Santos vai investir R$ 78 milhões em obras de infraestrutura

Região montanhosa de Santos mostra morro cercado por moradias e prédios.

Obras de infraestrutura e saneamento básico vão receber um investimento de R$ 78 milhões em Santos. O anúncio foi feito pela Prefeitura da cidade, que conseguiu o recurso por meio de um financiamento da Caixa Econômica Federal.

“O financiamento foi aprovado pela Câmara Municipal de Santos em sessão realizada em setembro do ano passado, por meio da Lei 3.904, publicada nas páginas 17 e 18 da edição do dia 28 de setembro do Diário Oficial de Santos”, informa o município, em nota.

O planejamento prevê R$ 35 milhões para obras de pavimentação, drenagem, estabilização de encostas, reurbanização de escadarias dos morros, entre outras melhorias.

Região montanhosa de Santos mostra morro cercado por moradias e prédios.
(Arquivo/Leandro Frota/Pref. de Santos)

Os outros R$ 43 milhões serão utilizados em obras maiores de contenção e drenagem, além de outras intervenções.

“Nós estamos trabalhando para que isso não aconteça mais”, disse Rogério Santos, sobre o sdeslizamentos ocorridos em 2020. “Foram dois anos na construção desta pauta, que vem se concretizando nas diversas obras de contenção e que, por meio dessa parceria com a Caixa, poderá avançar ainda mais”.

25 mil passageiros deixarão de embarcar em cruzeiros no litoral de SP durante suspensão

25 mil passageiros deixarão de embarcar em cruzeiros no litoral de SP durante suspensão

Cerca de 25 mil passageiros deixarão de embarcar em cruzeiros no Porto de Santos, no litoral de São Paulo, durante a suspensão da temporada. A medida foi tomada após casos de Covid-19 a bordo das embarcações. A previsão de retomada é a partir de 21 de janeiro, mas ainda não há definição sobre o assunto. A temporada movimentaria R$ 1,7 bilhão e geraria 24 mil empregos ao longo de toda a sua duração, segundo dados da Associação Brasileira de Navios de Cruzeiros (Clia).

Durante o período de suspensão dos cruzeiros, estavam previstas para acontecer 12 escalas no cais santista. Elas seriam realizadas por quatro dos cinco cruzeiros que compõem a temporada brasileira, segundo informou o Terminal Marítimo de Passageiros (Concais).

O impacto financeiro causado pela suspensão atingirá todas as empresas e profissionais ligados aos navios. O terminal, no entanto, não informou qual será o prejuízo pelas viagens suspensas.

No entanto, o terminal revelou que contratou 280 funcionários para trabalhar exclusivamente durante a temporada de cruzeiros, mais outros 90 funcionários terceirizados que atuavam por dia de embarque.

Segundo o Concais, a estrutura do terminal deve ser mantida durante o período de suspensão da temporada. A expectativa é de receber os “turistas que embarcariam nesse período, uma vez que os passageiros têm a oportunidade da remarcação das viagens”, disse o Concais, em nota.

R$ 1,7 bilhão por temporada, diz Clia

Um estudo da Clia Brasil, em parceria com a Fundação Getúlio Vargas, estima que cada navio gera em torno de R$ 350 milhões de impacto para a economia brasileira. No total, seriam gerados R$ 1,7 bilhão ao setor nesta temporada.

A cada 13 cruzeiristas, em média um emprego é gerado, em uma cadeia extensa de diversos setores da economia, como comércio, alimentação, transportes, hospedagem, serviços turísticos, agenciamento, receptivos e combustíveis, por exemplo, em todos os portos envolvidos na temporada.

De acordo com a Associação dos Profissionais de Turismo, todos os profissionais de turismo estão empenhados e prontos para apoiar e colaborar com a correta orientação e divulgação de todos os protocolos junto aos turistas.

“Conhecemos a capacidade de superação de nossa indústria, e estamos convictos de que, em breve, todos os procedimentos que serão adotados na temporada brasileira servirão de modelo para a retomada do segmento de cruzeiros marítimos em outros países do mundo”, disse a associação, em nota.

Suspensão
A temporada de cruzeiros foi suspensa voluntariamente pela Associação Brasileira de Navios de Cruzeiros na segunda-feira (3), após casos de Covid serem confirmados a bordo e dois navios entrarem em quarentena.

