Escolas de São Paulo podem receber 100% dos alunos presencialmente

Escolas de São Paulo podem receber presencialmente 100% dos estudantes

A partir de hoje (2), as escolas estaduais, municipais e particulares do estado de São Paulo estão autorizadas a retornar às aulas presenciais, podendo atender até 100% dos estudantes. As aulas foram suspensas pelo governo paulista no início da pandemia, em março do ano passado. No início deste ano, as aulas foram retomadas, mas havia limite de 35% na capacidade de ocupação.

A volta presencial a partir de hoje ainda não será obrigatória. A expectativa é de que a obrigatoriedade passe a valer a partir de setembro. Segundo a Secretaria Estadual da Educação, caso o estudante ou sua família queiram permanecer com as aulas remotas ou online, o responsável legal deverá comunicar, por escrito, à unidade escolar, comprometendo-se a manter a frequência do aluno de forma digital.

As escolas vão poder atender 100% dos alunos desde que seja obedecido o limite de um metro de distanciamento entre eles. Cada escola ficará responsável por estabelecer esse limite de acordo com a sua capacidade física. Se a escola não puder receber a totalidade dos alunos de forma presencial, ela poderá adotar um sistema de revezamento.

Rede estadual

Só na rede estadual de ensino há 3,5 milhões de esrtudantes, que serão obrigados a usar máscara no interior da escola. Segundo a Secretaria Estadual da Educação, ao chegarem às escolas todas as pessoas terão a temperatura aferida e, caso esteja acima de 37,5 graus, será orientado a retonaro para casa. Os protocolos também incluem higienização frequente das mãos com água e sabão ou álcool em gel 70% e dos ambientes e ambientes arejados com portas e janelas abertas. Os especialistas dizem que os aspectos mais importantes a serem adotados para evitar a transmissão do novo coronavírus (covid-19) são a ventilação e o uso de máscaras.

Já os professores e servidores deverão voltar às aulas presenciais, sem revezamento. Mas no caso daqueles com comorbidades, só voltarão às aulas presenciais 14 dias após a aplicação da segunda dose das vacinas Oxford/AstraZeneca/Fiocruz, Pfizer/BioNTech ou CoronaVac/Butantan/Sinovac ou dose única, no caso da vacina da Janssen.

A secretaria informou que os servidores e colaboradores que, por escolha pessoal, optarem por não se vacinar dentro do calendário local também deverão retornar.

Rede municipal

Na rede municipal de ensino, o limite de atendimento vai respeitar a capacidade física de cada unidade, mantendo o distanciamento de um metro entre os alunos. Segundo a Secretaria Municipal da Educação, todos os estudantes matriculados na educação infantil e no ensino fundamental e médio poderão ser atendidos na forma presencial e em sistema de revezamento semanal em no máximo duas turmas. Já nos Centros de Educação Infantil (CEI), poderão ser atendidas 60% das crianças e bebês matriculados, sem revezamento. A exceção é para os estudantes que compõem o grupo de risco. Nesse caso, eles devem permanecer em ensino remoto.

Por enquanto, a volta às aulas presenciais na rede municipal de São Paulo é facultativa, a critério dos pais ou responsáveis.

A orientação da prefeitura de São Paulo é para que as pessoas com qualquer sintoma da covid-19 procure auxílio médico e não compareça à unidade escolar.

Também a partir de hoje, os estudantes da rede municipal terão acesso às atividades de recuperação. Os estudantes com mais defasagem na aprendizagem em relação ao ano ou série em que estão matriculados vão participar da recuperação paralela no contraturno escolar.

Sociedade de Pediatria

Por meio de nota, a Sociedade de Pediatria de São Paulo (SPSP) disse que os pais não precisam ficar temerosos em mandar seus filhos para as escolas neste momento da pandemia. Segundo a entidade, pesquisas têm demonstrado que as crianças não são grandes transmissoras do vírus e não costumam evoluir de forma grave.

“A pandemia de covid-19 tem afligido todo o planeta e tem sido especialmente grave em nosso país, com mais de meio milhão de brasileiros perdendo suas vidas precocemente. Não obstante a isto, o número de crianças afetadas de forma grave e que evoluíram de maneira desfavorável foi relativamente pequeno”, disse Fausto Flor de Carvalho, presidente do Departamento de Saúde Escolar da Sociedade de Pediatria de São Paulo.

“As pesquisas realizadas no Brasil e no exterior têm demonstrado que crianças não são grandes espalhadoras do vírus, que costumam ter quadros leves a moderados e quase metade delas são assintomáticas”, explicou

Para Carvalho, a ausência das aulas presenciais tem provocado outros danos às crianças, como distúrbios alimentares e de relacionamento interpessoal (distanciamento dos amigos e contato apenas com adultos), além da dificuldade de concentração. “Assim, cremos que é momento adequado para retomada de aulas presenciais. Os pais devem trabalhar com os filhos sobre as medidas de proteção e devem estar em contato com a escola. Qualquer sintoma respiratório a criança deve ser afastada e procurar o serviço médico para diagnóstico. Uma boa comunicação entre pais, escolas e profissionais da saúde vai colaborar para uma volta mais segura e com mínimos riscos a todos”, disse.

Já o Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo (Apeoesp) é contra a volta às aulas neste momento. Para o sindicato, a volta as aulas presenciais só deveria ocorrer após os professores terem tomado a segunda dose da vacina contra a covid-19. “Mais do que ninguém sabemos que o lugar dos professores e estudantes é nas escolas, mas não é este o momento”, diz o sindicato.

