Aeroporto testa reconhecimento facial para identificar passageiros

(Gol Linhas Aéreas/Divulgação)

Já está funcionando no Aeroporto de Salvador um projeto piloto chamado Embarque + Seguro, que dispensa o uso de documento de identificação, pelos passageiros, na hora do embarque. A identificação é feita por meio de reconhecimento facial e por identificação biométrica.

A tecnologia está sendo testada inicialmente com passageiros voluntários da companhia aérea GOL. “No momento do check-in no aeroporto, é feita a validação biométrica do passageiro, comparando os dados e foto tirada na hora, com a base do governo e a vinculação ao cartão de embarque. Para entrar na aeronave, o embarque ocorre por meio de identificação facial por biometria, sem a necessidade de apresentar qualquer documento”, informou por meio de nota o Ministério da Infraestrutura.

O banco de dados usado para validação das informações das pessoas agrega a base de dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), bem como das CNHs (Carteira Nacional de Habilitação) do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran). “Na prática, isso significa que não só os motoristas, mas também todos os eleitores que fizeram o cadastramento biométrico no TSE, poderão usufruir das facilidades da validação biométrica para viajar. Ao todo, são 67 milhões de CNHs e 120 milhões de eleitores cadastrados”, diz a nota do ministério ao informar que “em breve” outras bases governamentais serão utilizadas para ampliar o universo de dados.

De acordo com a pasta, a tecnologia adotada foi desenvolvida por meio de uma parceria com o Serpro, que é a empresa de inteligência em Tecnologia da Informação do governo federal, com o objetivo de tornar “mais eficiente o processo de embarque nos aeroportos e mais seguras as viagens aéreas”.

A tecnologia de reconhecimento facial para a identificação do passageiro e embarque automático já era oferecida no mercado. “O que não existia, até o momento, era um sistema nacional unificado que possibilitasse checar e validar, com rapidez e segurança, a identidade do passageiro a partir do cruzamento com diferentes bases de dados governamentais”, acrescenta o ministério.

Por Pedro Peduzzi, da Agência Brasil 

Profissionais de saúde são homenageados em voo; assista

Profissionais são aplaudidos por passageiros do voo (Reprodução)

Profissionais de saúde que seguiam para atender pacientes de Covid-19 em Manaus, no Amazonas, foram surpreendidos por uma homenagem durante o vôo (Veja o vídeo abaixo). O Comandante da aeronave pediu a atenção dos passageiros e anunciou o nome de cada um, antes de pedir para que ficassem em pé.

“Todas as pessoas que ficaram de pé são profissionais da saúde. Neste momento, cada um deles está deixando sua família em casa, mudando de cidade e embarcando em uma missão honrosa”, disse o piloto.

O comandante se referia ao trabalho realizado por profissionais de saúde no Amazonas, onde o Coronavírus já infectou 7.242 pessoas, segundo dados oficiais do Ministério da Saúde. O Estado contabiliza até esta segunda-feira (4), 584 mortes.

“Esses brasileiros são heróis anônimos que trocaram a capa por jaleco e, assim como nos filmes, merecem os créditos por tanta dedicação. Por isso, pedimos uma grande salva de palmas”.

Os profissionais homenageados fazem parte de uma grupo de 267 agentes contratados pelo Ministério da Saúde para atuar nos hospitais do Estado. O ministro Nelson Teich esteve ontem (4) na capital Amazonense.

Gol anuncia cancelamento das operações internacionais

(Reprodução)

A Gol vai cancelar todas as operações internacionais até o fim de junho, segundo informou hoje a Agência Reuters, publicada pela Agência Brasil. A medida, anunciada hoje (17) pela companhia aérea, inclui voos para a América do Sul, Estados Unidos e México.

O Coronavírus é o pano de fundo desta decisão, que exigiu da empresa rever as operações diante da demanda por transporte aéreo ter sido afetada pela expansão do vírus no mundo. Segundo a Reuters, a empresa cita ainda as restrições impostas por países.

