BRT ABC ligará três cidades ao Metrô e à CPTM

BRT ABC será conectado ao Metrô e a CPTM (Divulgação)

O Governo do Estado de São Paulo apresentou, ontem (7), o projeto do BRT ABC, um sistema de transporte rápido que conectará com ônibus, via corredor exclusivo, os municípios de São Paulo, São Caetano do Sul, São Bernardo do Campo e Santo André. Serão investidos, exclusivamente pela iniciativa privada, um total de R$ 859 milhões no novo modal de transporte metropolitano que terá capacidade para transportar 115 mil pessoas por dia e permitirá avanços importantes em mobilidade urbana na região, segundo o Estado.

“Uma iniciativa que exigiu estudos, planejamento, análises, para permitir que com essa alternativa, com esse modal, oferecêssemos o menor tempo possível ao menor investimento viável e, principalmente, em um tempo reduzido de implantação”, destacou João Doria, governador do Estado.

O projeto do BRT ABC prevê 18 quilômetros de via expressa, com 20 paradas, três terminais e uma frota de 82 ônibus elétricos, com ar-condicionado, silenciosos e não poluentes, articulado, com 23 metros. O sistema de integração dos municípios da região do ABC com a capital fará o trajeto de ponta a ponta, do terminal São Bernardo ao Terminal Sacomã, na capital, em 40 minutos na modalidade expressa. Além do bilhete expresso que dará a opção do passageiro fazer menos paradas, haverá duas outras opções, tradicional e semiexpressa.

Lançamento BRT ABC
João Doria, governador de São Paulo, durante anúncio do BRT ABC (Divulgação)

A obra será iniciada após a conclusão do projeto executivo em andamento, com previsão de entrega e operação total em 2023. A empresa Metra será a responsável pela implantação e gerenciamento e terá direito a 25 anos de exploração da concessão. O sistema se conectará a CPTM, Metrô, Expresso Tiradentes, linhas da SPtrans e ao Corredor ABD. Na Estação Tamanduateí o passageiro terá a opção de acessar a Linha 2-Verde do Metro ou a Linha 10-Turquesa da CPTM, de lá o passageiro tem a opção de seguir até a estação Sacomã, integrando também ao Expresso Tiradentes.

Além de ser uma nova opção aos trabalhadores do ABC que se deslocam até a capital, o novo modal de transporte atenderá especialmente aos estudantes do Grande ABC. O BRT ABC passará pelo Instituto Mauá, Fundação Santo André, Fundação ABC entre outras universidades.

“O BRT ABC vai levar os passageiros de modo eficiente e absolutamente coerente com a demanda da região, de acordo com os estudos de origem-destino realizados. Todos o investimentos da implementação serão feitos pela iniciativa privado, fiscalizados pelo estado”, comentou o secretário dos Transportes Metropolitanos, Alexandre Baldy. “Esperamos que em 2022 tenhamos o BRT ABC operacional para a população”, pontuou Baldy.

Deslocamento rápido e seguro

O BRT ABC vai oferecer aos passageiros deslocamento rápido e seguro. Os ônibus irão se deslocar em faixas exclusivas, sem qualquer interferência de outros veículos ou do trânsito nas vias. Semáforos inteligentes serão capazes de identificar os ônibus do BRT ABC, priorizarão a abertura, fazendo com que não fiquem esperando parado no farol.

O conforto e a acessibilidade estão presentes em todo projeto. O piso será em nível da plataforma, facilitando o embarque e desembarque de passageiros; especialmente crianças, idosos e pessoas com deficiência. O pagamento da passagem será nas estações para evitar filas e diminuir o tempo de paradas.

*Com Gov. do Estado de SP

‘Não virei jacaré’: Doria é vacinado e manda indireta para Bolsonaro

O governador de São Paulo, João Doria, foi vacinado hoje (7) contra a covid-19. Aos 63 anos, Doria recebeu a primeira dose da vacina, aplicada pela primeira enfermeira vacinada do Brasil, Mônica Calazans.

