Perseverance fotografa arco-íris em Marte e esclarece mistério

Um fenômeno inusitado foi capturado pelo sonda robô Perseverance, da agência aeroespacial norte-americana Nasa, que explora desde fevereiro o solo marciano. Uma foto tirada pela Perseverance mostra um arco-íris no céu do planeta vermelho – algo considerado impossível, já que o fenômeno ocorre por causa da refração da luz solar nas partículas de água suspensas na atmosfera. Como Marte possui uma atmosfera fina e gelada, não há possibilidade de haver água em estado líquido circulando livremente pelo ar.

Após ganhar repercussão em redes sociais, a foto publicada pela Nasa teve que ser elucidada. O perfil da sonda exploradora no Twitter frustrou teorias conspiratórias que tentavam explicar o fenômeno de forma não científica.

Segundo pesquisadores da Nasa, o fenômeno registrado não era exatamente um arco-íris, e sim um reflexo de lente muito comum, o lens flare. Esse fenômeno ocorre quando a luz bate diretamente sobre uma lente de câmera em um ângulo oblíquo e se espalha pela superfície de vidro, o que causa o registro de uma luz brilhante, geralmente em forma de gota ou círculos.

A imagem foi capturada pela câmera traseira da sonda, que serve para identificar possíveis perigos na rota de movimentação do veículo. Essa câmera, chamada HazCam, faz parte do sistema autônomo de movimentação da Perseverance.

https://twitter.com/NASAPersevere/status/1379536046338154498/photo/1

Imagens mostram nave da Nasa pousando em Marte

A Nasa divulgou o primeiro vídeo do robô Perseverance durante pouso histórico em Marte no último dia 18. Nas imagens, é possível ver o momento exato que ele abre o paraquedas e toca o solo do planeta em segurança.

Durante o vídeo, é possível ouvir um dos cientistas que coordenam a missão:

“Tenho certeza que vamos estudar esse vídeo por muitos, muitos anos, em busca dos detalhes”. 

O Perseverance é uma missão que pousou em Marte na última quinta-feira (18), sete meses depois de ter partido da Estação Aérea de Cabo Canaveral, localizado na Flórida.

A estrutura pousou na cratera de Jezero, um antigo lago marciano, e passará dois anos em busca de sinais concretos de vida microbiana passada no planeta. Parte do material encontrado deve vir à Terra para passar por pesquisas.

O robô tem 19 câmeras e o Ingenuity, nave semelhante a um helicóptero que conduziu sua aterrissagem, tem mais quatro.

Objetivos da missão

Se todo esse trabalho dos engenheiros acontecer conforme o planejado, o veículo da Agência Espacial Europeia, pode começar sua jornada para o planeta vermelho em 2026, pousando em 2028 e ajudando a entregar as amostras de volta à terra em 2031.

Os cientistas querem saber como era Marte bilhões de anos atrás, quando tinha rios, lagos e oceanos que podem ter permitido que organismos simples e minúsculos florescessem antes do planeta se transformar no mundo desértico que é hoje.

*Com TV Cultura