Escolas de samba adiam desfile de Carnaval no Rio

(Fernando Maia/Riotur)

A Liga Independente das Escolas de Samba do Rio de Janeiro (Liesa) decidiu adiar os desfiles das escolas de samba do grupo especial, que aconteceriam em fevereiro, devido à pandemia de covid-19. A decisão foi tomada, de forma unânime, na noite desta quinta-feira (24/09), durante reunião entre representantes das agremiações. Ainda não há nova data para o desfile.

O presidente da Liesa, Jorge Castanheira, afirmou que, como ainda não se sabe se haverá uma vacina até o Carnaval, não haverá tempo hábil para as agremiações se prepararem.

Ele destacou, no entanto, que, por enquanto, os desfiles não foram suspensos, apenas adiados. A Liesa continuará acompanhando a situação da pandemia e fará novas reuniões para decidir se será possível realizar os desfiles em uma nova data em 2021 ou se o evento terá mesmo que ser cancelado.

“Em função de toda essa insegurança, essa instabilidade em relação a área da ciência, de não saber se lá em fevereiro vamos ter ou não a vacina, chegamos à conclusão que esse processo tem que ser adiado. Não temos como fazer em fevereiro. As escolas já não vão ter tempo nem condições financeiras e de organização de viabilizar até fevereiro”, destacou Castanheira.

Devido às restrições e regras de distanciamento social provocadas pela pandemia de covid-19, os trabalhos nos barracões das escolas de samba do Rio de Janeiro ainda não começaram.

Os presidentes das escolas de samba concordam que a realização do desfile na data antes prevista, em fevereiro, seria um desafio de tempo e logística.

Na Alemanha, a pandemia de coronavírus fez com que na última sexta-feira o governo de Renânia do Norte-Vestfália cancelasse, após reunião com a liderança de entidades carnavalescas, os grandes desfiles e eventos do próximo Carnaval. Com a medida, não serão realizadas em 2021 paradas carnavalescas como as das cidades de Colônia, Düsseldorf, Bonn e Aachen, que estão entre as maiores e mais tradicionais do país. 

MD/ebc/epd

Por Deutsche Welle

Veja a ordem de hoje dos desfiles das Escolas de Samba

(Felipe Araújo/Liga-SP)

Sete escolas de samba abrem os desfiles do Grupo Especial do carnaval de São Paulo nesta sexta-feira (21), a partir das 23h15, no Sambódromo do Anhembi.

Veja a programação dos desfiles desta sexta-feira (21):

23h15 – Barroca Zona Sul
0h20 – Tom Maior
1h25 – Dragões da Real
2h30 – Mancha Verde
3h35 – Acadêmicos do Tatuapé
4h40 – Império de Casa Verde
5h45 – X-9 Paulistana

No sábado (22) é a vez de Pérola Negra, Colorado do Brás, Gaviões da Fiel, Mocidade Alegre, Águia de Ouro, Unidos de Vila Maria, Rosas de Ouro desfilarem na passarela do samba.

Portões de entrada

As entradas dos setores A, B, C, D e E estão localizada na pista local da Marginal Tietê. Já as entradas dos setores F, G, H, I e J estão localizados na Avenida Olavo Fontoura.

Acesso de veículos

A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) montará uma operação especial de trânsito nas principais vias de acesso ao Anhembi. O Sambódromo localiza-se entre as pontes das Bandeiras e da Casa Verde, tendo como principais vias de acesso as avenidas Olavo Fontoura, Assis Chateaubriand (Marginal Tietê) e Santos Dumont.

O principal estacionamento está localizado no Pavilhão de Exposições do Anhembi, com acesso pela Avenida Santos Dumont e Rua Marechal Leitão de Carvalho, junto aos Portões 4 e 5, e tem capacidade para cerca de quatro mil vagas, com os seguintes valores: R$ 50 (carros), R$ 30 (motos) e R$ 70 (ônibus).

É recomendável que o público dê preferência para ir ao Sambódromo de transporte público. Haverá linhas especiais de ônibus partindo das estações Tietê e Barra Funda do Metrô, das 17h à 1h30, e retorno das 5h às 9h do dia seguinte.

