‘Dr. Bumbum’ e a mãe são presos no Rio

O médico, Denis Barros Furtado, conhecido como ‘Dr. Bumbum’, foi preso no Rio de Janeiro junto com a mãe. Ele era considerado foragido da Justiça desde que teve a prisão temporária decretada.

Ele é acusado de ter feito procedimento estético na cobertura de um apartamento na Barra da Tijuca, zona oeste da cidade, no último sábado (14), que resultou na morte da paciente Lilian de Lima Jamberci, de 46 anos.

(divulgação)

A prisão foi decretada pelo juiz Paulo Cesar Vieira de Carvalho Filho, da 1ª Vara Criminal da Capital, que também decretou a prisão temporária de Maria de Fátima Furtado, mãe de Denis.

O juiz negou, no entanto, os pedidos de prisão temporária para Rosilane Pereira da Silva, empregada doméstica do médico, e a namorada dele, Renata Fernandes, que trabalhava como secretária, e participaram do procedimento.

Na decisão, o magistrado destacou que os depoimentos de testemunhas e as provas apresentadas até agora no inquérito são suficientes para decretar as prisões do médico e da mãe dele.

“Observa-se a necessidade inafastável da custódia cautelar, pelo prazo de 30 dias, vez que imprescindível para as diligências do inquérito policial, posto que a liberdade do indiciado compromete sobremodo a regular colheita da prova, além de configurar induvidoso risco de fuga”, disse o juiz. Os quatro foram indiciados por homicídio doloso qualificado e associação criminosa.

O crime ocorreu na noite do último dia 14. Lilian veio de Cuiabá para um procedimento de preenchimento do glúteo a ser feito por Denis Furtado. Durante o procedimento, feito no apartamento do médico na Barra da Tijuca, a paciente passou mal. Ela foi levada pelo médico para o Hospital Barra D’Or, no mesmo bairro, onde morreu na madrugada de domingo (15).

O comunicado do Poder Judiciário ressalta, ainda, que, de acordo com o inquérito, após a confirmação da morte de Lilian, um policial civil foi a um shopping na região para localizar Denis. Ele fugiu de carro assim que o policial se identificou. O documento também diz que a mãe, Maria de Fátima, teve o registro cassado de médica e é dona da clínica onde Denis atendia.

O ‘Dr. Bumbum’, tem mais de 650 mil seguidores em rede social.

O médico já tem passagem pela polícia e responde a mais de dez inquéritos, um dos quais por assassinato, porte de armas e ameaça.

A polícia apreendeu o veículo em que o médico e a namorada prestaram os primeiros socorros a paciente. Também foi apreendido um segundo veículo onde foram encontrados os medicamentos que teriam sido usados no procedimento.

Em seu site, a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP) lamentou a morte da paciente e afirmou que Denis Barros Furtado não tem formação em cirurgia plástica e realizou o procedimento em sua residência, o que é proibido.

A SBCP disponibiliza em seu site, Facebook, e-mail ou telefone, uma consulta para saber se o médico é ou não credenciado para fazer uma cirurgia plástica.

Hospital

Em nota, o Hospital Barra D’Or informou que a bancária Lilian de Lima Jamberci deu entrada na emergência do hospital no último sábado (14), às 23h, em quadro extremamente grave, não responsivo às manobras de recuperação e morreu à 01h, da madrugada do dia 15. Segundo o hospital, o caso foi informado às autoridades e está sob apuração nas devidas instâncias.’

(com informações da Agência Brasil)

Líder do PCC, traficante brasileiro é preso em Assunção

Agentes da Secretaria Nacional Antidrogas do Paraguai prenderam na tarde desta quarta-feira (18), em Assunção, o traficante Eduardo Aparecido de Almeida, de 39 anos, conhecido como Piska.

(SENAD/Divulgação)

Ele estava em uma casa de luxo, com carros importados na garagem e tentou escapar dos agentes.

Segundo o governo Paraguaio, após uma tentativa de fuga, o brasileiro foi preso em uma rua lateral, previamente vigiado pelos agentes. A prisão foi possível graças a troca de informações com a Polícia Federal e a operação que prendeu Eduardo foi comandada pela Procuradora-Geral do país, Lorena Ledesma.

(SENAD/Divulgação)

A casa, de alto padrão, fica no bairro Ykua Satí. Além de Eduardo, outro brasileiro que teria se associado ao traficante, identificado pelas autoridades paraguaias como Ricardo Moraes Alves, e um paraguaio, Carlos Alfredo Mendoza, também foram presos no local. Os agentes encontraram ainda dólares e dinheiro paraguaio.

(SENAD/Divulgação)

Liderança

Eduardo é apontado pelas autoridades paraguaias como o chefe regional do Primeiro Comando da Capital (PCC) no Paraguai e na Bolívia. A nota divulgada pela Secretaria Antidrogas indica que havia seis mandados de prisão contra o traficante expedidos pela Justiça brasileira por envolvimento em “vários crimes relacionados a tráfico de drogas e armas, associação criminosa, homicídios e sequestros”.

Segundo a Agência Brasil, Eduardo é acusado de ser um dos responsáveis pelo sequestro da mãe do ex-lateral Kléber, em 2006. Na época, o jogador atuava no Santos e também tem passagens pelo Corinthians e pelo Internacional, dentre outros clubes.

O traficante preso vai ser levado de avião para Cidade do Leste, na fronteira com o Brasil, e deve ser expulso do Paraguai. Ao ser entregue às autoridades brasileiras, ainda não se sabe para qual presídio Eduardo será levado.

Casa tinha sistema sofisticado de câmeras (SENAD/Divulgação)

(com informações da Secretaria Nacional Antidrogas do Paraguai)