Público caminha pelo parque Augusta Prefeito Bruno covas

Parque Augusta é inaugurado e homenageia Bruno Covas

A Prefeitura de São Paulo inaugurou na manhã deste sábado (6) o Parque Municipal Augusta “Prefeito Bruno Covas”. O local, que conta com área de 23 mil m²,  está localizado em um quarteirão entre as ruas Augusta, Consolação, Caio Prado e Marquês de Paranaguá. É administrado pela Subprefeitura da Sé.

“Hoje, com a inauguração do Parque Augusta Prefeito Bruno Covas, a cidade passa a contar com 111 parques”, declarou o prefeito Ricardo Nunes, em nota.

Para a implantação do parque foram investidos cerca de R$ 11 milhões pelas construtoras Setin e Cyrela. O terreno pertencia à ambas até 2019, que fizeram acordo com a Prefeitura por meio de uma mediação do Ministério Público. Ambas poderão construir empreendimentos na cidade.

O projeto do Parque Municipal Augusta “Prefeito Bruno Covas” foi pensado de acordo com o Plano Diretor, que determina uma Taxa de Permeabilidade mínima de 90%, ou seja, somente 10% da área do parque pode ser impermeabilizada.

Estrutura

Totalmente acessível, a área conta com caminhos para passeios, playground inclusivo, cachorródromo, equipamentos de ginástica e uma academia de terceira idade. Sanitários públicos, arquibancada e deck elevado também fazem integram o  conjunto, que ainda tem áreas de manejo e compostagem, assim como uma estrutura de serviços e apoio para a administração.

Lá também foi feito o restauro da Casa das Araras e do Portal – que são tombados. Até meados dos anos 1970 o local abrigou um palacete e uma escola.

Durante a cerimônia o secretário do Verde e Meio Ambiente, Eduardo Castro, ressaltou a riqueza da fauna e da flora do novo parque.

“Estamos entregando para a cidade de São Paulo um mobiliário muito importante, com 23 mil m². Conta com arborização rica, fauna e flora muito ricas, no coração da capital. A inauguração de hoje é mais uma de tantas iniciativas desta gestão. Sou muito grato ao prefeito Bruno Covas pela entrega deste parque hoje”, ressaltou.

O filho de Bruno Covas, Tomas Covas, esteve no evento e recordou que o meio ambiente sempre foi uma causa defendida por ele.

“Este parque representa muito meu pai., que lutou bravamente para que fosse inaugurado. Representa também o verde e o meio ambiente, que sempre foram muito defendidos por ele desde quando era secretário do Meio Ambiente”, explicou.

Aves silvestres

Foram registradas 21 espécies de aves silvestres no Parque Augusta: nenhuma ameaçada de extinção. No entanto, houve o registro de três espécies que podem vir a entrar em risco devido ao intenso tráfico a que são expostas. São o beija-flor-tesoura, o carcará e o periquito-rico.

Em relação à flora do local há um bosque heterogêneo, com espécies arbóreas nativas e predominantemente exóticas como aglaia, falsa-seringueira e jacarandá-mimoso; frutíferas como abacateiro mangueira, nespereira uva-japonesa e palmeiras como areca-bambu, palmeira-de-leque-da-china e palmeira-washingtonia.

Aprovado pelos munícipes

A nova área verde agradou a professora Carla Bessa, moradora de Santa Cecília, que foi prestigiar a inauguração acompanhada pelo Shih-tzu Chiquinho.

“Acho fundamental termos mais este parque na cidade. Demorou para ficar pronto, mas valeu a pena. Pretendo vir passear e trazer o Chiquinho para se divertir no cachorródromo”, contou.

Fazer exercícios e ler serão as atividades praticadas no Parque Augusta Prefeito Bruno Covas pelo arquiteto Bruno Simão que mora nas proximidades, na rua Santo Antônio. Ele se mudou para a região há cinco anos e, desde então, aguardava a abertura do local.

