Jogadores são primeiros infectados pela ômicron em Portugal

Bandeira mostra brasão e nome do Belenenses

Portugal identificou 13 infecções com a nova variante ômicron do coronavírus, comunicou o Instituto Nacional de Saúde Ricardo Jorge (Insa) nesta segunda-feira (29/11).

Todos os casos estão associados a jogadores do clube de futebol Belenenses, de Lisboa. Um dos casos é de um jogador que recentemente esteve na África do Sul.

“Os testes preliminares efetuados no Insa sugerem, fortemente, que todos os 13 casos associados aos jogadores do Belenenses estejam relacionados com a variante de preocupação ômicron”, afirmou a instituição.

Bandeira mostra brasão e nome do Belenenses
(Belenenses/Reprodução)

O Insa comunicou que todos os infectados estão em quarentena e serão submetidos a novos testes nos próximos dias. Também pessoas que tiveram contato com os jogadores infectados foram postas em quarentena.

A diretora-geral da Saúde, Graça Freitas, afirmou que jogadores do Benfica, que no sábado disputou uma partida contra o Belenenses, também serão testados.

Com a confirmação dos casos, Portugal entrou para a lista de países europeus que já constataram infecções com a variante ômicron, que inclui Alemanha, Bélgica, Reino Unido e Holanda, entre outros.

Possivelmente mais contagiosa, a ômicron foi classificada como “variante de preocupação” pela OMS, que afirmou que a cepa representa um risco global muito alto. Vários países impuseram restrições de viagens devido à nova variante.

“Escândalo”

A partida entre o Benfica e o Belenenses, válido pela Liga Portuguesa, está cercada de polêmica já desde antes da realização por causa das infecções com o novo coronavírus na equipe da freguesia de Santa Maria de Belém.

A partida começou com apenas nove jogadores do Belenenses em campo por causa do surto de coronavírus na equipe. Dois deles eram goleiros (um na sua posição, o outro na defesa). Depois do intervalo retornaram apenas sete jogadores.

O juiz interrompeu o jogo logo no início do segundo tempo, quando o Benfica vencia por 7 a 0, depois de o Belenenses perder mais um jogador (o goleiro que atuava fora de posição se lesionou) e restarem apenas seis em campo.

No Reino Unido, o jornal The Guardian chamou a partida de “farsa”. Na Espanha, o jornal esportivo marca escreveu que o duelo foi “uma vergonha” e que ele não deveria ter sido disputado.

Na Alemanha, o Bild chamou a partida de “escândalo”.

Tanto Benfica e Belenenses comunicaram que se viram obrigados a jogar para não perder de antemão os pontos da partida.

Por Deutsche Welle
as/lf (AFP, OTS)

Presidente de Portugal dissolve parlamento e chama eleições

Marcelo Rebelo de sousa, presidente de Portugal, durante discurso
Marcelo Rebelo de sousa, presidente de Portugal, durante discurso
Marcelo Rebelo de Sousa, Presidente de Portugal (Presidencia de Portugal/Reprodução)

O presidente de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa, aprovou a dissolução do Parlamento e agendou as eleições legislativas antecipadas para 30 de janeiro de 2022.

“Uma semana e um dia depois da rejeição do Orçamento para 2022, comunico que decidi dissolver a Assembleia da República e convocar eleições para o dia 30 de janeiro de 2022”, afirmou o presidente, em pronunciamento ao país, no Palácio de Belém, em Lisboa.

De acordo com a Constituição, as eleições legislativas antecipadas têm de ser realizadas nos 60 dias seguintes à dissolução do Parlamento – que só poderá ser decretada, portanto, a partir de 1º de dezembro.  O chefe de Estado defendeu que “em momentos como este existe sempre uma solução em democracia, sem dramatizações nem temores, faz parte da vida própria da democracia: devolver a palavra ao povo”.

Sobre a escolha da data das eleições, Marcelo Rebelo de Sousa argumentou que campanha eleitoral, bem como os debates audiovisuais que a devem anteceder” no Natal ou no Ano Novo são indesejáveis e podem ser meio caminho para um aumento da abstenção.

