Doações de empresas ajudam a minimizar impactos da pandemia

Os últimos 12 meses não foram fáceis. E a conta das dificuldades não vai apenas para o Covid 19. Além de conviver com o perigo iminente da doença, milhões de pessoas foram jogadas de uma hora para a outra para fora do mercado de trabalho e viram suas fontes de renda minguarem.

De acordo com dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio (Pnad Contínua), mais de 3,4 milhões de brasileiros estão desocupados há pelo menos dois anos. Hoje, cerca de 23% dos desempregados do Brasil estão nesta situação há mais de dois anos. São cerca de 14 milhões de pessoas sem emprego. 

Para minimizar os impactos, empresas e sociedade têm se unido com o objetivo de oferecer algum alento para as pessoas em situação de vulnerabilidade.

A2J Consultoria Ambiental, por exemplo, tem organizado campanhas de doação de alimentos e até insumos hospitalares desde que a pandemia começou.

Este ano, o movimento organizado pela empresa junto a colaboradores e parceiros levantou mais de dez toneladas de alimentos, que foram distribuídos entre as instituições Cruz Vermelha, Oca Cultural, Pequeno Cotolengo e ONG Alquimia. Além disso, também foram arrecadados mais de 4500 itens hospitalares para as unidades de saúde da região de Cotia.

De acordo com João Paulo Toledo, sócio diretor da empresa, tal iniciativa tem como objetivo dar algum retorno para a sociedade pelos 11 anos de trabalho, especialmente durante a pandemia.

 “Por ser considerada um serviço essencial, a A2J não precisou parar durante a pandemia, mas vimos empresas e famílias sofrerem na pele os efeitos da crise. Ficamos felizes em poder atuar além da consultoria ambiental, ajudando a sociedade neste momento de dificuldades. Isso reforça a nossa missão, que é a de deixar um futuro melhor para as próximas gerações,” explica.

Por outro lado, a Mailbiz, empresa de consultoria especializada soluções de e-mail marketing, apoia desde o início de 2021 a iniciativa Filhos de Sião, localizada na cidade de Santa Cruz do Sul, no Rio Grande do Sul. 

Na prática, a iniciativa da empresa tem como objetivo ser a mantenedora do projeto do Mercado Solidário, Papelaria Solidária e a Loja Solidária. 

“Foi um projeto que me chamou muito a atenção por conta da característica de dar o poder de escolha para as pessoas. Mais do que doações, as famílias recebem créditos e podem fazer as compras de itens de higiene ou alimentação. Ela escolhe. Não é como uma simples doação de cestas básicas. Além disso, eles também trabalham com a ideia de qualificação dessas famílias para inserção no mercado de trabalho”, comenta Vinícius Correa, fundador e CEO da Mailbiz. 

Além disso, outras mobilizações ganharam força. No Rio de Janeiro, por exemplo, o movimento Rio Contra a Fome ganhou corpo e tem sido destaque. 

De acordo com dados recentes do Movimento União Rio, que reúne mais de 70 ONGs da região metropolitana da cidade, o empenho individual das pessoas somou mais de 70% de mais de 8 mil cestas básicas entregues nos postos de coleta regionais. 

Doações de fim de ano são tema de debate online

Filipe Páscoa, da Trackmob (Divulgação)

A Trackmob, empresa de inteligência de doações para instituições sem fins lucrativos, promove, no próximo dia 18, às 17 horas, um webinar com o tema ‘Emoções e storytelling: como captar a atenção e conquistar novos doadores nas campanhas de fim de ano’.  A inscrição é gratuita e pode ser feita pela internet.

Os convidados são Marcelo Douek, fundador da Social Docs, e Marcele Aroca Camy, Gerente de Comunicação e Relacionamento da Fraternidade sem Fronteiras. Filipe Páscoa, diretor de Inovação da Trackmob, media a conversa sobre a relevância das campanhas de mobilização de recursos habituais desta temporada do ano, como Dia de Doar, Natal e 13º, e também sobre a construção de narrativas  para engajamento social. 

De acordo com Páscoa, levantamentos internacionais indicam que dezembro representa pelo menos 30% da receita financeira anual das ONGs. No Brasil, dados da Associação Brasileira de Captação de Recursos (ABCR) informam que o patamar é o mesmo, apesar de não haver estudos científicos.

“O propósito do encontro é aumentar a solidariedade, compartilhar inspirações, boas práticas, compartilhar conhecimentos e refletir sobre o quanto a transformação digital pode ser estratégica nas ações de engajamento para estabelecer captações perto do mês mais representativo do ano em mobilização de recursos para as ONGs”, afirma Páscoa, especialista da Trackmob. 

Serviço

‘Emoções e storytelling: como captar a atenção e conquistar novos doadores nas campanhas de fim de ano’

Startup ajuda ONGs a modernizar captação de recursos

Jonas Araujo, CEO da Trackmob (Divulgação)

Ideias de negócios surgem muitas vezes de desafios encontrados. Foi assim com o paranaense Jonas Araújo, um analista de dados que, aos 23 anos, tentou fazer uma doação para uma organização não governamental por meio do site, mas percebeu que demorava uma infinidade até encontrar o botão “doar”. Ali identificou a dificuldade do usuário completar o processo. Daquelas coincidências providenciais,  essa mesma organização entrou em contato com ele anós após a sua formação, pedindo a construção de um software para melhorar o relacionamento com os doadores. A partir daí, começou uma parceria que perdura até hoje com a Trackmob.