“Quero vir correr durante a semana,  caminhar e ler nos fins aos sábados e domingos que, com certeza serão dias muito concorridos por aqui”, disse.

Mãe da pequena Gabriela, de  5 anos, a secretária administrativa Silvana Tavares estava empolgada com o novo espaço, por ser uma oportunidade da filha interagir com outras crianças.

“Será ótimo. Quero trazê-la para tomar sol e fazer amigos”, afirmou.

 Obras paralisadas

A construção do Parque Augusta teve início em 2019, porém foram paralisadas pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), que identificou potencial arqueológico na área, com a hipótese de existir possíveis resquícios de antigos povos indígenas. Foi realizada uma prospecção e não foram encontrados quaisquer vestígios pré-coloniais, mas a presença de faianças finas, cerâmica, vidro e materiais construtivos da transição do século XIX para o XX.

Câmara aprova nome de Bruno Covas para o Parque Augusta

Bruno Covas morreu em maio deste ano (Divulgação)

A Câmara dos Vereadores de São Paulo aprovou nesta quarta (25) o projeto de lei que nomeia o Parque Augusta, localizado no centro da capital paulista, em homenagem ao ex-prefeito Bruno Covas, que morreu em maio deste ano. 

O PL 299/2021, assinado pelo vereador Rodrigo Goulart (PSD), segue para sanção do prefeito, Ricardo Nunes. 

A homenagem no nome do parque foi anunciada por Ricardo Nunes em julho, em sua entrevista no Roda Viva

“Preservar na memória dos paulistanos o nome de Bruno Covas é ato de reconhecimento e respeito ao prefeito que buscou administrar com boa-fé, boa-vontade e coragem diante de um dos cenários mais dramáticos da vida da cidade, em razão da pandemia, e de sua própria vida, em razão da moléstia de que foi acometido e diante da qual não esmoreceu um só instante”, justifica o projeto de lei. 

Por TV Cultura

Corpo de Bruno Covas é enterrado em Santos

O corpo de Bruno Covas foi enterrado no começo da noite de hoje (16), no cemitério do Paquetá, em Santos, cidade natal do político. A cerimônia foi reservada à família, mas, do lado de fora, centenas de pessoas foram para perto do cemitério aguardar a chegada do cortejo que trazia o corpo de Covas.

Ricardo Nunes, que agora assume a prefeitura da Capital, e João Doria, governador de São Paulo, acompanharam o sepultamento.

“O Brasil não perde só um grande homem público, a capital de São Paulo não perde apenas o seu grande prefeito, nós perdemos um grande jovem brasileiro”, disse Doria ao deixar o cemitério, que mais cedo emitiu uma nota lamentando a morte de Bruno Covas (leia no fim do texto).

O traslado do corpo começou pouco depois das 14h, após uma cerimônia no prédio da Prefeitura de São Paulo. Em carro aberto, o corpo de Bruno Covas passou por ruas e avenidas importantes da Capital.

Eleitores e correligionários do PSDB, partido do prefeito, acompanharam o deslocamento do cortejo. Na Avenida Paulista, centenas de pessoas se despediram de Covas.

Homenagens também foram vistas ao longo do trajeto pela Rodovia dos Imigrantes e na chegada à Santos, onde torcedores do Santos Futebol Clube, time do coração de Covas, também prestaram homenagens.

Em função da morte de Bruno Covas, a prefeitura de Santos decretou luto oficial de três dias.

Nota do Governador de São Paulo

Obrigado, Bruno Covas, por ter compartilhado, com todos nós, tanto carinho e dedicação. À Renata e ao Pedro, seus pais, ao Gustavo, seu irmão, e especialmente ao Tomás, seu filho, meu afeto nesse momento doloroso em que a natureza subverte o curso da vida. São Paulo terá sempre muito orgulho desse filho querido.

A força de Bruno Covas vem do seu exemplo e do seu caráter. Foi leal à família, aos amigos, ao povo de São Paulo e aos filiados do seu partido, o PSDB. Sua garra nos inspira e seu trabalho nos motiva.