A pausa servirá para que a associação trabalhe para encontrar um alinhamento com o Governo Federal e autoridades locais na interpretação e aplicação de protocolos operacionais de saúde e segurança. A previsão é que a temporada retorne em 21 de janeiro.

Procon tenta reunião com empresas de cruzeiros para garantir direitos de quem teve viagem cancelada

Dias antes, a Anvisa já havia divulgado uma recomendação pelo imediato cancelamento das viagens de cruzeiro nesta temporada, alegando “urgência” e apontando “risco à saúde pública”. O Ministério da Saúde, por sua vez, divulgou que avaliaria as medidas cabíveis.

Em um posicionamento na quarta-feira (5), o Ministério do Turismo informou que permanece participando de reuniões no âmbito do governo federal com municípios, estados e empresas para juntos reavaliarem a possibilidade do retorno das atividades no menor tempo possível.

“Cabe registrar que qualquer decisão será tomada por parte das autoridades sanitárias competentes à luz de critérios técnicos condizentes com o cenário epidemiológico do país e amparados em práticas já seguidas em outras partes do mundo para que, desta forma, possamos garantir segurança de turistas e tripulação desta que é uma atividade extremamente importante para o turismo e a economia do país”, disse o Ministério do Turismo, em nota.

Situação dos navios

Segundo a Anvisa, há atualmente cinco navios de cruzeiros operando em águas brasileiras. As informações foram atualizadas na quinta-feira (6) pelo órgão.

O Costa Diadema teve a operação interrompida no dia 30 de dezembro, e está classificado no cenário epidemiológico 4. A embarcação chegou ao Porto de Santos para o desembarque de passageiros e tripulantes a bordo. A companhia marítima Costa Cruzeiros anunciou o cancelamento das próximas duas saídas do navio, que entrou em quarentena e permanece em Santos. Dentre os tripulantes, há 204 casos positivos de Covid-19.

O navio MSC Preziosa atracou na manhã de domingo no Porto do Rio de Janeiro, quando 28 pessoas desembarcaram para cumprir dez dias de isolamento. A embarcação está no nível 3 do cenário epidemiológico. Após o desembarque, ele seguiu para Maceió, Salvador e, quando estava em Ilhéus, o transatlântico antecipou o retorno para o Rio por conta da suspensão da temporada. O desembarque dos passageiros aconteceu nesta quarta-feira (5), no Rio de Janeiro.

A embarcação reporta oito casos de Covid-19 entre os passageiros, e os registros entre os tripulantes somam atualmente 75 casos. O navio está no nível 3 do cenário epidemiológico.

O Costa Fascinosa também não realizará novos embarques. O navio está no nível 3 do cenário epidemiológico. Nesta quinta-feira, ele chegou no Rio de Janeiro para o desembarque dos passageiros. A embarcação reportou 21 casos entre os passageiros e 12 positivados na tripulação, já desembarcados.

Já o MSC Splendida está em quarentena no Porto de Santos após a suspensão da temporada. No domingo (2), passageiros que aguardavam para entrar no navio foram informados que a embarcação não seguiria viagem, após aguardarem no terminal de embarque durante todo o dia. A Anvisa informou que a embarcação já havia sido notificada no sábado (1º) sobre o impedimento do embarque por conta do surto de Covid-19 a bordo.

O MSC Splendida já havia tido sua operação interrompida no último dia 30, com passageiros isolados em suas cabines. O cenário epidemiológico do navio foi alterado para nível 4 no domingo. Dentre os tripulantes, há 127 casos positivos de Covid-19.

Remada agita a Praia de Santos neste domingo

Várias embarcações no mar, com morros ao fundo, enquanto atletas remam

O 4º Festival Brasileiro de Remada será realizado neste domingo (19), na Praia da Aparecida, com a promessa de reunir atletas, empresários e amantes do esporte. O evento começará às 8h com disputas em diferentes modalidades aquáticas de remada: canoa polinésia, stand up paddle, canoagem oceânica, paddleboard e remada em prancha longboard.

Além das competições, serão oferecidas outras atrações abertas ao público como a dança havaiana, sorteios e ações ambientais coordenadas pelo embaixador do evento Pauê Aagaard. 

