Visita a vinícola é opção de passeio em São Roque

(Divulgação)

Passear pelas videiras, usufruir de um momento ao ar livre, tirar fotos lindas, fazer degustação guiada e ainda bater um papo sobre uvas, curiosidades e vinhos – quem não gostaria de passar por essa experiência?

A Vinícola Góes “abre as portas” para que os fãs de vinhos possam fazer um passeio guiado pelos parreirais, que estão em plena safra. Durante o trajeto, os turistas poderão degustar de dois vinhos e um espumante (exceto o rótulo Philosophia), produzidos pela tradicional vinícola paulista.

E não para por ai! Os participantes da degustação guiada ainda ganham uma taça personalizada e voucher de R$10 revertido para as compras na loja acima de R$50.

O passeio segue todas as normas de segurança exigidas pelas autoridades de saúde (uso de máscaras durante toda a atividade, álcool em gel e distanciamento social) e tem vagas limitadas a no máximo 14 pessoas por passeio.

Vinícola

A Vitivinícola Góes é uma empresa 100% brasileira que produz uvas, vinhos e outras bebidas. Localizada no interior do Estado de São Paulo, no Roteiro do Vinho da cidade de São Roque/SP, se destaca por suas modernas instalações, tanto no campo quanto na indústria. Além de uma equipe altamente capacitada, sempre de olho no futuro, a empresa investe em tecnologia, prezando pela qualidade dos vinhos e a preservação de suas raízes. Preferida por muitos consumidores, a marca Góes é atualmente uma das líderes de mercado no varejo (de acordo com a Nielsen) e Top of Mind (registrado pela Revista Supermercado Moderno) no estado de São Paulo. Possui também uma robusta infraestrutura turística, com lojas, espaço de eventos, visitas orientadas, passeios aos vinhedos(*), restaurante, cafeteria e atividades de lazer, que fazem de seu espaço de Enoturismo um dos mais visitados do país e mais bem avaliados por seus visitantes, de acordo com o TripAdvisor.

A reserva pode ser feita na hora, mediante disponibilidade de vaga para o horário ou pode ser antecipada pelo telefone.

Serviço:

Atividade: Tour pelos vinhedos da Vinícola Góes 

Local: Estrada do Vinho, 9111 – Km 9 – Canguera – São Roque/SP

Dias e horários: Sábados e domingos, 11h e 12h30

Capacidade máxima por saída: 14 pessoas

Duração média: 1 hora

Valor: R$ 65

WhatsApp: (11) 99787-0588

Telefone: (11) 4711-3500

Terra treme na região de São Roque, no interior de SP

São Roque, interior de São Paulo (Reprodução)

Um tremor de magnitude 2 atingiu a cidade de São Roque, no interior de São Paulo, por volta das 23h55 de ontem (17). A confirmação foi feita hoje (18) pelo Centro de Sismologia da Universidade de São Paulo (USP) e também pelo Observatório Sismológico da Universidade de Brasília (UnB). Moradores da região relataram nas redes sociais terem sentido o tremor.

O epicentro, segundo o Centro de Sismologia, se localizou a 6 quilômetros (km) do centro de São Roque, a 9 km da cidade de Mairinque, a 10 km de Vargem Grande e a 12 km de Ibiúna. O Centro de Sismologia informou que tremores muito pequenos são relativamente comuns no Brasil e podem ocorrer em qualquer lugar. 

“Normalmente [esses tremores] não trazem nenhum perigo a não ser um pouco de susto à população”, informa o órgão. “Não é possível saber a natureza ou a causa destes pequenos abalos. Normalmente são causados por pressões geológicas naturais presentes na crosta terrestre”.

O último sismo registrado anteriormente na região ocorreu no dia 16 de março de 2016, na cidade de Mairinque, com magnitude de 2.2.

Por Elaine Patricia Cruz – Repórter da Agência Brasil 

Operação combate fraude na compra de merenda escolar

Por Flávia Albuquerque

(Arquivo)


A Polícia Federal deflagrou hoje (26) uma operação para coletar dados que complementem as informações obtidas em colaboração premiada feita por dois investigados pela Polícia Federal e Ministério Público Federal, que foram alvo da primeira fase da mesma investigação, em maio de 2018.

A Operação Cadeia Alimentar 2 cumpre 57 mandados de busca e apreensão e 27 mandados de prisão temporária em 27 cidades do estado de São Paulo. 