Os últimos voos previstos do Rio de Janeiro para Córdoba e Rosário vão ocorrer dia 22 de março. No caso dos Estados Unidos, dia 20 partirão de Brasília e Fortaleza para Orlando os últimos voos. Esta também é a data da última partida para o México.

*Com informações da Reuters, via Agência Brasil

Governo e aéreas se reúnem em Fórum de aviação

(Rafael Neddermeyer/Fotos Públicas/Reprodução)


O governo brasileiro vai aproveitar o Fórum de Lideranças do Setor Aéreo da América Latina e Caribe, que ocorre até amanhã (29), em Brasília, para se reunir com companhias aéreas da região visando promover e estimular a atuação no mercado brasileiro, atualmente dominado por três agentes: Latam, Gol e Azul. O encontro é considerado o maior evento sobre aviação do continente e reúne autoridades e executivos da área.

Segundo o secretário nacional de Aviação do Ministério da Infraestrutura, Ronei Glanzmann, representantes do Executivo vão apresentar o mercado brasileiro sob as novas regras. Na lista de encontros estão empresas como Volaris, do México, Jetblue, dos Estados Unidos, e Sky, do Chile. As reuniões fazem parte das ações do governo para estimular a entrada de novos agentes econômicos no setor.

Sky é uma das empresas de baixo custo que opera no Brasil (Reprodução)

“Estamos trabalhando fortemente com elas. Primeiro, ao apresentar o mercado brasileiro. Segundo, ao desburocratizar o processo de abertura dessas empesas no Brasil. O grupo Globália conseguiu um contrato de concessão em menos 15 dias. O último, da Azul, levou mais de um ano. Agora eles estão passando por processo de certificação”, disse o secretário nacional.

Uma das iniciativas adotadas neste ano neste sentido foi a polêmica cobrança por bagagens. A isenção desse custo foi incluída na lei decorrente da Medida Provisória 863, mas foi vetada pelo presidente Jair Bolsonaro. Em sessão tensa, o Congresso votou pela revogação do veto, mas não atingiu o quórum necessário.

O governo argumentou que a medida era necessária para atrair novas empresas. Na ocasião, o ministro do Turismo, Marcelo Antônio, declarou que a permissão para cobrança por despacho de mala era “fundamental” para que o país conseguisse atrair cada vez mais empresas low cost [companhias aéreas de baixo custo] e também outras empresas que queiram operar no espaço aéreo brasileiro”.

Em agosto, com a vigência da regra de cobrança, a Agência Nacional de Aviação (Anac) informou que a companhia de baixo custo JetSmart, controlada por um fundo sediado nos Estados Unidos Indigo Partners, entrou com solicitação para atuar no país.

No Fórum de Lideranças do Setor Aéreo da América Latina e Caribe, Ronei Glanzman afirmou a jornalistas que o conceito de low cost é aberto e que o intuito é trazer novas firmas estrangeiras para concorrer no país.

Desafios

Além da ampliação da concorrência, representantes de associações do setor mostraram, em conferência de imprensa no Fórum da Alta, que existem outros desafios. O presidente da Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear), Eduardo Sanovicz, destacou a relevância de reduzir os gastos com combustível. Ele informou que já foram feitos acordos com governos de 17 estados tratando da diminuição do Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Servios (ICMS). Em São Paulo e no Distrito Federal, exemplificou, a taxa foi de 25% para 12%. Em troca, as companhias aéreas ampliaram as rotas saindo desses estados.

Sanovicz acrescentou que outro desafio está na infraestrutura aeroportuária. Ele elogiou as concessões de diversas unidades nos últimos anos e citou como iniciativas importantes as concessões dos aeroportos de Congonhas, em São Paulo, e Santos Dumont, no Rio de Janeiro. O presidente da Alta, Luís Felipe de Oliveira, também elogiou o processo. “Concessão no Brasil passou por rodadas diferentes. Houve debate do setor com governo, que escutou a indústria. E nessa última rodada foi melhor. Tivemos oportunidade de aperfeiçoar processos”, afirmou.

