Palmeiras bate Grêmio e conquista 4º título da Copa do Brasil

(Cesar Greco/Palmeiras)

O Palmeiras fechou a temporada de 2020 com chave de ouro. Na noite deste domingo (7), o time paulista voltou a vencer o Grêmio, dessa vez por 2 a 0, no Allianz Parque, e conquistou o tetra da Copa do Brasil.

No último domingo, em jogo realizado na Arena do Grêmio, o Palmeiras havia vencido o Grêmio, por 1 a 0, e tinha a vantagem do empate. Mas os pratas da casa Wesley e Gabriel Menino garantiram mais uma vitória alviverde.

Esse é o segundo título conquistado pelo técnico português Abel Ferreira desde que chegou ao Palmeiras. Antes, ele havia vencido a Copa Libertadores. O outro título da temporada 2020 foi o Paulistão, quando o time ainda era comandado por Vanderlei Luxemburgo.

Logo aos dois minutos, Thaciano cruzou rasteiro e Pepê chegou um pouco atrasado, não conseguindo completar para o gol. O Grêmio continuou em cima e assustou mais uma vez em chute de Alisson de fora da área.

A resposta do Palmeiras veio aos sete. Rony escapou em velocidade e, na hora de marcar, foi travado por Paulo Miranda. O Palmeiras chegou a balançar as redes com Raphael Veiga, mas o gol acabou sendo anulado porque Rony, que deu a assistência, estava em posição de impedimento.

Zé Rafael, da SE Palmeiras, disputa bola com Thaciano, do Grêmio (Cesar Greco/Palmeiras)

Aos 23, Diego Souza cabeceou nas mãos de Weverton. A partida era lá e cá. Depois foi a vez do Palmeiras levar perigo em chute de Rony pela linha de fundo. O time paulista esboçou uma pressão nos minutos finais e criou boas chances.

Zé Rafael aproveitou ajeitada de Vina e bateu colocado na entrada da área. Paulo Victor espalmou para escanteio. Já nos acréscimos, Wesley finalizou rente a trave do goleiro tricolor.

O segundo tempo começou movimentado. Raphael Veiga arriscou de fora da área e Paulo Victor defendeu. A resposta do Grêmio veio na sequência. Após cruzamento rasteiro, Pepê chegou dividindo com Weverton.

O Palmeiras encaminhou o título aos nove minutos. Raphael Veiga escapou em velocidade e passou para Wesley chutar forte. Paulo Victor chegou a tocar na bola, mas não o bastante para evitar o gol. Isso fez com que o Grêmio saísse para o ataque.

Diego Souza recebeu dentro da área, dominou e ajeitou. Jean Patrick chegou finalizando, mas foi travado pela zaga adversária. Aos 39 minutos, o Palmeiras liquidou a fatura no contra-ataque. Gabriel Menino recebeu de Willian e bateu rasteiro. A bola passou por baixo de Paulo Victor.

Por FPF

*atualizado às 20h38

Palmeiras leva melhor e vence o Grêmio

(Cesar Greco/Palmeiras)

Embalado após o título da Libertadores, o Palmeiras abriu vantagem na briga pelo troféu da Copa do Brasil de 2020. Na noite deste domingo (28), no jogo de ida da grande final, o time paulista visitou e venceu o Grêmio, em sua Arena, em Porto Alegre, pelo placar de 1 a 0. Gustavo Gómez, de cabeça, ainda no primeiro tempo fez o único gol do jogo.

As duas equipes voltam a se encontrar no próximo domingo (07), no jogo do título, que será disputado em São Paulo, no Estádio Allianz Parque, às 18h. Como venceu o jogo de ida, o Palmeiras tem a vantagem de jogar por um empate. Já ao Grêmio resta uma vitória por dois gols de diferença para ficar com o título no tempo regulamentar. Uma vitória por um gol, levará a decisão para os pênaltis.