“O sensato é apontar para debates e campanha, a começar em 2022, mas não em cima do Ano Novo, e ainda assim termos eleições em janeiro – como eu disse desde o primeiro momento -, compatibilizando rapidez com a devida atenção a um período sensível na vida das pessoas”, acrescentou.

O presidente afirmou que, nos termos da Constituição, ouviu os partidos com representação parlamentar, o Conselho de Estado, que deu parecer favorável, por maioria, à dissolução do Parlamento, e analisou a situação econômica, social e financeira antes de fazer a comunicação ao país.

Ao final da mensagem, disse aos portugueses  que confia em seu espírito democrático e bom senso para escolher aqueles que irão votar rapidamente o Orçamento.

O Orçamento do Estado para 2022 foi derrubado na votação em 27 de outubro. O projeto teve votos a favor apenas da bancada do PS e abstenções do PAN e das deputadas não inscritas Joacine Katar Moreira e Cristina Rodrigues.

Por Agência Brasil
* Com informações da RTP – Rádio e Televisão de Portugal

Portugal suspende obrigatoriedade de máscara em ambientes abertos

(Tiago Petinga/Lusa/via Gov. de Portugal)

Portugal suspendeu nesta segunda-feira (13/09) a obrigatoriedade do uso de máscaras ao ar livre. Com 80% da população com o ciclo vacinal completo, ele está prestes a se tornar o país mais vacinado do mundo. Lisboa tem gradativamente aliviado as normas de segurança sanitária, mas ainda não suspendeu todas as restrições anticoronavírus como fez a Dinamarca recentemente.

Foram exatos 318 dias – desde 28 de outubro de 2020 – de uso obrigatório de máscaras nos espaços públicos de Portugal. Não se exige mais proteção bucal e nasal em ruas, parques ou no calçadão da praia, porém as autoridades recomendam que as máscaras sigam sendo usadas em locais de aglomeração.

Apesar da recém adquirida liberdade, muitos seguiram usando máscaras nas ruas de Lisboa e outras cidades, nesta segunda-feira. A proteção facial segue exigida em espaços fechados, transportes públicos, edifícios públicos e áreas comerciais e internas de restaurantes, escolas e cafés.

Especialistas criticam decisão

A medida do governo português de suspender o uso das máscaras não foi unanimidade entre os especialistas e recebeu críticas de algumas organizações médicas. Em declaração à agência Lusa, o presidente em exercício da Associação Nacional de Médicos de Saúde Pública afirmou que a organização “continua a sugerir que, especialmente nesta fase de inverno em que vamos entrar, a máscara continue a ser um equipamento de proteção individual utilizado por todos ou quase todos, de maneira que nos possamos proteger, não só da covid-19, mas também da gripe”.

A taxa de incidência de 14 dias em Portugal chegou a atingir o pico de 438 novas infecções, no verão europeu, mas caiu recentemente para 240 casos. Assim, as restrições têm sido relaxadas passo a passo – porém de forma muito mais cautelosa do que, por exemplo, a vizinha Espanha, que também registra queda drástica no número de infecções, mas a exigência de uso de máscaras ao ar livre já foi suspensa há dois meses e meio.

Topo da lista mundial de vacinação

O mais recente passo de Portugal em direção à normalidade foi possível também graças ao sucesso da campanha nacional de vacinação. De acordo com dados compilados pelo observatório Our World in Data, Portugal detém o segundo melhor histórico no mundo de vacinados com ao menos uma dose – 87% de seus residentes, atrás apenas dos Emirados Árabes Unidos, com 89%.

No tocante à imunização completa, entretanto, Portugal é o líder mundial: 80% dos cerca de 10,3 milhões de habitantes completaram o ciclo vacinal, enquanto nos Emirados Árabes Unidos 78% de seus receberam duas doses de uma vacina anticovid.

Citando fontes do governo do primeiro-ministro António Costa, o diário português Público noticiou nesta segunda-feira que a marca de 85% da população totalmente vacinada será atingida até o fim de setembro. Cerca de 84% dos jovens entre 12 e 17 anos já receberam uma primeira dose.