O festival, idealizado pelo educador físico Rodrigo de Deus, é inspirado em competições havaianas de verão, criadas para manter os surfistas motivados e em forma nos meses em que há poucas ondas no arquipélago.

Várias embarcações no mar, com morros ao fundo, enquanto atletas remam
(Pref. de Santos)

A primeira edição do festival foi realizada em 2008, e se tornou um marco histórico para essas modalidades, em especial, o stand up paddle, sendo a primeira competição da modalidade realizada no Brasil.

O evento conta com apoio da Secretaria de Esportes de Santos (Semes) e será realizado com recursos do Programa Municipal de Incentivo Fiscal do Apoio ao Esporte (Promifae). “Vai ser uma grande festa do Esporte. É uma satisfação apoiarmos esse evento. Contamos com a participação de todos”, destaca o secretário Gelásio Ayres Fernandes Júnior.

Este ano, mais uma marca histórica deve ser alcançada: a modalidade Paddleboard, onde os atletas competem usando pranchas de remada, terá a maior largada de sua história em águas brasileiras, com a presença de 28 competidores. Outras modalidades como a canoa polinésia, hoje uma febre no Brasil, terá a presença de 228 competidores, divididos em 38 equipes.

Durante o evento, serão realizadas ações socioambientais em parceria com Instituto Ecofaxina, Instituto Pequeno Luca, Empresto Minhas Pernas e Praia Acessível, além de uma apresentação da modalidade Hydrofoil.

– 6h às 7h: abertura da arena na praia para a retirada do kit de atleta
– 7h30: simpósio técnico
– 8h: largada da Canoa Polinésia OC-6 Feminino
– 8h30: largada Masculino e Feminino, Canoas OC-1, OC-2, Surfski, Caiaques (Simples e Duplos)
– 9h: largada Masculino e Feminino Pranchas Longboard
– 9h: largada Masculino e Feminino SUP Fun Race
– 9h20: largada OC6 Masculino
– 9h40: largada SUP Race
– 10h20: largada OC6 Mista
– 10h40: largada Prone Paddleboard
– 11h40 largada Kids
– 12h: apresentação da dança polinésia, premiação, sorteio dos brindes e a homenagens
– 13h: encerramento com a cerimônia das águas, onde competidores e público em geral serão convidados a entrar na água e realizar uma grande volta, cada um com sua prancha ou embarcação para celebrar o momento histórico.

O 4º Festival da Remada tem o patrocínio de DP World, copatrocínio de Silver Surf, Academia C4, Sigma Transportadora, D’Boa Açaí, Invest Smart XP e Praiamar Shopping. Apoios: Prefeitura de Santos, Supsix Guardaria, Integral Surf Treino, Mais Viagens, Praticagem de São Paulo, Hidromares, Frutícola, Okumura, Clínica Natália Venturelli, RVS Bike Shop, Cara Minha, Confort Hotel e Promifae.

Por Pref. de Santos

Fábrica de cerveja artesanal começa a funcionar no Mercadão de Santos

Cilindros de cerveja ao fundo. Pessoas, sem resolução de imagem, observam a estrutura dos cilindros

O Mercado Municipal de Santos já está abrigando a primeira fábrica de cerveja artesanal instalada no Município. O empreendimento, de 420 metros, da companhia Everbrew, começou a funcionar em dezembro, integrando o projeto de revitalização da área central da Cidade.

A companhia santista investiu cerca de R$ 4 milhões para ter sua fábrica própria na Cidade, entre reforma e equipamentos. Antes, o material era produzido em Itupeva, interior do Estado. A previsão é de que a produção aumente de 20 mil para 35 mil litros por mês, sendo que 15% são destinados para exportação.

O local dispõe de uma cozinha tribloco de brassagem onde o mosto é feito, treze tanques de fermentação, uma envasadora, capaz de envasar 800 latas por hora e uma câmara fria de 50 metros quadrados.

Cilindros de cerveja ao fundo. Pessoas, sem resolução de imagem, observam a estrutura dos cilindros
(Isabela Carrari/Pref. de Santos)

Rene Santos é um dos sócios da empresa, ao lado de Célio Ongaro. Ele afirma que a construção da primeira fábrica da sua cerveja é a materialização de um sonho. “Somos gratos por todas as parcerias que fizemos durante cinco anos para a nossa produção, mas agora chegou o momento de alcançarmos voos mais altos”, disse o empresário.

