Nubank: Anitta passa a integrar conselho de administração do banco digital

(Divulgação)

Nesta segunda-feira (21), o Nubank anunciou que a cantora Anitta é a nova integrante do conselho de administração da empresa.

Segundo o comunicado, Anitta vai participar de reuniões trimestrais com os outros seis conselheiros e a diretoria do Nubank para discutir decisões estratégicas do futuro do banco digital. 

“É muito chato e constrangedor não conseguir ter acesso a produtos financeiros. Muita gente na América Latina sempre viveu de emprego informal. Como essas pessoas vão ter histórico de crédito? Fiquei impressionada ao ver o trabalho do Nubank em fazer com que milhões de pessoas se sintam incluídas, podendo ter uma vida financeira melhor”, disse a cantora, em nota.

Para o banco digital, aliar-se à maior e mais influente artista do Brasil significa contar com sua expertise em construção de marcas. Anitta usou sua visão estratégica para expandir a carreira não só na América Latina e nos Estados Unidos, mas globalmente. 

O presidente-executivo e fundador do banco digital, David Vélez, afirmou, em nota, que a artista “tem profundo conhecimento do comportamento dos consumidores nesses mercados que tem explorado e tem muita experiência em estratégias de marketing vencedoras. Essas competências foram chave para a convidarmos para o conselho. Nenhum outro conselheiro possui essa experiência”.

“Anitta está reinventando a cena cultural nos últimos anos e compartilhamos do mesmo DNA de inovação. Ela levou o funk brasileiro a outro patamar e criou uma marca mundial gigantesca. É uma empresária de sucesso que vai nos ajudar a aprimorar ainda mais os produtos para nossos clientes”, disse Christiane Junqueira, cofundadora do Nubank.

Anitta é a terceira mulher a integrar o conselho da empresa, que é formado por Anita Sands, professora da universidade americana de Princeton e ex-diretora de operações do banco suíço UBS, e Jacqueline Reses, ex-presidente da fintech Square e atual presidente do conselho consultivo econômico do Fed (banco central dos EUA).

O conselho do banco digital é formado também pelo brasileiro Daniel Goldberg, ex-presidente do Morgan Stanley no Brasil, e ex-Secretário de Direito Econômico do Ministério da Justiça, antigo órgão do sistema brasileiro antitruste; pelo colombiano Luis Alberto Moreno, ex-presidente do BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento); por Doug Leone, Global Managing Partner e investidor da Sequoia Capital, membro do Conselho do Nubank desde 2016; e David Vélez, presidente-executivo e fundador do Nubank.

O anúncio acontece em um novo momento de desenvolvimento da empresa. Ao completar oito anos de história, o Nubank se consolidou como maior banco digital independente do mundo, com mais de 40 milhões de clientes, levantou investimentos que elevaram a série G para US$ 1,15 bilhão e expandiu sua oferta de produtos do cartão de crédito para um portfólio completo a seus clientes.

Por TV Cultura

Pix: Procon pede explicações a Mercado Pago e NuBank

(Arquivo/Procon/Reprodução)

O Procon de São Paulo pediu explicações ao Mercado Pago e ao Nubank sobre o cadastramento de chaves Pix sem o consentimento dos clientes. De acordo com o órgão, os consumidores também enfrentam dificuldade de cancelamento da chave nas duas empresas. 

“O Procon-SP notificou o Nu Pagamentos e o Mercadopago.com pedindo explicações sobre ocorrência de cadastros das chaves de segurança do meio de pagamento Pix sem a solicitação do cliente e também sobre dificuldades de cancelamento”, disse o Procon-SP em nota.

Entre outros, o órgão pediu esclarecimentos às empresas sobre os canais utilizados para ofertar e disponibilizar o cadastro dos consumidores ao Pix; como o cliente dá a confirmação ou anuência inequívoca ao cadastro; e como o consumidor pode efetuar o cancelamento do Pix. 

Em nota, o Nubank confirmou que recebeu a notificação do Procon-SP e que responderá aos questionamentos. A empresa disse que todas as chaves foram cadastradas com a devida autorização dos clientes e que possui os consentimentos devidamente documentados.

“O Nubank esclarece, ainda, que, em um universo de mais de seis milhões de pessoas com chaves cadastradas, recebeu apenas duas reclamações a respeito de consentimento. Essas pessoas foram contatadas e apresentamos com sucesso as evidências de que haviam, sim, dado autorização”, disse em nota.

O Mercado Pago foi procurado, mas ainda não se manifestou.

Por Bruno Bocchini – Repórter da Agência Brasil 

Novo recurso do Whatsapp permite enviar dinheiro

O WhatsApp lançou nesta segunda-feira (15) novo recurso que permite transferir dinheiro e fazer compras em estabelecimentos por meio do aplicativo de mensagens, com a proteção da plataforma Facebook Pay. 

(Arquivo/Reprodução)

No primeiro momento, a novidade estará disponível para clientes do Banco do Brasil, Nubank e Sicredi que têm cartão de crédito ou débito das bandeiras Visa e Mastercard. As transações serão processadas pela Cielo e não preveem custos para consumidores e pessoas físicas. Já as empresas terão de arcar com uma taxa por transação recebida. As pequenas empresas são um dos principais focos do lançamento.

“Mais de 10 milhões de micro e pequenas empresas movimentam a economia brasileira, e já é muito comum mandar um zap a essas empresas para tirar dúvidas sobre produtos e fazer pedidos. Com o recurso de pagamentos no WhatsApp, além de ver os produtos no catálogo, os clientes também poderão fazer o pagamento do produto escolhido sem sair do WhatsApp. Ao simplificar o processo de pagamento, esperamos ajudar a trazer mais empresas para a economia digital e gerar mais oportunidades de crescimento”, diz o comunicado do Whatsapp.

Para utilizar a ferramenta, o usuário precisa cadastrar seu cartão na plataforma Facebook Pay e cadastrar uma senha numérica (PIN) de seis dígitos como proteção. Também é possível usar biometria, como leitor de digitais e reconhecimento facial, para autorizar transações. Para receber o dinheiro, o contato precisa estar cadastrado no Facebook Pay.

Por Karine Melo – Repórter da Agência Brasil