*Com informações da Prefeitura de São Paulo

Ouça o samba-enredo das escolas que desfilam nessa sexta

Pelo quinto ano seguido, a Prefeitura de São Paulo, em parceria com a TV Câmara, produz vídeos com os samba-enredo das escolas que vão desfilar no Carnaval de São Paulo. A iniciativa tem o objetivo de promover a inclusão, já que conta com recursos para surdos.

Aproveite.

Barroca Zona Sul

A escola vai falar da quilombola Tereza de Benguela, primeira mulher a liderar o quilombo do Quariterêre. Símbolo em resistência à escravidão.

Tom Maior

A escola fala sobre a luta dos negros por igualdade. O samba-enredo “É coisa de preto” aborda o preconceito.

Dragões da Real

“A Revolução do Riso: A arte de subverter o mundo pelo divino poder da alegria”. A escola traz alegria para o sambódromo.

Mancha Verde

“Pai! Perdoai, eles não sabem o que fazem!” É com esse tema poderoso que a Mancha Verde entra na avenida no primeiro dia do Carnaval paulistano.

Acadêmicos do Tatuapé

A escola faz uma homenagem a Atibaia, cidade da região metropolitana de São Paulo, com o enredo “O ponteio da viola encanta… Sou fruto da terra, raiz desse chão… Canto Atibaia do meu coração”.

Império de Casa Verde

“Marhaba Lubnãn” é um samba-enredo que vai homenagear o Líbano.

X-9 Paulistana

Com “Os batuques do Brasil” a escola convida para uma viagem pelos batuques e pelas religiões do Brasil.

Carnaval passa a ser patrimônio imaterial do Estado

(Divulgação)

O carnaval de São Paulo é, a partir de agora, oficialmente, patrimônio. A Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo publicou hoje (5), em Diário Oficial, a aprovação do registro das Práticas Carnavalescas do Estado como patrimônio imaterial.

Unânime na decisão, o Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico – Condephaat votou o parecer na reunião da última segunda-feira (3). O parecer do órgão concluiu que as práticas carnavalescas traduzem saberes, fazeres e uma identidade coletiva, que criam relações de pertencimento.

“O Condephaat dá sequência ao trabalho fundamental de reconhecer e proteger o patrimônio imaterial de São Paulo com o registro das expressões artistas ligadas ao Carnaval, que são inúmeras, muito potentes e constituem marcas do patrimônio cultural do Estado. Estamos valorizando a cultura popular e tradicional de São Paulo, que é um vetor de identidade e de desenvolvimento”, afirma o Secretário de Cultura e Economia Criativa Sérgio Sá Leitão.

A proposta inicial, apresentada pela Liga Independente das Escolas de Samba de SP, solicitava o registro dos “Desfiles das Escolas de Samba” como patrimônio cultural imaterial. O Conselho analisou que havia necessidade de elaboração de um plano mais amplo, à altura da importância da manifestação cultural, capaz de “garantir a salvaguarda e reprodução da prática, a preservação dos saberes e a perenização da memória coletiva envolvida”.

Concluiu-se que a forma mais adequada de preservar e valorizar o carnaval de São Paulo seria ampliar o objeto e registrar, como patrimônio imaterial, as “Práticas Carnavalescas do Estado de São Paulo”, não apenas os desfiles, e que estes são a finalização de um processo diversificado e de grande riqueza cultural.

Segundo o parecer, “o caminho mais adequado para preservar e valorizar o carnaval realizado no Estado de São Paulo é identificar e preservar as práticas preparatórias dos desfiles, e mesmo as atividades das escolas de samba que por algum motivo não chegam a desfilar na avenida, mas que realizam atividades relacionadas ao carnaval ao longo do ano”, considerando que é nestas práticas e rituais que se encontram os saberes dos bambas – mestres antigos do samba -, sua relação com o samba paulista, seu enraizamento nas comunidades e sua inserção no cotidiano dos bairros onde estão as sedes das escolas de samba.

As justificativas do Condephaat para a aprovação do reconhecimento consideram que as escolas de samba são territórios onde se concentram práticas culturais coletivas ligadas ao samba e à produção do Carnaval; que as Escolas surgem a partir dos cordões, que se configuraram como as primeiras organizações da prática do samba em formato de procissão; que estes lugares são, historicamente, locais de sociabilidade de camadas mais populares, principalmente negros, que encontraram uma forma legitima de realizar suas práticas.

