Franquia de comida vegana lança e-commerce

(Divulgação)

A rede Açougue Vegano, criada pelos chefs Celso Fortes e Michelle Rodriguez, lançou o e-commerce para a compra de toda linha de congelados. Inicialmente, segundo comunicado à imprensa, a loja online vai atender apenas a capital paulista e o estado do Rio de Janeiro. No site, os clientes poderão programar a data e a hora da entrega e para pedidos acima de R$ 100,00 o frete é grátis. 

O comunicado diz também que “o portfólio completo inclui desde a premiada coxinha de jaca, eleita a melhor pela Sociedade Vegetariana Brasileira, a feijoada vegana, a deliciosa moqueca de banana, hambúrgueres de grão de bico e shitake, salsicha vegana, uma linha completa para aquele churrasco isento de proteína animal com linguiça, espetinhos e kafta, além das práticas embalagens com carne de jaca desfiada e em pedaços próprias para elaborar receitas saudáveis e nutritivas. 

O objetivo da marca é dar mais agilidade no atendimento, além de amenizar o impacto com as medidas de isolamento e o fechamento das lojas físicas devido a segunda onda da pandemia do coronavírus.

Serviço

loja.acouguevegano.com.br

Limpeza e saúde andam juntas

Por Renato Ticoulat

Embora a vacinação já tenha começado no planeta afora, o ritmo é lento frente a necessidade que temos. Mas, devagar ou não, é apenas ela, até agora, que poderá aplacar a transmissibilidade do vírus e possibilitar nosso retorno ao que entendemos como normalidade. De que as coisas não serão mais as mesmas é dita desde o início da pandemia e, um ano depois, já está realmente claro que alguns hábitos deverão ser adotados em definitivo e, outros, abandonados. No que compete a higiene, aprendemos muito ao longo de 2020 e a perspectiva é que estes cuidados passem a ser da rotina de todos os brasileiros por uma boa razão: passamos a entender a importância de investir na higienização dos ambientes.  

Tratada como um serviço de extremo esforço braçal, em que o que determinava a contratação era o preço do homem hora, a faxina -como então era conhecida- tinha por objetivo tornar o ambiente visualmente limpo, sem se ater se o espaço estava de fato higienizado. Esse pensamento era comum não só dentro das residências, mas também em muitas empresas, até em hospitais e clínicas de diagnóstico, que, por obrigação legal, mantinham suas áreas limpas e desinfetadas corretamente sem entender a razão e relevância deste serviço bem executado. O cenário muda, então, com o surgimento do Sars-Cov-2 e o potencial de exaurir os sistemas de saúde de todos os países, que se viram reféns de medidas simples, mas altamente eficazes, para contenção do vírus: isolamento social e práticas de higiene. 

Ao compreender essa nova dinâmica, ficou claro que a contratação de um serviço especializado nesse segmento vai além da questão estética e significa, sobretudo, melhorar a qualidade da saúde humana. O responsável por esta contratação, seja residencial ou comercial, como no caso de restaurantes, lojas ou escritórios, tem que ser orientado pela empresa para atender um tipo de serviço que corresponda às suas demandas, levando em consideração o fluxo e a intensidade de pessoas que circulam nos espaços. Nos pacotes padrões, o foco é remover os contaminantes de superfícies alcançáveis, varrer, aspirar, retirar o lixo e, em alguns, organizar a bagunça. Os germes e bactérias, nesse processo, não são mortos e correm o risco de se alastrar para outros ambientes se o contratado não for devidamente treinado. 

Já a desinfecção, um processo altamente eficaz, consiste na destruição ou inativação de fungos, vírus e bactérias por meio da aplicação de um produto de ação desinfetante. É com este procedimento que é possível eliminar das superfícies 99,99% dos contaminantes e garantir de forma segura um ambiente saudável. Assim como este, há também disponível no mercado o método de esterilização, utilizado em locais em que é necessária a máxima segurança, como salas cirúrgicas de hospitais ou locais de biossegurança. Para este serviço, usa-se processos físicos ou químicos bastante agressivos e restritos, como luzes de alcance UV-C, nocivo para a pele e saúde se a pessoa estiver presente no momento da aplicação. É sim um processo seguro, mas que exige medidas de cautela na aplicabilidade. 

