Embaixada da França realiza ‘Noite das ideias’ em SP

(Museu Casa das Rosas/Reprodução)


A Embaixada da França no Brasil, em parceria com o Institut Français na França, com apoio da Aliança francesa no Brasil, lança a primeira Noite das Ideias no Brasil – a quinta no mundo. O encontro tem como tema “Ser vivo e floresta”, e a programação ocorre simultaneamente em Brasília, São Paulo e Rio de Janeiro.

Em São Paulo, o evento, que vai ocorrer em 70 países, será no jardim da Casa das Rosas, dia 30 de Janeiro, das 18h45 às 23h45, coordenado pelo Consulado Geral da França em São Paulo.

Esta edição da Noite das Ideias propõe um momento de reflexão criativa sobre a floresta, seus desafios, suas concepções e sua variedade – da floresta tropical à mata atlântica, do cerrado aos maquis mediterrâneos.  Este tema será pensado e vivenciado seguindo diferentes abordagens: filosóficas, científicas, antropológicas, ecológicas, técnicas e sociais. A programação também contará com momentos artísticos e criativos (projeções e performances).

Eixos de discussão: 

Dois eixos serão privilegiados:

•            “A floresta como ser vivo”: à luz das descobertas e técnicas científicas mais recentes, bem como de um novo pensamento e uma nova filosofia de vida e de abordagens alternativas sobre floresta presentes em práticas espirituais e locais, a floresta aparece como um ser vivo por si só, como um todo, um macro-organismo operando em simbiose.

•            “A floresta como local de seres vivos”: discutir a floresta hoje também implica pensar nela como um lugar de seres vivos que não apenas vivem lá, mas que também administram e moldam este espaço. É um lugar de resiliência histórica, de habitação, de biodiversidade. A atualidade expressa fundamentalmente a urgência de um “ser vivo” da floresta – com o verbo “ser” no infinitivo que soa como um chamado, um grito – de um lugar a ser compreendido e protegido.

Mesas redondas (com 10 convidados):

A Noite das Ideias terá três mesas redondas com os seguintes convidados:

•            Ernesto Neto: grande escultor brasileiro, da Escola de Artes Visuais do Parque Lage no Rio. Ele trabalha com a floresta e, em particular, com uma comunidade indígena no Acre.

•            Laymert Garcia dos Santos: sociólogo, UNICAMP – Universidade Estadual de Campinas..

•            Jean-Baptiste Vidalou: filósofo francês autor do ensaio Être forêts (La Découverte, Paris, 2017), sobre as florestas francesas como lugar de engajamento.

•            Deborah Goldemberg: escritora e antropóloga brasileira.

•            Ricardo Cardim: paisagista e botânico, ele está desenvolvendo o conceito de “florestas de bolso” nas cidades para restaurar a floresta nativa.

•            Ricardo Abramovay: professor sênior do Programa de Ciência Ambiental do Instituto de Energia e Ambiente da Universidade de São Paulo, escritor (Amazônia: por uma economia do conhecimento da natureza, Elefante, 2020).

•            Sebastián Wiedemann: cineasta-pesquisador e filósofo colombiano, UNICAMP – Universidade Estadual de Campinas.

•            Jean-Paul Ganem: artista plástico e “artista da paisagem” (« land art ») francês. Ele realizou inúmeros projetos paisagísticos no Canadá, Europa e no Brasil, em particular em São Paulo.

•            Marina Tavares: representante da ONG Black Jaguar Foundation, que está implementando o Corredor de Biodiversidade do Rio Araguaia, no centro do Brasil.

•            Santídio Pereira: artista brasileiro, representado pela Galeria Estação, presente em 2019 nas exposições Nous les Arbres (Fundação Cartier, Paris) e 36° Panorama da Arte brasileira. Sertão (MAM, São Paulo).

Intervenções artísticas:

•            Performance da artista Elisabeth Finger e duas bailarinas.

•            Exibição do longa-metragem: Era uma floresta, de Luc Jacquet, documentário, 2013, 78 min; e do curta-metragem Curupira, besta dos bosques, de Félix Blume, 2018, 35 min, sobre os sons e lendas da Floresta Amazônica.