“O processo de vacinação dos profissionais da educação e da população está em curso. Portanto, não existe o menor sentido no retorno às aulas presenciais em agosto. Há professores que só receberão a segunda dose da vacina em setembro. Apenas após a vacinação de todos com a segunda dose e a garantia de todos os protocolos sanitários para garantir a manutenção do controle da pandemia é que poderemos retornar às escolas”, disse o sindicato em comunicado publicado em seu site.

Escolas particulares

Segundo o Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino no Estado de São Paulo (Sieeesp), há cerca de 12 mil escolas particulares no estado, com 2,4 milhões de alunos no ensino básico. Nas escolas particulares, de acordo com o sindicato, as aulas presenciais ocorrem desde março. Mas até então, havia limite de 35% sobre o número de matrículas. A partir de hoje, após um período de férias, as escolas particulares estão retornando as aulas presenciais, podendo atender até 100% dos alunos, desde que mantido o limite de distanciamento físico entre eles.

“As escolas particulares seguem todos os protocolos recomendados pelo Plano São Paulo [plano de reabertura econômica do estado em vigência durante a pandemia], das autoridades de saúde e educação e o próprio protocolo do Sieeesp, elaborado por médicos, pediatras e especialistas”, disse o sindicato.

*Com informações da Agência Brasil

Prefeitura de Santos distribui mais de 600 cestas básicas em escolas

Prefeitura de Santos distribui mais de 600 cestas básicas em escolas
Prefeitura de Santos distribui mais de 600 cestas básicas em escolas
A entrega será feita por dia e horário, levando em consideração a inicial do nome do aluno(Foto: Isabela Carrari/Prefeitura de Santos)

Serão distribuídas na cidade de Santos 613 cestas básicas, entre sexta (30) e segunda-feira (3), para os familiares de alunos matriculados em quatro escolas municipais. A ação Cesta Básica Solidária é mais uma medida de segurança alimentar adotada pela Prefeitura de Santos, em decorrência das consequências do isolamento social provocado pela pandemia do novo coronavirus. Desde o início da ação, em abril do ano passado, que é integrada entre a Secretaria de Educação (Seduc) e o Fundo Social de Solidariedade (FSS), já foram distribuídos pouco mais de 86 mil cestas.

Serão distribuídas na cidade de Santos 613 cestas básicas, entre sexta (30) e segunda-feira (3), para os familiares de alunos matriculados em quatro escolas municipais. A ação Cesta Básica Solidária é mais uma medida de segurança alimentar adotada pela Prefeitura de Santos, em decorrência das consequências do isolamento social provocado pela pandemia do novo coronavirus. Desde o início da ação, em abril do ano passado, que é integrada entre a Secretaria de Educação (Seduc) e o Fundo Social de Solidariedade (FSS), já foram distribuídos pouco mais de 86 mil cestas.

Escolas contempladas

As escolas que deverão receber os kits de alimentos serão: Andradas I (Rua Almirante Ernesto de Melo Júnior, 130, Aparecida), Andradas II (Rua Almirante Ernesto de Melo Júnior, 150, Aparecida), Anízio Bento (Rua Engenheiro Manoel Ferramenta Júnior s/nº, Areia Branca) e Laurival Rodrigues (Caminho da Lagoa, 191-245, Morro Nova Cintra)

Horários de retiradas das cestas

Os horários para a retirada das cestas básicas estão divididos em ordem alfabética, considerando a primeira letra do nome do aluno. Caso a família tenha mais de uma criança matriculada em escolas municipais, deve considerar a unidade do filho mais velho. Pais e responsáveis devem apresentar carteira de identidade ou outro documento oficial de identificação com foto.

O cronograma de distribuição pode ser acompanhado no site da prefeitura em Cesta Básica Solidária.

*Com informações da Prefeitura de Santos

Hoje é o último dia para realizar matrículas e rematrículas na rede estadual

Esta sexta-feira (30) representa o último dia para interessados em ingressar ou permanecer na rede estadual de São Paulo em 2021 realizarem matrículas e rematrículas. Para ambos os casos, os pais, responsáveis com alunos com mais de 18 anos podem procurar qualquer escola estadual ou diretoria de ensino.

Para os alunos que já fazem parte da rede, a solicitação também pode ser feita de forma no online pelo aplicativo Minha Escola SP ou pela plataforma Secretaria Escolar Digital (SED) (https://sed.educacao.sp.gov.br/saiba-como-acessar). Dentro do ambiente virtual basta seguir este caminho: Área do responsável > Gestão escolar > Interesse rematrícula.

Aos que ainda não estão na rede e desejam fazer a matrícula, o caminho para o processo online é por meio desse link (https://sed.educacao.sp.gov.br/NCA/PreInscricaoOnline/login). Nesse caso, os postos do Poupatempo também são pontos de inscrição.

Atividades complementares

No momento na matrícula, alunos e responsáveis poderão selecionar oportunidades adicionais oferecidas pela Secretaria Estadual da Educação como os cursos idiomas oferecidos pelos Centro de Estudos e Línguas; o modelo de ensino técnico do Novotec desenvolvido em parceria com o Centro Paula Souza; o 4º ano opcional do ensino médio; e a matrícula em escolas de tempo integral.

*Com informações da assessoria de imprensa do Governo de São Paulo