*Com informações de Jonas Valente, da Agência Brasil

https://spagora.com.br/interior-tera-18-novos-voos-diarios-para-congonhas/

Voos de SP para Franca e Barretos começam este mês

(Reprodução)


A Gol começou a vender as passagens aéreas para cidades de Barretos e Franca, no interior de São Paulo, partindo do Aeroporto de Congonhas. Os voos, comandados pela Twoflex, começam a operar a partir de 28 de outubro, segundo o Departamento Aeroviária do Estado de São Paulo (Daesp).

De acordo com o Diretor-Superintendente do Departamento, Antonio Claret de Oliveira, os objetivos são estimular e ampliar o número de voos entre os municípios, criando conexões e facilitando o desenvolvimento regional.

“Vamos aumentar a conectividade entre as cidades e potencializar o turismo no interior. Os voos com aeronaves menores têm, entre as suas vantagens, as economias de tempo e de dinheiro para a população”, afirmou Claret.

O plano prevê o uso de aviões de pequeno porte como alternativa para acelerar a disponibilidade de voos até que todos os aeroportos estejam prontos, com todas as adequações necessárias, para receber também as aeronaves maiores.

Desta forma, o Daesp já iniciou as ações necessárias para a revitalização desses aeroportos. Em Barretos, o edital para a contratação dos serviços de reparo do sistema de pista e pátio das aeronaves foi publicado em 25 de setembro, com investimento previsto de R$ 3,3 milhões. A abertura do envelope está prevista para a próxima sexta-feira (11).

Além disso, em breve serão publicados os editais para o restante das obras, que inclui reforma do terminal de passageiros e revitalização do balizamento noturno. No total, o Daesp prevê investimento de R$ 5 milhões.

No aeroporto de Franca, já estão em andamento também as obras necessárias de revitalização e reforma. Essas ações são resultado da iniciativa do Governo paulista de reduzir a cobrança de ICMS para as empresas aéreas, as quais, em contrapartida se comprometeram a abastecer suas aeronaves em São Paulo (recolhendo assim o imposto para o Estado) e também a ligar seis novos destinos regionais com voos regulares à capital e a aeroportos de outros Estados.

Além de Franca, integram essa iniciativa as cidades de São Carlos, Barretos, Votuporanga e Araraquara.

Desestatização

Além de melhorar a utilização dos seus 21 aeroportos, o Daesp realiza também estudos para definir o modelo mais eficiente de gestão e funcionamento – se privatização, concessão ou Parceria Público-Privada (PPP).

A previsão é que os estudos sejam finalizados em novembro. Executivos e técnicos da IOS Partners, consultoria internacional contratada para fazer este levantamento, e equipes do Daesp vistoriaram todos os aeroportos nos meses de junho e julho. Todo o processo de desestatização dos aeroportos estaduais será concluído no primeiro trimestre de 2020.

O Daesp acredita que o capital privado vai ampliar a capacidade dos aeroportos, aumentando a oferta de voos e, consequentemente, criando as condições para o desenvolvimento econômico e social dos municípios, com atração de mais de empregos e mais renda para todos os brasileiros.

*com informações do Governo do Estado de SP

Passageiro poderá optar por dias em SP durante escala

Governador João Doria ao lado do Presidente da Gol Linhas Aéreas, Paulo Kakinoff (à direita), e do secretário de turismo, Vinicius Lummertz (à esquerda) (Governo do Estado de São Paulo/Flickr)

O Governo de São Paulo anunciou, hoje (21), no Palácio dos Bandeirantes, o serviço de stopover, iniciativa inédita na aviação no Brasil.

O passageiro que desejar fazer uma parada intermediária, sendo São Paulo o ponto de conexão entre os voos, poderá permanecer no Estado, sem custo adicional, por até duas noites, a partir desta quarta-feira (21). O benefício inclui os aeroportos de Congonhas, Viracopos e Guarulhos.

“É uma forma de incentivar o turismo, aumentar a geração de receita para a capital e o Estado, colocando o Brasil e São Paulo no contexto internacional”, ressaltou o governador João Doria.