Podemos encarar, sob esse ângulo, o significado dos serviços de limpeza de forma mais ampla: a contribuição para saúde das pessoas. Munidas de informações, compreende-se que limpeza é coisa séria e não só uma maneira de camuflar sujeira, dando a devida importância aos processos, valorizando os profissionais que, treinados, são capazes de contribuir para a eliminação de agentes contaminantes e transmissores de doenças. O legado de 2020 pode ser encarado de duas maneiras: uma pandemia que ceifou a vida de mais dois milhões de pessoas por todo o globo e contaminou mais de 100 milhões delas, deixando um rastro de dor e incerteza, ou a possibilidade de aprendizado de que práticas de higiene devem ser entendidas como necessárias para o bem coletivo. 

*Renato Ticoulat Neto é engenheiro civil, com pós-graduação em Administração de Empresas, MBA em Gestão de Pessoas e em Franchising, já atuou como diretor de marketing da Associação Brasileira de Limpeza e da ABF – Associação Brasileira de Franchising. Atualmente, é presidente da Limpeza com Zelo, fundada por ele em 2013

12 microfranquias a partir de R$ 3,9 mil para empreender no interior

(Marcello Casal Jr./Agência Brasil)

O estado de São Paulo tem o maior PIB do país e não apenas por conta da Capital. As cidades do interior são, historicamente, locais de criação de riquezas. Algumas localidades, inclusive, são consideradas grandes pólos de empreendedorismo, como São José do Rio Preto, que se notabiliza pela grande quantidade de franqueadoras com sede na localidade.

Segundo dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), o PIB do estado de São Paulo representa uma fração de 32,5% do produto interno nacional. Ao lado do Rio de Janeiro, o número chega a 42,7%.

Neste sentido, algumas redes de franquias desenvolveram modelos de negócios adaptáveis em diferentes regiões do país. Com a pandemia, as franquias se tornaram opção para os desempregados. 

A partir deste cenário, uma lista com algumas opções de franquias para quem quer investir e morar no interior de São Paulo.

Confira:

Maxipay

Criada em 2018, a MaxiPay é uma fintech de soluções de pagamento. Com um portfólio de serviços variados, as possibilidades para os franqueados são inúmeras. Ele pode oferecer serviços bancários (correspondente), empréstimos, abertura de conta e aluguel de máquinas de cartão. Além disso, a empresa parcela o valor do investimento em 12 vezes.

Investimento: R$3,9 mil

Faturamento: R$6,6 mil

Tempo de retorno: 2 meses

Site: https://maxipay.com.br/seja-um-franqueado/ 

UpCharger

A UpCharger é uma rede de franquias que trabalha com publicidade em terminais de recarga (com telas de LED) para celulares e tablets. Os franqueados, que atuam em modelo home based, são responsáveis pela prospecção de anunciantes e novos estabelecimentos.

Investimento: R$20 mil

Faturamento: R$6 mil

Tempo de retorno: 6 a 12 meses

Site: https://upcharger.com.br/franqueado

Alfred Delivery

Criado em 2017, o Alfred Delivery é um aplicativo que entrega absolutamente tudo o que o cliente deseja. De pipoca de cinema até seu prato predileto, o objetivo da empresa é ser um “marketplace de tudo” dos pequenos centros urbanos. O franqueado é o responsável pelo mapeamento de estabelecimentos e acordos com fornecedores locais. Todo o know-how sobre como fazer a gestão do negócio e dos profissionais envolvidos no processo (inclusive entregadores) é fornecido pela franqueadora.

Investimento: a partir de R$10 mil

Faturamento: R$90 mil

Tempo de retorno: 12 a 18 meses

Site: https://www.alfreddelivery.com/seja-um-franqueado.html

Bem Seguros e Créditos

A Bem Seguros e créditos é uma franquia especializada em soluções financeiras. Criada em 2018, a rede oferece serviços de crédito pessoal e consignado, consórcios, seguros e outros. Fundada em São José do Rio Preto, a marca possui mais de 250 unidades ativas em todos os estados brasileiros.