Tive o privilégio de acompanhá-lo desde o início da vida pública, ao lado do seu avô Mario Covas. Tive a honra de tê-lo como vice, na Prefeitura de São Paulo. E a alegria de ver seus ideais e realizações aprovados nas eleições de 2020.

Bruno Covas era sensível, sereno, correto, racional, pragmático e ponderado. Voz sensata, sorriso largo e bom coração. Bruno Covas era esperança. E a esperança não morre: ela segue, com fé, nas lições que ele nos ofereceu em sua vida.

Muito obrigado, Bruno. Você foi e continuará sendo para todos nós, um eterno exemplo.
João Doria
Governador do Estado de São Paulo

Cidade natal de Bruno Covas, Santos decreta luto oficial

A cidade de Santos está de luto oficial por três dias pela morte do prefeito de São Paulo, Bruno Covas, falecido em decorrência de um câncer no sistema digestivo com metástase. O sepultamento será realizado na tarde deste domingo (16) no jazigo da família Covas, no cemitério do Paquetá, em Santos. A cerimônia será restrita à família.  

“Bruno Covas nos deixa um legado de liderança, competência e coragem. Um talentoso jovem santista, de berço e coração alvinegro, que enfrentou a doença de cabeça erguida, com transparência e determinação. Um gestor público que, espelhado no exemplo de seu avô, Mário Covas, jamais abandonou a função pública por entender que a busca do bem comum é contínua. Bruno nos deixa o exemplo de superação, de admirável espírito público e de amor à vida e às pessoas. Expresso meu pesar à família, a seu filho e grande companheiro Tomás e aos amigos e admiradores”, declarou o prefeito Rogério Santos.

Trajetória

Bruno Covas, neto do ex-governador de São Paulo, Mário Covas, nasceu em Santos no dia 7 de abril de 1980. Antes de assumir a função e ser reeleito como prefeito de São Paulo, Covas foi eleito deputado estadual e federal, além de ter sido nomeado secretário de Estado. Na sua primeira eleição para a Assembleia Legislativa de São Paulo, em 2006, foi eleito com a ajuda de 11.056 votos de santistas.

Na mais recente eleição que disputou para cargos proporcionais, em 2014, foi eleito deputado federal com 13.423 votos em Santos, números que reforçam a ligação de Covas com a sua cidade natal. Em 2004, também foi candidato a vice-prefeito de Santos na chapa com Raul Christiano (PSDB). 

Torcedor do Santos, Bruno Covas, deixa seu filho, Tomás Covas, de 15 anos, também fanático torcedor do Peixe.

Por pref. de Santos

Veja fotos da despedida a Bruno Covas

O corpo de prefeito licenciado de São Paulo, Bruno Covas, foi velado na sede da Prefeitura da Capital, no começo da tarde de hoje (16). Em homenagem ao prefeito, paulistanos foram pra região da Prefeitura e, em seguida, acompanharam o cortejo, muitos à pé.

O corpo de Covas será enterrado em Santos, cidade natal do político. O cortejo seguiu em carro aberto por ruas e avenidas, incluindo a Avenida Paulista.

Já na rodovia, a Ecovias também homenageou Bruno Covas.

Fotos

Cerimônia religiosa na Prefeitura de SP

Bruno Covas, prefeito de São Paulo, morre de câncer aos 41 anos

Bruno Covas, prefeito de São Paulo, morre de câncer aos 41 anos
Reeleito em 2020 para a prefeitura de São Paulo, Bruno Covas enfrentava câncer desde 2019; deixa um filho(Divulgação)

Morreu na manhã deste domingo (16), às 8h20, Bruno Covas, prefeito de São Paulo, aos 41 anos. Ele enfrentava um tumor no trato digestivo e teve novo nódulo diagnosticado no fígado neste ano, além de pontos de câncer nos ossos.