A partida começou bastante movimentada, com os dois times buscando espaço para chegar com perigo ao gol adversário. Apesar disso, a primeira chance clara aconteceu apenas aos 25 minutos, pelos lados do Palmeiras. Rony cobrou falta da intermediária e parou em uma boa defesa do goleiro Paulo Victor. Minutos depois, o time paulista foi mais preciso e abriu o placar.

Aos 31, depois de um escanteio cobrado na área, Gustavo Gómez apareceu livre na área e testou firme. A bola ainda resvalou na mão do goleiro gremista, mas acabou morrendo no fundo das redes. A resposta do Grêmio veio aos 40 em um chute de Alisson que mandou por cima. Por isso, o primeiro tempo terminou com a vitória parcial do Palmeiras.

Na volta do intervalo, o time paulista teve a chance de ampliar logo aos dez minutos, quando Rony perdeu um gol incrível. O camisa 11 recebeu um cruzamento rasteiro de Raphael Veiga da direita e de frente para o gol, acabou pegando muito forte na bola e mandando por cima. Depois disso, o zagueiro Luan acabou expulso após uma entrada em Diego Souza e o Palmeiras ficou com um jogador a menos.

A partir daí, o ritmo da decisão caiu um pouco por conta das muitas substituições feitas para ambos os lados. Mas, o Grêmio seguiu em pressionando em busca do empate. Aos 28, Diego Souza cobrou falta curte e Ferreira chutou firme, mas em cima do goleiro Weverton que fez a defesa. Nos minutos finais, o time gaúcho ainda pediu um pênalti, mas o duelo terminou mesmo com a vitória magra do Palmeiras.

Por FPF

Rebaixado, Coritiba derrota Palmeiras

O jogador Gustavo Scarpa, da SE Palmeiras, disputa bola com o jogador Sabino, do Coritiba FC (Cesar Greco/Palmeiras/via Agência Brasil)

Mesmo já rebaixado para a Série B do Brasileiro, o Coritiba derrotou o Palmeiras, nesta quarta-feira (17) no estádio Couto Pereira, por 1 a 0 em partida atrasada da 35ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Com este revés, o time paulista fica na 6ª posição, com 56 pontos. Já o Coxa alcançou aos 31 pontos, mas permanece na 19ª posição.

Após uma etapa inicial movimentada, inclusive com gol anulado de Gabriel Menino por impedimento de Esteves na jogada, o Coritiba conseguiu achar o gol da vitória aos 42 minutos do segundo tempo. O responsável foi o lateral Jonathan, que acertou um chute colocado da entrada da área.

O time paulista foi muito prejudicado por jogar com um jogador a menos desde os 17 minutos da etapa final, quando o zagueiro Kuscevic foi expulso após lance com o atacante Osman.

Próximos compromissos

O Palmeiras volta a campo na próxima sexta-feira (19), quando faz clássico com o São Paulo no estádio do Morumbi válido pela 34ª rodada da competição. Já o Coritiba volta a atuar no sábado (20), quando mede forças com o Ceará no estádio Couto Pereira pela 37ª rodada.

Veja a classificação da Série A do Brasileiro.

Por Agência Brasil

Tigres elimina Palmeiras do Mundial de Clubes da Fifa

Raphael Veiga, da SE Palmeiras, disputa bola com o jogador Gonzalez (Cesar Greco/Palmeiras)

O Palmeiras, campeão da Libertadores, foi surpreendido pelo Tigres, neste domingo, no estádio Education City, em Al Rayyan, no Catar, e ficou fora da final do Mundial de Clubes. Com gol de pênalti de Gignac, os mexicanos venceram os brasileiros por 1 a 0.

O Palmeiras repete o Internacional, em 2010, e Atlético-MG, em 2013, que também disputaram o 3º lugar. O time do técnico Abel Ferreira pegará o perdedor de Al Ahly, do Egito, e Bayern de Munique, da Alemanha. Já o Tigres espera pelo vencedor na final.