Investimento inicial: a partir de R$14,9 mil

Faturamento médio mensal: R$20 mil

Estimativa de retorno do investimento: 3 meses

Site: https://bemsolucoes.com.br/franquia/

TFlow

A TFlow é uma rede de franquias especializada em moda masculina com mix de produtos completo (camisetas, camisas, calçados, acessórios e moda infantil). No franchising desde 2015, a marca ficou conhecida como a “marca dos artistas”, por muitos deles usarem as peças no meio artístico, Jorge & Mateus, Zé Neto e Cristiano, Jesus luz, a influencer Rafaella Kalimann e entre outros.

Investimento inicial: R$15 mil

Faturamento médio mensal: R$10 mil

Estimativa de retorno do investimento: 2 a 3 meses

Site: https://www.tflow.com.br/

Vida Leve

Com foco em alimentação saudável, a Vida Leve é uma rede de franquias de produtos naturais selecionados a granel e produtos especiais de prateleira, como suplementos, nutracêuticos, livres de glúten e lactose, orgânicos, vegetarianos e veganos. A rede conta com modelo de franquia enxuto, que pode ser instalado dentro de outros estabelecimentos.

Valor do investimento inicial total: R$15 mil

Faturamento mensal: 10 mil

Tempo de retorno: entre 3 e 5 meses

Site: https://www.redevidaleve.com.br/

Turquesa Esmalteria

A Turquesa Esmalteria é uma rede de franquias especializada em beleza e estética. Com serviços como manicure, pedicure, embelezamento do olhar, depilação, estética facial e corporal, a marca oferece modelos de operação enxutos (Turquesa Petit) para quem quer empreender na área.

Valor do investimento inicial total: R$53 mil

Faturamento mensal: R$30 mil

Tempo de retorno: 16 meses

Site: https://turquesaesmalteria.com.br/

Strike Brasil

No franchising desde 2013, a Strike Brasil é uma rede de franquias especializada em personalização e inovadora técnica de aumento de performance automotiva. O negócio conta com mais de 30 unidades atualmente e oferece modelo home based. 

Investimento: a partir de R$100 mil

Faturamento: R$35 mil

Tempo de retorno: a partir de 10 meses

Site: https://strikebrasil.com/

Tanabata Kids

Criada em 2016, a Tanabata Kids é uma rede de franquias especializada na produção de móveis e brinquedos infantis de madeira. O propósito da marca é propor uma paternidade e maternidade mais consciente, afetiva e humana. A empresa quer chegar ao fim de 2021 com 12 operações.

Investimento: a partir de R$147 mil

Faturamento mensal: R$130 mil (médio)

Tempo de retorno: 12 a 24 meses

Site: https://tkids.com.br/

Slide Portas

No mercado desde 2012, a Slide Portas é uma rede de franquias especializada em portas de correr embutidas na parede. A empresa, que conta com parque fabril próprio de 1.200m2, também oferece produtos como portas convencionais, pivotantes, camarão, de correr, fechaduras convencionais e digitais, puxadores, guarnições, painéis e outros.

Investimento: a partir de R$99 mil

Faturamento mensal: R$85 mil (médio)

Tempo de retorno: 7 meses

Site: https://marketing.goakira.com.br/slide-portas-expansao

Giralook

Criada em 2016, a Giralook é uma rede de franquias de brechós infantis. A empresa atua com a compra, venda, troca e higienização de peças para crianças, além de trabalhar com móveis e acessórios para o público infantil. No franchising desde 2020, a empresa conta com duas unidades em operação no Estado de Minas Gerais. Em 2021, o objetivo é abrir outras 20 lojas.

Investimento: a partir de R$140 mil

Faturamento: R$100 mil (médio)

Tempo de retorno: 14 a 18 meses

Site: http://bit.ly/3vtagER 

Biodontos

Com mais de 10 anos de excelência no mercado, a Biodontos é uma rede de franquias especializada em soluções para quem busca ter dentes e boca saudáveis. São mais de 10 tipos de tratamentos que vão de clareamento dental, implantes, ortodontia até mesmo serviços de estética corporal.