Além disso, segundo a Direção-Geral da Saúde (DGS), órgão responsável pelas regulamentações sanitárias, Portugal aplicou mais de 500 mil doses de vacinas contra a covid-19 entre 30 de agosto e 5 de setembro. Deste total, dois terços foram aplicadas em jovens entre 12 e 24 anos. E o país tem 3 milhões de doses estocadas, suficiente para alcançar a imunização em massa.

Por Deutsche Welle
pv/av (DPA, ots)

Portugal isola Lisboa para conter disseminação de variante

Lisboa, Portugal (Arquivo/Agliberto Lima/Fotos Públicas)

Em meio a preocupações com o elevado número de casos de covid-19 e a disseminação da variante delta do coronavírus, detectada pela primeira vez na Índia, o governo de Portugal decidiu impor restrições de circulação à Área Metropolitana de Lisboa (AML) neste fim de semana.

Os 2,8 milhões de moradores da AML – que engloba 17 municípios além da capital – estão proibidos de deixar a área entre as 15h (hora local) desta sexta-feira (18/06) e as 6h de segunda-feira. Também ficará vetada a entrada de pessoas de fora da região metropolitana nesse período. A circulação para dentro e fora da AML será permitida apenas em circunstâncias extraordinárias.

“É muito mais uma medida de proteção do resto do país, para não estender o fenômeno em Lisboa para outras regiões, do que uma medida de contenção da pandemia na AML”, afirmou a ministra do Estado e da Presidência, Mariana Vieira da Silva, ao anunciar, nesta quinta, a restrição à circulação.

Lisboa registrou 928 novos casos de covid-19 nesta quarta-feira, o mais alto número diário contabilizado desde fevereiro. A alta correspondeu a quase 70% de todas as infecções registradas no país no período – apesar de apenas 27% dos 10,3 milhões de habitantes de Portugal viverem na Área Metropolitana de Lisboa.

A variante delta, mais contagiosa, vem se espalhando rapidamente na capital e arredores e é uma das principais razões para a situação epidemiológica na área. 

“Aparentemente, [existe] uma prevalência maior da variante delta neste território e também na região do Alentejo”, afirmou Vieira da Silva, citada pelo jornal português Público. “É difícil a explicação e a tomada destas medidas [de restrição à circulação], mas é uma condição que nos pareceu fundamental neste momento para não fazer alastrar a todo o país a situação que se vive em Lisboa.”

Testes de laboratório sugerem que a variante delta se multiplica mais no organismo, e estima-se que o risco de infectar membros da própria família seja 60% maior, de acordo com uma análise divulgada pela autoridade sanitária britânica Public Health England (PHE). Alé disso, segundo um estudo feito por pesquisadores escoceses e publicado na revista Lancet, uma infecção pela variante duplica o risco de hospitalização. 

Devido à disseminação da variante delta, o primeiro-ministro, Boris Johnson, adiou por quatro semanas o levantamento de todas as medidas de prevenção na Inglaterra, inicialmente planejado para 21 de junho. Apesar da difusão da cepa no Reino Unido, Portugal decidiu liberar a entrada de turistas britânicos, exigindo apenas a apresentação de um teste negativo para a covid-19 antes da viagem.

Cenário revertido em poucas semanas

Portugal foi duramente atingido pelo coronavírus, mas conseguiu fazer com que as infecções baixassem para um dos níveis mais baixos do continente durante a primavera europeia. Em maio, as autoridades portuguesas encerraram o estado de emergência imposto para conter a pandemia, após cinco meses e meio de vigência.

No entanto, dentro de poucas semanas, a taxa de incidência de casos por 100 mil pessoas em 14 dias no país aumentou de 55 para 87, de acordo com o Centro Europeu de Prevenção e Controle de Doenças. Na Área Metropolitana de Lisboa, chegou a 254 na quinta-feira, enquanto a taxa nacional ficou em 90. Com isso, Lisboa está acima da linha vermelha, de 240 novos casos por 100 mil habitantes em 14 dias, determinada pelo governo.

Na semana passada, Lisboa não seguiu adiante com as planejadas medidas de desconfinamento no país devido à alta incidência da doença. As infecções vêm aumentando em todo o país, mas a maior parte dos casos contabilizados nas últimas duas semanas foi na região de Lisboa e Vale do Tejo.