Nas redes sociais, Doria postou foto na fila do posto de saúde ao lado da primeira-dama do Estado, Bia Dória, que também foi vacinada.

Na rede social, Doria disse que estava feliz por tomar a vacina e fez uma provocação aos apoiadores de Jair Bolsonaro, que costumam criticar o governador: “Muito feliz de estar vacinado. E o detalhe: de calça apertada”.

Segundo o cartão de vacinação apresentado, o governador recebeu a dose da Coronavac, fabricada no Brasil pelo Instituto Butantan. Logo após tomar a vacina, Dória fez outra publicação. Desta vez, em uma indireta a Bolsonaro, o governador tucano disse que não havia virado jacaré.

Estado amplia funcionamento de comércio e serviços

Em coletiva, nesta sexta-feira (6), o governador de São Paulo João Doria (PSDB) anunciou a prorrogação da fase de transição do Plano SP por mais duas semanas, até o próximo dia 23. O governo também ampliou o horário de funcionamento de restaurantes e do comércio em todo o estado.

Na nova etapa, que começa a valer a partir deste sábado (8), lojas, shoppings, restaurantes, salões de beleza, academias e outros estabelecimentos comerciais poderão operar das 6h às 21h – atualmente, o limite é até as 20h. A capacidade de ocupação também foi ampliada, de 25% para 30%.

Com os novos horários, o toque de recolher, que está vigente hoje das 20h às 5h, passa para das 21h às 5h. O objetivo da medida é diminuir a circulação de pessoas no período da noite.

Segundo o Centro de Contingência, a redução gradual de indicadores decasos, internações e mortes por Covid-19 no estado foi o que permitiu esta flexibilização.

“Temos que agir com responsabilidade e cautela, realizando uma abertura gradual e segura da nossa economia para evitar qualquer novo pico da pandemia em São Paulo”, disse Doria.

Veja a seguir o que muda com a nova etapa da fase de transição:

Por TV Cultura

Vacinação de grávidas, deficientes e pessoas com comorbidades começa na próxima semana em São Paulo

Vacinação de grávidas, deficientes e pessoas com comorbidades começa na próxima semana em São Paulo
Vacinação de grávidas, deficientes e pessoas com comorbidades começa na próxima semana em São Paulo
Calendário para grupos com comorbidade começa na semana que vem(Foto: Agamenon Gomes/SP AGORA)

A vacinação de gestantes, pessoas com deficiência e com comorbidades a partir da próxima semana foi anunciada pelo governador João Doria. O anúncio foi feito hoje (5) pelo governador João Doria em coletiva no Palácio dos Bandeirantes.

Vacinação

A vacinação de gestantes e puérperas com comorbidades, acima dos 18 anos, terá início a partir do dia 11 de maio. O governo paulista estima que 100 mil mulheres componham esse grupo.

As gestantes com comorbidades poderão ser vacinadas em qualquer idade gestacional. Já as puérperas serão vacinadas com o prazo de até 45 dias após o parto.

Para que sejam vacinadas, as grávidas e puérperas vão precisar comprovar o estado gestacional, apresentando a carteira de acompanhamento, o pré-natal ou laudo médico, além do atestado de nascimento da criança, no caso das puérperas. Também vai ser preciso comprovar a condição de risco por meio de exames, receitas, relatórios médicos ou prescrição médica.

No mesmo dia, 11 de maio, começam a ser vacinadas as pessoas com deficiência permanente e que tenham entre 55 e 59 anos de idade e recebam o benefício de prestação continuada de assistência social (BPC). Desse grupo, fazem parte cerca de 30 mil pessoas e elas precisarão comprovar o recebimento do benefício.

