Black Friday deve gerar 800 mil downloads de aplicativos de compras

As promoções de Black Friday devem impulsionar as buscas por aplicativos de vendas online, gerando cerca de 800 mil downloads no período. A estimativa foi feita pela empresa especialista em mobile marketing, RankMyApp.

O levantamento é baseado em dados históricos. Ainda de acordo com o estudo, também houve um aumento no número de conversões, um ponto-chave para uma boa estratégia de negócio, pois o termo influencia na possibilidade dos usuários manterem os apps instalados.

Com isso, separamos abaixo algumas oportunidades de descontos e promoções para esta Black Friday que vão desde utensílios domésticos a teste de ancestralidade. Confira abaixo:

(Mediamodifier/Pixabay)

WDC Networks

A WDC Networks, empresa brasileira de capital aberto pioneira em “Tecnologia As a Service”, está oferecendo descontos de Black November durante todo o mês, para quem deseja comprar em seu e-commerce ou direto com os vendedores. A companhia está oferecendo descontos nos produtos de telecomunicações, segurança eletrônica, energia solar e áudio e vídeo profissional, com as melhores soluções para descomplicar o seu negócio.

Ativy Digital

A Ativy Digital, empresa referência em transformação digital na América Latina, está com uma super promoção de Black Friday: na compra de qualquer serviço de cibersegurança até o dia 25, o cliente ganha o Pentest – também conhecido como Teste de Intrusão, em português -, um método de avaliação da segurança de um sistema, simulando um ataque de uma fonte maliciosa, para reconhecer os pontos de falhas e corrigi-lás. 

Apto

O Apto, plataforma que anuncia imóveis novos em fase de lançamento, em construção ou prontos para morar, está promovendo a Black November, onde os compradores terão o mês inteiro para encontrar e adquirir imóveis com descontos especiais de até 30% e ganhar brindes especiais. A ação conta com algumas construtoras e imobiliárias de renome no portfólio, como a Ekko Group, Terral, Abyara, Direcional, Riva, Gabarito Imobiliária, Saint Martin, Fibra Experts, MPD, Seisa Mester, Bem Imobiliária e Gafisa. A promoção será realizada por meio do site.

Genera

A Genera, o primeiro laboratório especializado em genômica pessoal do Brasil, promete uma super baixa nos preços para essa Black Friday. Os clientes poderão comprar os testes de ancestralidade, saúde e bem-estar com até 50% de desconto! Além disso, durante a semana da Black Friday, o laboratório vai divulgar várias surpresas, de forma única e exclusiva, para quem fizer parte dos melhores amigos no instagram da marca.  As promoções terão início no dia 22 de novembro e vão até a Cyber Monday, no dia 29, e estará incluído os pacotes básico, standard e completo. 

Forever Liss

A Forever Liss, e-commerce de nicho especializada em beleza, oferece produtos com qualidade de salão para uso em casa em seu portfólio que conta com 55 linhas e mais de 250 produtos, além de complementos capilares como suplementos vitamínicos. Em seu canal no YouTube, ensina como utilizar seus produtos e obter os cabelos dos sonhos em casa a preços acessíveis. Para a Black Friday, a partir do dia 18/11 a Forever Liss está com descontos de até 80% em todos os seus produtos como os queridinhos Banho de Verniz, máscara de hidratação Catiônica, Penteia Cabelo e Magia de Unicórnio Preparador Capilar. As promoções duram até 07/12.

Brinox

O Grupo Brinox, um dos maiores fabricantes de utilidades domésticas do Brasil, reuniu duas das três marcas da empresa, para promover a Mega Black Friday da Coza Design e Brinox, entre os dias 1 e 30 de novembro, no e-commerce oficial da empresa. A campanha oferecerá até 70% de desconto em itens selecionados. Entre as megas promoções estão utensílios para toda a casa, incluindo cestas organizadoras, lixeiras, talheres, jogos de panelas, kits de pratos e cumbucas. A Mega Black Friday da Coza Design e Brinox é destinada a pessoas que amam decoração, uma mesa de jantar bem posta e gostam de celebrar os momentos com muito conforto e beleza. 

Juntos Somos Mais 

A Juntos Somos Mais, joint venture da Votorantim Cimentos, Gerdau e Tigre, promove um mês inteiro de promoções, descontos e novas parcerias. O programa de fidelidade para varejistas, pelo qual a empresa é nacionalmente conhecida, atua com uma promoção tripla: 20% de bonificação no acúmulo de pontos, com 30% de cashback para usuários que fizerem compras em novembro, além dos descontos nos produtos disponíveis para a troca por pontos. O programa de fidelidade para profissionais de obra também conta com novidades exclusivas para a Black Friday: desde o início de novembro, está no ar a campanha “Carrinho Cheio”, que irá sortear um ano de supermercado para um profissional de obra que enviar os comprovantes de compras das marcas participantes no projeto durante o mês e também oferecerá dezenas de Vales-Compra de 150 reais para o resgate de prêmios.

