Semana começa com temperatura acima de 30ºC

Após dias gelados da última semana, a segunda-feira (9) começa com expectativa de sol forte e temperaturas acima de 30ºC. A previsão é dos meteorologistas do Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE), da capital.

O sol do fim de semana deixou o tempo mais agradável durante a última noite, com temperatura média em São Paulo de 18ºC. Apesar disso, algumas regiões da cidade, como a Consolação, registrou temperatura de 20ºC durante a noite, enquanto que Engenheiro Marsilac, na zona sul, 12ºC.

Para hoje, a máxima prevista durante a tarde é de 32ºC. A umidade do ar deve ficar perto de 30%, sem previsão de chuva.

Nesta terça-feira (10), o cenário se repete e os termômetros chegam a 33ºC.

Após frente fria, veja como fica o tempo hoje

O ingresso do ar frio polar após a passagem da frente fria derruba literalmente as temperaturas hoje (13). Apesar disso, as temperaturas baixas não devem durar muito. No fim de semana, devem voltar ao normal.

Segundo o Centro de Gerenciamento de Emergência (CGE), a quarta-feira (14) terá céu variando entre encoberto e nublado, garoa ocasional e sensação de frio. Por conta do tempo fechado e úmido, a amplitude térmica, diferença entre as temperaturas máximas e mínimas ocorridas no mesmo dia, será pequena.

Os termômetros oscilam entre 11°C na madrugada e 14°C no início da tarde, com percentuais de umidade do ar entre 60% e95%. 

Na quinta-feira (15), madrugada fria com termômetros e torno dos 9°C e amanhecer com sol entre poucas nuvens. Não há previsão de chuvas e a temperatura máxima chega aos 21°C, com os menores índices de umidade do ar próximo dos 32%. Mesmo com sol a sensação de frio será sentida ao longo do dia, por conta dos ventos úmidos que sopram do mar.

Domingo teve a menor temperatura máxima desde 2013

Por Flávia Albuquerque

(Marcelo Camargo/Agência Brasil)

A capital paulista registrou ontem (4) 12,2°C, a menor temperatura máxima do ano, segundo as medições feitas pelo Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). Essa foi a menor temperatura registrada desde julho de 2013 quando os termômetros marcaram 11,5°C no dia 25 e 8,5°C no dia 24. Desde o ano 2000 esta foi a sexta vez em que o clima não superou os 12,2°C.

Segundo o Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE) da capital paulista, a manhã de hoje (5) terminou com sol entre muitas nuvens e sem chuvas, com os termômetros marcando 17,4°C em média. A máxima pode alcançar 19°C, sem expectativa de chuvas. Na madrugada e início da manhã, os termômetros oscilaram em torno de 10ºC.  

Próximos dias

De acordo com os meteorologistas do CGE, a terça-feira (06) começará com muitas nuvens e névoa úmida. No decorrer do dia, o sol poderá facilitar a gradual elevação da temperatura. A mínima deverá ser de 11°C e a máxima de 23°C.

Na quarta-feira (07) poderá ocorer formação de nevoeiro e sensação de frio ao amanhecer. Ainda pela manhã, o ar seco ganhará força e o sol passará a predominar, o que vai favorecer a rápida elevação da temperatura. Durante a tarde, os menores índices de umidade se aproximarão dos 30%. Os termômetros deverão oscilar entre 12°C e 26°C.

Atendimento a pessoas em situação de rua

Pelo menos 545 pessoas foram encaminhadas para os serviços de acolhimento da rede socioassistencial da capital paulista na madrugada de hoje (5) pela Coordenação de Pronto Atendimento Social da Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social. No final de semana (de 2 a 5 de agosto) foram encaminhadas 1.468 pessoas para os Centros de Acolhida, Centros Temporários de Acolhimento e abrigos emergenciais.

O atendimento faz parte da Operação Baixas Temperaturas efetuada pela Prefeitura, iniciada em maio e prevista para terminar em setembro. A operação é reforçada sempre que a temperatura atinge patamar igual ou inferior a 13°C ou sensação térmica equivalente.

Vem frio por aí: Capital registra menor temperatura do ano

Por Flávia Albuquerque 

A capital paulista registrou ontem (21) a menor temperatura do ano, ao atingir 15 graus. A mínima registrada anteriormente foi no dia 19 de abril, com 15,6°C.

A partir da próxima sexta-feira, as temperaturas devem cair ainda mais com a chegada de uma frente fria ao estado. O frio deve ser de 10 graus no próximo fim de semana.

“A massa de ar frio prevista não é singularmente intensa para o mês de maio, mas por neste ano a temperaturas mínimas estarem apresentando desvios constantes em relação à média, a queda de temperatura que virá com ventos moderados a intensos com sensação de temperatura menor”, disse hoje (22) o meteorologista do Instituto Nacional de Meteorologia (InMet), Franco Nadal Junnqueira Villela.

Previsão

Na quarta-feira, a nebulosidade aumenta no sul e sudoeste paulista, podendo haver pancadas isoladas de chuva por conta da aproximação da uma frente fria. Nas outras áreas do estado predomina o tempo estável com poucas nuvens e baixa umidade relativa do ar.

Quinta-feira a frente fria chega a São Paulo vindo do Paraná e de Mato Grosso do Sul, podendo causar pancadas de chuva nas regiões vizinhas a esses estados.

Devido ao forte calor à tarde, é possível que chova no restante do estado, de forma mais isolada especialmente à noite.

