Com medo de ser entubado, paciente pula janela e foge de hospital

Um paciente com covid-19 fugiu de um hospital, em Catanduva, no interior de São Paulo, ao saber que havia tido piora em seu quadro clínico e seria entubado. Ele precisou ser contido pela Polícia Militar e por agentes do SAMU. O caso aconteceu na tarde de hoje (25) e foi confirmado, em nota oficial, pelo Hospital São Domingos.

Segundo as informações, o paciente estava em uma ala reservada a pessoas com a doença. Ele teria pulado a janela do quarto e corrido em direção a um mercado, que fica do outro lado da rua.

Funcionários da unidade foram até o mercado para convencê-lo a retornar e fazer o tratamento, mas foi preciso a intervenção dos policiais. O homem foi levado para o hospital em uma maca.

Veja abaixo a nota divulgada pelo Hospital:

“O Hospital Unimed São Domingos (HUSD) vem a público esclarecer sobre incidente ocorrido na tarde desta quinta-feira, 25. Um paciente evadiu-se da Unidade Respiratória, ala reservada a pacientes com suspeita ou confirmados para Covid-19, após pular a janela de seu quarto e, na sequência, a grade de proteção da unidade hospitalar. Profissionais do HUSD deram todo o suporte à ocorrência. Pouco tempo depois, com apoios das equipes do SAMU e Polícia Militar, o paciente já se encontrava novamente internado na unidade. Ressalta-se que se trata de um caso isolado. Desde o início da pandemia, o HUSD já recebeu mais de 600 pacientes na Unidade Respiratória.”

Amazonas: 77 pacientes com covid-19 foram transferidos

(FAB/via Agência Brasil)

A lotação de hospitais públicos do Amazonas devido ao aumento do número de internações de pessoas infectadas pelo novo coronavírus (SARS-CoV-2) já motivou a transferência de 77 pacientes para outras unidades da federação.

Segundo o Ministério da Saúde, a Força Aérea Brasileira (FAB) transportou a 74 pacientes com covid-19 entre sexta-feira (15) e a manhã de hoje (18). Deste total, 23 foram levados para São Luís (MA); 15 para Brasília (DF); 15 para João Pessoa (PB); 12 para Natal (RN) e 9 para Teresina (PI).

A Secretaria de Saúde do Amazonas remanejou outros três pacientes na última sexta-feira (15). De acordo com a pasta, os pacientes foram levados a Rio Branco a bordo de uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) aérea da própria secretaria.

De acordo com o Ministério da Saúde, as transferências fazem parte de um plano de cooperação interestadual, executado pelo governo federal, em parceria com o governo do Amazonas, para “aliviar a demanda do sistema de saúde de Manaus diante do recrudescimento da pandemia no Amazonas”.

A seleção dos pacientes a serem transferidos leva em conta o chamado Protocolo de Classificação de Risco Manchester, observando os sinais e sintomas que a pessoa apresenta e com base nos quais é estabelecida a prioridade de atendimento conforme a gravidade de cada caso. Para ser transferido, o paciente deve apresentar sinais vitais (frequência cardíaca, respiratória e pressão arterial) estáveis, além de assinar um termo de consentimento para a transferência.

Durante o trajeto, o paciente é acompanhado por sete profissionais de saúde. Além disso, as aeronaves usadas devem contar com equipamentos e insumos hospitalares.

Até ontem (17) a noite, a Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas contabilizava 230.644 casos confirmados da doença. Desde que a presença do novo coronavírus no país foi confirmada, no fim de fevereiro de 2020, 6.191 pessoas perderam a vida em todo o estado em consequência da covid-19. Entre os casos confirmados, 1.702 pacientes continuavam internados, em observação, até ontem. Destes, 1.123 ocupam leitos clínicos (486 na rede privada e 637 na rede pública), 561 vagas de UTI (255 na rede privada e 306 na rede pública) e 18 estão nas chamadas salas vermelhas (estruturas destinadas à assistência temporária a pacientes críticos ou graves que, uma vez estabilizados, são encaminhados a outros pontos da rede de atenção à saúde).

Por Alex Rodrigues, da Agência Brasil

Capital tem mais dois casos suspeitos de Covid-19

(Arquivo/Agência Brasil)

A Capital Paulista registrou hoje (18) mais dois casos suspeitos de Covid-19, o novo Coronavírus. Segundo a Secretaria Estadual da Saúde, são dois homens que apresentaram sintomas e estiveram recentemente na China.

Com isso, São Paulo permanece como o Estado com maior número de casos em investigação: quatro pacientes.

“Entraram mais dois casos de São Paulo, então permanecem os dois de ontem e dois novos em São Paulo e o do Rio Grande do Sul permanece desde a semana passada”, disse em coletiva à imprensa o secretário executivo do Ministério da Saúde, João Gabardo.

Segundo o balanço divulgado durante a tarde, além dos três casos suspeitos na Capital, o Estado investiga ainda o caso de um homem em Campinas, no interior. No Brasil, o Ministério da Saúde mantém cinco pacientes sob monitoramento, incluindo os quatro de São Paulo e um do Rio Grande do Sul.

Segundo o secretário, o paciente do Rio Grande do Sul foi testado para os vírus mais comuns, como H1N1, e os testes deram negativo. Agora, uma amostra está sendo enviada para o Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen) para análise específica quanto ao novo coronavírus. Três dos pacientes ainda serão testados para vírus gripais.

Gabardo enfatizou que a mobilização para prevenir e conter o vírus continua pelo menos até o começo do inverno. “Nós não vamos reduzir todas essas ações feitas, toda mobilizações feita antes da chegada do inverno, independentemente de até lá nós termos casos confirmados no Brasil”.

Repatriados

A pasta deve divulgar amanhã (19) o resultado dos exames dos brasileiros resgatados da China e dos tripulantes da Força Aérea Brasileira que estiveram envolvidos na ação. No total, 58 pessoas estão em quarentena na Base Aérea de Anápolis (GO) para descartar o risco de contaminação pela doença no Brasil.

*Com informações da Agência Brasil e da Secretaria Estadual de Saúde de SP

Saúde investiga 8 casos suspeitos de Coronavírus em SP

(Governo da China/Fotos Públicas)


A Secretaria de Estado da Saúde de SP está monitorando oito casos suspeitos de Coronavírus, sendo quatro na Capital e quatro no interior (dois de Paulínia, um Americana e um de Santana do Parnaíba).

Os dois novos casos suspeitos são um adulto de Santana do Parnaiba, com sintomas da infecção e histórico de viagem à China, e outro adulto de Paulínia, que teve contato com caso suspeito. 

Hoje (1), foi excluído o caso de Santo André, após visita domiciliar e constatação da ausência de febre, considerado o principal sintoma da doença.

Os outros dois casos descartados nesta semana são crianças residentes na Capital, que tiveram resultados de exames positivos para Influenza (gripe).

Apesar de não ter nenhuma caso confirmado no Brasil, o número de pacientes com suspeita da doença tem crescido a cada dia. Segundo o ministério, 16 casos são investigados, e São Paulo é o estado com o maior volume de suspeitas.

*Com informações da Agência Brasil e da Secretaria de Saúde de SP