Por questões de segurança, Doria se muda para o Palácio dos Bandeirantes

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), anunciou nesta segunda-feira (29) que passará a morar temporariamente no Palácio dos Bandeirantes, no Morumbi, na Zona Sul da capital, por questões de segurança, após protestos e ameaças que vem sofrendo.

Desde o endurecimento das medidas do Plano São Paulo no enfrentamento contra a Covid-19, grupos protestam contra Doria. O estado está na fase emergencial da quarentena, que prevê regras mais rígidas do que a fase vermelha.

Na fase emergencial, ficam suspensas celebrações religiosas e esportivas coletivas e uso de praias e parques. Alguns setores e serviços, que tinham autorização para funcionar durante a fase vermelha, foram proibidos de operar, como lojas de materiais de construção, e a retirada presencial de mercadorias e alimentos nas lojas ficou vetada também.

“Meu desprezo por estes extremistas que ameaçam a mim, a minha família e ameaçam pessoas que defendem a vida. É uma decisão difícil, mas necessária nesse momento de muita intolerância ao pensamento contraditório, de belicismo verborrágico e de cegueira ideológica”, disse o governador em comunicado.

Doria disse ainda que o “negacionismo na pandemia deixou de ser um delírio das redes sociais, provocado pela paixão política, e está se tornando algo muito mais perigoso para a vida, a ciência e a democracia”.

O governo de São Paulo já tinha se manifestado contra os protestos em frente à casa do governador. “Ao se posicionar em favor da vida e da ciência, o Governador João Doria se tornou o alvo preferencial de bolsonaristas fanáticos que ignoram a catástrofe sanitária que acontece no país. O Governo de São Paulo não se intimida e continuará a tomar decisões para proteger e salvar vidas”.

Governadores pedem suspensão de voos internacionais

(Arquivo/Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)

O Consórcio do Nordeste, grupo dos governadores de Alagoas, Bahia, Ceará, Maranhão, Paraíba, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe, pediu ao ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, que suspenda imediatamente todos os voos com origem ou destino no Reino Unido, Dinamarca, Holanda e Austrália.

No ofício, divulgado nesta quarta-feira (23), mas enviado ontem (22) no fim do dia ao Ministério da Saúde, o grupo sugere ainda que o governo federal solicite quarentena “para todos os passageiros que vierem dos demais países europeus e que, durante o período de isolamento, façam exames RT-PCR”.

O pedido vem após uma nova mutação do novo coronavírus (covid-19) ser identificado no Reino Unido. “É com profunda preocupação que os governadores do Nordeste do Brasil recebemos a notícia de mutação do vírus causador da covid-19 e da possibilidade que suas variantes sejam mais contagiosas e mais letais“, diz o consórcio, em carta assinada pelo governador Wellington Dias (PT-PI), presidente do grupo.

Restrição

Embora não tenha, até o momento, decidido pela suspensão de voos como querem os governadores, o Ministério da Saúde informou que a partir da próxima quarta-feira (30) entrará em vigor a restrição de entrada, por rodovias, portos e aeroportos, no Brasil para estrangeiros de qualquer nacionalidade, de acordo com a Portaria 630/2020. Antes do embarque, os viajantes precisarão apresentar à companhia aérea um documento que comprove o resultado não detectável de teste laboratorial (RT-PCR) para a covid-19.

Diante dessa nova variante do coronavírus, o ministério também colocou em prática um novo protocolo para chegada de pessoas vindas do Reino Unido. As orientações emergenciais trazem medidas de monitoramento e rastreamento de contatos de passageiros e tripulantes que chegarem no Brasil por voos daquele país, ou que, recentemente, estiveram no país europeu.

“A ação articulada com os fiscais sanitários de portos, aeroportos e com a comunicação dos passageiros e tripulantes oriundos do Reino Unido, a Rede Nacional de Vigilância, Alerta e Resposta às Emergências em Saúde (Rede Cievs) atuará em contato com as vigilâncias locais para monitorar as condições de saúde e direcioná-los junto à atenção à saúde, bem como à vigilância sanitária, para adoção de medidas de prevenção e controle da covid-19”, informou a pasta.

Isolamento

Ainda para passageiros vindos do Reino Unido, a recomendação da pasta é o autoisolamento por, no mínimo, 10 dias. Já nos casos de síndrome respiratória aguda grave (SRAG) com confirmação por quaisquer critérios para a covid-19, a orientação é o isolamento, que pode ser suspenso após 20 dias do início dos sintomas ou após 10 dias com resultado RT-qPCR negativo, desde que o paciente passe 24 horas sem uso de medicamentos antitérmicos e tenha apresentado remissão dos sintomas respiratórios, mediante avaliação médica.