O Palmeiras contou com três grandes defesas de Weverton para garantir o 0 a 0 no primeiro tempo. O goleiro do clube paulista precisou trabalhar logo aos 3 minutos. González subiu mais que Luan e cabeceou firme, mas Weverton se esticou todo e evitou o gol do Tigres.

Rony arriscou aos 17 minutos e obrigou Guzmán a fazer boa defesa. O Tigres, porém, não se intimidou e foi pra cima. Aos 33 minutos, Gignac finalizou forte, mas Weverton conseguiu boa defesa. Três minutos depois, o mesmo atacante do Tigres cabeceou no canto esquerdo e lá estava o goleiro alviverde.

No segundo tempo, o Tigres chegou ao gol. Luan puxou González na área. Pênalti! O artilheiro Gignac mandou um petardo no canto direito e Weverton não conseguiu defender. Aos 11 minutos, o Palmeiras até foi para as redes, mas a arbitragem deu impedimento de Rony.

Aos 31 minutos, Willian cruzou, Luiz Adriano deixou a bola passar e Rodríguez quase fez gol contra. O Palmeiras até ensaiou uma pressão, mas não teve força para buscar o empate. Viña quase empatou aos 50, mas a bola raspou a trave.

Por Federação Paulista de Futebol

Palmeiras faz treino antes de enfrentar o Tigres

Os jogadores Luiz Adriano e Alan Empereur (D), da SE Palmeiras, durante treinamento, na cidade de Doha, Catar. (Cesar Greco/Palmeiras)

O Verdão realizou na noite deste sábado (06), em um dos campos da Aspire Academy, em Doha, no Catar, mais um treino visando o confronto com o Tigres-MEX, no domingo, às 15h (de Brasília), no Estádio Education City, pela semifinal da Copa do Mundo de Clubes da FIFA.

A primeira atividade foi com os jogadores divididos por posições e teve como intuito aperfeiçoar transições, movimentações, balanços, marcações, quebras de linha etc.

Na sequência, o trabalho foi mais técnico: a comissão do treinador Abel Ferreira ensaiou jogadas específicas (defensivas e ofensivas) e orientou bastante os jogadores.

Por fim, foi colocado em prática um recreativo e, antes do retorno ao hotel, alguns atletas cobraram pênaltis.

O atacante Wesley, em transição física, treinou grande parte com os companheiros. O atacante Gabriel Veron trabalhou à parte com os profissionais do Núcleo de Saúde e Performance.

Por Palmeiras

Palmeiras enfrenta o Tigres na estreia do mundial

(Cesar Greco/Palmeiras)

O Tigres, do México, será o adversário do Palmeiras, no próximo domingo (7), na estreia no Mundial de Clubes da Fifa. Os mexicanos asseguraram a vaga na semifinal contra o Verdão ao venceram de virada nesta quinta-feira (4) o Ulsan, da Coreia do Sul, por 2 a 1, no estádio Ahmad Bin Ali, na cidade de Al Rayyan (Catar). 

A equipe sul-coreana saiu na frente com um gol de cabeça aos 21 minutos de Kee Hee Kim. Ainda no primeiro tempo, aos 37, o francês André-Pierre Christian Gignac empatou para o Tigres, cujo time é comandado pelo técnico carioca Tuca Ferretti. Já nos acréscimos, Gignac voltou a marcar e garantiu a classificação dos mexicanos.

A semifinal entre Palmeiras e Tigres será domingo (7), às 15h (horário de Brasília), no Estádio Cidade da Educação, em Doha (Catar). Quem vencer o confronto, garante o passaporte para a grande final do Mundial.

O último semifinalista será definido logo mais, também em Doha:  às 14h30, o time anfitrião Al Duhail entra em campo pelas quartas de final contra os egípcios do Al-Ahly. O vencedor vai encarar na próxima fase o Bayern de Munique, na segunda (8), às 15h. 