No dia 12 de maio terá início a vacinação de pessoas entre 55 e 59 anos que possuem uma ou mais comorbidades definidas pelo Ministério da Saúde (cuja lista se encontra abaixo). Para serem vacinadas, estas pessoas precisam comprovar a condição de risco por meio de exames, relatório médico ou prescrição médica. Os cadastros já existentes nas Unidades Básicas de Saúde poderão ser utilizados para a comprovação. O governo de São Paulo espera vacinar 900 mil pessoas dessa faixa etária.

Já amanhã (6) começa em todo o estado a vacinação dos idosos com 60, 61 e 62 anos. Na segunda-feira (10), serão imunizadas pessoas com síndrome de Down, pacientes em tratamento de hemodiálise (Terapia Renal Substitutiva) e transplantados que utilizam imunossupressores.

Confira a relação de comorbidades definidas pelo Ministério da Saúde:

• Doenças Cardiovasculares
• Insuficiência cardíaca (IC)
• Cor-pulmonale (alteração no ventrículo direito) e Hipertensão pulmonar
• Cardiopatia hipertensiva
• Síndromes coronarianas
• Valvopatias
• Miocardiopatias e Pericardiopatias
• Doença da Aorta, dos Grandes Vasos e Fístulas arteriovenosas
• Arritmias cardíacas
• Cardiopatias congênitas no adulto
• Próteses valvares e dispositivos cardíacos implantados
• Diabetes mellitus
• Pneumopatias crônicas graves
• Hipertensão arterial resistente (HAR)
• Hipertensão arterial – estágio 3
• Hipertensão arterial – estágios 1 e 2 com lesão e órgão-alvo e/ou comorbidade
• Doença Cerebrovascular
• Doença renal crônica
• Imunossuprimidos (transplantados; pessoas vivendo com HIV; doenças reumáticas em uso de corticoides; pessoas com câncer).
• Anemia falciforme e talassemia maior (hemoglobinopatias graves)
• Obesidade mórbida
• Cirrose hepática

*Com informações da Agência Brasil

Hospital de Campanha de Itaquáquecetuba começa a funcionar

(Gov. do Estado de SP)

Começou a funcionar hoje (22) o hospital de campanha de Itaquaquecetuba, na região metropolitana da capital. A unidade municipal receberá investimentos de R$ 2,68 milhões do Governo do Estado e atenderá pacientes com COVID-19 de municípios da região do Alto Tietê.

“Vamos ter um total de 170 profissionais de saúde, enfermeiras, médicos e fisioterapeutas que estarão neste hospital de campanha de Itaquá”, comentou João Doria, governador de São Paulo, que visitou o local ontem (21).

O hospital foi instalado no ginásio municipal Sumiyoshi Nakahadara. O pleno funcionamento da unidade prevê 20 leitos de enfermaria e 40 vagas de suporte ventilatório. Com atendimento 24 horas, a unidade vai funcionar em um espaço de 540 m² com farmácia, laboratório, dois ambulatórios médicos, setor de radiografia, aparelho de diálise e tomógrafo.

Os recursos do Governo do Estado vão custear os próximos 90 dias de funcionamento do hospital e devem ser pagos em três parcelas. A Prefeitura de Itaquaquecetuba investiu R$ 1,5 milhão para a instalação da unidade.

“Este é mais um investimento da Saúde do Alto Tietê. Neste ano, reforçamos a assistência aos pacientes de COVID-19 na região com a ampliação de leitos nos hospitais estaduais localizados nas cidades de Guarulhos, Mogi das Cruzes, Suzano, Ferraz de Vasconcelos e Itaquaquecetuba”, afirmou o Secretário de Estado da Saúde Jean Gorinchteyn.

Inauguração do Hospital de Campanha de Itaquaquecetuba,

O Governo do Estado tem 12 hospitais de campanhas próprios para garantir a assistência nesta segunda onda da pandemia.