Sobre o registro de patrimônio imaterial

O registro imaterial foi criado por meio do decreto 57.439, de 2011, e permite o reconhecimento de manifestações culturais do Estado. Por meio dele, além de proteger imóveis e bens importantes para a história do Estado, o Condephaat também pode preservar o patrimônio imaterial.

O objetivo é identificar e reconhecer conhecimentos, formas de expressão, modos de fazer e viver, rituais, festas e manifestações que façam parte da cultura paulista. O primeiro registro de patrimônio imaterial do Condephaat foi realizado em janeiro de 2016, com o reconhecimento do Samba Paulista. O Virado Paulista, tradicional prato da culinária do Estado, foi reconhecido em 2018.

*Conteúdo do Governo do Estado de SP

Fogo destrói barracão de escola de samba

(Corpo de Bombeiros/Reprodução)


Um incêndio de grandes proporções atingiu, no começo da noite, o barracão da escola de samba Independente Tricolor. O Corpo de Bombeiros mobilizou 18 equipes e 60 homens para combater as chamas.

Segundo a corporação, apesar da proporção do fogo não houve feridos. O galpão, onde são armazenados materiais e alegorias da escola, fica na Avenida Otto Baumgart, região do Campo de Marte, na Zona Norte.

Galpão visto do alto (Record TV/Reprodução)

Escolas de samba iniciam ensaios técnicos; Veja a programação

(Arquivo/Rafael Neddermeyer/LIGASP/Fotos Públicas)

Até 22 de fevereiro, as 14 escolas de samba do Grupo Especial de São Paulo, além das oito agremiações do Grupo de Acesso e das 12 do Grupo de Acesso 2, farão uma prévia de suas apresentações no Sambódromo do Anhembi. Serão 70 ensaios, que foram divididos em 22 datas.

A primeira agremiação a fazer o ensaio técnico foi a Camisa Verde e Branco, que se apresentou na última sexta-feira (11). Ontem (12) se apresentaram a Leandro de Itaquera, a Independente Tricolor e a Nenê da Vila Matilde. Hoje (13), a partir das 20h30, quem se apresenta é a Império de Casa Verde.

Os ensaios técnicos têm entrada aberta e gratuita ao público.

Veja a programação

JANEIRO 2019

Sexta – 11/01 
23:00 – CAMISA VERDE E BRANCO

Sabado – 12/01 
19:15 – LEANDRO DE ITAQUERA
20:30 – INDEPENDENTE TRICOLOR
21:45 – NENÊ DE VILA MATILDE

Domingo – 13/01 
20:30 – IMPÉRIO DE CASA VERDE

Quinta – 17/01 
21:45 – UNIDOS VILA MARIA

Sexta – 18/01 
21:45 – COLORADO DO BRÁS
23:00 – UNIDOS DO PERUCHE

Sábado – 19/01 
19:15 – PÉROLA NEGRA
20:30 – MOCIDADE ALEGRE
21:45 – TOM MAIOR
23:00 – MANCHA VERDE
00:15 – ROSAS DE OURO
01:30 – VAI VAI

Domingo – 20/01
19:15 – ESTRELA DO TERCEIRO MILÊNIO
20:30 – BARROCA ZONA SUL

Sexta – 25/01 
18:00 – AMIZADE ZONA LESTE
19:15 – LEANDRO DE ITAQUERA
20:30 – UNIDOS DO PERUCHE
21:45 – INDEPENDENTE TRICOLOR
23:00 – NENÊ DE VILA MATILDE

Sábado – 26/01
19:15 – CAMISA 12
20:30 – IMPERADOR DO IPIRANGA
21:45 – CAMISA VERDE E BRANCO
23:00 – GAVIÕES DA FIEL

Domingo – 27/01 
18:00 – MORRO DA CASA VERDE
19:15 – SANTA BÁRBARA
20:30 – PRIMEIRA DA CIDADE LÍDER

FEVEREIRO 2019 

Sexta – 01/02 
20:30 – COLORADO DO BRÁS
21:45 – MOCIDADE ALEGRE
23:00 – X9 PAULISTANA

Sábado – 02/02 
17:00 – UIRAPURU DA MÓOCA
18:00 – BARROCA ZONA SUL
19:15 – ÁGUIA DE OURO
20:30 – UNIDOS DE VILA MARIA
21:45 – TOM MAIOR
23:00 – IMPÉRIO DE CASA VERDE