Ele afirmou que isso só foi possível graças aos fãs da marca que embarcaram na ideia do crowdfunding (financiamento coletivo). “É muito gratificante para a gente contar com toda essa rede de apoio e, consequentemente, ter a responsabilidade de trazer isso de volta como forma de investimento turístico, econômico e social ao município de Santos”, afirmou.

Em homenagem a Santos, a fábrica está produzindo a cerveja Evertreze. Ele explica que se trata de uma linha mais leve e mais suave, em alusão à Cidade. 

Outros produtos de destaque são a Evermaine, uma das mais vendidas da marca, e a Evergold, vencedora do Festival de Blumenau e eleita a melhor cerveja Hop Lager do mundo, através do aplicativo Untappd, por voto popular.

O espaço no Mercado Municipal é apenas para fabricação e distribuição. Rene revela que, a partir de 2022, também será possível agendar visitas guiadas ao local. “Quem tiver interesse em conhecer nossos produtos, pode visitar a Ever Pub, na Avenida Siqueira Campos, no Embaré”.

A fábrica dentro da Cidade também trará benefícios aos santistas, como “melhoria na entrega e na qualidade dos produtos, além de maior acessibilidade aos preços da marca através da Linha Evertreze”, ressaltou.

O secretário municipal de Desenvolvimento Urbano, Glaucus Farinello, afirma que a abertura da empresa é um marco importante no projeto do novo Mercado Municipal. “Uma das estratégias para a revitalização de toda a área em volta do equipamento é dar ocupação. Agora, estamos vendo este processo em sua etapa inicial”. 

Ele explica que o novo empreendimento aumentará o fluxo de pessoas no local, a sensação de segurança da região e contribuirá para a requalificação do espaço.

O processo burocrático para a realização das obras no Mercado Municipal já está em andamento. A Prefeitura recebeu do Grupo Comunitas, parceiro neste processo, o projeto executivo das obras, incluindo a parte estrutural, elétrica e hidráulica. O documento está sendo analisado pela Secretaria de Infraestrutura e Edificações (Siedi).

Após aprovação, a licitação para o início das obras deve sair em algumas semanas. “Isso deve ocorrer no primeiro trimestre de 2022. Após o começo do serviço, a previsão é de que tudo seja concluído em 12 meses”, explica o secretário. 

Durante o período da reforma, a Prefeitura deve lançar a licitação para a utilização dos demais espaços do Mercado Municipal. Glaucus esclarece que o projeto executivo para melhorias do entorno também está sendo elaborado pela Prefeitura. O local vai dispor de uma estação do VLT e uma nova estação das catraias. “A área das embarcações é tombada, por isso, é necessário um estudo mais cauteloso”, destacou. 

Do ponto de vista social, o secretário ressalta que a empresa vai gerar renda e receita, tanto para o Município, quanto para a população. “Conforme as próximas etapas da reforma forem avançando, a tendência é a criação de cada vez mais vagas de empregos diretos e indiretos”. 

O empresário Rene Santos explica que, inicialmente, o empreendimento vai gerar 14 empregos diretos. “Além disso, são criadas dezenas de empregos indiretos, considerando todo o processo, desde o cultivo da matéria prima até a distribuição para o consumidor final”. 

Por Pref. de Santos

Estado inicia obras de R$ 346 milhões na entrada de Santos

O Governador João Doria e o Vice-Governador Rodrigo Garcia autorizaram neste sábado (11) o início da segunda etapa das obras do Sistema “Binário de Santos”, que promoverá a modernização da entrada da cidade e do acesso ao Porto de Santos (Conexão Porto-Cidade). Com investimento total de R$ 346,2 milhões, as intervenções serão feitas pelo programa de Concessões Rodoviárias de São Paulo, executadas pela Concessionária Ecovias, sob fiscalização da Artesp (Agência de Transporte do Estado de São Paulo).

“Serão beneficiadas 560 mil pessoas com essa obra, que conta com um pacote de intervenções do km 59 ao km 65 da via Anchieta. Essa implantação oferece melhorias no sistema de drenagem, porque será construído um sistema de captação de águas pluviais, o que evita que a população que vive nessa região sofra com as chuvas de verão. Sem falar que essa melhoria propicia mais segurança e fluidez no tráfego de carga e de passageiro”, disse Doria.