Duas unidades foram instaladas na capital: Hospital São José, na zona norte, e Santa Cecília, na região central. Outras seis unidades entraram em operação nos AMEs (Ambulatórios Médicos de Especialidades) de Andradina, Barretos, Botucatu, Campinas, Sorocaba e Itapeva.

O Governo do Estado também reativou o hospital de campanha de Heliópolis, na zona sul da capital, e converteu o AME de Franca. Também estão em funcionamento as unidades no Hospital Estadual de Bebedouro e em Bauru.

*Com Gov. do Estado de SP

Butantan recebe insumo para mais 5 milhões de doses da CoronaVac

(Gov. do Estado de SP)

O Instituto Butantan recebeu hoje (19) mais três mil litros de insumo para produção de cinco milhões de doses da CoronaVac, vacina contra a covid-19. O carregamento veio da China e chegou no começo da manhã ao Aeroporto Internacional de São Paulo, em Guarulhos.

Este é o terceiro carregamento de 2021 da matéria-prima fornecida pela biofarmacêutica Sinovac, parceira internacional do Butantan. Ainda hoje, o insumo será transportado em caminhões refrigerados até a sede do Butantan, na Capital Paulista, onde as vacinas serão envasadas, embaladas e rotuladas para distribuição ao SUS (Sistema Único de Saúde).

Na última quarta-feira (14), o Governo de São Paulo completou 40,7 milhões de doses entregues ao Programa Nacional de Imunizações (PNI). O total de envios corresponde a 88,4% das 46 milhões de doses previstas até 30 de abril no primeiro contrato do Instituto Butantan com o Ministério da Saúde.

Somente em abril foram 4,5 milhões. Em março foram disponibilizadas 22,7 milhões de doses. Em fevereiro, 4,85 milhões e, em janeiro, 8,7 milhões de unidades. Até setembro, está prevista a entrega de mais 54 milhões de doses.

Chegada de insumos no aeroporto internacional de Guarulhos.
Jean Gorinchteyn, João Doria e Dimas Covas acompanharam a chegada do insumo (Gov. do Estado de SP)

*Com Gov. do Estado de São Paulo

Por questões de segurança, Doria se muda para o Palácio dos Bandeirantes

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), anunciou nesta segunda-feira (29) que passará a morar temporariamente no Palácio dos Bandeirantes, no Morumbi, na Zona Sul da capital, por questões de segurança, após protestos e ameaças que vem sofrendo.

Desde o endurecimento das medidas do Plano São Paulo no enfrentamento contra a Covid-19, grupos protestam contra Doria. O estado está na fase emergencial da quarentena, que prevê regras mais rígidas do que a fase vermelha.

Na fase emergencial, ficam suspensas celebrações religiosas e esportivas coletivas e uso de praias e parques. Alguns setores e serviços, que tinham autorização para funcionar durante a fase vermelha, foram proibidos de operar, como lojas de materiais de construção, e a retirada presencial de mercadorias e alimentos nas lojas ficou vetada também.

“Meu desprezo por estes extremistas que ameaçam a mim, a minha família e ameaçam pessoas que defendem a vida. É uma decisão difícil, mas necessária nesse momento de muita intolerância ao pensamento contraditório, de belicismo verborrágico e de cegueira ideológica”, disse o governador em comunicado.

Doria disse ainda que o “negacionismo na pandemia deixou de ser um delírio das redes sociais, provocado pela paixão política, e está se tornando algo muito mais perigoso para a vida, a ciência e a democracia”.

O governo de São Paulo já tinha se manifestado contra os protestos em frente à casa do governador. “Ao se posicionar em favor da vida e da ciência, o Governador João Doria se tornou o alvo preferencial de bolsonaristas fanáticos que ignoram a catástrofe sanitária que acontece no país. O Governo de São Paulo não se intimida e continuará a tomar decisões para proteger e salvar vidas”.