 Por Rodrigo Ricardo – Repórter da Rádio Nacional 

Palmeiras vence a Libertadores contra o Santos

(Cesar Greco/Palmeiras/via Fotos Públicas)

O Palmeiras é bicampeão da Libertadores. Com um gol do herói improvável Breno Lopes aos 53 minutos da etapa final, o Alviverde fez 1 a 0 no Santos na decisão disputada na tarde deste sábado (30), no Maracanã.

O primeiro tempo da grande decisão foi marcada por muito equilíbrio. Cuca, técnico do Santos, apostou em uma equipe mais marcadora com Sandry reforçando o meio. Mesmo assim, foi o Peixe que começou ameaçando mais. A primeira finalização foi do lateral Pará. Só que, logo na sequência, o Palmeiras já equilibrou o jogo. Teve uma chance com Rony, outra com Gómez de cabeça. A partida seguiu muito disputada no meio de campo, até os 36 minutos. Foi aí que o lateral-direito Marcos Rocha achou o meia Raphael Veiga na área. Ele bateu, mas a bola passou perto. Logo depois, Marinho quase abriu o placar para o Santos.

Na volta do intervalo, aos dois minutos, o centroavante Luiz Adriano ficou cara a cara com o goleiro John do Santos. Mas a jogada foi anulada por impedimento. Cinco minutos depois, Gabriel Menino cruzou na área e por muito pouco o atacante Rony não tocou na bola para marcar o gol do Verdão. Aos 13 foi a vez do Santos ameaçar. Soteldo rolou para Marinho. Ele cruzou na área e o zagueiro Lucas Veríssimo, sozinho, desviou para fora perdendo grande chance.

Aos 18, o meia Raphael Veiga bateu forte de fora da área. A bola bateu na rede do Santos, mas pelo lado de fora. Aos 31, o Santos teve as melhores chances. Pituca bateu forte da entrada da área e o goleiro Weverton salvou. Na sequência, Felipe Jonatan mandou uma bomba de muito longe e a bola raspou a trave esquerda do gol palmeirense.

Aos 50 aconteceu um lance que mudou o destino do jogo. Cuca, técnico do Santos, acabou se enrolando com o lateral-direito Marcos Rocha fora do campo e recebeu o cartão vermelho. Depois de muita reclamação, o jogo recomeçou e o atacante Rony, pela direita, colocou a bola na cabeça do Breno Lopes. Na segunda trave, o centroavante ganhou o lateral Pará e encobriu o goleiro John com um belo toque de cabeça no canto esquerdo. Quis o destino que um atleta anunciado pelo Palmeiras no dia 10 de novembro vindo do Juventude de Caxias do Sul marcasse o gol do título. Depois o Maracanã foi tomado por muita festa dos palmeirenses e muita lamentação dos santistas.

Agora as atenções palmeirenses se voltam para o Mundial de clubes. A competição já começa na próxima quinta-feira (04.02). O primeiro jogo do Palmeiras será no domingo (07) contra o vencedor de Tigres do México e Ulsan Hyundai do Catar. A decisão do terceiro lugar e a grande final estão marcadas para quinta-feira (11).

(Cesar Greco/Palmeiras/via Fotos Públicas)

Por Agência Brasil


Palmeiras e Santos fazem final inédita hoje

(Fed. Plta. de Futebol/Reprodução)

O futebol de São Paulo se acostumou a disputar títulos para além das fronteiras estaduais há muito tempo. Com histórico em decisões no Campeonato Brasileiro, Copa do Brasil e Torneio Rio-SP, Palmeiras e Santos escrevem neste sábado uma história inédita, com a decisão da Taça Libertadores da América de 2020. Os rivais se enfrentam em jogo único, às 17h, no estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro.