Investimento Inicial: R$ 168 mil

Taxa de franquia: R$ 10 mil

Tempo de retorno: 20 mesesSite: https://biodontos.goakira.com.br/

Plataforma chamada de ‘Tinder’ da construção civil cresce 90%

Wanderson Leite, fundador da ferramenta (Divulgação)

A Prospecta Obras, startup que conecta quem está construindo aos profissionais e fornecedores da construção civil, cresceu 90% no ano passado, se comparado o faturamento de 2019. “Por meio da tecnologia, a empresa se propõe a ser uma espécie de “Tinder” do segmento”, diz nota à imprensa. São mais de 750 mil obras catalogadas e um faturamento de R$ 3,5 milhões em 2020. 

A inspiração para o negócio surgiu quando, em 2008, o fundador, Wanderson Leite, começou a trabalhar em uma loja de móveis planejados, tendo o desafio diário de atrair novos clientes.

“Ali, percebi que tinha algo errado. Nós não deveríamos ficar apenas esperando o cliente aparecer. O mais óbvio seria ir até eles, onde quer que eles estivessem”, conta no comunicado. A dificuldade era descobrir onde estavam esses potenciais clientes. 

Foi então que ele começou a desenvolver um sistema de captação, capaz de mapear todas as obras em andamento em uma determinada região. Usando um software de gestão e geolocalização, ele reuniu todas as informações em um só lugar, de forma a serem facilmente acessadas pelos vendedores, 24 horas por dia, sete dias na semana, pela nuvem, sem sair da loja. Em pouco tempo, seu novo sistema havia se tornado uma poderosa ferramenta, levando as lojas a aumentarem as vendas em até 300%. 

Com o isolamento social, esses resultados cresceram ainda mais.

“Cerca de 70% dos nossos clientes não tinham presença digital. Então, começamos a nos organizar para ajudar, principalmente os lojistas, a entenderem a importância de ter um site, perfis nas redes sociais e outras formas de contato online para fazer negócios”, explica Wanderson. Com isso, a Prospecta Obras potencializou os resultados dos clientes e conseguiu manter os seus 246 colaboradores empregados, informa o documento. 

A empresa direciona o crescimento para o setor de franquias e conta com 73 unidades. “Embora seja uma plataforma tecnológica, entendemos a importância do relacionamento humano. No modelo de franquias, conseguimos deixar o cliente mais próximo”, argumenta. 

Sobre a franquia: 

  • Formato: Home-office 
  • Taxa de franquia: R$ 50 mil 
  • Lucratividade: 75% 
  • Payback: 6 meses 
  • Royalties: 10% 

Jovem supera câncer, adia reforma da casa e vira empresária

Diãnafa Andrade Silva, franqueada da Mais Top Estética (Divulgação)

Em julho, a administradora Diãnafa Andrade Silva, 28 anos, decidiu que era hora de apostar em seu próprio negócio. Em pleno auge da pandemia de Covid-19 no Brasil, ela e o companheiro adiaram a ideia de reforma da casa, que custaria em torno de R$ 20 mil, venderam o carro e investiram R$ 58 mil em uma franquia Home Care da Mais Top Estética, em Fortaleza.

O modelo, segundo a rede, oferece aos franqueados equipamentos e suporte para a prestação de serviços de estética em domicílio. Mas Diãnafa e o namorado, Monolidis Efstratios, optaram pela abertura de uma clínica, tendo como base os equipamentos portáteis usados no Home Care. No primeiro mês de operação, mesmo com as portas fechadas devido à pandemia – o período foi dedicado a marketing digital, vendas e agendamentos de atendimentos futuros –, o casal faturou R$ 7 mil.

Em 21 de outubro, Diãnafa e Monolidis finalmente abriram a clínica e, mesmo com poucos dias em operação, encerraram o mês com faturamento de R$ 24 mil. Já em novembro, a receita mais do que dobrou, chegando a R$ 52 mil. “Já estamos com duas salas de procedimento”, celebra a administradora em nota da rede, que precisou contratar 2 funcionários para auxiliar nos atendimentos. “Nossa meta é abrir outra. Por isso, estamos aumentando nossa equipe”.

