Juventude e Palmeiras duelam em Caxias do Sul pelo Brasileiro

Reprodução / Twitter oficial @ECJuventude

O Juventude recebe o Palmeiras logo mais, às 21h30 (horário de Brasília), no estádio Alfredo Jaconi, em Caxias do Sul (RS), pela quarta rodada da Série A do Campeonato Brasileiro. Os donos da casa buscam a primeira vitória na competição. No último confronto, a equipe gaúcha empatou sem gols contra o Santos na Vila Belmiro.

Nesta noite, no entanto, o técnico Marquinhos Santos promete ir ao ataque. “Temos que agredir, ser mais ofensivos e criar situações desconfortáveis para o Palmeiras”.

O Verdão Paulista vem de um empate em casa contra o Corinthians por 1 a 1. O time conta com Breno Lopes, ex-jogador do Juventude, para conquistar três pontos

“Lutamos muito pra trazer o Juventude de volta à elite do futebol, mas agora defendo o Verdão e vamos buscar um resultado positivo”

O técnico português Abel Ferreira tem a volta de Gabriel Menino à equipe e tenta reconquistar o ânimo do grupo após a eliminação na Copa do Brasil para o CRB. Quem completa 200 jogos com a camisa do Palmeiras é o volante Felipe Mello. Com 37 anos, o jogador tem contrato com o Verdão até o fim deste ano.

Por Rodrigo Ricardo – Repórter da Rádio Nacional

Brasileirão: Corinthians e Palmeiras se enfrentam hoje

(Fabio Menotti/Agência Palmeiras/via Agência Brasil)

Palmeiras e Corinthians se enfrentam neste sábado (12) pela terceira rodada do Campeonato Brasileiro. O confronto realizado no Allianz Parque, às 19h (horário de Brasília), terá transmissão da Rádio Nacional, com narração de Felipe Rangel, comentários de Waldir Luiz, reportagem de Rafael Monteiro e plantão de Astrid Nick.

As duas equipes começaram a competição nacional da mesma maneira, perderam na estreia e venceram na segunda rodada.

Além disso, o clássico Dérbi será disputado após eliminações prematuras das duas equipes na terceira fase da Copa do Brasil na última quarta-feira (9). O Verdão deu adeus ao torneio após sofrer revés, nos pênaltis, contra o CRB. Já o Timão foi despachado pelo Atlético-GO.Em outras competições, os dois rivais também acumularam fracassos.

No Campeonato Paulista, o Palmeiras foi vice-campeão na final contra o São Paulo. Os palmeirenses também não conseguiram êxito na disputa com o Flamengo na Supercopa do Brasil e contra o argentino Defensa Y Justicia pela Recopa Sul-Americana. Restam ainda duas oportunidades para o verdão gritar campeão: o Brasileirão e Copa Libertadores da América.

Já o Corinthians foi eliminado nas semifinais do Paulista, após revés contra o próprio Palmeiras por 2 a 0. Na Copa Sul-Americana, o time do Parque São Jorge também saiu prematuramente na Fase de Grupos. O Campeonato Brasileiro é a única competição em disputa pela equipe comandada por Sylvinho.

Em relação ao time que começa jogando, o técnico palmeirense Abel Ferreira terá desfalques por conta da realização da Copa América, que começa no domingo (13). Ao todo, três jogadores estão disputando a competição envolvendo as seleções Sul-Americanas: o goleiro Weverton (Brasil), o zagueiro Gustavo Gómez (Paraguai) e o lateral-esquerdo Matías Viña (Uruguai).

Pelo lado corintiano, Sylvinho não poderá contar apenas com o meio-campista Otero, que foi convocado pela Seleção Venezuelana. Porém, a ausência não deverá ser tão notada, já que ele não vem sendo aproveitado desde as semifinais do Campeonato Paulista, em 16 de maio.

Nos últimos confrontos entre os dois clubes, o Alviverde tem levado a melhor. Ao todo, o Verdão sustenta invencibilidade de seis jogos no Dérbi, tendo obtido três vitórias e três empates. A última vez que os alvinegros derrotaram o arquirrival foi em 2020, no dia 22 de julho, em Itaquera. A partida terminou com o placar de 1 a 0.

Por Rafael Monteiro – Repórter da Rádio Nacional

Tupãzinho relembra 1º Brasileirão do Corinthians há três décadas

Conquista do Corinthians sobre o São Paulo completa 30 anos
(Daniel Augusto Jr./Agência Corinthians)

“Tupãzinho, Fabinho na ponta. Bom lance do Fabinho, bom lance do Fabinho! Tupãzinho, Fabinho fechou. Grande! Entre as pernas, Fabinho, olha gol, olha o gol, goool! Tupãzinho em uma jogada sensacional”. Foi assim a narração do gol do primeiro título Brasileiro do Corinthians na voz do saudoso Luciano do Valle.