Habitissimo

A habitissimo, plataforma especializada em serviços de médias e grandes reformas, inicia em 16 de novembro o chamado “Blackissimo”, programação que vai até o dia 30 de novembro com promoções e bônus exclusivos para usuários, aproveitando o mês da Black Friday. Para esta edição, a plataforma oferece uma condição especial para novos usuários cadastrados na plataforma: R$ 250 em saldo + 10% off nos planos premium. Para o público que já faz parte da base do Habitissimo, isto é, pintores, marceneiros, arquitetos, vidraceiros, entre outros profissionais, está sendo ofertado um upsell de 15% off em qualquer plano e um bônus de até R$50,00 nas recargas manuais. Para os profissionais cadastrados no programa de fidelidade da Juntos Somos Mais e que ainda não estão vinculados ao habitissimo, existe a oferta de 12 mil pontos + 30% off no plano anual e 3 mil pontos + 30% off no plano trimestral, sendo esses da modalidade premium. 

MadeiraMadeira

A MadeiraMadeira, primeiro unicórnio LATAM de 2021, preparou uma super oferta para a Black Friday de 2021. Entre os dias 23 e 26 de novembro, a marca irá promover uma campanha com até 80% OFF  aplicáveis a centenas de itens disponíveis no site e aplicativo da marca, além das guide shops, presentes em todo Brasil. A lista de itens contemplará produtos de diversos estilos e categorias, com artigos para a sala, cozinha, quarto, além de produtos de decoração, ideais para garantir um toque especial no ambiente. Para este ano, o grande diferencial da campanha está na precificação unificada entre o online e o offline, com o intuito de garantir ao consumidor uma compra justa, independente do local onde está comprando, a fim de garantir a melhor experiência para o cliente durante o período de compras mais movimentado do ano

InfoJobs

A InfoJobs, empresa de tecnologia para recrutamentos, que para este ano preparou a Blue Friday. A ação permitirá às empresas que contratarem os serviços do PandaPé, software de recrutamento e seleção do InfoJobs, de 15 a 30 de novembro, só pagando por ele em janeiro de 2022. Desta forma, as organizações podem começar o ano com seus serviços de recursos humanos atualizados e digitalizados, aumentando as chances de contratar os profissionais ideais e alavancar suas atividades. 

Nomah

Aproveitando também a semana Black Friday, a Nomah, startup de locação flexível, irá trazer 15 dias de descontos variados para aluguel de apartamentos para 2021 e 2022, sendo alguns períodos como julho, novembro e dezembro. Todos serão divulgados via stories no Instagram ao longo das semanas e poderão ser usados via promocode em nomah.com. A empresa oferece aos clientes a oportunidade de usufruir de diversas unidades espalhadas pelas cidades, para que a estadia seja flexível, prática e aconchegante.

Meu Acerto

A Meu Acerto, plataforma que oferece uma solução inovadora  para negociação digital de dívidas, está disponibilizando descontos de até 98% e parcelamentos em até 48x em serviços oferecidos para todos que desejarem regularizar sua vida financeira, nessa Black Friday. A proposta da fintech é promover o bem-estar financeiro para consumidores endividados, por meio de soluções focadas na experiência do cliente.

Pier 

A Pier, primeira insurtech a virar seguradora no Brasil e uma das principais do segmento com proteções para seguro auto e celular, oferece 50% de desconto para novos membros, no primeiro de mês de uso, tanto no Seguro Auto, quanto no Celular. A seguradora, que atua com seguros de smartphones e automóveis, alia tecnologia ao atendimento humanizado para substituir as ofertas complexas por um seguro descomplicado, e trocar a burocracia por processos instantâneos de ponta a ponta.

TrucKPad

O TruckPad, maior plataforma da América Latina de conexão entre caminhoneiros autônomos e transportadoras de cargas, também irá promover uma ação diferenciada do que é praticado normalmente pelo varejo. A LogTech vai oferecer um combo de soluções para otimizar a logística de transportadores, com 30% a 50% de desconto em seus serviços. Durante o período de Black Friday, as transportadoras terão descontos para adesão à solução de emissão do CIOT, publicação ilimitada de fretes na plataforma, emissão do vale-pedágio, além de descontos para consultas ilimitadas no sistema de gerenciamento de risco. A adesão aos serviços deve ser feita pelo site.

Grão de Gente

A Grão de Gente, empresa líder no segmento de produtos para enxoval e decoração de quarto infantil, preparou uma série de ações para a Black Friday 2021. Além de descontos de até 70% em mais de 50 mil produtos do site, a marca preparou ofertas especiais que incluem parcelamento em 12 vezes sem juros, frete grátis para todo o Brasil e envio imediato. A empresa possui uma cadeia de produção independente e verticalizada, e está adotando a estratégia de estoque de produtos acabados especialmente para atender a demanda da Black Friday.

