CPTM fará viagens diretas de Jundiaí a Rio Grande da Serra

Trem da CPTM (Governo do Estado de SP)

A partir de hoje (4) a Companhia Paulista de Trens Metropolitanos disponibiliza trens que vão direto de Jundiaí, ao norte da Grande São Paulo, até Rio Grande da Serra, no sudeste da região metropolitana. A mudança elimina a necessidade de baldeações na Estação Brás.

O novo percurso tem duração estimada de 2 horas e 8 minutos e percorre 31 estações, das linhas 7 – Rubi e 10 – Turquesa. Segundo o secretário estadual de Transporte Metropolitanos de São Paulo, Alexandre Baldy, a alteração atende a uma demanda antiga dos usuários do sistema. “O Serviço 710 irá atender esse pedido tão justo e importante”, enfatiza.

A mudança também deve reduzir o tempo de espera nas estações. Entre as estações Francisco Morato (Linha Rubi) e Mauá (Linha Turquesa), onde o fluxo de passageiros é maior, a previsão é que o intervalo entre os trens fique em média em 6 minutos. Nas pontas das linhas, o tempo entre uma composição e outra deve ficar em média em 12 minutos.

Por Daniel Mello, da Agência Brasil

Cidades do ABC compram 1 milhão de testes de Covid-19

(Arquivo/Michael Schwenk/Fotos Públicas)

O Consórcio Intermunicipal Grande ABC, que reúne prefeitos da região, anunciou a compra de 1 milhão de kits para testes de covid-19. A remessa será dividida proporcionalmente, conforme o total de habitantes, entre os municípios representados, que são: Santo André, São Bernardo do Campo, São Caetano do Sul, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra.

Em nota, a entidade destaca que a aquisição permitirá aplicar os testes em 36% da população da região. A previsão é de que a compra seja feita até o fim da semana, de modo que o material esteja disponível até a segunda quinzena de abril. Com um custo de US$ 0,80 por kit, o valor estimado da compra é R$ 4,8 milhões e será coberto por recursos do Fundo Municipal de Saúde.

Outra decisão tomada é o lançamento de um programa emergencial de combate à fome nos sete municípios, que deverá ocorrer ainda esta semana. Ao todo, serão distribuídas 20 mil cestas básicas e kits de higiene. A medida foi sugerida após os prefeitos avaliarem que “a ajuda financeira do governo federal será insuficiente para atender a todas as pessoas”. Atualmente, cerca de 80 mil famílias da região estão cadastradas no Bolsa Família.

Diálogo com governo federal

O grupo de prefeitos também informou que irá remeter um documento ao ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, em que pede orientações sobre quais procedimentos devem ser adotados frente à pandemia. O discurso do presidente Jair Bolsonaro, em defesa da suspensão das medidas de isolamento social, recomendadas por inúmeros especialistas, incluindo a Organização Mundial da Saúde (OMS), tem preocupado os membros do consórcio. Os prefeitos reconhecem que “questionam se o governo federal assumirá também as responsabilidades no caso dessa determinação provocar mais óbitos”.

O consórcio também adianta que solicitará ao governo federal um estudo que lhes dê subsídio necessário para mensurar a capacidade de atendimento do Sistema Único de Saúde (SUS), a fim de evitar o colapso da rede. A possibilidade de sobrecarga do SUS foi alertada pelo próprio ministro, no início da pandemia.

De acordo com balanço apresentado pelo Ministério da Saúde, até a tarde desta segunda-feira (30), o Brasil contabilizava 4.579 casos confirmados de covid-19. O total de mortes chega a 159. O sudeste concentra mais da metade (55%) das infecções pelo coronavírus, sendo que o estado de São Paulo responde por 1.517 dos registros e 113 óbitos.

Por Letycia Bond – Repórter da Agência Brasil

Pandemia faz 7 cidades do ABC paralisar ônibus

(Arquivo/Nivaldo Lima/SP Agora)

Após assembleia realizada na manhã de hoje (18), o Consórcio Intermunicipal Grande ABC, que reúne prefeitos da região, decidiu suspender a circulação de ônibus municipais a partir do dia 29 de março, por tempo indeterminado. As cidades que terão o serviço alterado serão Santo André, São Bernardo do Campo, São Caetano do Sul, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra, que têm representantes no consórcio. 

Somente os veículos do sistema de transporte público municipal irão parar, ou seja, a medida não abrange aqueles que são de responsabilidade do governo estadual de São Paulo. As frotas já serão reduzidas a partir desta quarta-feira. 

