Record terá atividades suspensas pelo governo de Angola

(Record África/Reprodução)

O governo de Angola vai suspender, a partir desta quarta-feira (21/04), as atividades da Rede Record, bem como de outros jornais, revistas, sites e rádios, devido a “inconformidades legais”.

O anúncio foi feito pelo secretário de Estado para a Comunicação Social, Nuno Carnaval, na noite desta segunda-feira na televisão pública angolana TPA.

O Ministério das Telecomunicações comunicou que a medida foi adotada devido a inconformidades em relação aos requisitos legais para o exercício da atividade jornalística em Angola.

O comunicado do ministério afirma que a empresa Rede Record de Televisão, que responde pela TV Record África, tem como diretor-executivo uma pessoa que não é angolana e acrescenta que os jornalistas estrangeiros da Record não estão credenciados.

Segundo Carnaval, “infelizmente, as direções destas empresas não cuidaram de corrigir o problema ao longo do tempo que vêm operando no mercado angolano”. “Por outro lado, estas empresas, enquanto não procederem a correção em conformidade com os requisitos legais, estarão suspensas do exercício da sua atividade”, disse.

“Apelamos que tratem de regularizar a sua situação enquanto empresas de canais de televisão para que possam voltar a manter o contato com a audiência.”

A Record TV África manifestou-se surpreendida com a suspensão das suas atividades e afirmou que “sempre se pautou pela legalidade nos mais de 15 anos presentes em Angola e em todo continente africano” e que pretende buscar esclarecimentos com o ministério.

A Rede Record pertence a Edir Macedo, fundador da Igreja Universal do Reino de Deus, a qual passa por uma disputa interna entre seus líderes brasileiros e angolanos. A emissora veiculou várias reportagens críticas ao governo, afirmando que os religiosos brasileiros são alvo de xenofobia em Angola.

Por Deutsche Welle

as/lf (DW, Lusa)

Celso Zucatelli é internado para tratar covid-19

Celso Zucatelli, apresentador da Record TV, foi internado para tratar da covid-19. O próprio apresentador deu a notícia aos fãs pelas redes sociais.

“Eu tô bem, mas os médicos acharam melhor eu passar uns dias aqui hospital para me acompanhar de perto. Tô com oxigênio para equilibrar a saturação e fazendo fisioterapia respiratória”, escreveu.

Zucatelli testou positivo para a doença no dia 19 de março e também informou o diagnóstico nas redes sociais. “Estou em casa, bem, com poucos sintomas, devidamente orientado por médicos fantásticos”, escreveu no dia.

O apresentador, no entando, foi orientado agora a internar para tratar a doença. “Tomamos todos os cuidados, nos isolamos o máximo possível no último ano, mas a transmissão do vírus ficou mais poderosa agora e o risco de contágio realmente é maior. Conto com as orações de vocês”.

Geraldo Luiz

Outro apresentador da Record, Geraldo Luiz também fiou internado para tratar a doença. Geraldo deixou o hospital neste fim de semana e agradeceu ajoelhado a oportunidade de voltar pra casa.

Covid-19: Geraldo Luís é internado com Infecção nos pulmões

O apresentador Geraldo Luís revelou em suas redes sociais que teve que ser internado por complicações da Covid-19. Ele testou positivo para a doença há uma semana e disse que foi para o hospital por causa de uma infecção nos pulmões.

“Faz parte da luta. Passei dias difíceis, noites com dores por todo corpo. Hoje minha médica fez novos exames, na Tomografia apontou uma infecção de 20 por cento em meus pulmões. Já́ entrou com novos medicamentos e ficarei internado para melhor cuidado do avanço de minha cura”, explicou.

Geraldo garantiu que está esperançoso e agradeceu ao carinho dos fãs. “Sigo na fé em Jesus e no amor pela vida. Tanta gente orando que me ama que me sinto no dever de passar a verdade. Hoje tive grandes avanços e as dores já́ diminuíram. Obrigado pelo carinho e preocupação de vocês, Deus abençoe a todos e se cuidem. Vacina para todos! Hoje faço uma semana que testei positivo pro Covid”, completou.

Atriz da Record, Vicky Valentim lança música

A atriz da Record TV Vicky Valentim, ex-The Voice Kids, acaba de lançar a música “Deixa de Lado”. A gravação está disponível em todas as plataformas digitais.

Composta em março deste ano, a produção foi toda feita durante o isolamento social e Vicky não precisou sair de casa.

“Gravar na quarentena foi uma experiência única, pois tive a oportunidade de ficar totalmente imersa na minha música. Tive mais tempo pra fazer tudo do jeito que eu queria e eu fiquei muito feliz com o resultado”, revela a artista.

A música marca a nova fase da artista e mostra o amadurecimento da atriz e cantora. A autoria é dela, com a parceria do Gabrieu, e produzida pelo produtor Henrique Solaria.