Black Friday: 62,5% dos lojistas terão promoções

Mulher caminha de máscara pela calçada em frente a uma loja aberta e com pessoas dentro do estabelecimento.

Uma pesquisa da Associação Brasileira de Lojistas de Shopping (Alshop), feita em todo o país, mostrou que 62,5% dos 1,2 mil associados farão promoções em seus pontos de venda durante a Black Friday (sexta-feira preta), no fim de novembro, enquanto 18,8% dos lojistas gostariam de participar da data, porém, não conseguirão devido ao aumento de custos que pressionam os preços e as margens de venda.

Os que admitiram que não vão participar são 12,5% e os que apostarão apenas em promoções via internet em plataformas de e-commerce são 6,2%.

Mesmo assim, a expectativa da Alshop com relação à data é positiva, podendo superar os números de 2020 em 5%.

Mulher caminha de máscara pela calçada em frente a uma loja aberta e com pessoas dentro do estabelecimento.
(Rovena Rosa/Agência Brasil)

“Sabemos que o varejo tem se erguido aos poucos, e mesmo diante da alta dos preços, em conversas com outros empresários, há muito mais otimismo para essa nova fase”, disse o diretor institucional da Alshop, Luis Augusto Ildefonso.

Segundo ele, mesmo com a alta do dólar e o aumento de custos indiretos, os consumidores podem visitar as lojas esperando descontos significativos. “Os descontos não serão tão generosos como nos anos anteriores, mas com certeza farão a diferença para o consumidor que está em busca de smartphones, eletrodomésticos ou até outros produtos que já estejam no radar. O importante é aproveitar a data e pesquisar para encontrar bons descontos”, afirmou.

Limite de descontos

A Federação do Comércio (Fecomercio) de São Paulo alertou para o fato de que a preparação para a data requer atenção dos lojistas na hora de identificar o limite de descontos para atrair os consumidores sem comprometer o fluxo de caixa, ainda mais diante de um cenário de incertezas econômicas e com indicadores de consumo deteriorados (desemprego em alta, inflação, deterioração da renda e crédito mais caro). Por outro lado, alguns pontos críticos devem ser analisados quanto à Black Friday deste ano.

“A oferta mais escassa de bens duráveis, como eletroeletrônicos e eletrodomésticos, poderá ter impacto nas vendas, considerando que os insumos necessários para a fabricação destes produtos estão com preços mais altos. Além disso, o crescimento mundial da demanda e a falta de componentes eletrônicos poderão comprometer a oferta de determinados produtos”, disse a entidade.

Segundo a Fecomercio, com a retomada econômica, houve crescimento significativo da demanda, atingindo a logística de transportes, com o número de contêineres, navios e aviões não aumentando para dar conta dos pedidos que já estavam atrasados por causa das medidas restritivas para controle da pandemia e das novas encomendas mundiais simultaneamente, elevando o preço dos fretes e os prazos para a exportação e a importação de produtos. A alta do dólar é outro componente a ser considerando, aumentando o custo dos produtos.

“Em razão de todos estes problemas, os lojistas já trabalham com estoques mais baixos para atender os clientes neste fim de ano. Um dos grandes desafios será realizar promoções que sejam interessantes para os consumidores, considerando o aumento dos custos, sem comprometer as finanças do negócio”, informou a Fecomercio.

Para a entidade, o ponto de atenção para os lojistas na Black Friday deste ano é colocar o consumidor no centro das estratégias do negócio, proporcionando a melhor experiência de compra, desde o primeiro contato até o pós-venda.

Guia ajuda lojistas

Dados da Associação Comercial de São Paulo (ACSP), baseados em um levantamento da consultoria Neotrust/Compre&Confie, mostram que, no ano passado, mesmo com as medidas de distanciamento social mais rígidas e os efeitos mais intensos da crise econômica desencadeada pelo novo coronavírus, as vendas na Black Friday cresceram mais de 30% em relação a 2019 e alcançaram R$ 5,1 bilhões.

Por conta desses números e para impulsionar as vendas este ano, a entidade elaborou um guia para ajudar os lojistas a buscarem alternativas para alavancar as vendas. Em primeiro lugar a associação orienta para aproveitar o alcance das redes sociais. “Muitos empreendedores, especialmente aqueles que têm apenas um negócio físico, ainda não conseguem enxergar a real necessidade de usar as redes sociais a seu favor. Além de abrir uma conta da empresa, vale a pena considerar a ideia de investir em anúncios para impactar mais usuários com as suas ofertas”, salientou a ACSP.

