Brasil enfrenta hoje o Peru, em Lima

(Lucas Figueiredo/CBF)

A seleção entra em campo nesta terça-feira (13) para enfrentar a seleção peruana em Lima pela segunda rodada das Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2022 (Catar). A partida, programada para iniciar às 21h (horário de Brasília) no estádio Nacional (Lima), terá um significado especial para o técnico Tite, que alcançará a marca de 50 jogos comandando o Brasil.

A relação entre o técnico e a equipe brasileira tem pouco mais de quatro anos (iniciada em 20 de junho de 2016), e ela tem um retrospecto de 49 jogos, com 35 vitórias, 10 empates e quatro derrotas. E um destes resultados negativos foi justamente contra o Peru, em amistoso realizado em 2019 em Los Angeles (EUA) no qual a equipe andina venceu por 1 a 0.

Porém, também foi diante da equipe peruana que Tite viveu o seu principal momento comandando a seleção brasileira, a conquista da última edição da Copa América em julho do ano passado no estádio do Maracanã.

Expectativa positiva

Para o jogo desta terça a expectativa é a melhor possível, em especial após uma estreia na qual, mesmo diante de um adversário frágil (Bolívia), o Brasil apresentou bom jogo coletivo, com muitos gols e liberdade para as individualidades aparecerem.

E uma das individualidades que brilharam foi o atacante Neymar. Na estreia nas Eliminatórias o camisa 10 não marcou, mas foi fundamental na armação de jogadas de ataque, inclusive com passes para dois gols. Essa nova função do jogador, como um antigo ponta de lança, foi destacada pelo técnico Tite em entrevista coletiva na última segunda (12): “Ele desenvolveu isso, como aconteceu no jogo [da Bolívia] de dar duas assistências, ter penúltima bola, romper marcação […]. Procuramos potencializar suas virtudes”.

Artilharia da seleção

A partida contra o Peru também pode assumir um caráter especial para o atacante Neymar, que pode empatar com Ronaldo na vice-artilharia da seleção. Atualmente, o jogador do PSG tem 61 gols, e marcando mais um empata com o Fenômeno. A primeira posição do hall de artilheiros da equipe nacional é de Pelé, que reina com 77 tentos em 92 partidas.

Provável escalação

Sem problemas físicos para escalar sua equipe, a tendência é que o treinador opte por iniciar o jogo contra o Peru com o mesmo time que goleou os bolivianos por 5 a 0: Weverton; Danilo, Thiago Silva, Marquinhos e Renan Lodi; Casemiro e Douglas Luiz; Everton, Philippe Coutinho e Neymar; Roberto Firmino.

Porém, na última coletiva antes do jogo o treinador não quis confirmar a equipe, e falou que pode realizar algumas mudanças parar este jogo: “Tenho uma equipe montada, mas não quero falar. Os atletas já sabem desde ontem. A base permanece, as ideias permanecem, mas não quero municiar o Gareca [técnico do Peru]”.

Por Agência Brasil

Seleção inicia caminhada para Copa do Mundo de 2022

(Lucas Figueiredo/CBF)

Começa nesta sexta-feira (9) a caminhada da seleção brasileira em busca do hexa. A equipe do técnico Tite entra em campo às 21h30 (horário de Brasília), na Neo Química Arena, em São Paulo, para enfrentar a Bolívia pela primeira rodada das Eliminatórias para a Copa do Mundo do Catar (2022).

Diferente do Mundial da Rússia (2018), quando assumiu o comando no meio das Eliminatórias, o treinador brasileiro terá um ciclo completo para conseguir levantar o caneco. Apesar de muitas novidades em relação ao grupo que foi eliminado nas quartas de final, contra Bélgica, há dois anos, a seleção tem nove remanescentes do último mundial: Ederson, Danilo, Thiago Silva, Marquinhos, Casemiro, Fabinho, Firmino, Philippe Coutinho e Neymar. Em uma possível convocação ideal de Tite, Alisson e Gabriel Jesus também seriam chamados, mas estão lesionados.

O primeiro desafio pode ser sem a maior estrela. Com dores na lombar, Neymar não treinou com os companheiros e ficou no hotel fazendo fisioterapia. Se não estiver em condições de entrar em campo, Everton Ribeiro será o substituto. Esta é a única dúvida do técnico sobre a equipe que começa o jogo. Em entrevista coletiva na última quinta-feira (8), Tite confirmou que Weverton será o goleiro, Douglas Luiz entra no meio de campo e Casemiro fica com a braçadeira de capitão, pelo menos na primeira partida.

A Bolívia foi a penúltima colocada nas Eliminatórias da Copa de 2018, conquistando apenas quatro vitórias em 18 partidas. Para o duelo contra o Brasil, o técnico César Farías preferiu poupar cinco atletas que não atuam no país, entre eles Marcelo Moreno, atacante do Cruzeiro. O objetivo é deixá-los treinando em La Paz, na altitude de 3.600 metros, onde a Bolívia enfrenta a Argentina na segunda rodada.

