Fachada do banco onde houve ataque durante a noite. Ao lado aparece carro com portas abertas.

Bandidos atacam banco e batalhão da PM

Criminosos fortemente armados atacaram a sede do Batalhão da Polícia Militar (PM) de Itajubá e assaltaram uma das agências bancárias da Caixa Econômica Federal instaladas na cidade do sul de Minas Gerais, localizada a menos de 50 quilômetros da divisa com o estado de São Paulo.

Parte da ação do bando foi filmada por moradores da cidade. Em vídeos compartilhados nas redes sociais é possível ver pessoas correndo pelas ruas do centro da cidade e ouvir centenas de disparos de armas de fogo.

Pouco antes da meia-noite de quarta-feira (22), parte dos bandidos atacou o batalhão da PM a fim de reter os policiais militares enquanto seus comparsas invadiam a agência da Caixa. Armados com fuzis, os criminosos trocaram tiros com os policiais militares e bloquearam algumas das vias centrais da cidade.

Fachada do banco onde houve ataque durante a noite. Ao lado aparece carro com portas abertas.
(Reprodução)

Segundo a PM, um policial foi atingido por um tiro de fuzil e teve que ser operado. Outros três agentes sofreram ferimentos leves ao serem atingidos por estilhaços. Uma outra pessoa que passava pelo local foi alvejada na perna e levada para o hospital. O estado de saúde e os nomes dos cinco feridos não foram divulgados.

Na sequência, os bandidos fugiram utilizando ao menos cinco veículos. Ainda no início da madrugada, a prefeitura de Itajubá pediu calma à população. Pelas redes sociais, a prefeitura recomendou que as pessoas evitassem sair às ruas e permanecessem em locais seguros.

Já a Polícia Civil de Minas Gerais informou à Agência Brasil que, as 10h de hoje (23), as forças de segurança estaduais continuavam “no rastro” de suspeitos de participação no crime. “A ocorrência encontra-se em andamento”, reiterou a corporação, em nota.

Viaturas da Polícia Federal estacionada em rua onde foram realizadas buscas.

PF prende mais 15 envolvidos no roubo a banco em Araçatuba

A Polícia Federal  (PF) prendeu hoje (16) mais 15 pessoas acusadas de participar do roubo a bancos em Araçatuba, interior paulista, em agosto deste ano. Ao todo, já foram presas 32 pessoas acusadas pelo mega assalto.

A ação de hoje teve apoio da Polícia Militar de São Paulo e envolveu 90 agentes federais. Foram realizadas ainda, além das prisões, 21 ações de busca e apreensão nas cidades de Araçatuba (SP), Osasco (SP), Campinas (SP), Santo André (SP), Guarulhos (SP), Monte Mor (SP), Foz do Iguaçu (PR) e na capital paulista.

Viaturas da Polícia Federal estacionada em rua onde foram realizadas buscas.
Equipe da PF em um dos endereços alvos da operação (PF/Reprodução)

A PF tem atuado para identificar os diversos núcleos que participaram da ação. Segundo as investigações, os criminosos se dividem por funções, com responsáveis por monitorar a ação da polícia, os que adquirem veículos para a realização do assalto e fuga e os que somente financiam o crime, participando dos lucros posteriores.

A estimativa da PF é que, nos diversos níveis de participação, incluindo os que efetivamente fizeram o roubo, cerca 50 pessoas estão envolvidas no crime.

O assalto

(Reprodução)

Na madrugada do dia 30 de agosto, um grupo atacou com explosivos duas agências bancárias – uma do Banco do Brasil e outra da Caixa Econômica Federal – em Araçatuba, no interior paulista. Os ladrões também espalharam explosivos por diversos pontos da cidade.