Outra dica é oferecer descontos reais, já que o período é um sucesso de vendas, mas também desperta a desconfiança com relação aos descontos. “Isso porque, nas últimas edições, muitas empresas aumentaram os preços às vésperas do evento para, no dia da campanha, anunciar reduções maiores nos preços. O lembrete é o de que conquistar a confiança do público em uma data como esta pode fidelizar clientes para o ano todo”.

É importante controlar o estoque e o caixa para definir a estratégia de marketing e de precificação, não esquecendo de avaliar o estoque e verificar com os fornecedores se os contratos de compra serão cumpridos ou se podem sofrer atrasos.

“Outro ponto de atenção é garantir que o treinamento da equipe esteja em dia para que não haja falhas no processo. As respostas aos clientes no WhatsAppe-mail, redes sociais e todo o suporte pós-venda devem ser cordiais e transmitir credibilidade para o público”, sugeriu a ACSP.

Por Agência Brasil

Procon-SP encontra infração em sete de cada dez lojas visitadas

São Paulo – Movimento no comércio da rua Teodoro Sampaio, em Pinheiros, durante o Black Friday (Rovena Rosa/Agência Brasil)

Em fiscalização hoje (27), o Procon de São Paulo registrou em 70% das lojas vistoriadas alguma infração ao Código de Defesa do Consumidor (CDC). Hoje o comércio varejista promove a Black Friday. O Procon esteve em 275 estabelecimentos, e em 193 a legislação não estava sendo respeitada.

“O principal problema encontrado foi não informar o preço adequadamente ao consumidor, como, por exemplo, informar somente o desconto em percentual sem informar o preço final; não informar o preço anterior à Black Friday, impedindo a comparação; praticar preços diferentes no folheto e no caixa, deixando de aplicar o desconto ofertado. Outros locais ainda deixaram de disponibilizar produtos anunciados no folheto promocional”, explicou a entidade em nota.

Até as 9h de hoje (27), o Procon-SP já havia registrado 168 reclamações relacionadas à Black Friday em seu site, e 41 consultas e denúncias pelas redes sociais da entidade. 

Os principais problemas encontrados na fiscalização de hoje, segundo o Procon, foram maquiagem de preço, quando o desconto oferecido sobre o preço do produto ou serviço não é real; pedido cancelado após finalização da compra; produto ou serviço indisponível; e mudança de preço ao finalizar a compra.

A empresa com mais registros de reclamação, até o momento, segundo o Procon-SP, é a B2W Companhia Digital – americanas.com, Submarino, Shoptime, Soubarato -, com 15 reclamações. Em seguida aparece a Via Varejo – Casas Bahia, Pontofrio e Extra.com.br -, com 12; Kabum Comércio Eletrônico, 11; e Mercado Livre e Magazine Luiza, com nove registros, cada.

O Procon-SP lembra que, em compras feitas fora do estabelecimento comercial, o consumidor tem sete dias para cancelar a compra, devolver o produto e pedir o dinheiro de volta.

Por Bruno Bocchini – Repórter da Agência Brasil 

Procon-SP tem atendimento especial para Black Friday

(Arquivo/Procon/Reprodução)

O Procon de São Paulo (Procon-SP) disponibilizou um espaço em seu site para atender as reclamações referentes a promoções da Black Friday, evento que ocorre nesta sexta-feira (27). Segundo a entidade, a reclamação registrada será enviada imediatamente para o fornecedor, que terá até dez dias para dar uma solução ao consumidor.

“A defesa do consumidor terá prioridade total. Tome cuidado, siga nossas dicas e denuncie. Estamos atentos, e as empresas que tentarem transformar essa data promocional em uma dor de cabeça para o consumidor serão punidas exemplarmente”, destacou o diretor executivo do Procon-SP, Fernando Capez.

Ao entrar no site do Procon na internet, o consumidor terá acesso a uma janela específica para fazer a reclamação sobre problemas relacionados à Black Friday. É possível informar queixas como maquiagem de desconto, mudança de preço ao finalizar a compra, pagamento com boleto bancário indisponível e pedido cancelado após a conclusão da compra, além dos casos de não entrega, demora ou produto ou serviço entregue com defeito.

Tradicional nos Estados Unidos, a Black Friday ocorre depois do feriado de Ação de Graças e marca o início da temporada de compras de fim de ano. O comércio aproveita a data para promover liquidações especiais e atrair mais consumidores.

O Procon-SP recomenda que, ao fazer as denúncias e reclamações, o consumidor indique o endereço da loja e apresente os prints das telas demonstrando o que ocorreu de errado com a compra.

Por Bruno Bocchini – Repórter da Agência Brasil 

Black Friday: Ipem-SP dá dicas para compras

(Marcello Casal Jr./Agência Brasil)

Com a proximidade da Black Friday, diversas empresas têm divulgado promoções dos seus produtos. Para evitar contratempos nas compras, o Ipem-SP (Instituto de Pesos e Medidas do Estado de São Paulo), autarquia do Governo, vinculada à Secretaria da Justiça, e órgão delegado do Inmetro, divulga dicas importantes para o consumidor.

