No sexto dia da Olimpíada, Brasil avança no futebol e na canoagem

Reprodução / Lucas Figueiredo / Facebook Oficial CBF

A seleção olímpica brasileira de futebol masculina se classificou às quartas de final nos Jogos de Tóquio (Japão) em primeiro lugar no Grupo D, rumo ao bicampeonato. A liderança foi definida após o Brasil vencer a Arábia Saudita por 3 a 1 no estádio de Saitama, na cidade japonesa de mesmo nome. A equipe vai enfrentar o Egito, segundo colocado do Grupo C, nas quartas de final do torneio, no sábado, às 7h.

Canoagem

O Brasil terá dois representantes nas semifinais da categoria slalom, que começam nas primeiras horas desta quinta-feira (29). Ana Sátila garantiu a classificação na madrugada de hoje (28) na canoa individual (C1) e Pedro Gonçalves, o Pepê, no caiaque individual (K1). Sátila disputa as semifinais às 2h (horário de Brasília) desta quinta (29), e Pepê na sexta (30), também às 2h. As finais serão disputadas na sequência das semifinais. 

Judô

A judoca Maria Portela foi eliminada nas oitavas de final da categoria até 70 kg, em uma luta histórica e polêmica, no Budokan. O combate desta quarta-feira, entre a gaúcha e a russa Madina Taimazova durou mais de 14 minutos, dez só de golden score (tempo extra no qual vence o atleta que pontuar primeiro). A vitória da russa foi decretada após a brasileira receber um terceiro shido (punição) por falta de combatividade.

Vôlei de praia

As brasileiras Ana Patricia e Rebecca foram derrotadas por Tina Graudina e Anastasija Kravcenoka, da Letônia, por 2 sets a 1 (parciais de 15/21, 21/12 e 12/15), no início da madrugada desta quarta-feira, no Parque Shiokaze.

Este foi o primeiro revés, no Grupo D da competição, da equipe do Brasil, que superou as quenianas Gaudencia Makokha e Brackides Khadambi por 2 sets a 0 na estreia. Agora, Ana Patricia e Rebecca enfrentam Kelly Claes e Sarah Sponcil na próxima sexta-feira (30), a partir das 21h (horário de Brasília), em busca de uma vaga para as oitavas de final.

Natação

Não deu para o brasileiro Leonardo de Deus na final dos 200 m (metros) estilo borboleta. O nadador sul-mato-grossense terminou a prova desta terça-feira (27), no Centro Aquático da capital japonesa, em sexto lugar, com o tempo de 1min55s19. A marca ficou 24 centésimos acima da estabelecida por ele na semifinal, quando fez o segundo melhor tempo.

Já no revezamento 4×200 metros (m) estilo livre, a equipe do Brasil terminou a final na oitava e última posição. A prova de hoje foi realizada no Centro Aquático da capital japonesa. O jovem quarteto formado por Fernando Scheffer, Murilo Sartori, Breno Correia e Luiz Altamir cravou o tempo de 7min8s22, quase meio segundo acima da marca feita na eliminatória, que também rendeu a eles o oitavo lugar.

Badminton

O aniversário de 33 anos de Fabiana Silva não foi comemorado como o esperado. Nesta quarta-feira (27), a fluminense se despediu do torneio feminino da modalidade ainda na primeira fase, ao perder da chinesa naturalizada norte-americana Beiwen Zhang por 2 sets a 0, com parciais de 9/21 e 10/21, no Parque Florestal Musashino.

Número 69 no ranking da Federação Internacional da modalidade (IBF, sigla em inglês), Fabiana precisava vencer a rival (14ª do mundo) sem perder sets e com uma diferença maior que 14 pontos para ficar à frente na classificação do Grupo H.

Tênis feminino

A dupla brasileira formada por Laura Pigossi e Luisa Stefani se classificou para as semifinais dos Jogos de Tóquio, ao derrotar de virada as norte-americanas Jessica Pegula e Bethanie Mattek-Sands por 2 sets a 1, em 1h26min de partida. Com o resultado, a dupla já iguala o melhor resultado do tênis brasileiro na história dos Jogos Olímpicos, que foi a semifinal de Fernando Meligeni, em Atlanta 1996.

Ginástica artística

O Fluminense Caio Souza terminou na 17ª posição na final do individual geral masculino de ginástica artística. A competição foi realizada nesta quarta-feira (28) no Centro de Ginástica de Ariake, no distrito de Ariake, na capital Tóquio. Já o paulista Diogo Soares foi o 20° colocado. Estiveram na disputa 24 competidores que saltaram em busca de medalha na decisão.

Diogo, de 19 anos, caçula da ginástica artística, somou um total de 81.198 pontos, enquanto Caio finalizou sua participação com 81.532 pontos na tabela de classificação.

