Seleção brasileira de vôlei feminino é convocada para Sul-Americano

Reprodução / Facebook Oficial CBV

O técnico José Roberto Guimarães divulgou, na tarde desta terça-feira (17), as 14 jogadoras convocadas para a disputa do Campeonato Sul-Americano feminino de vôlei.

O grupo chamado tem as levantadoras Macris e Roberta, as opostas Rosamaria e Lorenne, as ponteiras Gabi, Natália, Ana Cristina e Kasiely, as centrais Carol Gattaz, Carol, Bia e Mayany e as líberos Nyeme e Natinha.

O torneio acontece entre 15 e 20 de setembro, na cidade de Barrancabermeja (Colômbia). O Brasil buscará o 22º título sul-americano. O campeão e o vice garantirão vaga no Mundial adulto de 2022, que acontece na Holanda e na Polônia. A equipe verde e amarela começará a preparação no Centro de Desenvolvimento de Voleibol (CDV), em Saquarema (RJ), na próxima segunda-feira (23).

Por Juliano Justo – Repórter da TV Brasil e da Rádio Nacional 

Vôlei: seleção feminina decide título da Liga das Nações contra os EUA

Divulgação Fvib

A seleção feminina de vôlei está na decisão da Liga das Nações, disputada em Rimini (Itália). Nesta quinta-feira (24), as brasileiras superaram o Japão na semifinal por 3 sets a 1 (25/15, 25/23, 28/30 e 25/16) e enfrentarão os Estados Unidos na final desta sexta-feira (25), às 14h30 (horário de Brasília).

A seleção busca o título inédito na competição e a final terá ares de revanche. Em 2019, a equipe brasileira também encarou os EUA na decisão pelo ouro, mas as norte-americanas levaram a melhor com vitória por 3 sets a 2.

A oposto Tandara, com 23 pontos, sendo 22 de ataque, foi o grande nome do Brasil na partida. A ponteira Gabi, com 18 pontos (17 de ataque), também se destacou. As japonesas iniciaram três dos quatro sets melhor em quadra, mas em dois deles (no primeiro e no quarto), as brasileiras se recuperaram à tempo de virarem a parcial.

Os EUA, por sua vez, derrotaram a Turquia na outra semifinal por 3 sets a 0 (25/21, 25/23 e 25/20). As norte-americanas fizeram a melhor campanha da primeira fase, com 14 vitórias em 15 partidas. Uma delas justamente diante do Brasil, em 27 de maio, pela terceira rodada, por 3 sets a 1 (17/25, 19/25, 25/23 e 22/25).

É a segunda temporada seguida que a seleção do técnico José Roberto Guimarães chega à final da Liga das Nações. Em 2018, o Brasil caiu na semifinal para as turcas e perdeu a disputa pelo terceiro lugar para as chinesas.

Por Lincoln Chaves, repórter da TV Brasil e da Rádio Nacional

Brasil cai para China; segunda derrota do vôlei na Liga das Nações

Divulgação Fvib

Nesta terça-feira (8), a seleção brasileira feminina de vôlei perdeu para a China por 3 sets a 2 (18/25, 25/22, 25/20, 14/25 e 15/12) no fechamento da terceira semana da Liga das Nações disputada em Rimini na Itália. O resultado quebrou uma sequência de cinco vitórias da equipe verde e amarela.

“Foi um grande jogo. Tivemos bons momentos, mas a China foi melhor e mereceu a vitória. Vamos estudar essa partida e ver onde podemos melhorar. A Liga das Nações é um campeonato longo e testes como esse são importantes para a nossa evolução. Agora é seguir treinando e pensar nos próximos adversários”, afirmou Tandara, maior pontuadora da seleção brasileira, com 26 pontos, 10 deles no primeiro set.

Além da oposta, Gabi e Carol Gattaz marcaram 19 vezes cada.

Até o momento, o Brasil tem sete vitórias em nove partidas, e 22 pontos somados. Essa campanha deixou a equipe do técnico Zé Roberto Guimarães na terceira colocação da competição.

O time volta a jogar no sábado (12). O adversário será a Polônia, às 16h (de Brasília). Na sequência, os adversários serão Alemanha e Tailândia.

Na quarta-feira (09), o torneio masculino será retomado, com o Brasil encarando a Holanda, às 16h (de Brasília). Bulgária e Polônia são os outros adversários desta rodada.

Por Juliano Justo, repórter da Agência Brasil

Liga das Nações: Brasil joga bem e bate Japão no torneio feminino

Reprodução Facebook Oficial CBV / via Volleyball World

Nesta segunda-feira (31), a seleção brasileira feminina de vôlei abriu a segunda semana da Liga das Nações 2021, em Rimini, na Itália, vencendo o Japão por 3 sets a 0 (25/15, 25/19 e 25/21). Até agora o time do Brasil soma três resultados positivos e um negativo.

O destaque do jogo foi a ponteira Fernanda Garay, com 21 pontos. A oposta Tandara, com 14, foi a segunda maior pontuadora do duelo. A central Carol fez uma análise da atuação do time nesta segunda-feira para os assessores da Confederação Brasileira de Vôlei (CBV): “Hoje foi bom, a comunicação começou a fluir melhor. Sabíamos que ia ser um jogo muito rápido, com muitas mexidas e ataques contra o corpo, que é o que o Japão faz de melhor, sempre tentando achar as mãos nos bloqueios e os buracos na quadra com largadas e caixinhas”.

Querendo chegar ao melhor nível possível, Carol ainda chamou atenção para alguns ajustes necessários para o restante da Liga das Nações, mas fez questão de demonstrar orgulho com o resultado: “Claro que ainda tivemos alguns erros de ajustes, mas faz parte. O jogo fluiu bem melhor e estamos felizes com essa vitória de 3 a 0”, concluiu Carol.

Nesta terça-feira (01), o adversário será a Rússia e, na quarta (02), a Itália. Os dois jogos serão às 16h (horário de Brasília).

Por Juliano Justo, repórter da Agência Brasil