O primeiro passo é obter informações sobre a loja ou empresa que está realizando a venda, inclusive, na venda online.

É importante o consumidor ficar atento nos detalhes do produto, principalmente, brinquedos, eletrodomésticos e produtos têxteis.

Os brinquedos devem ostentar o Selo do Inmetro e a escolha adequada do produto por faixa etária. Esse tipo de medida evita acidentes. Não compre artigos infantis em comércio informal, pois não há garantia de procedência. Produtos falsificados ou fabricados em indústrias clandestinas podem não atender às condições mínimas de segurança, especialmente em relação à toxicidade do material usado na fabricação, conter partes pequenas e bordas cortantes

Selecione o brinquedo considerando a idade, o interesse e o nível de habilidade da criança. A faixa etária a que ele se destina – avaliada de acordo com o desenvolvimento motor, cognitivo e comportamental da criança – deve constar na embalagem, assim como informações sobre o conteúdo, instruções de uso, de montagem e eventuais riscos associados à criança, além do CNPJ e do endereço do fabricante. As informações obrigatórias na embalagem demonstram a responsabilidade do fabricante ou importador.

Eletrodomésticos 

Resolveu comprar um eletrodoméstico? Fique de olho na Etiqueta Nacional de Conservação de Energia. Todos os eletrodomésticos devem apresentar a etiqueta do Inmetro que informa sobre o consumo de energia.

As lavadoras e fogões devem apresentar, além disso, informações sobre o consumo de água e gás, respectivamente. O consumo de energia é indicado por uma escala colorida com letras de A a G, que apresentam os níveis de consumo do aparelho. Uma sete preta com a letra correspondente ao consumo daquele aparelho informa o seu nível de eficiência energética.

Assim é fácil saber, por exemplo, que um produto classificado com letra A é mais eficiente (gasta menos) do que um com a letra C. O Ipem-SP fiscaliza a presença das etiquetas nesses produtos.

Produtos têxteis

No caso dos produtos têxteis, as informações contidas na etiqueta são fundamentais e precisam seguir critérios específicos. Devem conter as informações em português sobre o fabricante ou importador, incluindo CNPJ e o país de origem. Além disso, também é necessário identificar a composição têxtil, o tamanho e os símbolos de cuidados com a conservação.

Para a composição têxtil, vale a pena ressaltar que todos os tipos de filamentos utilizados para a produção da peça devem estar mencionados com a indicação percentual de cada um deles (70% algodão e 30% poliéster, por exemplo). Entretanto, é proibido o uso dos nomes das marcas comerciais ou em inglês (como nylon, popeline, lycra, lurex e rayon).

A etiqueta também deve conter elementos de orientação para a conservação e tratamento do produto. E podem ser indicadas através de símbolos ou textos e devem seguir a sequência correta de utilização do produto, como lavagem, alvejamento, secagem, passadoria (ferro de passar) e limpeza profissional (lavagem a seco).

O tamanho das peças de vestuário pode ser indicado por numeração ou letras (38, 40, 42; P, M, G). Vale destacar que se os produtos forem embalados hermeticamente e isto dificultar a visualização das informações, a embalagem deve apresentar, pelo menos, a composição têxtil, pais de origem e tamanho, e quando apresentar mais de uma unidade deve ser informado o número de unidades e a impossibilidade de serem vendidos separadamente.

Mas nos produtos embalados de cama, mesa e banho deve constar a dimensão indicada por meio do SI (Sistema Internacional de Unidades) de cada componente da embalagem, além das informações da composição têxtil e pais de origem.

Quando são encontradas irregularidades, o Ipem-SP autua as empresas. Os representantes têm dez dias para apresentar defesa ao órgão. De acordo com a lei federal 9.933/99, as multas podem chegar a R$ 1,5 milhão.

Orientação para o consumo 

O Ipem-SP disponibiliza para download o Guia Prático de Consumo, que traz dicas ao consumidor sobre o que observar na hora da compra de diversos produtos entre eles, embalados, têxteis, eletrodomésticos, itens que devem trazer o selo do Inmetro e também a utilização de balanças disponíveis em supermercados, padarias, açougues e outros tipos de comércio. Para o download do guia acesse https://bit.ly/2Grx3KS. Conheça as demais publicações da instituição de orientação ao consumidor, acesse https://bit.ly/2DDMjRm.

No site www.ipem.sp.gov.br, além de informações sobre toda a legislação metrológica e da qualidade vigentes no país, estatísticas de fiscalização, orientações ao cidadão e empresários, o interessado pode levantar detalhes das ações diárias do instituto.