As pessoas encaminhadas para isolamento deverão continuar usando máscara e manter a etiqueta respiratória, sempre que for manter contato com outros moradores da residência, mesmo adotando o distanciamento social recomendado de pelo menos um metro. Nesse período, também é importante orientar ao paciente em isolamento, a limpeza e desinfecção das superfícies, conforme as recomendações da Anvisa.

Sem evidências

“Até o momento, não há evidências suficientes para determinar se a variante [do novo coronavírus] tem algum impacto na gravidade da doença, resposta de anticorpos, transmissão, desempenho de testes de diagnóstico ou eficácia da vacina”, ressaltou o Ministério da Saúde.

Por Karine Melo – Repórter Agência Brasil

João Doria, mulher e filhos são ameaçados de morte

Doria recebeu mensagens nas redes sociais e no próprio celular afirmando que a casa dele seria invadida(Divulgação)

A primeira-dama do Estado de São Paulo, Bia Doria, foi ameaçada de morte por meio de uma mensagem enviada por uma mulher no Instagram. O governador de SP, João Doria, encaminhou o caso ao serviço de inteligência da Polícia Civil.

Segundo o colunista Lauro Jardim, do O Globo, a mensagem ameaçava de morte Doria, Bia e os filhos do casal. Essa não é a primeira vez que a família do governador é ameaçada desde que a quarentena começou em São Paulo.

No fim de março, Doria recebeu mensagens nas redes sociais e no próprio celular afirmando que a casa dele seria invadida.

Ainda de acordo com O Globo, além da investigação que a polícia está fazendo, Doria pediu ao advogado Fernando José da Costa que impetrasse uma ação criminal contra a autora da mensagem.

*Com informações da Istoé

Morre ex-governador de São Paulo Alberto Goldman

Alberto Goldman morreu aos 81 anos (Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)

O ex-governador de São Paulo, Alberto Goldman (PSDB), morreu neste domingo (1), em São Paulo, onde estava internado desde o mês passado. O político tratava um câncer, segundo o portal UOL.

No site de Goldman, a trajetória dele é descrita assim: “Nascido em São Paulo, capital, formado em engenharia civil pela Escola Politécnica da USP e em piano pelo Conservatório Musical, ainda nos bancos escolares comecei a fazer política estudantil como militante do PCB. Em 1970 fui eleito deputado estadual pelo MDB para combater a ditadura e atuar pela redemocratização do nosso país. Desde então acumulo 40 anos de vida pública, com dois mandatos como deputado estadual, seis como deputado federal, além de ter ocupado três secretarias estaduais e o Ministério dos Transportes. Em 2006, fui eleito vice-governador de São Paulo ao lado de José Serra. E em abril de 2010, com sua candidatura à Presidência, tornei-me governador, cargo que exerci até 1 de janeiro de 2011.”

Alberto Goldman durante reunião da executiva nacional do PSDB, em Brasília, em 2017, ao lado do senador Tasso Jereissati (Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)

Reações

https://twitter.com/freire_roberto/status/1168212861266616322

Estado analisa parceria de indústria farmacêutica com USP e Butantan

João Doria ao lado de James Bradner, da Novartis, na Suíça (Facebook/Reprodução)


O Governador de São Paulo, João Doria, se reuniu com o Presidente do Instituto Novartis de Pesquisa Biomédicas, James Bradner, para discutir uma parceria da empresa com a Universidade de São Paulo (USP) e o Instituto Butantan, ligado à Secretaria de Estado da Saúde, na área de pesquisa. O encontro ocorreu durante o Fórum Econômico Mundial, em Davos, na Suíça.

“Nos últimos três anos a Novartis do Brasil teve um investimento de U$ 150 milhões em programas de pesquisa. Agora o objetivo é que o Governo de São Paulo, ao lado da Novartis, possa realizar um programa para os próximos 10 anos”, afirmou o Governador.



Doria e Bradner irão se encontrar novamente, desta vez no Brasil, para o desenvolvimento desta proposta.

Doria está no Fórum Econômico Mundial para atrair investimentos estrangeiros para São Paulo. Entre o portfólio disponível, estão parcerias com o setor privado para que o Instituto Butantan se torne o maior produtor mundial de vacinas.

O Governador está apresentando no Fórum todo o pacote de desestatização do Estado. O plano de privatizações do Governo de São Paulo é extenso e contempla desde aeroportos até novos trechos de rodovias e estradas férreas estaduais.

Entre elas está a concessão de 20 aeroportos para a iniciativa privada, de 139 km de linhas da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos), de 79 km do Metrô, de hidrovias, parques estaduais e o Trem Intercidades (TIC), com 135 km entre Capital, Jundiaí, Campinas e Americana.