Em entrevista à Agência Brasil, o presidente do consórcio, Gabriel Maranhão, disse que a posição geográfica da região exige medidas como a que foi agora tomada, devido à proximidade com o Aeroporto de Guarulhos, o Porto de Santos e a capital paulista. Ele também afirmou que os prefeitos que integram o consórcio esperam do governo federal “uma atitude mais pró-ativa”. 



“A gente vê, realmente, uma situação muito preocupante e fica esperando uma atitude mais corajosa e responsável por parte do governo federal”, afirmou Maranhão, atual prefeito de Rio Grande da Serra, município localizado a 55 quilômetros da capital.

Segundo Maranhão, o perfil demográfico do ABC paulista é outro fator que justifica a medida. Ele informou que, ao todo, há 432 mil idosos vivendo na região e somente 1.300 leitos hospitalares, o que poderia causar uma sobrecarga do sistema de saúde. 

O presidente do consórcio acrescentou, ainda, que, além de fazer um comunicado oficial sobre a mudança no transporte público, cada prefeito também irá editar um decreto declarando situação de emergência, nos próximos dias. Também ficou decidido na reunião que os prefeitos vão garantir o transporte de funcionários que prestem serviços essenciais, por meio da contratação de linhas particulares.

“O mais importante agora é a população se precaver, ficar em casa e evitar que a pandemia se alastre da forma como se alastrou na Europa”, disse. A medida faz parte do esforço regional para conter o avanço do novo coronavírus (Covid-19), que configura pandemia, diz nota do consórcio.

Por Letycia Bond – Repórter da Agência Brasil 

Sarampo: 39 cidades têm vacinação para bebês; veja lista

(Tomaz Silva/Agência Brasil)

A partir desta segunda-feira (12), São Paulo vai vacinar contra sarampo bebês com idade entre 6 meses a menores de 12 meses de 39 cidades paulistas que registraram casos da doença. A medida inclui ainda a aplicação de doses em crianças nessa faixa etária que vão se deslocar para essas cidades. Nesses casos, a vacinação deve ser feita pelo menos 15 dias antes das viagens.

A vacina tríplice viral protege contra sarampo, rubéola e caxumba. A aplicação da chamada “dose D” visa proteger as crianças e não será contabilizada no calendário nacional de vacinação da criança, ou seja, os pais ou responsáveis deverão levar as crianças aos postos para receber a tríplice viral aos 12 meses e também aos 15 meses para aplicação do reforço com a tetraviral, que protege também contra varicela.

Após a aplicação da “dose D”, é preciso aguardar pelo menos 30 dias para aplicação da tríplice aos 12 meses, como prevê o calendário. A relação dos municípios com indicação será atualizada semanalmente, com base na situação epidemiológica. Se necessário, novos municípios serão incluídos nesta estratégica. Os casos entre crianças menores de 12 meses de idade representam 13,6% dos 967 casos existentes no Estado hoje. 80% do total de casos se concentram na capital, com 778.
Vale ressaltar que a  campanha de vacinação contra sarampo focada em jovens de 15 a 29 anos continua em 15 municípios da Grande São Paulo. Desde 10 de junho, 1,2 milhão de pessoas nessa faixa etária foram imunizadas. A meta é vacinar 4,4 milhões até o dia 16 de agosto, data de encerramento da campanha.

Relação das cidades que requerem imunização de bebês de 6 a menores de 12 meses:
· Atibaia
· Barueri
· Caçapava
· Caieiras
· Campinas
· Capital – São Paulo
· Carapicuiba
· Diadema
· Embu
· Estrela D’Oeste
· Fernandópolis
· Francisco Morato
· Guarulhos
· Hortolândia
· Indaiatuba
· Itapetininga
· Itaquaquecetuba
· Jales
· Jundiaí
· Mairiporã
· Mauá
· Mogi das Cruzes
· Osasco
· Peruíbe
· Pindamonhangaba
· Praia Grande
· Ribeirão Pires
· Ribeirão Preto
· Rio Grande da Serra
· Santo André
· Santos
· São Bernardo do Campo
· São Caetano do Sul
· São José do Rio Preto
· São José dos Campos
· Sorocaba
· Sumaré
· Taboão da Serra
· Taubaté

*Conteúdo Secretaria Estadual da Saúde

Leia também

https://spagora.com.br/cameras-gravam-casal-de-andarilhos-colocando-fogo-em-mulher/