Hoje a empresa atende as maiores instituições filantrópicas do país e tem ampliado seu crescimento e captação de recursos mesmo durante a pandemia do novo Coronavírus. Nos seus quase 8 anos de história, acaba de ultrapassar a marca de R$ 200 milhões em captação. Foram seis anos para captar os primeiros R$ 100 milhões e somente outros dois para captar os outros 100 milhões. A Trackmob atende mais de 150 organizações sem fins lucrativos no Brasil e das mais variadas causas: instituições de saúde, de proteção da infãncia e juventudes, cuidado com animais, assistência social, educação, proteção aos imigrantes e muito mais. Usam a tecnologia favor do bem estar social.

Alguns clientes: Médicos Sem Fronteiras, Fundação Dorina Nowill para Cegos, Habitat Brasil, Aldeias Infantis SOS Brasil, Greenpeace, Conectas, Hospital Pequeno Príncipe, Fraternidade Sem Fronteiras, Unicef, Fiocruz, Teto.

A  Trackmob cresceu em 36% o volume de captação de doações no primeiro semestre de 2020, arrecadando um total R$ 34,92 milhões, ante ao mesmo período em 2019, de R$ 25,52 milhões. “Os dados demonstram que a pandemia do coronavírus tem estimulado o fortalecimento da cultura de doação no país e que nossos esforços de empreender mais recursos para a gestão do terceiro setor permitiu as organizações se desenvolverem profissionalmente”, observa Jonas Araujo, CEO da Trackmob. O número de doadores também cresceu nominalmente, passando de uma média mensal de 78 mil pessoas, de janeiro a junho de 2019, para uma média mensal de 106 mil no mesmo período deste ano. “Nossa missão é ajudar as instituições sem fins lucrativos na sua jornada de profissionalização”, afirma Jonas Araújo.

Ele detalha que as soluções tecnológicas desenvolvidas exclusivamente para o Terceiro Setor dão suporte à gestão das ongs, permitindo que as ongs dêem concentrem seus esforços na estratégia do negócio. Atualmente, a Trackmob disponibiliza uma suíte de quatro produtos: um CRM para ONGs, soluções de captação de doação online, o Portal do Colaborador (onde doadores acompanham o andamento das causas que apoiam) e o Aplicativo Móvel F2F, que converte uma pessoa interessada em uma nova doadora no local onde ela estiver.

“Para a Trackmob, a tecnologia pode mudar e impactar positivamente o mundo, por isso nosso objetivo é empoderar as organizações, independentemente do tamanho ou sofisticação, para que sejam capazes de captar, gerir e se relacionar com os doadores de forma simples e transparente, para que todos possam ajudar as causas com as quais se identificam”, afirma o CEO.

Onde encontrar

site (https://trackmob.com.br)  e LinkedInhttps://www.linkedin.com/company/

O que fez na pandemia

disponibilizou sistemas de inteligência e plataforma para hospitais e santas casas arrecadarem doações com foco ao combate ao Coronavírus. As campanhas têm como objetivo estimular as doações para a criação de leitos, aquisição de equipamentos, combate à fome e assistência social. Os recursos digitais da Trackmob permitem que os hospitais tenham espaços especiais para fazer campanhas de arrecadação, mobilizando doações para três grandes objetivos: recursos para leitos, aquisição de equipamentos e assistência especial. Também está apoiando grandes organizações, como Médicos sem Fronteiras, na aceleração do seu processo de transformação digital. 

*AI

‘Casas André Luiz’: projeto arrecada doação em shopping

É possível doar até o fim do mês (Divulgação)

Pela segunda vez na zona norte, a Loja de Doação para o projeto ‘Casas André Luiz’ está em funcionamento no Shopping Metrô Tucuruvi. O espaço, aberto até o dia 31 de outubro, recebe doações de roupas, calçados, brinquedos, livros, produtos de higiene pessoal e alimentos não-perecíveis.

Todo material arrecadado é vendido posteriormente pela rede de bazares permanentes Mercatudo, que rentabiliza as doações e reverte o valor para o tratamento dos mais de 2 mil pacientes com deficiência intelectual que são atendidos pela instituição. Este ano, a loja também oferece oficinas culturais abertas aos finais de semana.

“Queremos chamar a atenção de nossos clientes, lojistas e colaboradores para a importância das atitudes solidárias em apoio a quem precisa. Nessa segunda edição da Loja de Doação by Casas André Luiz, também transformamos o espaço em um ambiente de encontros, oficinas e conscientização”, explica Fabrício Cunha, gerente de Marketing Regional São Paulo e do Shopping Metrô Tucuruvi.

“Ficamos muito felizes em manter essa parceria tão viva com o Shopping Metrô Tucuruvi. Com a crise dos últimos anos no país, muitas instituições sofreram com a falta de recursos, como é nosso caso. Por isso, as parcerias são importantes para darmos continuidade ao trabalho de tratamento que realizamos”, afirma Luzia Margareth Pummer, presidente das Casas André Luiz. 

No ano passado, a parceria entre o Shopping Metrô Tucuruvi e a instituição, arrecadou mais de 2,5 mil quilos de itens doados com a Loja de Doação. Acompanhe a programação de oficinas no site.

Serviço

Loja de Doação no Shopping Metrô Tucuruvi 

Data: até o dia 31 de dezembro 

Horário: segunda-feira a sábado, das 12h às 20h, domingo e feriado, das 14h às 20h

Local: Piso Térreo