Vencendo um câncer

A abertura do negócio próprio e a realização do antigo sonho marcaram uma virada positiva na vida de Diãnafa. Em abril de 2018, a administradora trabalhava em uma empresa de consultoria e mentoria, quando descobriu um câncer na região posterior da coxa esquerda. “No banho, senti um nódulo na coxa, me desesperei e fui correndo para o médico”, conta. “Fiz os exames, e o diagnóstico indicou que eu estava com um lipoma (tumor benigno) de três centímetros de diâmetro”, contou em comunicado da franqueadora.

Diãnafa, no entanto, temia que o diagnóstico pudesse estar errado, uma vez que havia em sua família um histórico de casos de câncer – vários parentes morreram vítimas da doença.  “O médico dizia que não havia como o nódulo se tornar um câncer e me pediu para continuar fazendo os tratamentos propostos”, narra a jovem. “Mas o lipoma cresceu e, após uma cirurgia para retirá-lo, descobri que na verdade estava com um lipossarcoma, um tipo de tumor que afeta partes mais moles do corpo, como os músculos e a pele. Pensei que eu seria a próxima a morrer”.

Na cirurgia para retirada do câncer, os médicos iriam extirpar todos os tecidos que estivessem em contato com o tumor. “O problema era que, se o tumor estivesse na região da artéria, eles teriam que amputar a minha perna. Perguntei se, mesmo sem a perna, eu poderia ser mãe. O doutor disse que sim. Então, criei coragem para a cirurgia”, lembra Diãnafa. “Quando acordei, antes mesmo de abrir os olhos, coloquei a mão na perna, e ela ainda estava lá”.

Foco em objetivos pessoais

Enfrentar – e derrotar – um câncer fez com que Diãnafa repensasse o que vinha fazendo de sua vida. Casada desde 2014, ela estava infeliz com o relacionamento. Enquanto o marido desejava que ela seguisse como dona de casa e abandonasse seus objetivos profissionais, a administradora queria realizar seus sonhos, entre eles o de tornar-se empresária. Assim, o primeiro passo para conseguir avançar em direção aos seus planos foi pedir o divórcio, em meados de 2018.

A jovem, que na infância praticava vários esportes – vôlei, basquete, handebol e futsal – como forma de lutar contra o sobrepeso que tinha na época, havia abandonado tudo após o casamento. “Com a cirurgia, decidi me cuidar mais e prestar mais atenção em mim mesma, nos meus sonhos e objetivos”, diz Diãnafa. “E voltei a praticar esportes novamente”.

Nesta época, a administradora conheceu o atual namorado, de origem grega. E uma delicada coincidência contribuiu para reforçar a ligação do casal: assim como Diãnafa, a mãe de Monolidis também estava com câncer, e a jovem esteve ao lado do namorado e da sogra até que esta voltasse para casa após um período hospitalizada. Quando as coisas serenaram, o próprio Grego – apelido de Monolidis – acabaria sendo o maior incentivador de Diãnafa. “Ele pediu para que eu fosse atrás dos meus seus sonhos, ou seja, abrir meu próprio negócio”.

A partir de então, a jovem começou a pesquisar segmentos promissores para investir. “Vi um anúncio da Mais Top Estética, me interessei e me cadastrei”, conta a administradora. “Em seguida, conheci a história do Caio e da Natália (fundadores da Mais Top) e achei parecida com a nossa. E me encantei pelo propósito do negócio, que é ajudar pessoas e transformar vidas”, afirmou em nota.

Avatim lança formato econômico de franquia de cosméticos

(Divulgação)

O Espaço Avatim, da marca brasileira de mesmo nome, é focado em cidades com menos de 100 mil habitantes e funciona como centro de distribuição e treinamento de revendedores. Com estrutura compacta, o espaço também atua como ponto de venda para o consumidor final.

O investimento, segundo a empresa, fica entre R$ 90 mil e R$ 140 mil.

“Esse projeto veio para oferecer ainda mais oportunidades de negócio e gerar capilaridade da marca no interior dos Estados”, explica o diretor comercial Victor Midlej.

