encontradas com vida, 23 estão hospitalizadas.

Bolsonaro sobrevoa área atingida por rompimento de barragem

O Presidente da República, Jair Bolsonaro, durante sobrevoo da região atingida pelo rompimento da barragem em Brumadinho, Minas Gerais (Isac Nóbrega/Presidência da República/Via Fotos Públicas)

O Presidente da República, Jair Bolsonaro, sobrevoou a área atingida pelo rejeito que escorreu da barragem, após rompimento, em Brumadinho, na região metropolitana de Belo Horizonte. Ele estava acompanhado pelo Governador de Minas Gerais, Romeu Zema.

Bolsonaro se disse, por meio do Twitter, emocionado diante da cena de destruição.

O presidente também participou, na manhã de hoje, de uma reunião de trabalho com o governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, ministros e representantes da Vale. No encontro foram debatidas medidas de ajuda às vítimas do rompimento da barragem da Mina do Feijão.

[masterslider id=”30″]

*Com informações da Agência Brasil

*Atualizado 12h57

Vale aponta 400 funcionários desaparecidos; Há nove mortes

Por  Paula Laboissière 

Ponte da ferrovia foi derrubada. Reportagem do El País Brasil sobrevoou a região (Alexandre Araújo/El País Brasil/Reprodução)

O Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais registrou, até o início da madrugada de hoje (26), nove mortes em decorrência do rompimento de uma barragem de rejeitos da mineradora Vale, no município de Brumadinho. O último balanço da corporação informa ainda o resgate de nove pessoas retiradas com vida da lama de rejeitos e de cerca de 100 pessoas que estavam ilhadas.

A mineradora divulgou, na manhã de hoje, uma lista com o nome das pessoas que não fizeram contato desde o rompimento da barragem. Mais de 400 pessoas, entre funcionários do quadro e terceirizados, integram o levantamento da mineradora.

De acordo com a empresa, a lista está sendo atualizada constantemente, conforme as pessoas são localizadas. “Se o seu nome está na lista, favor entrar em contato com a nossa ouvidoria para comunicar”, pediu a mineradora em comunicado. O telefone para atendimento é o 0800 821 500.

[masterslider id=”30″]