O adversário do Brasil deve começara a partida da seguinte forma: Carlos Lampe; Jesús Sagredo, Carrasco, Gabriel Valverde e José Sagredo; Carlos Áñez, Raúl Castro, Diego Wayar, Sánchez e Jhasmani Campos; Saucedo.

Transmissão da Rádio Nacional

Você acompanha a estreia do Brasil nas Eliminatórias para a Copa de 2022 ao vivo na Rádio Nacional. O show de Bola Nacional começa a partir das 21 horas e terá narração de André Marques, comentários de Mário Silva, reportagens são de Mauricio Costa e plantão de Luiz Ferreira.

Por Maurício Costa – Repórter da Rádio Nacional 

PCC ameaçou explodir carros-bomba na Copa do Brasil

Facção criminosa elaborou plano ao saber que líderes poderiam ser transferidos para presídios federais, segundo investigação

Comemoração de gol no segundo tempo da partida Brasil e Croácia, na Arena Corinthians, que marcou a abertura da Copa do Mundo de 2014 | Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

O PCC (Primeiro Comando da Capital) ameaçou explodir dois carros-bomba em São Paulo durante a Copa do Mundo de 2014, caso algum líder da facção criminosa fosse transferido, à época, para presídios federais.

O plano foi descoberto pela Polícia Civil e pelo Gaeco (Grupo de Apoio Especial de Combate ao Crime Organizado) do MPE (Ministério Público Estadual) em uma investigação conjunta envolvendo 35 pessoas acusadas por tráfico de drogas no ABC Paulista.

Havia rumores de que o PCC iria cometer atentados e que a Copa do Mundo de Futebol seria o “Mundial do terror”. O temor por possíveis ataques teve repercussão até em jornais da Europa.

As autoridades, no entanto, jamais admitiram oficialmente a existência de planos terroristas da maior facção criminosa brasileira durante os jogos do Mundial de 2014 no Brasil.

Mas as escutas telefônicas interceptadas pela Polícia Civil e pelo Gaeco em 28 de abril de 2014  – 45 dias antes da cerimônia de abertura da Copa do Mundo na Arena Corinthians – mostraram exatamente o contrário.

Ponte teve acesso às transcrições dos diálogos. Um dos alvos, James Mendes da Silva, conhecido como Gordão ou Gê, liga para o parceiro de crime Marcos Laureano da Silva, o Galego ou São Paulino.

Gê manda Galego pegar caneta e papel para anotar um “salve” (recado), comunicando que “se alguém do PCC for arrastado (transferido) para presídio federal, não vai ter Copa do Mundo”. 

Página de transcrição da escuta telefônica em que Gê conversa com Galego

A mensagem adverte que, em caso de transferência de algum líder do PCC para unidade federal, “vai morrer muita gente e vai ter um rio de sangue”.

 O alvo da escuta avisa para o parceiro que o PCC  “tem dois carros-bomba preparados para qualquer eventualidade”.

Depois de transmitir o recado, Gê pede para Galego repassar  o “salve” e informa que vai quebrar o celular para evitar um possível grampo telefônico e promete arrumar outro aparelho.

O “salve” completo atrelava um possível ataque às transferências para presídios federais

Naquele mesmo dia, Galego atende ao pedido do amigo e transmite o recado para outros parceiros de crime, entre eles Bruno Abraão Santanna Xavier Lima, o Corintiano.

Segundo investigações da Polícia Civil de São Bernardo do Campo, Gê recebeu o “salve” de presos da Penitenciária 2 de Presidente Venceslau, no interior de São Paulo, onde, na época, estavam recolhidos os principais líderes do PCC.

De acordo com os policiais civis, Gê, Galego e Corintiano traficavam drogas e  integravam a célula “sintonia dos 14”. Esse grupo tinha um líder em cada região do Estado, distribuído de acordo com o código de área, o DDD.

O código 012 era da região de São José dos Campos e Vale do Paraíba; 013 Santos e Baixada Santista; 014 região de Bauru; 015 Sorocaba; 016 Ribeirão Preto; 017 São José do Rio Preto; 018 região de Presidente Prudente e 019 Campinas.

Os outros seis restantes eram do código de DDD 011: zonas norte, sul, leste e oeste da capital paulista; cidades do ABC e municípios da Grande São Paulo.

A “sintonia dos 14” era formada por líderes do PCC em liberdade e subordinada apenas à “sintonia final geral”, integrada pelos chefes da facção recolhidos na P2 de Presidente Venceslau.

Em outubro de 2013, oito meses antes do início da Copa do Mundo, o Gaeco de Presidente Prudente denunciou 175 integrantes do PCC por associação à organização criminosa e pediu a internação de 35 deles no RDD (Regime Disciplinar Diferenciado).