O modelo é ideal para investidores de cidades onde ainda não há lojas Avatim, o que não exclui a possibilidade de abertura em cidades já ocupadas pelas franquias tradicionais da marca. Duas unidades do Espaço Avatim já foram inauguradas desde dezembro. Uma na Bahia, no município de Itamaraju, e outra em Marechal Cândido Rondon, interior do Paraná. Até o fim do mês, a capital Manaus também ganhará uma unidade.

Sobre a Avatim

Com fábrica em Ilhéus, no Sul da Bahia, a Avatim busca inspiração na biodiversidade brasileira para desenvolver os mais de 400 produtos do seu portfólio. Pioneira no mercado de aromatização de ambientes, a marca combina suas essências em linhas de cuidados pessoais e para a casa. São difusores, perfumes para interiores, hidratantes, esfoliantes, sabonetes, colônias, dentre outros produtos voltados para o bem-estar, todos feitos sem uso de testes em animais, nem derivados do petróleo.  Atualmente, a Avatim tem mais de 150 lojas em 24 capitais e interior do Brasil, além de uma rede com mais de 1.000 revendedores e distribuidores.

Para evitar filas, empresário cria totem para serviços bancários

(Divulgação)

O tempo gasto em filas de bancos e lotéricas sempre irritou o empresário Antônio Brizoti Junior, que resolveu transformar sua impaciência em negócio. A empresa quer tornar mais fácil o acesso aos serviços bancários por parte das classes C e D.    

“Queríamos oferecer uma solução para facilitar a vida das pessoas, mas queríamos ir além do que o mercado financeiro já oferece, foi então que decidimos sair às ruas e conversar com as pessoas nas filas para saber os serviços que mais buscavam e identificar exatamente qual a carência do mercado”, explica Brizoti em comunicado à imprensa.

Por meio de totens de autoatendimento, a Parça oferece aos usuários funções como, pagamento de boletos e contas de consumo, tributos municipais, estaduais e federais, consulta de CPF e CNPJ, recarga de celular e verificação veicular completa. Tudo de modo simples e com um tempo de até um minuto para realização de cada operação. E empresa cobra uma taxa de serviço de R$3 para efetuação de cada serviço. 

Existe também a possibilidade de parcelamento de contas e boletos em até 12 vezes com o uso de até quatro cartões de crédito contratados no próprio totem. A opção é uma alternativa para o pagamento de contas daqueles que nem sempre possuem recursos integrais na data de vencimento.

Com menos de seis meses de atuação, segundo o comunicado, Parça está presente em cinco regiões do país e espera movimentar mais de R$ 20 milhões este ano. A fintech opera no modelo de franquia, apontado por Brizoti como ideal para o êxito do empreendimento.

“O franqueado não é um funcionário, ele é um empreendedor, ele é dono de seu negócio e está em sintonia com a franqueadora”, diz Brizoti.

Parça espera fechar mais de 140 contratos com franqueados em todo o Brasil até o ano que vem e movimentar mais de R$100 milhões em todos os totens.

Franquias ampliam o delivery para faturar na pandemia

Uma pesquisa de Food Service realizada pela Associação Brasileira de Franchising (ABF), em parceria com a consultoria Galunion, aponta que, em agosto, o delivery dobrou sua participação no faturamento das redes entrevistadas, passando de 18% para 36%. Também cresceu a captura mista de pedidos (uso de canais próprios e marketplaces), que saltou de 45% (antes da pandemia) para 73%.

Outros movimentos importantes detectados foram a criação de novos canais/formas de venda, incluindo as cozinhas virtuais (dark kitchens), ajustes no cardápio/oferta de produtos e a digitalização nas interações com o consumidor. A pesquisa teve a participação de 85 marcas, representando R$ 20,6 bilhões e cerca de 15 mil unidades em todo o País.

O delivery foi alternativa de muitos restaurantes para manter o faturamento durante a pandemia. Mas, apesar do fechamento de algumas unidades, outras oportunidades de negócios surgiram derivadas da entrega dos pedidos em casa.