Com o Campeonato Brasileiro prevendo decisão entre 1959 e 2002, equipes paulistas estiveram juntas em sete disputas de títulos. No Torneio Rio-SP foram outras cinco finais, enquanto na Copa do Brasil, Palmeiras e Santos fizeram em 2015 a única decisão paulista do torneio. No total, essa será a 14ª final de campeonato entre equipes de São Paulo fora do estado.

Rio-SP é pioneiro

Disputado desde antes da implementação de um campeonato nacional de clubes, o Torneio Rio-SP foi pioneiro em decisões entre paulistas em competições com times de outro estado. Nas primeiras, em 1951 e 1954, Palmeiras e Corinthians decidiram com vitória dos alviverdes e dos alvinegros, respectivamente. A Portuguesa derrotou o Palmeiras em 1955 e o time de Palestra Itália voltou a ficar com a taça em 1993, após vencer o Corinthians. O time do Parque São Jorge foi campeão da última edição do torneio ao superar o São Paulo, em 2002.

Mata-mata no Brasileiro
Com previsão de final de campeonato entre 1959 e 2002, o Brasileirão assistiu a sete decisões entre paulistas. A primeira delas foi em 1973, mas vale destacar que até 1967, apenas campeões estaduais se qualificavam ao torneio nacional e, por isso, uma decisão entre dois times locais não era possível.

Palmeiras e São Paulo inauguraram essa história em 1973, com vantagem palmeirense após empatar sem gols na última rodada do quadrangular final e ficar com a taça. O feito não se repetiu, porém, em 1978, quando o Guarani venceu as finais no Morumbi e no Brinco de Ouro da Princesa por 1 a 0 e ficou com a taça. O time de Campinas, porém, perdeu a chance do bi em 1986, quando o São Paulo empatou o confronto nos minutos finais da prorrogação e conquistou o título nos pênaltis.

Em 1990, o tricolor foi superado pelo Corinthians, que venceu os dois jogos pelo placar mínimo com gols históricos de Wilson Mano e Tupãzinho. Contra o Bragantino em 1991, porém, o time do Morumbi não deixou a conquista escapar. Venceu o primeiro confronto e no acanhado estádio Marcelo Stefani, em Bragança Paulista, segurou o empate sem gols para ser campeão.

As duas últimas finais do Brasileiro entre paulistas são de más lembranças aos corintianos. Em 1994, o Palmeiras venceu o primeiro jogo por 3 a 1 e ficou com o título após o empate por 1 a 1. Já em 2002, o Santos fez 2 a o no primeiro jogo, abriu o placar no segundo, viu o Corinthians virar, mas conseguiu a vitória por 3 a 2 e encerrou longo jejum de 18 anos sem títulos importantes.

Final única e reencontro

Na única vez que a Copa do Brasil foi decidida por equipes paulistas, Palmeiras e Santos decidiram o título da competição em 2015. Na ocasião, o time da Vila Belmiro venceu em casa por 1 a 0 e podia empatar para ficar com o título. O Palmeiras foi melhor em casa e venceu por 2 a 1. Nos pênaltis, os donos da casa levaram a melhor no Allianz Parque.

Confira as finais envolvendo paulistas:

Finais paulistas no Brasileiro

1973 – Palmeiras x São Paulo – Palmeiras campeão
1978 – Palmeiras x Guarani – Guarani campeão
1986 – São Paulo x Guarani – São Paulo campeão
1990 – Corinthians x São Paulo – Corinthians campeão
1991 – São Paulo x Bragantino – São Paulo campeão
1994 – Palmeiras x Corinthians – Palmeiras campeão
2002 – Santos x Corinthians – Santos campeão

Finais paulistas no Torneio Rio-SP

1951 – Palmeiras x Corinthians – Palmeiras campeão
1954 – Corinthians x Palmeiras – Corinthians campeão
1955 – Portuguesa x Palmeiras – Portuguesa campeã
1993 – Palmeiras x Corinthians – Palmeiras campeão
2002 – Corinthians x São Paulo – Corinthians campeão