Segundo a ministra Vieira da Silva, o país como um todo deverá ser obrigado a cancelar a próxima etapa de desconfinamento, prevista para a semana que vem. O número efetivo de reprodução do coronavírus R está em 1,13, o que significa que cada infectado transmite a doença a pelo menos mais uma pessoa.

Ao Diário de Notícias, Carlos Antunes, professor da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, afirmou que, na prática, o país já vive uma quarta onda da pandemia.

Hospitais públicos ainda não estão sob pressão, mas alguns já estão se preparando para admitir mais pacientes com covid-19.

Lisboa anunciou nesta quinta que vai abrir centros de vacinação sete dias por semana a partir de 1º de julho numa tentativa de acelerar a campanha de imunização. Também nesta quinta, autoridades de saúde disseram que vão reduzir o período entre as duas doses da vacina da AstraZeneca de 12 para oito semanas, em meio à disseminação de “variantes preocupantes”.

Até agora, Portugal vacinou 42% de sua população com a primeira dose e 25% com duas doses.

Por Deutsche Welle
lf (DPA, AP, ots)

Portugal suspende voos vindos do Brasil

Aeronave A330neo da TAP (Divulgação)

O governo de Portugal anunciou nesta quarta-feira (27/01) que decidiu suspender os voos entre o país e o Brasil, a partir de 0h de sexta-feira, devido à evolução da pandemia nos dois países e à detecção de novas variantes do coronavírus. A medida deve durar pelo menos duas semanas.

“Até ao dia 14 de fevereiro, estão suspensos todos os voos, comerciais ou privados, de todas as companhias aéreas, de e para o Brasil. As regras agora estabelecidas são igualmente aplicáveis aos voos de e para o Reino Unido”, declarou o Ministério da Administração Interna de Portugal, em comunicado. 

O governo português justificou a suspensão dos voos citando a evolução da situação epidemiológica no mundo, o aumento dos casos de infeção por SARS-CoV-2 em Portugal e a detecção de novas cepas do vírus.

Em 15 de janeiro, o Reino Unido havia proibido voos entre o país e Portugal. Na ocasião, os britânicos citaram, entre outros motivos, que o país lusitano ainda mantinha rotas abertas com o Brasil. A decisão provocou reclamações do governo português.

A medida anunciada por Portugal nesta quarta-feira prevê exceções para voos de natureza humanitária de repatriamento de cidadãos portugueses e membros das respectivas famílias, bem como de titulares de autorização de residência em Portugal.

Nesses voos de caráter humanitário poderão também embarcar cidadãos de países da União Europeia, cidadãos de Estados associados ao Espaço Schengen e às respectivas famílias, além de cidadãos de países terceiros com residência legal num Estado-membro da União Europeia.

O ministério ainda aponta que todos cidadãos têm de apresentar, no momento da partida, um teste com resultado negativo para coronavírus realizado nas 72 horas anteriores à hora do embarque. 

Além disso, após a chegada, os viajantes precisam cumprir uma quarentena obrigatória de 14 dias em seu domicilio ou em local indicado pelas autoridades de saúde.

Portugal registou nesta quarta 293 mortes relacionados com a covid-19, um novo recorde diário desde o início da pandemia. Ao todo, o país, que tem 10 milhões de habitantes, já registou 669 mil casos positivos da doença. Desses, quase 173 mil estão ativos. A covid-19 causou ainda 11 mil mortes em Portugal.

Por Deutsche Welle

jps/cn (Lusa, ots)

Portugal reelege Marcelo Rebelo de Sousa

Marcelo Rebelo de sousa, presidente de Portugal, durante discurso
Marcelo Rebelo de Sousa, Presidente de Portugal (Presidencia de Portugal/Reprodução)

Como esperado, os portugueses reelegeram neste domingo (24/01) o presidente Marcelo Rebelo de Sousa, de 72 anos, que ocupará a presidência da República por um último mandato de cinco anos. Ele tem um perfil conservador e é visto pelos portugueses como carismático e próximo das pessoas.

A eleição foi marcada pela abstenção de pouco mais de 60% e pelo confinamento devido à pandemia de covid-19, que tem causado mais de 200 mortos por dia no país nas últimas semanas.