Água Doce Sabores do Brasil (Divulgação)

É o caso da rede de franquias Água Doce Sabores do Brasil, que enxergou no estoque de bebidas das unidades uma utilidade para faturar, além da venda de pratos. Em comunicado, o diretor de franquias da rede, Julio Bertolucci, disse que o chamado delivery de bebidas incrementou em 40% o faturamento das 80 unidades da marca. 

“Em parceria com os nossos fornecedores conseguimos articular preços competitivos no mercado e passamos a ser mini distribuidores locais de bebidas. O sucesso se deu porque, além de promover valores que competem com outros estabelecimentos, oferecemos drinks que colaboram para a experiência de consumo dos clientes”, comenta Julio.

Divino Fogão (Divulgação)

Na rede Divino Fogão não foi diferente, segundo a comunicado. Com todas as unidades localizadas dentro de shopping centers, o delivery – que antes era um agregador – se tornou uma parte importante para as unidades. São mais de 170 unidades espalhadas pelo Brasil e as entregas em domicílio cresceram de 600% durante a pandemia.

A procura pelo serviço permitiu que a franquia visualizasse uma oportunidade de negócio para ampliar o acesso dos consumidores aos pratos que são referência dentro do Divino Fogão. Com foco total no delivery, a rede lançou o projeto de Dark Kitchen, cozinhas invisíveis que atuam como parceiros na preparação e entrega dos produtos.

“A pandemia permitiu enxergar um gargalo que antes não era possível. Com o projeto, buscaremos parceiros com experiência em alimentação, como hotéis e lanchonetes, que tenham espaço físico e tempo ocioso das cozinhas para se dedicarem à produção de pratos exclusivos do Divino Fogão para delivery. Isto irá permitir a ampliação do raio de alcance das entregas, além de contribuir para que o licenciado rentabilize seu negócio, especialmente neste momento em que se ensaia uma retomada da economia. Até o final de 2021, a nossa expectativa é chegar a 600 cozinhas”, comenta Reinaldo Varela, fundador da rede conhecida pela comida típica de fazenda.

Mr. Cheney (Divulgação)

Mr. Cheney, rede de cookies tipicamente americanos, possui cerca de 95% de suas operações em shoppings. Com a obrigatoriedade do isolamento social, a rede teve que acelerar o projeto do primeiro e-commerce da marca e da plataforma própria de delivery.

“Da noite para o dia, o faturamento das 75 unidades caiu drasticamente por conta do fechamento dos shoppings. O delivery foi a única saída para muitos franqueados. Estávamos estruturando a loja on-line desde 2019, mas a pandemia acelerou a nossa estratégia”, explica Lindolfo Paiva, sócio fundador do Mr. Cheney via nota distribuída à imprensa.

Ainda segundo Paiva, no ano passado, a média de participação das vendas on-lineda rede era de 5% e, com o atual cenário, passou a ser de 26% no último trimestre, o que representa um crescimento de 422%.

“Tivemos que nos adaptar de uma forma rápida, justamente para minimizar os impactos do outro lado da ponta. Como a digitalização já era uma realidade para nós, só apertamos o start e oferecemos os devidos treinamentos aos lojistas. A evolução foi muito positiva e os nossos clientes receptivos com a novidade”, explica o executivo da rede que conta com um aplicativo próprio de entregas.

Franquia de bares amplia negócio de olho no consumo em casa

(Rafael Jorge/Divulgação)

A rede de bares e restaurantes Espetto Carioca, conhecida pela variedade de espetos que incluem mais de 30 opções entre carne, frango, cortes premiuns e até sabores vegetarianos e veganos, inaugurou recentemente o frigorífico próprio e, com ele, passará a produzir os packs in natura, que podem ser consumidos em casa. Os pacotes, com cinco ou dez unidades, estão disponíveis nos sabores que vão desde os mais clássicos, como carne, frango, linguiça, coração e suíno, até os mais elaborados, como picanha, cordeiro e mignon. Todos acompanham tempero da casa e prontos para assar.

O produto, que é carro-chefe da rede e estampa o nome da marca, já podia ser encontrado in natura nas unidades franqueadas, mas em embalagens com 10 unidades. A mudança, que vem agora com o novo frigorífico, é uma estratégia do grupo para de olho no consumo em casa.