Ipem-SP

O Ipem-SP é uma autarquia vinculada à Secretaria da Justiça e Cidadania do Governo do Estado de São Paulo e órgão delegado do Inmetro. Com uma equipe de fiscalização formada por especialistas e técnicos, realiza diariamente, em todo o Estado de São Paulo, operações de fiscalizações rotineiras em balanças, bombas de combustíveis, medidores de pressão arterial, taxímetros, radares, capacetes de motociclistas, preservativos, cadeiras de carro para crianças, peças de roupa, cama, mesa e banho, botijões de gás, entre outros materiais. É seu papel também proteger o consumidor para que este leve para casa a quantidade exata de produto pela qual pagou. Quem desconfiar ou encontrar irregularidades pode recorrer ao serviço da Ouvidoria, pelo telefone 0800 013 05 22, de segunda a sexta, das 8h às 17h, ou enviar e-mail para: [email protected]

Vendas crescem na semana da Black Friday, diz Serasa



As vendas do comércio de rua e shopping centers cresceram 9,9% entre os dias 29 de novembro a 1º de dezembro, período da Black Friday, comparadas ao mesmo período do ano passado, de acordo com o Indicador Serasa Experian de Atividade do Comércio. Na semana que antecede a data, entre 19 a 25 de novembro, foi registrada alta de 9,2% nas vendas.

“O resultado reflete a melhora já esperada pelo setor varejista e acompanhou o crescimento das duas últimas datas comemorativas do comércio [Dias dos Pais e Dia das Crianças]”, disse a Serasa.

Ainda segundo economistas do Serasa, “o período também foi influenciado pelo aumento em massa da renda da população com a liberação da primeira parcela do 13º salário e do saque do FGTS que, aliados à queda dos juros e da inflação, beneficiaram o varejo e impactaram positivamente as vendas da Black Friday”.

Black friday gera 322 reclamações ao Procon

Por Elaine Patricia Cruz

(Procon/Reprodução)


Em novo balanço divulgado às 18h de ontem (29), a Fundação Procon em São Paulo informa que desde às 20h de ontem (28) foram recebidas 322 reclamações referentes à Black Friday. Também houve 308 consultas [pedidos de esclarecimentos] de consumidores ao Procon por meio de seus canais nas redes sociais ou pelo telefone 151.

Entre as reclamações registradas pelo Procon, a mais frequente foi sobre a indisponibilidade do produto ou do serviço, motivo que levou a 88 queixas de consumidores. A segunda foi a maquiagem do desconto [quando o desconto oferecido sobre o preço do produto não é real], com 76 reclamações; seguida pela mudança de preço ao finalizar a compra, com 71 queixas.

Segundo o órgão, as empresas infratoras podem sofrer multas que variam de R$ 560 a R$ 10 milhões ou até podem ter sua atividade suspensa em casos extremos.

A empresa que recebeu mais reclamações até o momento é a B2W Companhia Digital (que administra os sites do Submarino, Shoptime e Americanas, por exemplo), com 34 reclamações; seguida pela rede McDonald’s, com 28; e pela Burger King, com 26. As duas últimas foram notificadas hoje pelo Procon por causa de problemas no aplicativo Mercado Pago, meio de pagamento por meio do qual os consumidores teriam acesso a promoções de lanches.

Segundo o Procon, a publicidade veiculada informava que o consumidor só teria direito a oferta caso a compra do lanche fosse realizada pelo aplicativo. “Porém as equipes de fiscalização [do Procon] verificaram que várias lojas das referidas lanchonetes estavam com o sistema inoperante. Assim, o consumidor não consegue adquirir o lanche pelo valor promocional ofertado”, diz o órgão. As empresas deverão responder a um processo administrativo e podem ser multadas.

Por meio de nota, o Burger King informou que “devido ao grande sucesso e alta procura pelas ofertas de Black Friday, as promoções oferecidas pela rede em parceria com o Mercado Pago apresentaram instabilidade no sistema de pagamento”.

“A rede reforça o seu compromisso em oferecer serviços de qualidade aos seus consumidores e vai manter as ofertas de seis sanduíches por R$15 e três sanduíches por R$5 para todos os meios de pagamento, em todos os restaurantes participantes”, diz a empresa.

Já o McDonald’s informou que “a Méqui Friday” foi preparada “usando o nosso app e também algumas ofertas em parceria com o Mercado Pago. Essas últimas, devido à instabilidade inesperada do sistema, gerada pela grande demanda, ficaram indisponíveis em alguns restaurantes. Lamentamos o ocorrido com nossos clientes e reforçamos que estamos colocando todos os nossos esforços junto ao parceiro pra mitigar o impacto na experiência do consumidor”.