Ex-governador do Espírito Santo é assassinado a tiros em Vitória

Polícia Civil procura suspeito. Motivação do crime é desconhecida(Foto:Divulgação)

O ex-governador do Espírito Santo, Gerson Camata (MDB), de 77 anos, foi assassinado a tiros na tarde desta quarta-feira (26), na Praia do Canto, em Vitória. A Secretaria de Segurança Pública do Espírito Santo informou que ele foi alvo de vários disparos e não resistiu aos ferimentos. A Polícia Civil está a procura do suspeito e ainda não se sabe a motivação do crime.

Formado em economia, Gerson Camata se destacou a partir de um programa de televisão, no Espírito Santo, nos anos de 1960. A partir daí, foi para a política, sendo eleito governador, senador e deputado federal.

Na Constituinte, Camata defendeu a limitação do direito de propriedade privada, o mandado de segurança coletivo, a jornada semanal de 40 horas, o aviso prévio proporcional, a unicidade sindical, o voto aos 16 anos, o presidencialismo, a limitação dos juros reais em 12% ao ano, o mandato de cinco anos para presidente e a criação de um fundo de apoio à reforma agrária.

Como parlamentar da Constituinte, ele se absteve das votações relativas ao turno ininterrupto de seis horas e à anistia aos micro e pequenos empresários.

Era casado com Rita Camata, ex-deputada federal por cinco mandatos, que foi relatora do Estatuto da Criança e do Adolescente e da Lei de Responsabilidade Fiscal. O ex-governador deixa dois filhos.

Doria se reúne com governadores às vésperas de encontro em Brasília

(Arquivo/Rovena Rosa/Agência Brasil)

Às vésperas da reunião de governadores em Brasília, o governador eleito de São Paulo, João Doria (PSDB) se reuniu com colegas eleitos e reeleitos para definir ações em áreas que despertam preocupação, como saúde e segurança pública, além de geração de empregos.

Em reuniões separadas, Doria conversou com os governadores do Amazonas, Wilson Lima (PSC), Rio Grande do Sul,  Eduardo Leite (PSDB), e de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja (PSDB).

“Estamos unidos para apoiar a agenda em prol do desenvolvimento do Brasil. Vamos trabalhar de forma integrada, objetivando o melhor para benefício da população dos nossos estados”, afirmou Doria em sua conta no Twitter.



Ao lado de Wilson Lima, Doria chamou o colega de “jovem governador” e o elogiou. Lima retribuiu, dizendo que o governador eleito de São Paulo era um “grande empreendedor”.

Anteriormente, em Brasília, Doria articulou o que denomina fórum de governadores, que ocorrerá amanhã (14), na capital federal, com os governadores eleitos do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), e do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC).

Nomeações

Doria está concluindo as nomeações da futura gestão. Ele escolheu três ministros do governo Michel Temer para integrar sua equipe. O ex-prefeito Gilberto Kassab vai assumir a Casa Civil, o ministro da Educação, Rossieli Soares, comandará a pasta estadual de mesmo nome, e o da Cultura, Sérgio Sá Leitão, será mantido na área  em São Paulo, que agregará Economia Criativa.

Nas redes sociais, o governador eleito de São Paulo fez elogios aos nomeados. “Não é o trabalho de uma pessoa, mas de uma equipe.”

Ontem (12), Doria nomeou a deputada estadual Célia Leão para a Secretaria da Pessoa com Deficiência, e Paulo Dimas, que integrou o Tribunal de Contas do Estado, para a Secretaria da Justiça.

No Twitter, Doria avisou que quer acabar com o que chama de “mordomias e regalias” já no próximo ano. “Estamos trabalhando duro na transição de governo para realizar um levantamento de todas as mordomias e regalias que deverão ser cortadas a partir de janeiro de 2019. Respeito total ao dinheiro público.”


Governadores eleitos discutem integração entre SP e RJ

Vinícius Lisboa/Agência Brasil

Os governadores eleitos do Rio de Janeiro e de São Paulo, Wilson Witzel (PSC) e João Dória (PSDB), se encontraram no último sábado (3) para discutir uma pauta integrada entre os dois estados.

A reunião foi em um hotel na capital paulista. Eles conversaram sobre turismo, infraestrutura, investimentos e segurança pública.



Em um vídeo divulgado nas redes sociais, Dória e Witzel falam que trataram de temas relacionados aos dois estados, de uma pauta de integração e de uma pauta nacional.

Os parâmetros acertados, segundo informaram, serão levados a outros governadores.

Sem dar detalhes, Witzel cita que o Brasil precisa de investimento em logística, trens e Metrô de superfície e diz que os dois governadores “falarão a mesma língua” sobre segurança pública.