“Esse lançamento ocorre agora porque entendemos que, para uma reunião familiar, 10 unidades do mesmo sabor é muito. Com cinco, é possível variar a carne, o que é, sem dúvida, melhor para um encontro de descontração e alegria, como todo churrasco deve ser”, afirma Leandro Souza, CEO da franquia.

Os packs poderão ser encontrados em todas as mais de 30 unidades franqueadas, além das plataformas de delivery, como Ifood. A meta é, ainda, disponibilizar em supermercados, com a marca Carioca Foods, nome do frigorífico do grupo. Os preços dos espetos são a partir de R$ 39,90 por kg, com exceção do pão de alho, que sai por R$ 17,95.

Sobre o Espetto Carioca

O Espetto Carioca é uma rede de bares e restaurantes criada em 2011, na zona oeste do Rio de Janeiro, pelo empresário Leandro Souza. No ano de 2012 entrou para o franchising e, atualmente conta com mais de 30 unidades espalhadas pelos estados de São Paulo, Bahia, Ceará, Rio Grande do Sul e, obviamente, Rio de Janeiro. Filho de empregada doméstica e de um porteiro, Leandro Souza, que já foi considerado o “Rei dos Espetinhos” na capital fluminense, segundo a marca, hoje espalha o lifestyle carioca pelo país através de uma rede que oferece mais de 1000 combinações de pratos, bebidas e sobremesas.

*Com informações da AI

Franquia de segurança amplia atuação e chega ao Amapá

(Léo Barrilari/Divulgação)

SuperSeg Brasil, franquia especializada em segurança eletrônica, expandiu sua presença pelo país. Agora, serão 29 operações espalhadas por seis estados. A nova loja, que abrirá as portas no próximo dia 10 de outubro, está localizada na cidade de Macapá, capital do Amapá. Agora, serão duas unidades na região Norte do Brasil.   

O estabelecimento será dirigido por Dineusa Rodrigues Nascimento Araújo e Jadriano Braga de Araújo, 43 anos, formado em tecnologia de redes de computadores e também é técnico em eletrotécnica, ele trabalhava no setor público. “Atuava como fiscal de projetos, obras e serviços de engenharia na área elétrica e eletrônica”, disse.

Para realizar o sonho do negócio próprio, o empreendedor revela que fez uma série de pesquisas em sites especializados na área de franquia. Isso lhe rendeu um conhecimento sobre diversas novas marcas, mas a SuperSeg Brasil foi a que mais chamou atenção de Jadriano para iniciar essa nova etapa profissional.  

“O modelo de negócio, entre todas as que eu encontrei, foi a que mais se encaixava com aquilo que eu desejava para mim. Com isso, resolvi investir e as expectativas para os próximos meses são as melhores possíveis”, destacou.

O crescimento da franquia é guiado pelo setor que está em ascensão. Segundo a Associação Brasileira das Empresas de Sistemas Eletrônicos de Segurança (Abese), o mercado cresce em média 8% ao ano, mas em 2019, chegou aos dois dígitos e registrou um aumento de 10%, com um faturamento bruto de mais de R$ 7 bilhões.

A franquia                                                                                                                                                   

Evandro Machado, executivo de marketing e web da SuperSeg Brasil, destaca que a franqueadora oferece soluções para os parceiros que vão além da loja física e isso facilita o início da nova operação. Cada unidade já inicia as atividades com o site em funcionamento, por lá os clientes também podem realizar compras e conhecer os serviços.  

“Proporcionamos ao nosso franqueado uma agência de publicidade que temos e que atua o tempo inteiro para promover o nome da marca nas cidades. Atualmente nossas ferramentas geram mais de 1.000 leads mensalmente através de nossos portais”, contou.

Para o especialista em segurança eletrônica da SuperSeg Brasil, Heverton Guimarães, o mercado seguirá em expansão nos próximos anos, já que os equipamentos de monitoramento estão cada vez mais acessíveis.

“Hoje em dia, colocar um sistema de segurança em casa não é mais algo para os mais ricos. Em nossas lojas, por exemplo, nós temos equipamentos a partir de R$ 200”, afirmou.

*Com informações da AI