Na sexta-feira, a frente fria cruza o estado favorecendo a ocorrência de chuvas e ventos de moderada a forte intensidade, seguida de declínio acentuado de temperaturas.

Sábado terá o amanhecer mais frio do ano, com formação de névoa úmida no centro-leste e predomínio de sol no decorrer do dia.

O tempo fechou: veja previsão para a semana

Com tempo fechado, o sol não deu as caras e as temperaturas caíram (SP Agora)

O tempo permaneceu fechado ao longo deste domingo, em São Paulo, o que impediu que as temperaturas subissem muito. De acordo com as estações meteorológicas do Centro Gerenciamento de Emergências (CGE), os termômetros chegaram aos 21ºC, enquanto a umidade relativa do ar permaneceu acima dos 75%.

Nas próximas horas o céu permanece com muita nebulosidade e as temperaturas entram em gradativo declínio, com previsão de mínimas em torno dos 16ºC para a próxima madrugada. Entre o final da tarde e a noite os ventos úmidos que sopram do oceano se intensificam e podem provocar chuviscos, principalmente nos trechos de serra da Grande São Paulo.



Próximos dias

Nos próximos dias, o sol retorna entre muitas nuvens, o que favorece a gradativa elevação das temperaturas. Entretanto, ainda há condições para chuvas isoladas.

A segunda-feira (15) segue com muita nebulosidade, mas o sol deve aparecer entre muitas nuvens no decorrer do dia. Ainda há condições para chuvas fracas e chuviscos em função dos ventos úmidos que sopram do oceano, principalmente durante a madrugada e no período da noite. Os termômetros variam entre mínimas de 16°C e máximas que podem chegar aos 24°C.

Na terça-feira (16), o sol aparece entre nuvens e favorece a gradativa elevação das temperaturas no decorrer do dia. As mínimas oscilam em torno dos 16ºC, enquanto as máximas podem chegar aos 25ºC. No final da tarde a chegada da brisa marítima causa aumento de nebulosidade e chuvas isoladas na Grande São Paulo.

*Com informações do CGE

Temperaturas sobem neste sábado; Veja como fica o domingo

São Paulo – Termômetros marcavam 31ºC no começo da tarde (SP Agora)

O sábado (13) começou com poucas nuvens e termômetros oscilando em torno dos 18,5ºC na Grande São Paulo. De acordo com as estações meteorológicas do CGE, os menores valores registrados foram 16,5ºC em São Mateus e 17,5ºC no Jabaquara.

No decorrer do dia o predomínio de sol favorece a rápida elevação das temperaturas, provocando uma tarde de calor e baixos índices de umidade na Capital paulista. As máximas podem chegar aos 31ºC

No litoral de São Paulo, o sol deu as caras e as temperaturas podem chegar aos 34ºC, em Praia Grande, segundo o Climatempo. O turista que deixou a capital em direção ao litoral foi logo cedo para a praia. 

Praia Grande – No fim da manhã deste sábado, termômetros marcavam 27ºC (Nivaldo Lima/SP Agora)

No interior de São Paulo, o sol também brilha forte e as temperaturas sobem ao longo do dia. Em Bauru faz 29ºC, 33ºC em São José do Rio Preto.

Domingo e segunda-feira

A propagação do sistema frontal pelo oceano deixa o tempo nublado e chuvoso, além de provocar declínio das temperaturas nos próximos dias.

No domingo (14) a propagação da frente fria pelo oceano deixa o tempo instável com chuvas alternadas com períodos de melhoria ao longo do dia. Devido a maior cobertura de nuvens as temperaturas não sobem muito, variando entre mínimas de 17ºC e máximas de 22ºC. 

A segunda-feira (15) segue com muita nebulosidade, chuvas fracas e chuviscos durante o dia, principalmente em função dos ventos úmidos que passam a soprar do oceano. Os termômetros variam entre mínimas de 16°C e máximas que não devem superar os 20°C.

*com informações do CGE e do Climatempo

São Paulo teve a segunda tarde mais fria do ano

(Arquivo/Rovena Rosa/Agência Brasil)

As estações meteorológicas automáticas do CGE aferiram 13°C no Tremembé, na Zona Norte e apenas 11°C em Parelheiros, no extremo da Zona Sul. A umidade nesses locais é de 100%.

Hoje foi a segunda tarde mais fria do ano com a temperatura máxima de 14,3°C. Este valor de máxima é igual ao do último 10 de julho de 2018. Por conta do tempo fechado e da grande quantidade de umidade, a amplitude térmica foi pequena. Foi o caso do bairro do Jabaquara, na Zona Sudeste, que registrou mínima de 10,6°C e máxima de 12,1°C.

Nas próximas horas, o tempo permanece fechado com chuva leve e chuviscos intermitentes. Não há expectativa de precipitações significativas. A temperatura continua em lento declínio, e a sensação térmica inferior ao aferido pelos termômetros.

Tendência para os próximos dias:

A quinta-feira (02) começa com céu encoberto e chuviscos. No transcorrer do dia, muitas nuvens e poucas aberturas de sol. Os termômetros oscilam entre 12°C ao amanhecer e 19°C à tarde.

Na sexta-feira (03), a propagação de áreas de instabilidade provoca chuva em forma de pancadas moderadas a ocasionalmente fortes. As precipitações podem vir acompanhadas de trovoadas e não se descarta a formação de alagamentos. Mínima de 13°C e máxima de 19°C, e umidade do ar acima dos 65%.

*informações do Centro de Gerenciamento de Emergências, de São Paulo