O objetivo é incentivar o viajante a conhecer mais das cidades onde faz escala.

“Estar ao lado do Governo de São Paulo nessa iniciativa inédita também reforça nosso objetivo de proporcionar o melhor serviço e experiência para nossos clientes”, destacou Paulo Kakinoff, presidente da Gol Linhas Aéreas.

Inicialmente, apenas a Gol vai implantar o programa.

Regras do stopover

– Válido para reservas envolvendo voos domésticos ou internacionais operados pela Gol Linhas Aéreas;
– Serviço disponível nos canais de venda da companhia;
– No ponto de stopover, será permitido envolver somente um aeroporto. Portanto, se o passageiro desembarcar em Congonhas, deverá prosseguir a viagem reembarcando pelo mesmo aeroporto;
– Será permitido apenas um stopover, na ida ou na volta, por passageiro e por reserva;
– Tempo mínimo: a parada tem de durar pelo menos 12 horas e o cliente deve pernoitar na cidade, embarcando no dia seguinte;
– Tempo máximo: duas noites, a partir do momento de desembarque no aeroporto de conexão.

Programa

Lançado em 5 de fevereiro deste ano, o programa “São Paulo Pra Todos” reduziu a alíquota do ICMS que incide sobre o querosene de aviação em São Paulo (QAV), de 25% para 12%. Trata-se de uma reivindicação antiga das companhias aéreas.

Segundo estudos do setor, o preço do combustível representa em torno de 40% do custo operacional total das empresas. Com a redução do ICMS cobrado sobre o combustível aéreo, o Governo Paulista pediu contrapartidas para aumentar o fluxo de pousos e decolagens dentro do Estado, principalmente em cidades que ainda não eram atendidas por linhas comerciais regulares.

O regulamento prevê, ainda, que as empresas operem voos para novas cidades paulistas e elevem para pelo menos 490 o número de partidas semanais no Estado de São Paulo, com destino a 38 municípios em 21 Estados.

Com a nova alíquota, a arrecadação prevista para 2019 sobre a comercialização de querosene aéreo cairá de R$ 627 milhões para R$ 422 milhões, mas a compensação total (direta, indireta, induzida e catalisada) representa uma previsão de ao menos R$ 316 milhões.  A estimativa é que 59 mil empregos sejam gerados nos próximos 18 meses a partir da desoneração, com previsão de R$ 1,4 bilhão em salários anualmente.

*Com informações do Governo do Estado de São Paulo

Aviação: Seis cidades paulistas terão voos regulares

Por Bruno Bocchini 

Os municípios paulistas de Araraquara, Barretos, Franca, Guarujá, São Carlos e Votuporanga passarão a receber voos comerciais regulares até o final do ano. Ao todo, para atender as seis cidades, serão 74 voos semanais operados pelas companhias Azul, Gol, Latam e Passaredo.

A criação dos novos destinos paulistas faz parte de um acordo entre as companhias aéreas e o governo de São Paulo no programa chamado São Paulo Pra Todos. A administração estadual reduziu, desde a última sexta-feira (19), a alíquota de ICMS sobre o combustível dos aviões de 25% para 12%. Em contrapartida, as empresas deverão acrescentar 490 novas partidas semanais no estado até o final do ano: 416 voos nacionais – para 21 estados e 38 destinos – e 74 dentro do próprio estado.

De acordo com a Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear), dos 490 novos voos, 269 já estão em operação e os demais serão operacionalizados até o início de 2020. “Com a nova alíquota, a arrecadação prevista para 2019 sobre a comercialização de querosene aéreo cairá de R$ 627 milhões para R$ 422 milhões, mas a compensação total – direta, indireta, induzida e catalisada – representa uma previsão de ao menos R$ 316 milhões”, destacou o governo do estado em nota. 

Segundo o Palácio dos Bandeirantes, a estimativa é que 59 mil empregos sejam gerados nos 18 meses seguintes a partir da desoneração, com previsão de R$ 1,4 bilhão em salários anualmente.