Na fuga, houve troca de tiros com a polícia e reféns foram usados como escudo, colocados até sobre os capôs dos carros da quadrilha. Três pessoas, incluindo dois assaltantes, morreram na ação  e mais três pessoas ficaram feridas.

por Agência Brasil

Equipes da Polícia Federal saem em comboio da sede da PF

Quadrilha que atacava caixa eletrônico é alvo da PF em São Paulo

A Polícia Federal (PF) deflagra, nesta quarta-feira (10), a segunda fase da Operação Pesca Urbana, para desarticular organização criminosa especializada em furtos em terminais de autoatendimento de agências da Caixa Econômica Federal e de outras instituições financeiras. Somente em 2021, 545 ocorrências vinculadas à organização criminosa foram registradas em unidades da PF em todo o Brasil.

Policiais federais cumprem 18 mandados de prisão preventiva, 34 de busca e apreensão e medidas que assegurem o bloqueio de bens nos estados de São Paulo,da  Bahia, de Santa Catarina, Mato Grosso do Sul, Sergipe e do Espírito Santo. 

O grupo é investigado pelas unidades da Polícia Federal em Caxias do Sul (RS), Porto Alegre (RS), Salvador (BA), Palmas (TO), Maringá (PR) e Aracaju (SE). As investigações contam ainda com o apoio da Força-Tarefa de Segurança Publica da Polícia Federal em Uberlândia (MG) e a colaboração da Superintendência Regional de São Paulo.

As apurações começaram em janeiro de 2021, a partir do ataque da organização criminosa a nove agências da Caixa Econômica Federal na Serra Gaúcha, resultando na deflagração da primeira fase da Operação Pesca Urbana, relizada em abril de 2021. 

Após a deflagração da primeira fase da operação, a organização criminosa prosseguiu com ataques a agências da Caixa nas regiões da Grande Porto Alegre, do litoral do Rio Grande do Sul e em outros estados.

A ação de hoje visa à prisão de membros da organização, a apreensão de novos elementos de provas e de bens adquiridos com o produto dos crimes para ressarcir os prejuízos causados. Até agora, 49 pessoas envolvidas com a organização criminosa já haviam sido presas em flagrante por furto a agências bancárias em diversos estados.

Os investigados responderão pelos crimes de furto qualificado, organização criminosa e outras práticas criminosas que venham a ser identificadas na sequência das investigações.

A operação foi denominada Pesca Urbana em razão do sistema utilizado pelo grupo criminoso para “fisgar” envelopes com valores depositados em terminais de autoatendimento de agências bancárias.

Por Agência Brasil

Preso mais um suspeito do mega assalto de Araçatuba

(Polícia Federal/via Agência Brasil)

A Polícia Federal (PF) prendeu hoje (4) em Campinas (SP) mais uma pessoa suspeita de participar do roubo a bancos em Araçatuba, no interior paulista, em agosto. Foram cumpridos dois mandados de busca e apreensão, sendo um deles em Hortolândia (SP) e o outro em Campinas.

Até o momento, a PF já realizou 17 prisões de pessoas suspeitas de participação no assalto, além de ter cumprido 56 ordens de busca e apreensão.

Assalto

(Reprodução)

Na madrugada do dia 30 de agosto, um grupo atacou com explosivos duas agências bancárias – uma do Banco do Brasil e outra da Caixa Econômica Federal – em Araçatuba, no interior paulista. Os ladrões também espalharam explosivos por diversos pontos da cidade.

Na fuga, houve troca de tiros com a polícia e reféns foram usados como escudo, colocados até sobre o capô dos carros da quadrilha. Três pessoas, incluindo dois assaltantes, morreram na ação, e pelo menos três ficaram feridas.

Por Agência Brasil

Polícia Federal prende mais seis suspeitos de assalto a banco

(Reprodução)

A Polícia Federal (PF) cumpriu hoje (28) um mandado de prisão temporária e dois de busca e apreensão em Guararapes, no interior paulista, a partir das investigações sobre o roubo a banco em Araçatuba, ocorrido em agosto. Outra ordem de busca e apreensão foi realizada em Agudos, em São Paulo.