Butantan anuncia vacina 100% brasileira

João Doria, governador de São Paulo, apresenta a ButanVac (Gov. do Estado de SP)

O Governador João Doria anunciou nesta sexta-feira (26) que o Instituto Butantan, ligado ao Governo do Estado de São Paulo, iniciou o desenvolvimento e a produção-piloto da primeira vacina brasileira contra o novo coronavírus. A expectativa é que os ensaios clínicos de fases 1 e 2 em humanos com o novo imunizante comecem já em abril, após autorização da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

“Este é um anúncio histórico para o Brasil e para o mundo. A ButanVac é a primeira vacina 100% nacional, integralmente desenvolvida e produzida no Brasil pelo Instituto Butantan, que é um orgulho do Brasil. São 120 anos de existência, o maior produtor de vacinas do Hemisfério Sul, do Brasil e da América Latina e agora se colocando internacionalmente como um produtor de vacina contra a COVID-19”, disse Doria.

A ButanVac será uma vacina desenvolvida e produzida integralmente no Butantan, sem necessidade de importação do IFA (Insumo Farmacêutico Ativo). Os resultados dos testes pré-clínicos realizados com animais se mostraram promissores, o que permite evoluir para estudos clínicos em humanos.

A iniciativa do novo imunizante faz parte de um consórcio internacional do qual o Instituto Butantan é o principal produtor, responsável por 85% da capacidade total, e tem o compromisso de fornecer essa vacina ao Brasil e aos países de baixa e média renda. A produção-piloto do composto já foi finalizada para aplicação em voluntários humanos durante os testes.

Para a produção da ButanVac o instituto deverá usar tecnologia já disponível em sua fábrica de vacinas contra a gripe, a partir do cultivo de cepas em ovos de galinha, que gera doses de vacinas inativadas, feitas com fragmentos de vírus mortos.

Segundo Ricardo Palacios, diretor médico de pesquisa clínica do Instituto Butantan, a nova vacina brasileira terá perfil alto de segurança. “Nós sabemos produzir a ButanVac, temos tecnologia para isso, e sabemos também que vacinas inativadas são eficazes contra a COVID-19. Poder entregar mais vacinas é o que precisamos em um momento tão crítico”, explica.

Diretor-presidente do Butantan, Dimas Covas afirma que a tecnologia utilizada na ButanVac é uma forma de aproveitar o conhecimento adquirido no desenvolvimento da CoronaVac, vacina desenvolvida em parceria com a biofarmacêutica Sinovac, já disponível para a população brasileira.

“Entendemos a necessidade de ampliar a capacidade de produção de vacinas contra o coronavírus e da urgência do Brasil e de outros países em desenvolvimento de receberem o produto de uma instituição com a credibilidade do Butantan. Em razão do panorama global, abrimos o leque de opções para oferecer aos governos mais uma forma de contribuir no controle da pandemia no país e no mundo”, afirma. Segundo ele, a parceria com a a Sinovac será mantida, e não haverá nenhuma alteração no cronograma dos insumos vindos da China.

O diretor-presidente do Butantan também afirmou que será possível entregar a vacina brasileira ainda neste ano. “Após o final da produção da vacina contra Influenza, em maio, poderemos iniciar imediatamente a produção da Butanvac. Atualmente, nossa fábrica envasa a Influenza e a CoronaVac. Estamos em pleno vapor”, afirma Dimas Covas.

A tecnologia da ButanVac utiliza um vetor viral que contém a proteína Spike do coronavírus de forma íntegra. O vírus utilizado como vetor nesta vacina é o da Doença de Newcastle, uma infecção que afeta aves. Por esta razão, o vírus se desenvolve bem em ovos embrionados, permitindo eficiência produtiva num processo similar ao utilizado na vacina de influenza. O vírus da doença de Newcastle não causa sintomas em seres humanos, constituindo-se como alternativa muito segura na produção. O vírus é inativado para a formulação da vacina, facilitando sua estabilidade e deixando o imunizante ainda mais seguro.