*Atualizada às 3h11

Fim de ano pode gerar 7% mais vagas temporárias

Por Flávia Albuquerque

(Marcelo Camargo/Agência Brasil)


O número de vagas temporárias no estado de São Paulo deve crescer 7% no comércio no período da Black Friday, em novembro, e no Natal, as duas principais datas para o comércio no fim de ano, segundo pesquisa da Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Estado de São Paulo.

Os setores que devem contratar mais são vestuário (lojas de roupa, sapatos e acessórios), eletrônicos, restaurantes e cosméticos.

A previsão da Confederação Nacional dos Dirigentes de Lojas (CNDL) é a de que até o fim do ano sejam abertas 40 mil vagas temporárias a mais na comparação com 2018.  

Saque do FGTS

“O intuito do lojista é fazer a contratação de 4 a cada 10 colaboradores temporários. Outro ponto favorável é o saque do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS), que pode gerar um aumento nas vendas, uma vez que esse dinheiro extra pode ser considerado um valor a mais na conta do consumidor”, explicou o presidente da federação, Maurício Stainoff.

Quando se avalia a região metropolitana de São Paulo, em Diadema a expectativa é a de aumento de 7% para as novas contratações.

“A recolocação no mercado de trabalho é o principal motivo da busca por vagas, visto que as oportunidades de emprego podem ser maiores no Natal, seguido da Black Friday”, disse o presidente da entidade, Marcos Vicente.

Black Friday: 11 franquias que faturam até 80% a mais

(Divulgação)

A Black Friday deste ano será nesta sexta-feira (23) e promete movimentar a economia em todo o Brasil. Criada nos Estados Unidos, a data se tornou uma das principais no calendário dos varejistas brasileiros. Em 2018, alguns estudos mostram que parte dos consumidores pretende antecipar as compras de Natal e de final de ano durante este período.

Segundo pesquisa da Sociedade Brasileira de Consumo e Varejo (SBVC), o consumidor destinará aproximadamente 37% das compras da Black Friday para as festas de final de ano. Além disso, ainda revela que 91% dos entrevistados costumam fazer compras online, mas as lojas físicas ainda concentram o maior volume das vendas, com 72% do total.



“A Black Friday faz parte da cultura americana, mas foi absorvida pelas empresas brasileiras há algum tempo com o objetivo de impulsionar o faturamento no final do ano, pois a data coincide com o adiantamento do 13º salário. Porém, é preciso que os donos de negócios fiquem atentos às promoções que não sejam de fato vantajosas aos clientes. A ideia da data é impulsionar as vendas e não manchar a imagem da empresa”, explica José Carlos Fugice, sócio da Goakira Consultoria.  

A partir disso, algumas redes de franquias apostam em promoções agressivas na Black Friday e chegam a faturar até 80% mais. É o caso da rede de óculos Atitude, que conta com mais de 40 unidades atualmente.

“Este ano a nossa estratégia para a Black Friday foi mais agressiva. As lojas estarão apenas com produtos promocionais a preço único (R$69,90) entre os dias 23 e 24. Depois tudo parte de R$69,90 até o dia 25. Investimos pesado e lançamos a nossa loja virtual com o objetivo de vender um mês em quatro dias”, explica Marcelo Teixeira, gerente nacional da Atitude.

Abaixo, veja 11 opções de marcas que registram aumento no faturamento durante o período:

Mil e Uma Sapatilhas

(Divulgação)

Conhecida pela comercialização de sapatilhas de preço único, a Mil e Uma Sapatilhas conta com mais de 120 unidades abertas em todo o país. O negócio oferece mais uma alternativa para seus consumidores na Black Friday. Em todas as lojas da rede, os clientes encontram produtos com quase 15% de redução. O evento de descontos acontece nos dias 23 e 24 de novembro e a estimativa da marca é aumentar em 15% o faturamento.

Urban Arts

(Divulgação)

A Urban Arts, maior rede de galerias de arte do país, oferece aos seus clientes promoções na Black Week de até 20% off. O evento acontece entre os dias 19 e 23 de novembro em todas as unidades e no e-commerce da marca. A Black Week da Urban Arts conta com descontos progressivos que podem chegar a 20%, de acordo com a quantidade de obras compradas, além de ofertas exclusivas para a linha de acessórios de arte, que incluem lambe-lambes, almofadas e ímãs. Ano passado, a data significou 15% do faturamento mensal da marca e a expectativa para este ano é que atinja 30% a 35% dos ganhos de novembro.

TFlow

(Divulgação)

A TFlow, franquia de vestuário e acessórios masculino, existe desde 2012 e entrou para o franchising em 2017 com dois modelos de negócios: quiosque em shopping, conhecido como franqueado Rubi e formato de venda direta, chamado de franqueado Ouro. Os clientes da marca terão disponíveis peças exclusivas durante a Black Friday e  vão contar com descontos progressivos. Na compra de duas peças, ganha uma. Na compra de três, ganha duas. Os valores partem de R$59,90. A marca costuma faturar 30% a mais neste período.