Domingo – 03/02 
18:00 – MOCIDADE UNIDA DA MÓOCA
19:15 – DRAGÕES DA REAL
20:30 – ACADÊMICOS DO TUCURUVI
21:45 – INDEPENDENTE TRICOLOR

Quinta – 07/02 
21:45 – ROSAS DE OURO
23:00 – CAMISA VERDE E BRANCO

Sexta – 08/02 
21:45 – PÉROLA NEGRA
23:00 – NENÊ DE VILA MATILDE

Sábado – 09/02 
16:00 – TORCIDA JOVEM
17:00 – DOM BOSCO DE ITAQUERA
18:00 – LEANDRO DE ITAQUERA
19:15 – UNIDOS DO PERUCHE
20:30 – ÁGUIA DE OURO
21:45 – X9 PAULISTANA
23:00 – GAVIÕES DA FIEL
00:15 – VAI VAI

Domingo – 10/02 
16:00 – TRADIÇÃO ALBERTINENSE
17:00 – ESTRELA DO TERCEIRO MILÊNIO
18:00 – IMPERADOR DO IPIRANGA
19:15 – MOCIDADE UNIDA DA MÓOCA
20:30 – ACADÊMICOS DO TATUAPE
21:45 – COMBINADOS DE SAPOPEMBA
23:00 – INDEPENDENTE TRICOLOR

Quinta – 14/02 
20:30 – PRIMEIRA DA CIDADE LÍDER
21:45 – GAVIÕES DA FIEL

Sexta – 15/02 
20:30 – BARROCA ZONA SUL
21:45 – TOM MAIOR
23:00 – IMPÉRIO DE CASA VERDE
00:15 – VAI VAI

Sábado – 16/02 
18:00 – COLORADO DO BRÁS
19:15 – UNIDOS DE VILA MARIA
20:30 – MOCIDADE ALEGRE
21:45 – MANCHA VERDE
23:00 – ROSAS DE OURO

Domingo – 17/02 
18:00 – ACADÊMICOS DO TUCURUVI
19:15 – DRAGÕES DA REAL
20:30 – ACADÊMICOS DO TATUAPE
21:45 – X9 PAULISTANA

Quinta – 21/02 
20:30 – ÁGUIA DE OURO
21:45 – ACADÊMICOS DO TATUAPE
23:00 – MANCHA VERDE

Desfile

O desfile das escolas de samba do carnaval de São Paulo começa na noite de 1º de março. Confira a ordem dos desfiles:

Grupo Especial – 1ª noite: sexta-feira, 1 de março

23h15 – Colorado do Brás

0h20 – Império de Casa Verde

1h25 – Mancha Verde

2h30 – Acadêmicos do Tucuruvi

3h35 – Acadêmicos do Tatuapé

4h40 – X-9 Paulistana

5h45 – Tom Maior

Grupo Especial – 2ª noite: sábado, 2 de março

22h30 – Águia de Ouro

23h35 – Dragões da Real

0h40 – Mocidade Alegre

1h45 – Vai-Vai

2h50 – Rosas de Ouro

3h55 – Unidos de Vila Maria

5h00 – Gaviões da Fiel

Grupo de Acesso – 3ª noite: domingo, 3 de março

21h00 – Mocidade Unida da Mooca

22h00 – Independente Tricolor

23h00 – Barroca Zona Sul

0h00 – Nenê de Vila Matilde

1h00 – Leandro de Itaquera

2h00 – Camisa Verde e Branco

3h00 – Unidos do Peruche

4h00 – Pérola Negra

Grupo de Acesso – 4ª noite: segunda-feira, 4 de março

20h00 – Primeira da Cidade Líder

20h50 – Amizade Zona Leste

21h40 – Torcida Jovem

22h30 – Estrela do Terceiro Milênio

23h20 – Unidos de Santa Bárbara

0h10 – Tradição Albertinense

1h00 – Uirapuru da Mooca

1h50 – Imperador do Ipiranga

2h40 – Camisa 12

3h30 – Combinados do Sapopemba

4h20 – Dom Bosco

5h10 – Morro de Casa Verde