A investigação apura irregularidades em procedimentos licitatórios e desvio de verbas relacionados à compra de merenda escolar em pelo menos 50 municípios do estado de São Paulo. Entre os alvos da operação estão empresários, lobistas, servidores e ex-servidores públicos, uma vereadora, ex-prefeitos, secretários e ex-secretários de governo.

Os mandados de buscas estão endereçados a residências, empresas, três prefeituras e uma Câmara dos Vereadores.

A operação abrange a capital paulista, as cidades de Americana, Atibaia, Campinas, Franca, Garça, Matão, Orlândia, Paulínia, Rio Claro, São Carlos, São Joaquim da Barra, São José do Rio Preto, São Roque, Sorocaba, Sumaré, Taquaritinga e Votorantim, no interior; Cotia, Itapevi, Jandira e Osasco, na região metropolitana de São Paulo; Guarujá, Cubatão, Praia Grande, Santos e São Vicente, na Baixada Santista.

Os investigados vão responder pelos crimes de organização criminosa, fraude a licitações, falsidade ideológica, corrupção ativa, prevaricação e corrupção passiva. As penas, somadas, podem chegar a 28 anos de prisão.

Acusado de sequestrar e matar Vitória é condenado

Vitória Gabrielly foi morta, por engano, aos 12 anos (Álbum de Família/Reprodução)


O Tribunal do Júri de São Roque, no interior de São Paulo, condenou Júlio Cesar Lemos Egresse à pena de 34 anos de prisão, em regime inicial fechado, e pagamento de 14 dias-multa, pelo assassinato da menina Vitória Grabrielly. A condenação considerou quatro qualificadoras – motivo torpe, meio cruel, recurso que dificultou a defesa da vítima e assegurar a ocultação e impunidade de outro crime – que ampliam a pena de homicídio, além dos crimes de sequestro e ocultação de cadáver.

 Segundo a denúncia do Ministério Público, em junho do ano passado o réu praticou os crimes na companhia de um casal, após sequestrar a menina que tinha 12 anos, por engano, quando ela andava de patins perto da casa dela, em Araçariguama. A investigação mostrou que o crime foi praticado por motivo de vingança envolvendo dívidas com o tráfico de drogas e teria como alvo uma criança com características semelhantes a Vitória.

Na sentença, o juiz Flavio Roberto de Carvalho destacou a frieza do acusado ao praticar o crime, “calculista e com requintes de sadismo”. Lembrou, ainda, que o histórico do réu demonstra que ele sempre esteve envolvido em crimes graves. Cabe recurso da sentença. 

Mayara, Bruno Marcel e Júlio são acusados de matar a adolescente por engano
(Record TV/Reprodução)

*Com informações do Tribunal de Justiça de SP

Homem é preso por tentar furtar carne em mercado pela 3ª vez

(Polícia Militar/via Correio do Interior)

Um homem foi preso em flagrante, pela terceira vez, tentando furtar carne em um mercado. O caso mais recente aconteceu em São Roque, interior de São Paulo, esta semana.

Segundo a Polícia Militar, o segurança do mercado percebeu o comportamento suspeito do rapaz e constatou, ao fazer a abordagem, que ele escondia peças de picanha e uma salame dentro das calças. O suspeito foi preso e levado para a delegacia, onde os policiais descobriram outras duas ocorrências semelhantes. A última delas aconteceu no mesmo mercado.

Ainda segundo a polícia, a primeira vez em que o homem foi preso ao furtar carne de mercado aconteceu em São Paulo. Apesar do flagrante, ele foi solto na audiência de custódia. Ele declarou que usaria a carne para trocar por drogas.

As informações são do Correio do Interior.

via GIPHY

Carro bate em caminhão, pega fogo e mata quatro pessoas

Um acidente entre carro e caminhão provocou quatro mortes neste sábado (13), na Rodovia Raposo Tavares, em São Roque. As informações são do Corpo de Bombeiros.

As vítimas são dois adultos e duas crianças que estavam no carro e ficaram presos nas ferragens. Segundo os bombeiros, o veículo pegou fogo e elas foram carbonizadas.

A quinta vítima, um adulto, conseguiu sair do veículo, mas teve 20% do corpo queimados. A Polícia Civil investiga o caso.

https://spagora.com.br/filho-de-acionista-do-ache-morre-em-queda-de-aviao/

Cavalo fica preso no telhado de uma casa

Animal pendurado no teto da casa
(Correio do Interior/Reprodução)

Um cavalo ficou preso no telhado de uma casa, em São Roque, no interior de São Paulo. O animal, de grande porte, foi parar em cima do telhado enquanto pastava em um terreno baldio.

