Receita apreende quase 2 toneladas de cocaína no Porto

Cães ajudaram a identificar carregamentos com droga (Receita Federal/Reprodução)


A Receita Federal localizou 1.910 kg de cocaína em uma ação finalizada hoje (17) no Porto de Santos. Iniciada na terça-feira (14), a ação encontrou a droga escondida em cargas que seguiriam para exportação.

Com ajuda de escâner, os agentes identificaram a primeira carga ilegal, totalizando 1.229 kg, no meio de um carregamento de farinha proteica de soja. As sacas tinham como destino final o Porto de Antuérpia, na Bélgica.

Outros 681 kg de cocaína estavam em uma carga de limão. As caixas iriam para a Holanda.

Nas duas oportunidades, houve indicação positiva dos cães de faro da Receita Federal.

A droga interceptada pela Receita Federal foi entregue à Polícia Federal, que acompanhou as operações, e prosseguirá com as investigações.

*com informações da Receita Federal

Combate ao tráfico será fortalecido entre Brasil e Bolívia

(Agência PF/Reprodução)

O Brasil e a Bolívia vão fortalecer as ações conjuntas de combate ao narcotráfico na região de fronteira, conforme prevê o documento de complementação básica ao acordo firmado em 1996, publicado no Diário Oficial da União desta segunda-feira (16).

Entre outras medidas, os dois países vão implementar o fortalecimento da capacidade operativa da polícia boliviana e da Polícia Rodoviária Federal, em suas atividades de fiscalização das rodovias; disponibilizar instalações e infraestrutura adequadas à execução das atividades de cooperação técnica; e troca de informações necessárias para a execução do projeto.

De acordo com o documento, os recursos para a execução das atividades previstas no projeto, poderão vir de “instituições públicas e privadas, de organizações não governamentais, de organismos internacionais, de agências de cooperação técnica, de fundos e de programas regionais e internacionais, que deverão estar previstos em outros instrumentos legais que não o presente ajuste complementar”.

Suspeito de tráfico internacional é preso em mansão na praia

André de Oliveira Macedo, conhecido como André do Rap (Reprodução)

A Polícia Civil de São Paulo prendeu hoje (15), o traficante internacional André de Oliveira Macedo, conhecido como André do Rap. O homem foi localizado em uma mansão, na cidade em Angra dos Reis, no Estado do Rio de Janeiro.

André do Rap é apontado como um dos principais líderes do tráfico de drogas do Brasil e comandava a conexão de entorpecentes para a Europa, via Porto de Santos, no litoral sul de São Paulo. A droga era enviada para a Calábria, na Itália, e de lá distribuída para todo o continente europeu.

Durante diligências, uma equipe da Divisão Antissequestro do Departamento de Operações Policiais Estratégicas (Dope) encontrou o suspeito junto com outros dois criminosos – todos procurados pela Justiça por tráfico internacional de entorpecentes.

Lancha apreendida pelos policiais (Reprodução)

Com o trio, foi apreendido um helicóptero, avaliado em cerca de R$ 7 milhões, uma lancha Azimut, de 60 pés, avaliada em aproximadamente em R$ 6 milhões, e um veículo, modelo Tucson.

“O trabalho de busca por esses criminosos começou há cerca de três meses”, explicou o delegado Fábio Pinheiro Lopes, da Divisão Antissequestro do Dope.

A investigação contou com o apoio de agentes internacionais, da Itália e dos Estados Unidos.

O traficante foi encaminhado à sede do Dope, onde prestará depoimento. As investigações prosseguem para localizar e prender outros criminosos envolvidos com o tráfico de entorpecentes. “A partir de agora, iremos apurar eventuais outros crimes que eles estejam envolvidos”, finalizou o delegado.

*com informações do Governo do Estado de SP

Ação contra o crime organizado apreende mais de 150 quilos de cocaína

Caminhão que transportava droga foi interceptado nas proximidades do Porto de Santos (Deic/via Governo do Estado de SP)

Policiais civis do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic) apreenderam mais de 150 quilos de cocaína em três ações diferentes em combate ao crime organizado. Os flagrantes aconteceram na madrugada desta terça-feira (10).

A primeira ocorreu no Porto de Santos, onde, em um carregamento interceptado, foi constatada a presença de tijolos de cocaína em meio a 35 toneladas de graxa. O material se solidifica e somente após um processo industrial de aquecimento será possível a retirada e contabilização da droga.

Nas proximidades, os policiais também apreenderam um caminhão baú refrigerado contendo contêineres com polpa congelada de laranja que tinham como destino a República Checa. Dentro do produto foram localizados mais tijolos de cocaína.

Um terceiro carregamento foi interceptado pela equipe em Itapecerica da Serra, na região metropolitana de São Paulo. Na ação, dois homens transportavam 153 quilos de cocaína em um veículo modelo Iveco Daily. As drogas foram encontradas em um fundo falso, no assoalho do automóvel.

Participaram dos trabalhos agentes da 2ª e 3ª Delegacia da Divisão de Investigações sobre Crimes contra o Patrimônio (Disccpat). Ao todo, oito pessoas foram presas e respondem por tráfico de drogas e associação ao tráfico.