Em quatro cidades paulistas, eleitor votará também para prefeito

Luiza Damé e Cristina Indio do Brasil/Agência Brasil

(José Cruz/ Agência Brasil)

Além de votar para presidente da República, os eleitores de 19 cidades irão às urnas, neste domingo (28), para escolher novos prefeitos devido ao afastamento dos vencedores em 2016. As eleições suplementares vão mobilizar o eleitorado de cinco municípios de Goiás, quatro de São Paulo, três do Rio de Janeiro, dois do Amazonas, um do Rio Grande do Sul, um de Santa Catarina, um do Mato Grosso, um do Ceará e um do Maranhão.

Localizada a 70 quilômetros de Brasília, no entorno do Distrito Federal, Planaltina é uma das cinco cidades onde haverá eleição para a prefeitura, no estado de Goiás. O Tribunal Regional Eleitoral cassou o registro da chapa eleita em 2016, formada por David Alves Teixeira Lima (Pros) e Maria Aparecida dos Santos (Pros), por compra de votos.

Segundo denúncia do Ministério Público Eleitoral, eles prometeram empregos em troca de votos, além de usar bens públicos para fazer propaganda eleitoral. Durante a campanha, Lima se reuniu com rodoviários desempregados, prometeu negociar a contratação de todos e pediu apoio dos trabalhadores. Uma gravação da reunião comprovou a denúncia.

Mangaratiba



Os eleitores de Mangaratiba, município da Costa Verde do Rio de Janeiro, também vão escolher o novo prefeito. Será o quarto a ocupar o posto desde 2016, quando Aarão de Moura Brito Neto (PPS) e o vice Renildo Rodrigues Brandão (PPS) venceram o pleito. A chapa foi cassada por abuso de poder praticado nas eleições de 2008, quando Aarão também tinha sido eleito para o cargo.

O então presidente da Câmara Municipal, Vitor Tenório dos Santos (PDT), assumiu interinamente a prefeitura, mas não ficou muito tempo no cargo. Ele foi denunciado por dispensa indevida de licitações e desvio de recursos públicos. Está foragido desde agosto. No momento, o vereador Carlos Alberto Ferreira Graçano (Pode) ocupa o cargo interinamente.

Para a professora de direito da Fundação Getúlio Vargas (FGV) Silvana Batini, o eleitor fica desestimulado com as trocas frequentes de prefeito. “Estamos em crise de credibilidade na classe política, mas, ao mesmo tempo, é muito melhor que o eleitor tenha possibilidade de escolher novamente do que fazer a escolha em uma eleição indireta pela Câmara dos Vereadores”, observou.

Ordem de votação



No estado do Rio de Janeiro, além de Mangaratiba, os eleitores vão escolher também os prefeitos de Aperibé e Laje do Muriaé. É distinta a situação dos eleitores das três cidades do Rio de Janeiro e das cinco de Goiás. No Rio, há segundo turno para governador, mas em Goiás – e também no Ceará e Maranhão – a disputa para o governo do estado foi resolvida no primeiro turno. Já em mais oito cidades onde haverá eleição municipal suplementar, localizadas no Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo e Amazonas, haverá segundo turno para governadores. 

Portanto, em Mangaratiba (RJ), Aperibé (RJ) e Laje do Muriaé (RJ),  Alpestre (RS), Vidal Ramos (SC), Araras (SP), Rincão (SP), Monte Azul Paulista (SP), Mongaguá (SP), Anamã (AM) e Novo Airão (AM), os eleitores vão seguir a seguinte ordem de votação: governador, presidente e prefeito. Para cada cargo, deverão digitar dois números.

Em Planalto da Serra (MT), Croatá (CE), Turvelândia (GO), Planaltina (GO), Davinópolis (GO), Divinópolis (GO), Serranópolis (GO) e Bacabal (MA), os eleitores vão escolher o presidente e o prefeito. Nesses estados, os governadores foram eleitos no primeiro turno.

Urnas



Segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), para permitir as diferentes votações, a Secretaria de Tecnologia da Informação desenvolveu o Programa de Múltiplas Eleições, que “permite a programação da urna eletrônica com composições que variam conforme as exigências de cada pleito”.

No primeiro turno, por exemplo, além da votação nacional – presidente da República, governadores, senadores, deputados federais, estaduais e distritais -, as urnas foram preparadas para a eleição do Conselho Distrital do Arquipélago de Fernando de Noronha (PE) e dos plebiscitos em Petrópolis (RJ), Fortaleza do Tabocão (TO) e Augusto Severo (RN).

Em Petrópolis, 68,7% dos votantes decidiram pelo fim do uso de tração animal em charretes que fazem passeios turísticos no centro histórico. Já em Fortaleza do Tabocão e Augusto Severo, os eleitores decidiram mudar os nomes das duas cidades. Com 74,83% dos votos, Fortaleza do Tabocão passará a se chamar somente Tabocão. Augusto Severo será Campo Grande, por vontade de 95,7% dos votantes.