A pesquisa clínica em humanos do novo imunizante será realizada em conformidade com altos padrões internacionais éticos e de qualidade. Os resultados vão determinar se a vacina é segura e tem resposta imune capaz de prevenir a COVID-19.

Por Gov. do Estado de SP

Linha 5-Lilás do Metrô será ampliada até o Jardim Ângela

(Mastrangelo Reino/Gov. do Estado de SP)

O Governador João Doria e o Secretário dos Transportes Metropolitanos Alexandre Baldy participaram, na manhã desta terça-feira (23), do anúncio do início da expansão da Linha 5-Lilás até o Jardim Ângela. O projeto contempla duas estações e um terminal de ônibus. O novo trecho terá 4,33 km de extensão e a estimativa é beneficiar cerca de 130 mil moradores.

Os estudos serão iniciados com a elaboração dos projetos funcionais das obras civis e sistemas, seguido dos projetos básico e executivo. O prazo para entrega de todos estudos é de até 24 meses. A Secretaria de Transportes Metropolitanos e a ViaMobilidade, concessionária responsável pela operação e manutenção da Linha 5-Lilás desde 2018, negociam os termos para a construção da obra.

“É muito importante que tenhamos um início breve das obras, primeiro para demonstrar que a obra de fato vai seguir seu ritmo, segundo porque em um período tão duro de pandemia, quando vem uma obra que vai ajudar a mobilidade da população mais carente, mais vulnerável a chegar mais rápido ao trabalho e a voltar logo pra casa, é uma esperança”, disse João Doria.

A Estação Comendador Sant’Anna será elevada e localizada na avenida de mesmo nome, uma região que concentra comércios, serviços e equipamentos públicos. Já a Estação Jardim Ângela, que estará próxima ao Hospital Municipal M’Boi Mirim, será subterrânea e conectada ao terminal já existente da SPTrans e ao novo terminal a ser construído, que permitirá absorver o aumento da demanda de passageiros de ônibus com a implantação da nova estação.

“Esse encontro de hoje concentra uma série de resoluções que foram feitas pelo nosso Governo. Desde o início nós encontramos alguns desafios, um dos maiores era dar aqui os passos necessários para permitir a extensão entre o Capão Redondo e o Jardim Ângela. Mas para percorrermos esse caminho existiam entraves, que hoje estão sendo vencidos”, falou Baldy

Para viabilizar o projeto, a avenida Carlos Caldeira Filho será prolongada do Capão Redondo até a Estrada do M’Boi Mirim. O trecho acompanhará o córrego Capão Redondo, que será canalizado, e terá uma pista em cada sentido, com ciclovia. Para a implantação das obras serão necessárias desapropriações e remoção de interferências.

Por Gov. do Estado de SP

Butantan entrega mais 2 milhões de vacinas

Visita ao Instituto Butantan para a liberação de novas doses de vacina
João Doria, governador de São Paulo, acompanhou entrega das doses

O Instituto Butantan entregou hoje (17) mais 2 milhões de doses da vacina contra o novo coronavírus para o Programa Nacional de Imunizações. Na última segunda-feira (15), o instituto já havia feito uma remessa de 3,3 milhões de doses do imunizante ao Ministério da Saúde.

O Butantan entregou até o momento 22,6 milhões de doses do imunizante CoronaVac, produzido em parceria com o laboratório chinês Sinovac. O cronograma prevê que, até o fim de abril, o instituto tenha disponibilizado 46 milhões de doses.

O estado de São Paulo superou ontem (16) a marca dos 4 milhões de vacinados, sendo que 1,1 milhão de pessoas receberam as duas doses necessárias para completar a imunização.

Na fase atual da campanha, estão sendo vacinadas as pessoas de 75 e 76 anos. A partir da próxima segunda-feira (22) será a vez de quem tem entre 72 e 74 anos.