Record afasta Geraldo e Lombardi por risco de Covid-19

Geraldo Luis e Renato Lombardi (Reprodução)

A Record TV decidiu afastar o apresentador Geraldo Luis e o comentarista Renato Lombardi, que comandam o programa Balanço Geral para a Grande São Paulo. A medida foi adotada por causa do risco do Coronavírus, segundo publicou o próprio Geraldo em uma rede social.

“A hora é agora de nos cuidarmos. Preocupada com seu quadro de funcionários e artistas a Record Tv resolver por uma questão de saúde e vida, permitir que eu e Renato Lombardi fiquemos em casa trabalhando”, explicou Geraldo.

Além de Geraldo, segundo publicou a Revista Fórum, um editor de pós-produção foi afastado por suspeita de estar contaminado pela Covid-19, o novo Coronavírus. Outros três funcionários que tiveram contato direto com esse editor foram colocados em quarentena. Geraldo e Renato estão saudáveis.



“Eu e Lombardi somos grupos de risco. Renato pela idade, eu pela diabetes”, finaliza Geraldo Luis.

Outras emissoras

O SBT também afastou funcionários que se enquadram no perfil de risco, permitindo, inclusive, que produtores do jornalismo trabalhem de casa. A própria TV Globo suspendeu gravações de novelas e vai mudar a programação para preservar os funcionários.

Após mãe saber da morte da filha pela TV, ONG aciona MPF

Intervozes entrou com representação no Ministério Público Federal contra Cidade Alerta, da Record, por violação de direitos humanos

Apresentador Luiz Bacci conta ao vivo à mãe que filha foi assassinada (Reprodução)

Apresentador Luiz Bacci conta ao vivo à mãe que filha foi assassinada | Foto: reprodução
Uma mãe desmaia ao saber da morte da filha, que estava desaparecida e foi assassinada pelo ex-namorado. A notícia é dada durante um programa de televisão ao vivo em rede nacional. Isso aconteceu na última segunda-feira (17/2) no Cidade Alerta, programa policialesco da Record TV.

A família não tinha notícias da jovem desde o dia 8 de fevereiro. Na reportagem, a mãe da vítima compartilhou com os telespectadores que tinha esperança de encontrar a filha viva. Minutos depois, o apresentador Luiz Bacci dá a notícia de que a filha foi vítima de feminicídio.

Diante disso, o Intervozes, coletivo de comunicação que pesquisa programas policialescos, entrou com uma representação no Ministério Público Federal, por meio da Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão, acusando a emissora de violar os direitos humanos e as normas da radiodifusão vigentes no Brasil.

A jornalista Iara Moura, integrante da executiva do Intervozes, conversou com a Ponte sobre a representação (confira o documento na íntegra aqui). Par ela, o episódio não demonstra ser um caso isolado: “é um modelo de negócios cujo padrão é a violação de direitos humanos”.

Na representação, o capítulo da Constituição Federal, que versa sobre o respeito que as liberdades de expressão e de informação devem ser seguir, foi relembrado.

“A liberdade de expressão não é desculpa para o cometimento desse tipo de violação, ainda mais por ser um padrão de produção de conteúdo desses programas policialescos para chamar atenção da audiência e produzir lucro”, aponta.

Segundo as normas de radiodifusão, a liberdade não pode anular a punição dos que praticam abusos no seu exercício. Ou seja, as concessionárias de radiodifusão, como as emissoras de televisão, não podem permitir a transmissão de programas que atentem contra o sentimento público, expondo pessoas a situações que causam constrangimentos.

“A violação da intimidade e a vitimização não só da vítima de feminicídio, mas dos familiares, por exposição indevida, são absurdos que não podemos mais tolerar na TV brasileira”, crava Moura.

Com a representação, o Intervozes espera responsabilização jurídica, comercial e ética do apresentador e da emissora.

A reportagem procurou a Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão, do Ministério Público Federal. O órgão informou que recebeu o documento enviado pelo Intervozes na última quarta-feira (19/2) e que medidas cabíveis serão tomadas.

Outro lado

O apresentador Luiz Bacci se posicionou em seu Instagram. Nos vídeos publicados, ele afirmou que “foi mais um caso que terminou de maneira triste” e que “já havia vários indícios de que isso teria acontecido pela forma violenta de como o Carlos tratava a namorada”.

Bacci também disse que “qualquer parente passaria mal com uma notícia dessas” e que “isso também nos machucou muito, mesmo isso sendo parte do nosso dia a dia”.

A Ponte procurou a Record TV e o programa Cidade Alerta, mas, até o momento de publicação desta matéria, não obteve retorno.

Por Paloma Vasconcelos – Repórter da Ponte

Infarto mata jornalista Paulo Henrique Amorim

Aos 77 anos, morreu na madrugada de hoje (10) o jornalista Paulo Henrique Amorim. Ele estava em casa, no Rio de Janeiro, e sofreu um infarto fulminante, segundo o portal Uol.