Rebelo alcançou 60,7% dos votos, obtidos com o apoio da direita moderada e também de muitos eleitores socialistas. O presidente de centro-direita mantém uma boa relação com o primeiro-ministro socialista, António Costa, com quem tem trabalhado em conjunto, principalmente no combate à pandemia.

A segunda colocada na disputa foi a socialista Ana Gomes, com 12,97%. Em seguida veio o líder da extrema direita, André Ventura, do partido Chega, com 11,9%. Mesmo derrotado, o Chega avançou desde a sua estreia nas urnas, em 2019, quando teve apenas 1% dos votos.

Em discurso após a confirmação da vitória, Rebelo de Sousa afirmou que a principal urgência de Portugal é o combate à pandemia. No sábado, o país registrou 11.721 contágios e 275 mortos.

Analistas disseram que os eleitores portugueses optaram pela estabilidade em meio à tormenta causada pela pandemia de covid-19. O país está já há algumas semanas em seu segundo lockdown.

Rebelo de Sousa é um especialista em Direito constitucional e conhece muito bem as atribuições do presidente da República, pois participou da redação da Constituição quando era deputado. Entre elas estão dissolver o Parlamento, convocar eleições e vetar leis. Portugal adota o regime parlamentarista.

Por Deutsche Welle

AS/efe/ard

Adolescente morre de Coronavírus em Portugal

Um adolescente de 14 anos é a mais jovem vítima da Covid-19, o novo Coronavírus, em Portugal. A morte foi divulgada pela RTP, emissora pública de televisão do país.

O adolescente estava internado no Hospital de Santa Maria da Feira e morreu na manhã de ontem (29). O paciente sofria de Psoríase, uma doença crônica que pode afetar o sistema imunológico.

O último levantamento sobre casos confirmados da doença em Portugal aponta 119 mortes, e não inclui o adolescente morto neste domingo. Até o momento são 5.962 pessoas infectadas.

*Com informações da RTP – Emissora Pública de Portugal

Itália registra quase 800 mortes em um dia

Militares da Itália atuam no suporte ao combate ao Coronavírus (Defesa da Itália/Fotos Públicas)

A Itália registrou quase 800 mortes em 24 horas. Foram 793 óbitos confirmados por Covid-19, o novo Coronavírus. A informação é da Agência Reuters.

Com os mortos confirmados hoje (21), a Itália passa a contabilizar 4.825 mortes.

Em Portugal, segundo o balanço divulgado também neste sábado, dobrou o número de mortos por Covid-19: passou de 6 para 12, segundo a RTP – emissora pública de Portugal.

No continente Africano, 40 países contabilizam 1.107 casos confirmados do novo Coronavírus, com 30 mortes.


*Com informações de Reuters, RTP e Lusa

Governo da Venezuela suspende companhia aérea TAP

Nicolás Maduro durante visita a Rússia (Arquivo/Kremlin/via Fotos Públicas)

O Governo de Nicolás Maduro decidiu nessa segunda-feira (17) suspender, por 90 dias, as operações da companhia aérea portuguesa TAP na Venezuela. Caracas acusa a empresa de ter violado “padrões internacionais” ao permitir, supostamente, o transporte de explosivos, e por ter ocultado a identidade do líder da oposição, Juan Guaidó, em um voo com destino à capital venezuelana.

“Devido às graves irregularidades cometidas no voo TP173 e em conformidade com os regulamentos nacionais da aviação civil, as operações da companhia aérea TAP ficam suspensas por 90 dias”, disse o ministro dos Transportes da Venezuela, Hipólito Abreu, na conta da rede social Twitter.

A companhia aérea afirmou à RTP, emissora pública de TV de Portugal, que “não compreende as razões desta suspensão da operação para a Venezuela por 90 dias, uma vez que cumpre todos os requisitos legais e de segurança exigidos pelas autoridades de ambos os países.” 

As acusações do Governo de Nicolás Maduro surgiram dia 13 de fevereiro, um dia depois de Guaidó ter voltado à Venezuela após uma viagem internacional de três semanas. O presidente da Assembleia Constituinte, Diosdado Cabello, confirmou que as autoridades tinham prendido o tio de Juan Guaidó, que integrava a comitiva do líder da oposição a Maduro, ao chegar ao Aeroporto de Maiquetia, vindo de Lisboa, a bordo de um avião da TAP.