E mesmo 30 anos depois, o camisa 9 não esquece o lance que marcou a sua carreira. “Chega até arrepiar. Parece que esse jogo foi no final de semana, e faz 30 anos”, recordou Tupãzinho, autor do único gol daquele 16 de dezembro de 1990, no Morumbi.

Coroado campeão nacional pela primeira vez em sua história, o Corinthians contou com uma campanha de superação para chegar ao topo nacional. Até a final, o clube passou por diversas mudanças, inclusive no comando técnico, onde Nelsinho Baptista, vice-campeão paulista daquele ano com o Novorizontino, assumiu o posto de treinador no lugar de Zé Maria, um ex-pugilista.

Com o técnico, o clube de Parque São Jorge também contratou o preparador físico Flávio Trevisan, profissional muito elogiado por Tupãzinho. “Ele treinava a gente demais. Sempre nos incentivava a buscar sempre o melhor”, disse.

Campanha

Na primeira fase, o Corinthians se classificou com oito vitórias, seis empates e cinco derrotas. A pontuação foi suficiente para avançar às quartas de final pelo índice técnico. Na época, o regulamento previa que os 20 clubes fossem divididos em dois grupos de 10. Na primeira parte, os times enfrentavam as equipes da outra chave e os dois melhores garantiriam a classificação. No segundo turno, os clubes duelavam apenas com os times do próprio grupo. Os dois primeiros também se garantiam, além dos outros quatro melhores na pontuação geral contabilizando as duas ‘pernas’.

Assim, o clube alvinegro avançou e teve o Atlético-MG pela frente. Por ter melhor campanha, os mineiros tinham a vantagem de jogar por dois resultados iguais. Na partida de ida, no Pacaembu, o Corinthians venceu por 2 a 1, com dois gols de Neto. No Mineirão, o empate sem gols classificou o time paulista. “Eles vinham fazendo uma excelente campanha, foi ali que nosso time pegou confiança”, enfatizou Tupãzinho.

Na semifinal, o adversário foi o Bahia e novamente o Alvinegro venceu por 2 a 1 no Pacaembu, de novo com gols de Neto. Assim como na fase anterior, uma igualdade sem tentos carimbou a vaga corintiana na decisão contra o rival São Paulo.

‘Final Majestosa’
Pela terceira vez na história até então, dois clubes paulistas decidiriam a final do Campeonato Brasileiro (Guarani e Palmeiras -1978- e São Paulo e Guarani -1986- já haviam representado o futebol local). Mas seria a primeira vez que São Paulo e Corinthians faziam uma final ‘Majestosa’ pelo torneio nacional. No primeiro jogo, no dia 13, o Alvinegro venceu com gol solitário de Wilson Mano e mais uma vez teria a vantagem de jogar por um empate na volta para ficar com a tão sonhada taça.

Vice-campeão brasileiro em 1989, o São Paulo, de Telê Santana, tinha grandes nomes do futebol canarinho como Zetti, Cafu, Leonardo e Raí, dentre outros. Ciente da necessidade de buscar o resultado positivo, o Tricolor pressionou o Corinthians em busca do gol que daria o título ao clube do Morumbi.

Mas apesar de toda a pressão, o Corinthians se segurou e em um contragolpe, já na segunda etapa, marcou com Tupãzinho. O camisa 9 corintiano tramou jogada com Fabinho e, após rebote de Zetti, deu um carrinho e empurrou a bola para o gol vazio. “Minha única alternativa foi dar o carrinho, porque se eu tento correr não ia conseguir chegar”, relembrou.

Consagrado como primeiro campeão brasileiro pelo Corinthians, o ex-jogador alvinegro brincou em relação à festa do título. “Não tinha nenhuma festa marcada, até hoje não teve, faz parte. Mas a equipe era muito unida”, recordou aos risos.

Ficha técnica:
São Paulo 0 x 1 Corinthians – Campeonato Brasileiro de 1990
Local:
 estádio do Morumbi, em São Paulo;
Data: 16 de dezembro de 1990 (domingo);
Público: 100.858 torcedores;
Renda: Cr$ 106.347.700,00 (Cruzeiros);
Árbitro: Edmundo Lima Filho;
Gol: Tupãzinho (Corinthians);
Cartões vermelhos: Wilson Mano (Corinthians); Bernardo (São Paulo).

Corinthians: Ronaldo Giovanelli; Giba, Marcelo, Guinei e Jacenir; Márcio, Wilson Mano, Tupãzinho e Neto (Ezequiel); Fabinho e Mauro (Paulo Sérgio).
Técnico: Nelsinho Baptista.

São Paulo: Zetti; Cafu, Antônio Carlos, Ivan e Leonardo; Flávio, Bernardo e Rai (Marcelo); Mário Tilico (Zé Teodoro), Eliel e Elivélton.
Técnico: Telê Santana.

Por Breno Benedito, da FPF