Segundo a PF, as investigações apontaram mais um suspeito de ter participado do crime. Até o momento, 16 pessoas já foram presas por suspeita de envolvimento com o assalto. A polícia diz que continua apurando quem foram os integrantes do grupo criminoso que fez o roubo.

Assalto

Na madrugada do dia 30 de agosto, um grupo atacou com explosivos duas agências bancárias – uma do Banco do Brasil e outra da Caixa Econômica Federal – em Araçatuba, no interior paulista. Os ladrões também espalharam explosivos por diversos pontos da cidade.

Na fuga, houve troca de tiros com a polícia e reféns foram usados como escudo, colocados até sobre o capô dos carros da quadrilha. Três pessoas, incluind

Por Agência Brasil

Presos mais sete suspeitos de participar de assalto a banco em Araçatuba

(Polícia Federal/via Agência Brasil)

A Polícia Federal prendeu hoje (14) sete pessoas suspeitas de participação no assalto ocorrido na cidade de Araçatuba, no interior do estado, em agosto. Segundo o órgão, as buscas continuam para a captura de um oitavo suspeito.

Na operação de hoje, a Polícia Federal também cumpriu 24 mandados de busca e apreensão no estado de São Paulo, sendo seis na capital, um em Campinas, um em Águas de Santa Bárbara, três em Mairiporã, três em Osasco, cinco em Guarulhos, dois em Cotia, um em Itapecerica da Serra e dois em Itapevi.

A ação envolveu mais de 100 policiais federais e contou com o apoio da Polícia Militar de São Paulo e do Batalhão de Ações Especiais da Polícia Militar (Baep) de Campinas.

Até o momento, segundo a Polícia Federal, 15 pessoas envolvidas no crime já foram presas e 51 mandados de buscas e apreensões já foram cumpridos desde o assalto. “A Polícia Federal segue empenhada na identificação completa da organização criminosa e seguindo todas as linhas de investigação possíveis”, diz o órgão, em nota.

O assalto

Na madrugada do dia 30 de agosto, um grupo atacou com explosivos duas agências bancárias – uma do Banco do Brasil e outra da Caixa Econômica Federal – em Araçatuba, no interior paulista. Os ladrões também espalharam explosivos por diversos pontos da cidade.

Na fuga, houve troca de tiros com a polícia e reféns foram usados como escudo, colocados sobre o capô dos carros da quadrilha. Na ação, três pessoas morreram e pelo menos outras três ficaram feridas.

Por Agência Brasil

Viaturas da Polícia Federal estacionada em rua onde foram realizadas buscas.

Operação da PF apura roubo a banco de Araçatuba

Equipe da PF em um dos endereços alvos da operação (PF/Reprodução)

A Polícia Federal (PF) cumpriu hoje (1º) quatro mandados de busca e apreensão como parte da investigação de assaltos a agências bancárias em Araçatuba (SP) no último dia 30 de agosto. A polícia informou que já foram cumpridos 32 mandados relativos ao crime, sendo cinco prisões temporárias e 27 ordens de busca e apreensão.

Ainda de acordo com a PF, estão sendo colhidos elementos que vão permitir a identificação e prisão de mais integrantes da organização criminosa responsável pelos assaltos. Já foram presas oito pessoas acusadas de envolvimento no roubo.

Ataque com explosivos

Na madrugada do dia 30 de agosto, um grupo atacou com explosivos duas agências bancárias – uma do Banco do Brasil e outra da Caixa Econômica Federal – em Araçatuba, no interior paulista. Os ladrões também espalharam explosivos por diversos pontos da cidade.

Na fuga, houve troca de tiros com a polícia e reféns foram usados como escudo, colocados sobre o capô dos carros da quadrilha. Três pessoas, incluindo dois assaltantes, morreram na ação, e pelo menos outras três ficaram feridas.

Por Agência Brasil

Justiça solta suspeito de financiar mega assalto em Araçatuba

(Reprodução)

Um homem preso por suspeita de financiar assaltos a agências bancárias de Araçatuba (SP) foi solto após passar por audiência de custódia. O Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP) informou que as prisões em flagrante dos indiciados foram relaxadas. 