Serviço

Noite das Ideias

QUANDO: Quinta-feira 30 de janeiro, das 18h45 às 23h45
LOCAL: Casa das Rosas – Espaço Haroldo de Campos de Poesia e Literatura
Av. Paulista, 37 – Bela Vista
Entrada livre, sem necessidade de inscrição prévia

Peça será encenada em cômodos da Casa das Rosas

Os cômodos da Casa das Rosas vão ganhar vida com a peça “As palavras da nossa casa”, do Núcleo Teatro de Imersão. O espetáculo é inspirado nas obras do cineasta sueco Ingmar Bergman (1918-2007) e estréia marcada para 17 de janeiro.

Sem separação entre palco e plateia, o público será conduzido por diferentes cômodos dessa mansão histórica na Avenida Paulista para acompanhar a história. A temporada segue até 27 de março (totalizando 20 apresentações), com sessões duplas às sextas-feiras, às 18h30 e às 20h. Os ingressos custam até R$60.

A dramaturgia da peça foi escrita por Adriana Câmara, que também assina a direção, e Glau Gurgel a partir de vários filmes de Bergman. “A principal referência é o ‘Sonata de Outono’ (1978), que tem uma personagem a mais. Fomos reduzindo os personagens, situações e a quantidade de espaços para poder fazer na Casa das Rosas. Mas também fazemos referências a ‘Morangos Silvestres’ (1957), ‘Através do Espelho’ (1961) e ‘Gritos e Sussurros’ (1972). O espetáculo tem elementos de vários longas dele”, revela a diretora.

Situada nos anos de 1960, a trama narra a visita da famosa cantora lírica Charlote (interpretada pela atriz Gizelle Menon) ao casarão que sua filha única, Eva (Adriana Câmara), divide com o marido Victor (Glau Gurgel), que é um pastor presbiteriano. As duas, que não se vêm há bastante tempo, tentam se reaproximar e resolver questões dolorosas do passado, como o fato de que a filha precisou lidar com a perda de seu único filho, enquanto a mãe tentava administrar as demandas de sua carreira internacional.

Para resgatar os sentimentos nobres que ainda existem entre elas, mãe e filha precisam encarar todas as mágoas, e, nesse processo, acabam proferindo palavras muito duras, de que, possivelmente, se arrependerão. A montagem sensível busca a identificação imediata com o espectador, ao tratar de temas como o amor, as cobranças e expectativas na criação dos filhos, as diferenças de geração, a falta de comunicação em relacionamentos, a esperança e os recomeços após dores profundas, em uma abordagem que parte de situações e conflitos parecidos com os que todos já vivenciaram ou testemunharam. 

Os espectadores assistem a tudo isso acomodados em cadeiras espalhadas pelos diferentes cômodos da Casa das Rosas, como se estivessem mesmo na residência das personagens, e são obrigados pela própria cena a mudar de ambiente. “Pensamos em fazer a peça para a Casa das Rosas, que foi moldando totalmente a encenação. Nesse tipo de teatro, temos que fazer tudo pensando em um espaço, porque se mudamos de lugar, temos que trocar, por exemplo, todas as marcações”, revela Adriana sobre o processo criativo.

“As Palavras da Nossa Casa” é o segundo espetáculo do Núcleo Teatro de Imersão. A primeira peça do grupo, “Tio Ivan”, ganhou o Aplauso Brasil 2018 na categoria Melhor Espetáculo de Grupo por voto popular. 

Sobre a Casa das Rosas

(Museu Casa das Rosas/Reprodução)

A Casa das Rosas – Espaço Haroldo de Campos é um museu dedicado à poesia, à literatura, à cultura e à preservação do acervo bibliográfico do poeta paulistano Haroldo de Campos, um dos criadores do movimento da poesia concreta na década de 1950. Localizada em uma das avenidas mais importantes da cidade de São Paulo, a Avenida Paulista, o espaço realiza intensa programação de atividades gratuitas, como oficinas de criação e crítica literárias, palestras, ciclos de debates, exposições, apresentações literárias e musicais, saraus, lançamentos de livros, performances e apresentações teatrais. O museu está instalado em um imponente casarão, construído em 1935 pelo escritório Ramos de Azevedo, que na época já tinha projetado e executado importantes edifícios na cidade, como a Pinacoteca do Estado, o Teatro Municipal e o Mercado Público de São Paulo.