O pacote de melhorias entre os kms 59 e 65 da Rodovia Anchieta contempla quatro obras de arte especiais: um viaduto (Ramo A) no km 63, o alargamento de ponte sobre o Rio Casqueiro, com a implantação de duas faixas, e duas passarelas também no km 63. Além disso, serão feitas melhorias no sistema de drenagem, com a construção de uma estação elevatória para captação das águas pluviais, e a restauração do pavimento da SP-148, sob administração do DER (Departamento de Estradas de Rodagem).

“É um momento especial anunciar esta obra tão importante, que não é só de mobilidade, mas que envolve a drenagem que melhorará muito a vida de quem vive no entorno da entrada de Santos. Esse foi um esforço contínuo para que a gente pudesse encontrar caminhos jurídicos para dar sequência a essa obra. E graças a essa determinação, estamos iniciando essa segunda etapa”, frisou Rodrigo Garcia.

A previsão é que as obras possam gerar 1,2 mil empregos na Baixada Santista, entre vagas diretas e indiretas. A entrega das melhorias do viário deve ocorrer em novembro de 2023. As obras da estação elevatória, para drenagem das águas pluviais, têm previsão de finalização até novembro de 2024.

“Este pacote de melhorias vai gerar renda e, como consequência, progresso e desenvolvimento econômico”, reforçou o Secretário de Logística e Transportes, João Octaviano Machado Neto.

Na primeira fase das obras, entregue em setembro de 2020, com antecedência de sete meses, a entrada de Santos recebeu investimento de R$ 270 milhões. Foram feitas melhorias entre o kms 59 e 65, que permitiram que o tráfego de entrada e saída da cidade passasse a ocorrer apenas pelas pistas centrais, enquanto o fluxo para o Porto passou a ocorrer pela via marginal.

Além disso, o projeto incluiu a construção de três viadutos (kms 62, 64+560 e 65), a implantação de vias locais para facilitar o acesso aos bairros Jardim Piratininga, Jardim São Manoel e São Jorge, uma cliclovia do km 60 ao km 65 da rodovia (ligação do Jardim Casqueiro, em Cubatão, à malha viária de Santos) e a implantação de duas passarelas, nos kms 62+500 e 64+350.

A segunda fase da modernização do Sistema Binário de Santos está prevista no Termo Aditivo Modificativo (TAM), publicado no dia 24 de novembro, que oficializa o acordo firmado entre o Governo de São Paulo e a concessionária Ecovias. De acordo com o documento, serão viabilizados investimentos de R$ 1,1 bilhão para a execução de obras e outras melhorias para a região da Baixada Santista e todo o Sistema Anchieta-Imigrantes (SAI).

Benefícios

Mais de 560 mil habitantes das cidades de Santos e Cubatão, além de trabalhadores das indústrias locais, estão sendo beneficiados diretamente pelas intervenções. A rodovia, que terá melhores condições de tráfego, conforto e segurança, recebe em média 31 mil veículos por dia. As intervenções também significarão ganhos importantes para as empresas que realizam as operações de transporte e logística no Porto de Santos.

“A continuidade das obras de ampliação na entrada de Santos solucionará um conflito viário antigo da região. Além disso, com boa infraestrutura, teremos como resultado o desenvolvimento econômico, a oferta de novos serviços e principalmente o crescimento do turismo local”, aponta Milton Roberto Persoli, diretor-geral da Artesp.

Por Gov. de São Paulo

Mortalidade infantil no Estado é a menor já registrada

Médica segura os dois pés do bebê para o teste do pezinho

A taxa de mortalidade infantil no estado de São Paulo em 2020 foi de 9,75 óbitos de menores de um ano a cada mil nascidos vivos – a menor já registrada. Em 2000, a taxa era de 17 por mil nascidos vivos. Os dados, divulgados hoje (10), são da publicação anual realizado pela Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados (Seade).

As menores taxas de mortalidade infantil foram observadas em São José do Rio Preto (7,8 por mil nascidos vivos), Ribeirão Preto (8,6) e Campinas (8,9). Já as maiores ocorreram na Baixada Santista (11,1), Registro (10,7) e Itapeva (10,5). 

“Está é uma marca histórica fruto de um trabalho conjunto e contínuo entre o estado e os 645 municípios. As iniciativas e ações preventivas voltadas para a saúde da mulher e da criança fizeram com que São Paulo chegasse a um patamar único em sua história.