Covas pediu licença do cargo de prefeito no último dia 2 para prosseguir com tratamento do câncer. O comando da cidade foi assumido pelo vice, Ricardo Nunes (MDB). Já no dia 3, foi intubado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do hospital Sírio-Libanês, onde realiza tratamento desde a descoberta da doença. Ele apresentou um sangramento no estômago, causado por uma úlcera em cima do tumor original na cárdia, passagem do esôfago para o estômago. Chegou a ser extubado no mesmo dia. Contudo, um novo sangramento também foi evidenciado no dia 6.

O prefeito teve uma piora considerável em seu quadro clínico nesta sexta-feira (14) e entrou em estado grave.

Histórico da doença

Em outubro de 2019, o prefeito Bruno Covas descobriu um tumor no trato digestivo. Com quimioterapia, ele conseguiu retirar a metástase do fígado, mas ainda tratava as células cancerígenas que apareceram na cárdia, que fica entre o esôfago e o estômago.

Com o tratamento, essa parte do tumor também foi eliminada. Entretanto, exames médicos realizados em fevereiro de 2021 indicaram que o fígado voltou a apresentar nódulos.

Em abril de 2021, novos pontos de câncer no fígado e nos ossos foram diagnosticados durante exames de controle. As lesões ocasionaram acúmulo de líquido nos pulmões e na região abdominal. Com a piora, o prefeito passou a receber suplementação alimentar por uma sonda.

Trajetória política

Neto do ex-governador de São Paulo Mário Covas, Bruno Covas se formou em Direito pela Universidade de São Paulo e em Economia pela Pontifícia Universidade Católica. Filiado ao PSDB desde 1998, foi Deputado Estadual, Secretário Estadual do Meio Ambiente e Deputado Federal até chegar à prefeitura da capital paulista como vice-prefeito de João Doria. Após Doria deixar a ocupação para concorrer ao governo do estado em 2018, Bruno Covas assumiu o cargo de prefeito de São Paulo e foi reeleito em 2020.

Mesmo passando pelo tratamento de quimioterapia, Bruno Covas continuou trabalhando na prefeitura da capital.

*Com informações da Tv Cultura

Com sangramento, Covas é transferido para UTI

Autoridades lamentam morte de Bruno Covas

De clubes de futebol a autoridades do poder Judiciário e celebridades. A morte do prefeito licenciado de São Paulo, Bruno Covas, comoveu o país. Bruno lutava contra o câncer e teve o quadro agravado na última semana, o que levou os médicos a declararem que não havia mais o que fazer.

A morte foi confirmada na manhã de hoje (16).

Veja abaixo como as personalidades reagiram a morte de Covas.

Presidente da República

Judiciário

Ex-Presidentes da República

https://twitter.com/FHC/status/1393966272912805898

Futebol

Senadores

Deputados

Governadores

Ministro de Estado

Políticos

Celebridades

*Atualizada às 16h55 para incluir novas manifestações

Bruno Covas, prefeito de São Paulo, morre de câncer aos 41 anos

Personalidades lamentam quadro clínico de Bruno Covas

O prefeito licenciado de São Paulo, que enfrenta um câncer no trato digestivo desde 2019, apresentou piora em seu estado de saúde e se encontra sedado. A situação é considerada irreversível pela equipe médica, informou boletim na noite desta sexta-feira (14).

A notícia mobilizou as redes sociais e o quadro de saúde do prefeito licenciado foi lamentado por políticos de diferentes linhas ideológicas.

“Transmito a todos a minha tristeza, oração a Deus, vontade que possa ainda ocorrer um milagre para que ele se recupere plenamente”, escreveu o vereador Eduardo Suplicy (PT) em rede social.

A jornalista Manuela d’Ávila, ex-candidata à vice-presidência da República, prestou solidariedade à família de Covas.

O padre Julio Lancelotti rezou pelos doentes e por Bruno Covas.

O vereador pelo Rio de Janeiro Chico Alencar (PSOL) citou convivência com Covas na Câmara dos Deputados de São Paulo: “Divergimos em várias questões, mas sempre com respeito e simpatia”.