Segundo moradores, o terreno fica no mesmo nível do telhado da casa, construída em uma área de morro. O Corpo de Bombeiros foi chamado e levou cerca de uma hora para retirar o bicho.

Nenhum morador da casa se feriu. O cavalo teve lesões em uma das patas. A informação é do Correio do Interior.

Operação apura desvios na saúde em cidades paulistas

Por Vitor Abdala

(Arquivo/Tânia Rêgo/ Agência Brasil)

Policiais civis do Rio de Janeiro cumprem hoje (15) mandados de prisão e de busca e apreensão contra suspeitos de integrar uma quadrilha envolvida em desvios de recursos da saúde pública em pelo menos quatro municípios do interior paulista. Segundo informações oficiais, o dinheiro desviado foi usado para comprar uma operadora de planos de saúde.

O grupo é suspeito de lavagem de dinheiro em um esquema internacional, uma vez que teria usado os recursos desviados em São Paulo para comprar uma operadora de saúde suplementar com sede em Niterói, no Rio de Janeiro, e abrangência nacional, em nome de “laranjas” (pessoas que emprestam seu nome para ocultar a identidade do verdadeiro proprietário).

A segunda fase Operação Pégaso é um desdobramento da primeira etapa realizada em 3 de abril, quando um médico e sua esposa foram presos em um hotel de luxo de São José dos Campos (SP), acusados de desviar mais de R$ 20 milhões da saúde dos municípios de Cajamar, São Roque, Barueri e Campo Limpo, no interior paulista.

Segundo as investigações, o casal era responsável por uma organização social que administrava diversos hospitais no interior de São Paulo. A Polícia Civil afirma que eles usaram cargos de direção para desviar o dinheiro.

A ação de hoje ocorre simultaneamente em Niterói e nas cidades paulistas de São José dos Campos, Mairiporã, Jandira, Jundiaí e Osasco, além da capital paulista. A Polícia Civil de São Paulo está dando apoio à operação.

Justiça adia decisão sobre júri de acusados de matar Vitória

Mayara, Bruno Marcel e Júlio são acusados de matar a adolescente por engano (Record TV/Reprodução)

A Justiça de São Roque, interior de São Paulo, adiou para abril a decisão sobre o júri popular dos acusados de matar a adolescente Vitória Gabrielly, de 12 anos, em junho do ano passado, em Araçariguama. Nesta terça-feira (26), apenas uma das acusadas foi ouvida.

A justiça havia previsto ouvir os três réus do casos, o casal Bruno Marcel de Oliveira e Mayara Borges de Abrantes e o servente de pedreiro Júlio César Lima Ergesse, porém apenas Mayara foi ouvida. Os outros dois não estiveram presentes no fórum de São Roque devido a um problema de liberação no presidio de Tremembé.

Se condenados pela morte da jovem, os acusados podem pegar 40 anos de prisão ou mais por, ocultação de cadáver, sequestro qualificado, homicídio qualificado por motivo torpe em meio cruel.

O Crime

(Álbum de Família/Reprodução)

A jovem de 12 anos foi sequestrada enquanto andava de patins em uma rua perto da casa dele. Depois de uma semana desaparecida a menina foi encontrada morta em um matagal, a 12 quilômetros de onde morava.

As investigações da Polícia concluíram que a jovem foi morta por engano devido a uma dívida de drogas, em que o devedor a um traficante teria uma irmã parecida com a vítima Vitória Gabrielly.

https://spagora.com.br/tag/vitoria-gabrielly

Médicos são presos no interior de SP em fraude de processos trabalhistas

Dois médicos foram presos nesta terça-feira (26), pela Polícia Civil em São Roque (SP) em desdobramento da Operação Hipócritas.

A prisão expedida pelo Ministério Público Federal e aceita pela Justiça Federal de Campinas, também prendeu um médico em Sorocaba (SP).

Iniciada em 2016, as equipes de investigação da operação acompanhavam ação dos dois médicos que  trabalharam como peritos da Justiça do Trabalho na região de Campinas e que estariam articulando versões falsas sobre valores de propinas em que receberam em um esquema de laudos médicos manipulados desde 2007

Na Justiça os dois médicos respondem  pelo crime de corrupção passiva por suposto recebimento de vantagens em processos trabalhistas. Se condenados, a soma das penas poderá chegar a 100 anos de reclusão.

A Polícia informou que a prisão dos dois médicos nesta terça ocorreu com a  colaboração premiada de outro investigado no esquema. A investigação acredita que houve corrupção em mais de mil perícias em processos trabalhistas nos últimos 10 anos.