Médica segura os dois pés do bebê para o teste do pezinho
(Gilson Abreu/ANP/via Fotos Públicas)

O objetivo agora é ainda mais desafiador e vamos trabalhar para continuar diminuindo estes índices”, destacou o secretário de Estado da Saúde, Jean Gorinchteyn.

De acordo com o governo do estado, aproximadamente nove a cada dez mortes infantis estão relacionadas a doenças originadas no período perinatal (entre 22 semanas de gestação até os sete dias após o nascimento do bebê), como malformações congênitas; doenças infecciosas e parasitárias, e do aparelho respiratório.

O período neonatal precoce (de 0 a 6 dias de vida) é quando ocorre a maior proporção dos óbitos infantis, com 51% do total.

Por Agência Brasil

Santos se prepara para a retomada dos cruzeiros

(Pref. de Santos)

Santos, no litoral de São Paulo, se prepara para a retomada dos cruzeiros marítimos. A prefeitura da cidade lançou um plano operacional para assegurar a infraestrutura necessária de saúde, segundo o que é exigido pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). A Anvisa determina que cada cidade, segunda comunicado da prefeitura, necessita de uma estratégia para dar suporte às regras nacionais com relação aos eventuais casos de covid-19 que possam ser identificados entre os passageiros e tripulantes dos navios.

“A secretaria de saúde e a Anvisa sempre atuam em parceria em questões sanitárias que envolvem o Porto de Santos, que é uma área federal”, afirma em comunicado Adriano Catapreta, secretário municipal de saúde.

Em nota à imprensa, Santos afirma que “ao detectar caso de covid-19, de pessoa sintomática ou assintomática, caberá ao navio de cruzeiro ou agente marítimo informar município, Estado e Anvisa sobre essa situação e a necessidade de desembarque”. Um relatório médico, emitido pelo profissional a bordo, deve conter detalhes das condições do paciente.

“Assintomáticos ou com sintomas leves permanecerão em isolamento na embarcação até o desembarque no porto de origem para o retorno a sua residência”, afirma o comunidado.

Quem necessitar de internação será encaminhado para hospital privado, da rede conveniada da empresa marítima, diz a prefeitura. “O transporte será providenciado pela companhia de cruzeiros, em ambulância ou veículo com motorista fazendo uso de equipamentos de proteção individual (EPIs) e protocolos de higienização, além de previamente testado”.

Passageiros ou tripulantes que necessitarem de quarentena ou isolamento serão encaminhados ao hotel conveniado à empresa marítima ou companhia de seguros, onde permanecerão até o término do período. “Quem não cumprir o período de quarentena e desejar retornar para a sua residência, deve assinar um termo de responsabilidade”.

Passageiros e tripulantes hospitalizados serão acompanhados por equipe especializada e designada pela empresa marítima ou companhia de seguros, sob supervisão do Município e do Estado.

Quem estiver hospedado em hotel será acompanhado por equipe de saúde e representantes da empresa marítima e da companhia de seguros, que farão contato diário para atualização do quadro clínico. Todos assinarão termo de responsabilidade para o cumprimento das regras de isolamento. O hotel também ficará com a responsabilidade de cumprimento das regras sanitárias para o isolamento.

Em caso de óbito, a companhia marítima será responsável pela remoção e translado dos corpos.

Passageiros e tripulantes saudáveis, que desembarcam na cidade, serão supervisionados pelo município, seguindo os protocolos locais nos transportes, restaurantes, atrações, comércios, entre outros locais.

A prefeitura avalia o cenário epidemiológico e, em caso de impossibilidade das operações, informa ao Estado e este, à Anvisa, para a adoção das medidas pertinentes à situação epidemiológica. “Após os desembarques, o município deve monitorar casos de covid-19 possivelmente associados a cruzeiros que tenham pacientes e/ou tripulantes internados ou em isolamento”, complementa, destacando que os casos serão repassados imediatamente ao Estado.

“Desde que o governo federal autorizou a temporada de cruzeiros marítimos no Brasil, participamos de uma série de reuniões com o Ministério da Saúde, a Anvisa e outros municípios que recebem os navios para a construção dos protocolos de segurança necessários para a retomada dessa atividade”, destaca Ana Paula Valeiras, chefe do Departamento de Vigilância em Saúde de Santos.