Tênis de mesa

O carioca Hugo Calderano, número seis do mundo, está fora da disputa de medalha na chave de simples do tênis de mesa. O brasileiro foi superado por 4 sets a 2 nas quartas de final pelo alemão Dimitrij Ovtcharov, 12º no ranking mundial da Federação Internacional de Tênis de Mesa (ITTF, sigla em inglês).

Apesar da eliminação, Calderano obteve o melhor desempenho do país na modalidade em Jogos Olímpicos – na Rio 2016 ele saiu nas oitavas.

Vôlei

A seleção brasileira masculina de vôlei perdeu nesta quarta-feira para a equipe Russa (ROC, na sigla em inglês) por 3 sets a 0, com parciais de 25/22, 25/20 e 25/20. O duelo foi realizado na Arena de Ariake, na capital Tóquio.

Com este resultado, o Brasil caiu para a terceira colocação do Grupo B. Já a Rússia assumiu a liderança, enquanto os Estados Unidos ocupam a vice-liderança.

Por Agência Brasil

Vôlei: Brasil vence Argentina de virada

Reprodução / Twitter Oficial @Timebrasil / Julio Cesar Guimarães/COB

O Brasil venceu a Argentina no vôlei masculino, na tarde de hoje (26) no Brasil – já madrugada no Japão. Em uma partida muito emocionante e equilibrada, sobretudo na reta final, a seleção brasileira conseguiu virar um placar desfavorável, de dois sets a zero, e vencer no tie-break. No final, 3 sets a 2 para o Brasil, ainda invicto na Olimpíada. Já a Argentina amarga a segunda derrota no grupo.

O Brasil começou mal e cometendo muitos erros. Do outro lado, os argentinos faziam um bom jogo, com destaque para Palacios e Bruno Lima, maior pontuador do jogo, com 26 pontos. O primeiro set terminou 25 a 19 e o segundo 25 a 21, ambos para a Argentina. O Brasil reagiu e corrigiu os erros. Fechou o terceiro set por 25 a 16, mas demorou a engrenar. No quarto set, a seleção brasileira iniciou mal, mas se superou e venceu por 25 a 21. O empate, então improvável, veio.

tie-break foi muito equilibrado. O Brasil, já ajustado e recuperado dos erros do início, ficava atrás sempre por um ponto, até o 12º. No ponto seguinte, na reta final e quando realmente era necessário, o time comandado por Renan Dal Zotto virou com bloqueio de Maurício Souza. Os argentinos sentiram a pressão de uma derrota iminente após estarem vencendo por 2 a 0. Um erro no saque de Palacios foi o símbolo dessa desconcentração, deixando o Brasil a um ponto da vitória. Um novo erro do adversário, em um ataque de Conte para fora, selou a vitória de virada da seleção brasileira.

“Hoje a linha de passe deles funcionou tremendamente, principalmente nos dois primeiros sets, mesmo nosso saque sendo forçado. Mas eu fiquei muito feliz com a vitória e com a demonstração de equipe. Quem tá saindo joga junto, torcendo para quem tá lá dentro. Isso é fundamental”, disse o técnico brasileiro logo após a partida.

Na próxima rodada, o Brasil enfrenta os atletas do Comitê Olímpico Russo; a Argentina joga contra a França.

Por Marcelo Brandão – Repórter Agência Brasil

Vôlei: seleção masculina se recupera e bate Japão na Liga das Nações

Reprodução / Twitter Oficial Time Brasil

Um dia após perder para a França, a seleção masculina voltou a vencer na manhã desta sexta-feira (4) na Liga das Nações, em Rimini (Itália). O país ganhou do Japão por 3 sets a 0 (25/20, 25/16 e 25/20) e soma agora quatro vitórias em cinco jogos. A equipe brasileira fecha a participação na segunda semana do torneio neste sábado (5), contra a Sérvia, às 10h (horário de Brasília). Os jogos são transmitidos ao vivo no canal da Federação Internacional de Voleibol (FIVB, sigla em francês).

O time brasileiro começou a partida com Douglas Souza, Cachopa, Isac, Leal, Wallace, Mauricio Souza e os líberos Maique e Thales revezando. Durante a partida, Alan, Bruninho, Flavio, Mauricio Borges e Matheus também jogaram. O maior pontuador foi o oposto Wallace, com 16 acertos.

“Acho que o time foi bem consistente, errou pouco. Isso, contra um time como o Japão, que defende muito, tem muito volume, é importantíssimo. A gente teve paciência nos momentos que precisava ter, e conseguiu definir nos momentos que precisava definir”, avaliou o jogador em depoimento à Confederação Brasileira de Vôlei (CBV).

Quem também brilhou hoje em quadra foi o ponteiro Douglas Souza, que anotou 13 pontos. e o atacante Leal, com outros 12.

Por Juliano Justo, repórter da Agência Brasil