Dois bombeiros carregam com uma maca uma pessoa retirada do rio

Bombeiros retomam buscas por turista que desapareceu em cachoeira

O Corpo de Bombeiros retomou, na manhã de hoje (13), as buscas pela turista que desapareceu em uma cachoeira em Lavrinhas, região de Guaratinguetá. Até a noite de ontem (12), três mortes haviam sido confirmadas. Outras 16 pessoas foram retiradas de local de risco pelos bombeiros.

A causa do acidente é uma cabeça d´água, fenômeno que acontece quando intensas chuvas caem sobre a cabeceira do rio, provocando aumento da correnteza de forma inesperada.

Dois bombeiros carregam com uma maca uma pessoa  retirada do rio
(Corpo de Bombeiros/Reprodução)

Para resgatar as vítimas, os bombeiros usaram cordas de um lado a outra da cachoeira Rancho do Zé Neto, localizada no rio do Braço.

A cidade de Lavrinhas é cortada por vários rios e possui, como pontos turísticos, algumas cachoeiras. As três vítimas que morreram já foram identificadas. São três mulheres, de 22, 29 e 65 anos. A quarta vítima também é uma mulher e ainda não foi encontrada.

Bomberios nas duas margens do rio esticam uma corda para fazer a travessia.

Bombeiros confirmam três mortes em cachoeira

A chuva forte que atingiu a região de Guaratinguetá, no interior de São Paulo, surpreendeu turistas que estavam em uma cachoeira e provocou a morte de três deles. Uma quarta vítima ainda está desaparecida.

O Corpo de Bombeiros foi chamado durante a tarde de ontem (12) para socorrer o grupo que estava no local conhecido como “cachoeira Rancho do Zé Neto”, no município de Lavrinhas. A chuva provocou “um rápido aumento do nível d’água, surpreendendo os banhistas”, informaram os Bombeiros.

“Foram resgatadas 16 pessoas em local de risco e deixadas em local seguro”, relatou o Corpo de Bombeiros, em nota.

Bomberios nas duas margens do rio esticam uma corda para fazer a travessia.
(Corpo de Bombeiros/Reprodução)

Quatro pessoas, arrastadas pela água, não tiveram o mesmo destino.

O nome das vítimas não foi divulgado. As buscas serão retomadas na manhã desta segunda-feira (13).

Mulher sofre fraturas após queda em cachoeira

Helicóptero Águia atuou no resgate (Polícia Militar/Reprodução)

Uma mulher, que não teve a idade e o nome divulgados, sofreu fraturas no corpo após sofrer uma queda em uma cachoeira, em Águas de Prata, interior de São Paulo, perto da divisa com Minas Gerais. Segundo a Polícia Militar, quatro pessoas participavam da trilha, neste sábado (5), em uma área de mata atlântica.

O acidente aconteceu na cachoeira Sete Quedas. A mulher teria escorregado e despencado sobre as pedras.

“Por ser uma região de difícil acesso em mata fechada, foi preciso apoio do helicóptero Águia”, informa a PM, em nota.

A mulher foi resgatada da cachoeira e levada para o Pronto-Socorro de Águas da Prata. Segundo a PM, apesar das fraturas, a vítima passa bem .

Bombeiros buscam mãe de GCM morto em cachoeira



O Corpo de Bombeiros entra no quarto dia de buscas pela mãe de um Guarda Civil Municipal de Itaquaquecetuba, desaparecida desde o fim de semana, em Mogi das Cruzes, na Grande São Paulo. Iolanda Miranda, de 62 anos, e filho, Cristiano Vieira Vicentino, de 43, saíram de casa no sábado (7) para fazer trilha perto de uma cachoeira conhecida como Véu da Noiva.

Parentes sentiram falta dos dois no domingo (8) e avisaram os bombeiros. Horas depois, os policiais encontraram o corpo do GCM caído na região da cachoeira. Foi preciso o uso do helicóptero Águia, da PM, para retirar o corpo. A mãe do guarda não foi encontrada. O corpo do GCM foi enterrado na última segunda-feira (9).

Bombeiros durante as buscas (Corpo de Bombeiros/Reprodução)

Desde então, bombeiros percorrem a região de mata para encontrá-la, mas sem sucesso. As buscas foram suspensas durante a noite e são retomadas ao amanhecer.

Cães farejadores ajudam os bombeiros nas buscas.

GCM morre em cachoeira e mãe desaparece em trilha

Helicóptero Águia foi chamado para remover corpo do GCM
(Corpo de Bombeiros/Reprodução)


Um Guarda Civil Municipal morreu hoje (8) ao cair em um penhasco durante uma trilha. Segundo o Corpo de Bombeiros, o GCM estava com a mãe, de 60 anos, quando sofreu o acidente na tarde de sábado (7), em Mogi das Cruzes, na Grande São Paulo.

Parentes avisaram os bombeiros no começo da tarde de domingo, que encontraram a vítima perto da cachoeira conhecida como “Véu da Noiva”. Durante a tarde, os Bombeiros confirmaram a morte do Guarda pelo Twitter.

O helicóptero Águia, da Polícia Militar, foi chamado para fazer a remoção do corpo do GCM. A mãe do Guarda Municipal permanece desaparecida.