Apostador de Santos leva prêmio da Mega-sena

Uma aposta única feita na cidade de Santos (SP) acertou as seis dezenas do concurso 2419 da Mega-Sena e levou o prêmio de R$ 11,5 milhões. As dezenas sorteadas ontem (16), no Espaço Loterias Caixa, em São Paulo, foram: 10 – 35 – 43 – 48 – 50 – 53.

O apostador de Santos poderá retirar o prêmio em qualquer agência da Caixa.

Além do prêmio principal, outras 31 apostas marcaram cinco dezenas e vão receber R$ 83.364,16. Já a quadra foi atingida por 3.078 apostadores, sendo que cada um receberá R$ 1.199,42.

O próximo sorteio será realizado na terça-feira (19). A estimativa de prêmio para quem acertar os seis números é de R$ 16,9 milhões. 

*com Agência Brasil

GCM de Santos treina agentes para o uso de arma de fogo

(Pref. de Santos)

A Guarda Civil Municipal de Santos (GCM) iniciou, na última semana, um treinamento para porte de arma de fogo. A capacitação, segundo a Prefeitura, segue até o final do ano e permitirá que cem agentes passem a atuar com o armamento.

Em nota, a prefeitura esclarece que o “uso desse dispositivo no Município foi autorizado em lei (1.061), em 30 de outubro de 2019”.

A primeira turma, com 35 integrantes, recebeu instruções nesta semana, em Guarujá, município com o qual a Secretaria de Segurança de Santos estabeleceu acordo de cooperação técnica.  O treinamento, que cumpre critérios estabelecidos por meio de um convênio com a Polícia Federal, terá duração de duas semanas, com carga horária de 160 horas, distribuídas entre aulas teóricas, que irão até o dia 15.

Do dia 18 até o próximo dia 22, ocorrem as aulas práticas, nas quais os guardas civis vão conhecer os procedimentos de montagem e desmontagem das armas.  No último dia de instrução, os agentes passarão pelos exercícios práticos e avaliação de tiro.

“Assim que todo este processo for concluído, a corporação receberá da Polícia Federal a autorização para o porte”, diz a nota.

Antes das aulas teóricas, em agosto, os agentes passaram por avaliação psicológica, o que também é uma exigência da lei municipal.

A Inspetora-chefe da GCM em Santos, Benedita Lopes Araújo, 36 anos de corporação, é a primeira mulher a participar do curso.

“Estou numa expectativa muito grande, pois acompanhei a evolução da corporação ao longo desses anos”, disse por meio de comunicado à imprensa.

Desaparecido: Funcionário fica 36 horas em elevador do Carrefour

(Reprodução)

Um funcionário da rede Carrefour, desaparecido após encerrar o expediente desde o último sábado (25), foi encontrado no elevador do supermercado na manhã desta segunda-feira (27).

A unidade localizada na Avenida Conselheiro Nébias, em Santos, no litoral de São Paulo, funcionou durante todo o final de semana, no entanto, só encontraram o funcionário após 36 horas. De acordo com a assessoria de imprensa do supermercado, ele estava dentro do elevador de carga.

O Carrefour informou que o rapaz foi encaminhado para o hospital para realizar exames e foi liberado. Segundo a rede, uma assistente social está oferecendo apoio ao funcionário e aos familiares e uma investigação apura o motivo da paralisação do equipamento e a não busca por ajuda por parte do funcionário. De acordo com o supermercado, ele teria avisado a família por mensagem que não voltaria para casa, mas não mencionou que estava preso no elevador. 

O site da TV Cultura entrou em contato com a família para esclarecer o caso, mas até a publicação desta nota não obteve retorno.

Desaparecimento

No sábado (25), após finalizar o expediente, o funcionário, que trabalha na rede há 7 anos, não retornou para casa. Familiares começaram a divulgar imagens nas redes sociais, pedindo ajuda para encontrar o rapaz. A mãe chegou a compartilhar que o filho fazia uso de remédios controlados e que nunca havia ficado fora de casa sem mandar notícias.

Segundo o Carrefour, o elevador ficava em uma área restrita a funcionários, e por esse motivo seria pouco visitado, o que justificaria a demora para encontrar o trabalhador.