Finais paulistas na Copa do Brasil

2015 – Palmeiras x Santos – Palmeiras campeão

Por Raoni David, da Fed. Plta. de Futebol

Palmeiras vai ao Rio e perde para o Flamengo

(Cesar Greco/Fotos Públicas)

No duelo para saber quem ia perseguir Internacional e São Paulo na disputa do título, deu Flamengo. O Rubro-negro derrotou o Palmeiras por 2 a 0 nesta quinta-feira (21), no estádio Mané Garrincha, chegou à terceira posição, com 55 pontos, e depende apenas dos seus resultados para conquistar o Campeonato Brasileiro. O Verdão permanece na quinta colocação, com 51 pontos e se distanciou da liderança.

O jogo

A primeira chegada foi do Palmeiras. Aos três minutos, Viña recebeu pela esquerda nas costas de Isla, avançou e passou para William, que, dentro da pequena área, perdeu grande chance e chutou para fora. O Flamengo respondeu dois minutos depois com um belo lance de Arrascaeta. Isla tentou lançamento na área, a bola desviou na zaga e sobrou para o uruguaio, que emendou uma bicicleta. O goleiro Weverton fez grande defesa e salvou o Verdão.

Depois dos sustos, o Rubro-negro passou a dominar a partida, mas perdia muitas chances. Aos 11 minutos, Gabigol entrou sozinho na área, mas tentou o passe quando a melhor opção era o chute. Dois minutos depois, o camisa 9 aproveitou sobra na entrada da área e finalizou por cima do gol. Quem também desperdiçou oportunidade foi Everton Ribeiro, aos 28 minutos, que disparou da entrada da grande área, mas a bola passou à esquerda de Weverton.

O Palmeiras só respondeu aos 39 minutos, em contra-ataque com Danilo, mas a finalização não levou perigo. No fim da primeira etapa, o Flamengo chegou ao gol. O Rubro-negro pressionou a saída de bola e Everton Ribeiro subiu pela esquerda. A zaga tentou cortar e a bola sobrou para Bruno Henrique. O camisa 27 tocou para Arrascaeta, que deu um leve toque. A bola passou entre as pernas de Weverton. Na tentativa de afastar, Kuscevic chutou em cima de Luan, que mesmo “sem querer”, fez gol contra.

Precisando empatar, o Palmeiras partiu para cima no início do segundo tempo. Aos nove minutos, Raphael Veiga fez bela jogada pela esquerda e cruzou. A bola sobrou para Gabriel Menino, que, sozinho, na marca do pênalti, chutou de perna direita para fora, perdendo a melhor oportunidade do Verdão no jogo.

O Flamengo respondeu aos 11 minutos. Gabigol recebeu lançamento e chutou cruzado para grande defesa de Weverton. A arbitragem marcou impedimento, que não existiu. O Rubro-negro quase ampliou aos 27 minutos. Cobrança de falta pela esquerda e Gustavo Henrique apareceu sem marcação dentro da área para cabecear, mas acabou mandando para fora.

Mesmo atrás no placar, o Palmeiras não assustava o goleiro Hugo Souza. Na defesa, errava muito e cedia oportunidade ao Flamengo. Aos 35 minutos, Gustavo Scarpa saiu jogando errado e entregou para Bruno Henrique. Ele arriscou e Weverton salvou. Na cobrança de escanteio, o time carioca definiu a vitória. Cabeçada de Gustavo Henrique, a bola tocou em Pedro e sobrou para Pepê fuzilar o gol do Verdão.

Na próxima rodada, o Flamengo enfrenta o Athletico-PR domingo (24), às 16h, na Arena da Baixada. No mesmo dia, também às 16h, o Palmeiras pega o Ceará, no Castelão.

Por Maurício Costa, da Agência Brasil