Grupo Restaura

(Divulgação)

Grupo Restaura, responsável pelas marcas Restaura Jeans, DNA Natural e Minha Lavanderia, aplica desconto especial em toda a rede na Black Friday. Somente no próximo dia 23, quem quiser tingir qualquer peça de roupa na cor preta na Restaura Jeans terá desconto de 50% no valor. Já para os serviços da Minha Lavanderia, a cada  três peças, a menor não terá custo. Na DNA Natural, o wrap frango clássico custará apenas R$ 9,90. Consultar unidades participantes. O grupo estima aumentar o faturamento em 20% com essas ações.

Cia do Sono

(Divulgação)

Fundada em 1987, a Cia do Sono, empresa especializada na produção de colchões personalizados, equipados com massagens terapêuticas e feitos sob medida para cada cliente, conta com 20 lojas físicas espalhadas por cinco estados brasileiros e um faturamento anual de R$ 15 milhões. Para a Black Friday, a rede espera faturar R$ 1,6 milhão, um aumento de 40% no faturamento do mês. A marca vai oferecer descontos de até 40% nos produtos entre os dias 17 e 26.

Hospital Mais Phone

(Divulgação)

O Hospital Mais Phone, rede de franquias especializada em assistência técnica de dispositivos das principais tecnologias: iOS e Android, dará até 40% de desconto em produtos e serviços na Black Friday. O valor do desconto varia em relação ao serviço prestado. O aumento no faturamento da marca nesta época do ano é de 40%.

OligoFlora

(Divulgação)

A rede de estética funcional reservou à Black Friday descontos que variam entre 20 e 70%. Os preços baixos devem ajudar a aumentar em 15% o faturamento da unidade de São Paulo. Tratamentos para redução de medidas, celulite e flacidez são os mais procurados.

Atitude

A franquia espera um acréscimo de 80% no faturamento durante a Black Friday. Nos dias 22 e 23, todos os modelos de óculos serão vendidos por 69,90. Em 24 e 25, cada produto custará a partir de R$ 69,90. As 40 lojas da rede devem faturar R$ 1,5 milhão nas quatro datas.

Ceofood

(Divulgação)

A Ceofood, franquia de aplicativo de delivery gastronômico focada em periferias e cidades do interior. Na Black Friday, até o dia 30 de novembro, todos os restaurantes que contratarem os serviços da Ceofood, irão ter um desconto em suas mensalidade, passando de R$ 149,90 parar R$ 79,90, sem prazo para acabar. Com a promoção, a rede prevê um acréscimo de 30% no faturamento

Pizza Studio

(Divulgação)

A Pizza Studio é uma rede de pizzarias no modelo “fast casual” na qual o próprio cliente monta a sua pizza. São quatro tipos de massa, cinco molhos e mais de 20 guarnições para montar o pedido, que fica pronto em três minutos. Para a Black Friday a rede oferece 40% de desconto no Combo, que passa de R$ 41 por R$ 29,90. A rede prevê um acréscimo  de 60% no faturamento.

Gela Boca

(Divulgação)

A Gela Boca, rede de franquias de sorvetes que se notabiliza pela grande variedade de produtos oferecidos aos clientes, como taças de sorvetes especiais e picolés, trabalhará com três promoções na Black Friday. Exclusivamente no dia 23, o preço do copo de açaí cairá de R$ 12,90 para R$7,90. Além disso, a rede também lançará um produto promocional; o milk shake de whisky, que estará disposnível nas unidades entre os dias 23 e 25 de novembro. Com isso, a rede estima 15% a mais no faturamento.

Sony: 10 dicas para aproveitar o melhor da Black Friday

Lista reúne práticas recomendadas antes e durante a data promocional mais aguardada do ano

 

A Black Friday está chegando e, com ela, uma série de produtos e serviços com condições especiais que chamam a atenção do consumidor. No entanto, é preciso estar atento para aproveitar a data da melhor forma possível. Pensando nisso, a Sony listou 10 dicas para quem pretende se dar bem no próximo dia 23.

 

Antes da Black Friday

 

1. Faça uma lista do que pretende comprar
Para não acabar gastando mais que o necessário, selecione e faça uma lista com todos os produtos que buscará durante a Black Friday.

2. Pesquise sobre o produto que você tem interesse
Antes de escolher qualquer produto, é preciso pesquisar. Muitos acabam fazendo compras por impulso e depois se arrependem. Para não ter essa dor de cabeça, o melhor a fazer é chegar à data decidido.

3. Cadastre-se em sites do seu interesse
Se cadastrando antecipadamente nos sites que vendem o que você procura, é possível receber ofertas antes de todo mundo, sem correr o risco de perder aquela promoção relâmpago.

.

.

.

Para continuar lendo, clique aqui.