No RDD, o preso fica em cela individual trancado 22 horas por dia, tem direito a duas horas de banho de sol, não há visita íntima e é proibido ouvir rádio, assistir televisão e ler jornais e revistas.

A Justiça de São Paulo indeferiu o pedido de internação dos líderes da facção no RDD, entre eles Marco Willians Herbas Camacho, o Marcola, apontado como o número 1 da organização.

Porém, no início de 2014, O Gaeco voltou a pedir a internação de Marcola e dos presos Cláudio Barbará, Célio Marcelo da Silva, o Bin Laden, e Luiz Eduardo Marcondes, o Du da Bela Vista.

Segundo o Gaeco de Presidente Prudente, havia um plano para resgatar os quatro presos da P2 de Presidente Venceslau.

Marcola foi internado em RDD no CRP (Centro de Readaptação Penitenciária) de Presidente Bernardes em 11 de março de 2014, mas ficou apenas um mês no castigo.

Por determinação da 1ª Câmara de Direito Criminal do TJ-SP, Marcola deixou o RDD em 10 de abril de 2014. Dezoito dias depois, a Polícia Civil interceptou o “salve” para explodir dois carros-bomba em São Paulo, se algum líder do PCC fosse transferido para presídio federal.

No período da Copa do Mundo de 2014, Marcola e seus principais colegas presos na P2 de Venceslau não foram removidos para unidades federais. A transferência viria acontecer cinco anos depois do Mundial, em fevereiro de 2019.

Já a Justiça de São Bernardo do Campo condenou, em primeira instância, Gê a 18 anos de prisão, Galego a 20 anos e Corintiano a 22 anos por tráfico de drogas e associação à organização criminosa.

Mas a 6ª Câmara de Direito Criminal do TJ-SP absolveu os três das acusações e mandou expedir alvará de soltura em julgamento realizado em 28 de fevereiro do ano passado. 

Por Josmar Jozino – Repórter da Ponte

Rússia é banida e está fora de Tóquio 2020 e de Mundiais

Por Cláudia Soares Rodrigues

(RFS RU/Fotos Públicas)


A Agencia Mundial Antidoping (Wada) excluiu a Rússia das principais competições esportivas mundiais nos próximos quatro anos por ter fraudado exames antidoping. De acordo com decisão unânime do comitê executivo da agência, anunciada na manhã de hoje (9), em Lausanne (Suiça), a Rússia ficará fora da Olimpíada de Tóquio (Japão), em 2020, e dos Jogos Olímpicos de Inverno, em Pequim (China), em 2022. Quanto à Copa do  Mundo de Futebol Masculino, no Catar, em 2022, a FIFA ainda não confirmou se o veto da Wada se estenderá à participação da Rússia no Mundial.

De acordo com a Wada, a Rússia cometeu uma série de violações como manipulação de dados laboratoriais sem autorização, a inclusão de mostras falsas nos testes, e a destruição de arquivos conclusivos a possíveis casos de dopagem. A decisão da Wada também impede que o país organize competições em seu território nos próximos quatro anos, com exceção da Eurocopa 2020: a cidade de São Petersburgo está mantida com uma das 12 sedes. 

A Rússia ainda pode recorrer da decisão no Tribunal Arbitral do Esporte (TAS) nos próximos 21 dias. Os atletas do país que não estão envolvidos nos casos de doping poderão competir sob bandeira neutra.  

Considerada uma das maiores potências no esporte olímpico, a Rússia mergulhou em escândalos envolvendo casos de doping em 2015, quando a Wada concluiu um relatório de 323 páginas que identificava um sistema de dopagem envolvendo atletas, técnicos, dirigentes da federação russa, oficiais de controle antidoping, integrantes do governo russo e membros da Federação Internacional de Atletismo (IAFF). Em 2016, o Comitê Olímpico Internacional (COI) excluiu o país da Rio 2016 e dos Jogos Olímpicos de Inverno de Pyeongchang, mas delegou às federações nacionais a decisão de executar a suspensão. Foi o caso da Associação Internacional das Federações de Atletismo (Iaaf), cujo conselho baniu os atletas russos de participarem dos Jogos Olímpicos do Rio, em 2016.

Lesão faz Érika ser desconvocada da seleção

(CBF/Reprodução via Agência Brasil)

Após o treino da seleção feminina de futebol nesta sexta-feira (7), a zagueira Érica voltou a sentir dores na perna esquerda e foi desconvocada. Após ser examinada, foi diagnosticado uma lesão do músculo sóleo, mas não havia tempo hábil a atleta se recuperar a tempo para disputar a Copa do Mundo de Futebol Feminino. 

O técnico Vadão convocou a zagueira Daiane, do Paris Saint-Germain, para a disputa do Mundial. A defensora deve se apresentar em Grenoble, na França, neste sábado (8).

Em comunicado no site da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), a comissão técnica da seleção informou que lamenta a lesão de Érika e reconhece seu empenho e esforço para defender a camisa do Brasil.