Segundo o Governo venezuelano, Juan Marquez, tio de Guaidó que acompanhava o sobrinho nesse voo, transportou “lanternas de bolso táticas” que escondiam “substâncias químicas explosivas no compartimento da bateria”.

Guaidó e Lisboa repudiam acusações

O autoproclamado presidente interino da Venezuela, Juan Guaidó (Arquivo/Agência Brasil)

Cabello acusou ainda o Governo português e a TAP de conivência. As autoridades venezuelanas consideraram que a TAP, nesse voo entre Lisboa e Caracas, violou normas de segurança internacionais, permitindo explosivos, e também ocultou a identidade do autoproclamado Presidente interino da Venezuela, Juan Guaidó, na lista de passageiros, embora a segurança aeroportuária não seja da responsabilidade das companhias transportadoras. 

O Governo português, por meio do ministro dos Negócios Estrangeiros, Santos Silva, repudiou as acusações de Caracas, e que não fazem qualquer sentido. 

Durante viagem à Índia, na sexta-feira (15), o Presidente de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa, foi questionado pelos jornalistas sobre a recente polémica com a Venezuela. Marcelo Rebelo de Sousa sublinhou que a posição portuguesa “é conhecida”, defendendo a “serenidade, bom senso e racionalidade”.

O Presidente da República defendeu o diálogo e deu prioridade à realização de eleições presidenciais no país que “legitimem um processo pacífico de evolução futura”.

O Governo português pediu, apesar de tudo, um inquérito para averiguar a veracidade das acusações que envolvem a transportadora aérea portuguesa, dizendo não ter qualquer indício de irregularidades no voo que transportou Marquez e Guaidó. Juan Guaidó reagiu com garantias de que não voltou de forma clandestina à Venezuela, tendo viajado sob o próprio nome. Acusou também o regime de Nicolás Maduro de se expor ao ridículo nas acusações que fez à TAP.

*Com informações da RTP – Emissora Pública de Portugal

Portugal sedia um dos maiores eventos de inovação e tecnologia do mundo

Danyelle Van Straten em Lisboa, Portugal (Divulgação)


A sócia diretora da Depyl Action, Danyelle Van Straten, está em Lisboa, Portugal, para participar da 11ª Web Summit, apontada como uma das mais importantes conferências de inovação e tecnologia do mundo. Danyelle, que também é diretora da Associação Brasileira de Franchising (ABF), em Minas Gerais, foi em busca de insights.

“Todo empreendedor precisa estar antenado com a novidades, principalmente neste mundo dinâmico de tecnologia, com inovação constante”, comenta a empresária, que comanda uma rede de 112 lojas especializadas em depilação e cuidados com o pelo.

O evento deste ano, que vai até o dia 7 de novembro, terá palestrantes de peso, como o ex-analista da Agência de Segurança Nacional Americana (NSA), Edward Snowden, o presidente da Microsoft, Brad Smith, CEO da Boston Dynamics, Marc Raibert, e até celebridades como o ex-jogador de futebol francês Eric Cantona, e o cantor e empresário Akon.

“São as principais mentes do mundo corporativo reunidas e debatendo para que lado a inovação aponta. Precisamos nos atualizar para que estejamos sempre alinhados às tendências de mercado”, comenta Danyelle.

Sobre a Depyl Action

Especializada em depilação e cuidados com o pelo, a Depyl Action possui 110 unidades em operação no Brasil e duas na Venezuela. A franquia, que nasceu no quintal da casa da família, a partir de uma receita caseira de cera de depilação, oferece depilação com cera morna e à laser, luz pulsada, design de sobrancelhas, alongamento de cílios, aparo de pelos e coloração de cílios, da região íntima e de barba.

Com quase 23 anos de mercado, a marca é comandada pela empresária Danyelle Van Straten. Por mês, a Depyl Action atende quase 150 mil homens e mulheres. Interessados em aderir ao negócio investem a partir de R$340 mil, com faturamento médio mensal de R$ 85 mil e prazo de retorno estimado entre 24 e 48 meses. A lucratividade varia entre 10 e 15%.