“Eles foram presos em Sorocaba pelo crime de associação criminosa, previsto no artigo 3º da Lei n.º 12.850/13. No entanto, o juízo do plantão de Sorocaba entendeu que não havia indício que os vinculasse ao caso de Araçatuba, porque não houve apreensão de nenhum instrumento ou produto de crime relacionado ao caso em poder dos autuados (dinheiro, armas, explosivos etc.), com exceção de uma denúncia anônima. Por essa a razão, foi determinado o relaxamento das prisões em flagrante”, informou o tribunal, em nota. 

O suspeito Paulo César Gabrir, de 33 anos, a esposa dele, Michele Maria da Silva, de 40 anos, e o jovem Emerson Henrique Dias, 25 anos, foram presos em Sorocaba (SP). A mulher e o jovem também foram soltos. 

O crime

Três agências bancárias foram atacadas por criminosos fortemente armados na região central de Araçatuba (SP), na madrugada do dia 30 de agosto. Duas agências bancárias tiveram seus caixas danificados por ação de explosivos e outras agências foram foram atingidas por disparos de arma de fogo. Três pessoas morreram e três ficaram feridas. Até o momento, quatro suspeitos continuam presos.

Por Ludmila Ferreira – repórter da Agência Brasil 

Preso suspeito de financiar mega assalto em Araçatuba

Roubo a banco em Araçatuba (Rede social/Reprodução)

A Polícia Civil prendeu, em Sorocaba, interior de São Paulo, um homem de 33 anos, apontado como o financiador dos ataques contra instituições financeiras em Araçatuba, no último dia 30. Ele admitiu ter financiado a operação para roubar bancos e revelou informalmente que a logística do plano de invasão da cidade custou R$ 600 mil.

Outros dois suspeitos foram detidos em casa: uma comerciante, que constava como foragida por tráfico, e um mecânico, que saiu recentemente de um presídio na região de Araçatuba. Todos foram autuados por organização criminosa. As prisões ocorreram no feriado de ontem (7).

As ações que resultaram nas prisões foram realizadas por policiais da 1ª Delegacia da Divisão de Investigações Sobre Crimes Contra o Patrimônio (Disccpat), do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic). Eles receberam informações sobre um homem que mantinha um padrão alto de consumo, ostentava veículos de luxo e poderia estar envolvido na invasão a bancos de Araçatuba.

Os policiais fizeram uma busca na residência dele e encontraram uma grande quantidade de documentos relacionados ao crime organizado que indica a presença do suspeito em atividades em vários estados.

Outros cinco suspeitos de envolvimento nos crimes já haviam sido detidos pela polícia. Os materiais foram encaminhados à Polícia Federal, que prosseguirá as investigações.

Por Flávia Albuquerque – Repórter da Agência Brasil 

Polícia prende mais dois envolvidos em mega assalto de Araçatuba

A Polícia Civil prendeu nesta sexta-feira (3) dois suspeitos de participarem do ataque a três agências bancárias no Centro de Araçatuba, no interior de São Paulo. Os dois homens foram presos durante operação contra o tráfico de drogas em São Pedro, na região de Piracicaba. Sete pessoas suspeitas de envolvimento na ação realizada na madrugada desta segunda-feira (30) foram presas.

De acordo com a polícia, um dos homens era foragido por homicídio e chegou a apresentar um documento falsificado após ser encontrado em um sítio. Foram apreendidas e encaminhadas para perícia roupas táticas, coletes balísticos, lanternas, binóculos, máquina para contar dinheiro, munições, carros, e cerca de R$ 3 mil.

Os suspeitos foram enviados para a sede do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic), em São Paulo, para prestar depoimentos. Os dois devem ser transferidos para o Centro de Detenção Provisória (CDP) do Belém.

Por TV Cultura