Paulo Henrique, que, além de atuar na Record TV nos últimos anos, também comandava o portal Conversa Afiada, havia acabado de retornar de um jantar com amigos.

Na Record desde 2003, o jornalista começou a carreira no jornal A Noite, em 1961. Foi correspondente internacional, passando pelos principais veículos de comunicação do país.

Na Record, apresentou o Jornal da Record segunda edição, ajudou a criar a revista eletrônica Tudo a Ver e, em 2006, assumiu a apresentação do Domingo Espetacular, onde ficou até junho deste ano. 

Amorim deixa uma filha e a mulher, a jornalista Geórgia Pinheiro.

Record TV: Adriana Araújo vai apresentar JR direto do Rio

(Antonio Chahestian/Record TV/Reprodução)

O principal jornal da Record TV será ancorado do Rio de Janeiro nesta quinta-feira (7).  O temporal que atingiu a capital fluminense provocou estragos e mortes, e a decisão da direção nacional de jornalismo é oferecer uma cobertura especial durante o Jornal da Record.

A emissora deslocou para o Rio a apresentadora Adriana Araújo, que vai apresentar as notícias sobre a chuva. Celso Freitas, que divide bancada com Adriana, ficará em São Paulo.

Adriana embarcou para o Rio de Janeiro durante a tarde.

Serviço

Jornal da Record

Horário: 21h45

https://spagora.com.br/sobe-para-seis-o-numero-de-mortos-durante-temporal-no-rio/

Corpo de Wagner Montes será cremado hoje à tarde

Por Vitor Abdala

Corpo de Wagner Montes, jornalista e deputado federal eleito pelo Rio de Janeiro, é velado na Assembléia Legislativa (Carlos Brito/G1/Reprodução)

O corpo do deputado estadual e jornalista Wagner Montes será cremado na tarde de hoje (27) no Crematório e Cemitério da Penitência, no Caju, na zona portuária do Rio de Janeiro. Segundo o cemitério, a cerimônia, que acontece das 12h30 às 14h, será aberta apenas à família e a amigos próximos.

O deputado está sendo velado desde as 20h de ontem no saguão do Palácio Tiradentes, sede da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj).



Wagner Montes tinha 64 anos (Record TV/Reprodução)

Wagner Montes morreu na manhã de ontem (26), aos 64 anos, de infecção generalizada e falência múltipla dos órgãos. De acordo com a Alerj, o parlamentar enfrentava desde 2017 uma série de problemas de saúde e estava, há uma semana, internado em um hospital do Rio.

Advogado por formação, Montes iniciou sua carreira jornalística em 1974, na Rádio Tupi, e ficou conhecido pela apresentação de vários programas como Aqui e Agora, do SBT, e Balanço Geral, da TV Record.

Era deputado estadual desde 2006. Em 2010, foi o parlamentar estadual mais votado da história do Rio de Janeiro, com 528 mil votos. No ano passado, foi eleito deputado federal.

Morre Wagner Montes, apresentador e deputado federal

Wagner Montes (Record TV/Reprodução)

O apresentador Wagner Montes, da Record TV Rio, morreu neste sábado (26) depois de ser internado há dois dias para tratar uma infecção urinária. Wagner era também deputado federal pelo Rio, eleito em 2018.

Wagner tinha 64 anos.

Trajetória

Wagner Montes, conhecido pela irreverência e luta social que marcaram seu trabalho ao longo de 35 anos como jornalista de TV, nasceu em Duque de Caxias, no dia 18 de julho de 1954, e comandava o Cidade Alerta RJ.

Em 1974, estreou na Rádio Tupi, passando, em 1979, para a TV, onde os programas “Aqui e Agora”, na extinta TV Tupi, e “O Povo na TV”, na TVS – hoje, SBT. Em 1997, foi contratado pela CNT, passou a ter um programa próprio, o “Programa Wagner Montes”, e lançou o “Novos Talentos”, que ia ao ar todo sábado. Convidado pela Rede Record em 2003, o apresentador estreou na emissora à frente do programa “Verdade do Povo” e, com a popularidade em alta, o apresentador passou a comandar, em 2005, o “Balanço Geral”, cujos índices de audiência vêm impondo às emissoras concorrentes mudanças profundas na grade de programação. Foi no “Balanço Geral” que “Escracha”, seu bordão, surgiu.

Além de jornalista, ele também era advogado e deputado estadual. Em 2006, Wagner decidiu se candidatar a deputado e, em 2007, criou a coluna semanal “Escracha” devido ao imenso sucesso do seu bordão. Em 2010, com 528.628 votos, destacou-se como o deputado mais votado da história do Estado do Rio de Janeiro. Na eleição de 2014, foi reeleito, mais uma vez, com uma votação expressiva.

Em 2018 foi eleito deputado federal.