Sobre o Núcleo Teatro de Imersão

Criado em 2014, o Núcleo Teatro de Imersão está voltado para o estudo, o ensino, a pesquisa e a montagem de espetáculos que proponham novas relações entre ator e espectador, ao inserir o público no espaço de representação, em meio à cena representada. O primeiro trabalho do grupo é “Tio Ivan” (2017-2019), uma adaptação imersiva para o texto “O Tio Vania”, do escritor russo Anton Tchekhov (1860-1904). A peça já foi apresentada na Casa das Rosas e na Oficina Cultural Oswald de Andrade. “As Palavras da Nossa Casa”, livremente inspirada na obra de Ingmar Bergman, é o segundo espetáculo do grupo.

Sinopse

Drama imersivo e itinerante inspirado livremente na obra do cineasta Ingmar Bergman. Uma famosa cantora lírica visita a sua filha no casarão que ela divide com o marido presbítero. Durante a visita, mãe e filha tentam se reaproximar e resolver questões dolorosas do seu passado. Nessa montagem do Núcleo Teatro de Imersão, os espectadores percorrem os diversos ambientes do casarão, sem separação entre palco e plateia.

Serviço

AS PALAVRAS DE NOSSA CASA, DO NÚCLEO TEATRO DE IMERSÃO

  • Casa das Rosas – Avenida Paulista, 37, Bela Vista
  • Temporada: de 17 de janeiro a 27 de março de 2020 (exceto dia 21/2)
  • Às sextas-feiras, às 18h30 e às 20h
  • Ingressos: R$ 60 (inteira) e R$30 (meia-entrada)
  • Vendas online: https://www.sympla.com.br/nucleoteatrodeimersao
  • *Venda de ingressos no local da apresentação é realizada apenas 30 minutos antes de cada sessão
  • Classificação: 14 anos
  • Duração: 60 minutos
  • Capacidade: 30 lugares
  • Gênero: Drama Imersivo

Aniversário da Avenida Paulista tem programação especial

Por  Bruno Bocchini 

Atrações são gratuitas (Roberto Parizotti/Fotos Públicas)


A Avenida Paulista, a mais famosa da capital paulista, completa 128 anos neste domingo (8). Para comemorar a data, as instituições integrantes da Paulista Cultural vão oferecer uma programação especial para o público. Casa das Rosas, Centro Cultural Fiesp, Instituto Moreira Salles, Itaú Cultural, Japan House São Paulo, Masp e Sesc Avenida Paulista terão atividades especiais comemorativas à data. 

Entre os destaques, está a visita guiada no Masp, criado em 1968. A atividade levará ao público temas como a história do edifício na Avenida Paulista, curiosidades sobre os diferentes espaços do prédio e os vários significados do projeto do museu, um ícone da cidade.

No Instituto Moreira Sales (IMS Paulista), ocorrerá a atividade Um Desenho para a Avenida Paulista, a realização de desenhos de observação desenvolvida pelo artista Paulo Von Poser, que terá a participação do público, adultos e crianças, a partir de 6 anos.

A Japan House São Paulo, em comemoração ao aniversário da avenida, e com base no trabalho da artista Chiharu Shiota, convida o público a compartilhar suas memórias do local em uma ação que resultará em um quadro de memórias conectadas por fios vermelhos que simbolizam os encontros e conexões entre as histórias e as pessoas. 

A programação completa pode ser encontrada em https://www.facebook.com/paulistaculturaloficial . 

Pinacoteca, MIS e Casa das Rosas terão atrações no aniversário de SP

Fachada do prédio da Pinacoteca (Governo de SP/Reprodução)

No próximo dia 25 de janeiro é comemorado o aniversário de 465 anos da cidade de São Paulo, importante data que será celebrada com atrações especiais e ampliação do funcionamento de alguns serviços à população.

Neste dia, uma sexta-feira, o MIS, a Casa das Rosas e a Pinacoteca, equipamentos culturais geridos pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado, terão entrada gratuita e ficarão abertos até meia-noite com atividades especiais.



Outros oito espaços culturais do Estado seguirão a mesma iniciativa. Além disso, para facilitar o deslocamento do público, o Metrô e a CPTM funcionarão até à 1h.

Para mais informações, acesse o site da Secretaria de Cultura e Economia Criativa de SP.

*Com informações do Governo de SP