“Toda minha oração e carinho ao prefeito da nossa cidade”, publicou a deputada federal Tabata Amaral (PDT). Outros deputados também se manifestaram.

*Com TV Cultura

Bruno Covas tem quadro irreversível, dizem médicos

Bruno Covas, prefeito licenciado de São Paulo (Divulgação)

Bruno Covas, prefeito licenciado de São Paulo, apresentou piora e o quadro já é considerado irreversível pela equipe médica que trata o político. A informação foi confirmada em boletim médico emitido às 19h30 de hoje (14).

Mais cedo, a Band havia noticiado que a situação de Covas era grave. Segundo o boletim, assinado pelos médicos Luiz Francisco Cardoso e Ângelo Fernandes, ele permanece em um quarto do hospital, acompanhado por familiares, sedado e recebendo medicamentos analgésicos.

Covas pediu licença do cargo de prefeito no último dia 2 para prosseguir com tratamento contra o câncer. No dia 3, o político foi intubado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do hospital Sírio-Libanês, onde realiza tratamento desde a descoberta da doença.

Covas apresentou um sangramento no estômago, causado por uma úlcera em cima do tumor original na cárdia, passagem do esôfago para o estômago. Um novo sangramento também foi evidenciado no dia 6. 

A doença

Em outubro de 2019, o prefeito licenciado descobriu um tumor no trato digestivo. Com quimioterapia, ele conseguiu retirar a metástase do fígado, mas ainda tratava as células cancerígenas que apareceram na cárdia, que fica entre o esôfago e o estômago.

Com o tratamento, essa parte do tumor também foi eliminada. Em fevereiro deste ano, entretanto, os exames médicos do prefeito indicaram que o fígado voltou a apresentar nódulos.

*Com TV Cultura

Bruno Covas passa por radioterapia para controlar sangramento

Bruno Covas com o filho após receber alta da UTI, em 4 de maio (Rede Social/Reprodução)

O prefeito licenciado de São Paulo, Bruno Covas, passou hoje (6) por uma radioterapia para controlar um sangramento residual no estômago, que foi detectado por um novo exame de endoscopia digestiva alta. A informação foi divulgada no final da tarde de hoje pelo Hospital Sírio-Libanês, onde Covas está internado desde o último domingo (2).

Segundo o boletim médico, o quadro clínico de Covas é estável, e não há previsão de alta hospitalar.

Em suas redes sociais, Covas escreveu que está bem e em companhia da família, “seguindo com disciplina o tratamento determinado” pela equipe médica. “Um passo de cada vez. Com fé e dedicação, tenho certeza de que vou vencer. Obrigado pelo carinho e apoio de todos vocês”, diz a mensagem.

O prefeito licenciado de São Paulo foi internado domingo após exames médicos terem demonstrado sangramento em uma úlcera no estômago, mesmo local onde foi descoberto o seu tumor inicial. Ele foi transferido para uma unidade de terapia intensiva (UTI) e intubado, sendo extubado no dia seguinte, à tarde.

Por causa do sangramento, os médicos tiveram que interromper o tratamento de Covas contra o câncer, que estava anteriormente previsto para ser realizado na última segunda-feira (3). Não há previsão de quando será retomado o tratamento de quimioterapia e de imunoterapia.

Bruno Covas foi diagnosticado com adenocarcinoma em outubro de 2019, um câncer na região da cárdia, entre o esôfago e o estômago, com metástase no fígado e uma lesão linfonodos. Em fevereiro deste ano, os médicos descobriram um novo nódulo no fígado. E, no mês passado, exames de controle identificaram novos pontos da doença no fígado e nos ossos.

Para prosseguir com o tratamento contra o câncer, nesta semana, Covas pediu afastamento do cargo de prefeito de São Paulo por um período de 30 dias.

Por Elaine Patrícia Cruz, da Agência Brasil