*Conteúdo do Governo do Estado de SP

Quadrilha que enviava droga para Europa é alvo de operação

Uma organização criminosa com atuação no tráfico internacional de drogas é alvo da Operação Alba Virus, deflagrada nesta terça-feira (27) Pela Polícia Federal (PF). O grupo criminoso utilizava o transporte marítimo para enviar principalmente cocaína para países da Europa. As investigações indicam que o grupo teria sido responsável pela remessa de mais de 6 toneladas da droga,

Segundo a PF, as investigações começaram após prisão em flagrante de um dos integrantes da organização, no dia 20 de fevereiro deste ano, no Guarujá, em São Paulo. Por meio dele, os policiais chegaram a outros membros, bem como a diversos bens e imóveis adquiridos com o dinheiro do tráfico. Foram identificados, ainda, diversos integrantes que atuam na aquisição e ocultação dos bens adquiridos com o proveito do crime.

Com a análise dos celulares apreendidos, os agentes encontraram diversos vídeos nos quais os investigados aparecem ocultando grandes quantidades de cocaína em meio a cargas lícitas, em contêineres que embarcaram em navios com destino à Europa.

Desde as primeiras horas da manhã, os policiais federais estão cumprindo 42 mandados de busca e apreensão e 18 de prisão temporária, expedidos pela 5ª Vara Federal de Santos. A Justiça decretou também o sequestro de mais R$ 23 milhões em imóveis. Os mandados estão sendo cumpridos nos em endereços nos estados de São Paulo, Santa Catarina, Mato Grosso do Sul e da Bahia.

De acordo com a PF, o nome da operação, Alba Virus, em latim, que significa vírus ou veneno branco, faz referência à cocaína, substância entorpecente objeto do tráfico internacional praticado pela organização criminosa.

Os investigados vão responder pelos crimes de organização criminosa, tráfico internacional de entorpecente e associação para o tráfico, sem prejuízo de eventuais outras implicações penais que possam surgir com o descortinar das investigações.

Espanha: Militar com cocaína pode ser condenado em dois países

Por  Jonas Valente 

Militar foi conduzido pela Guarda Espanhola (El País/Reprodução)

O inquérito pra apurar o episódio do militar preso na Espanha com 39 quilos de cocaína após desembarcar de um voo da Força Aérea Brasileira (FAB) deve ficar pronto em até 40 dias. A informação é do porta-voz da FAB, major Daniel Rodrigues, que concedeu entrevista à imprensa sobre o assunto hoje (27), em Brasília. De acordo com major Rodrigues, o prazo para conclusão pode, excepcionalmente, ser prorrogado por mais 20 dias.

O resultado do inquérito deve ser encaminhado ao Ministério Público Militar (MPM), que poderá, então, abrir uma denúncia-crime contra o sargento da Aeronáutica.

O homem foi preso na terça-feira (25) na cidade de Sevilha, quando passava pelo controle alfandegário. Ele partiu do Brasil em missão de apoio à viagem presidencial ao Japão para a reunião do G20, integrando a tripulação que ficaria em Sevilha. O sargento foi acusado pelas autoridades espanholas por crime contra a saúde pública, categoria em que se encontra o delito de tráfico de drogas.

Perguntado por jornalistas sobre as circunstâncias do episódio, o representante da Força Aérea Brasileira reforçou que o inquérito corre em sigilo e que nenhuma informação sobre linhas de investigação ou fatos já apurados poderia ser fornecida.

Medidas de segurança

O porta-voz do FAB informou que em missões como esta são adotados procedimentos de segurança, como verificação de bagagens, pela Aeronáutica. Ele reforçou a fala do ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), general Augusto Heleno, segundo a qual a fiscalização dos tripulantes do voo não cabia ao GSI, mas à Aeronáutica.

Questionado por jornalistas sobre que procedimentos de segurança foram adotados no episódio, Rodrigues disse que esse é justamente um dos pontos que a investigação quer elucidar e que essas ações variam conforme a infraestrutura do aeroporto. “Em vista do ocorrido, essas medidas serão reforçadas. Foi criado grupo de trabalho para identificar vulnerabilidades em medidas de segurança existentes”, destacou.

Espanha e Brasil

As investigações ocorrem no Brasil e na Espanha. Segundo o porta-voz da FAB, o consulado do Brasil em Madri manteve contato com o sargento e com sua família.

Em face das investigações sobre o caso, o militar pode ser condenado nos dois países. Contudo, se for objeto de condenação pela Justiça espanhola, o cumprimento da pena no Brasil depende de um processo de extradição.

Questionado pela Agência Brasil sobre a possibilidade de extradição, o Ministério das Relações Exteriores reiterou as informações sobre apoio consular ao sargento e seus parentes “como faz no caso de qualquer brasileiro detido no exterior”. O Itamaraty informou ainda que um advogado de defesa já foi designado pela Espanha e que representantes do consulado em Madri estão em contato com autoridades policiais e judiciárias, mas que “não há outras informações disponíveis no momento”. 

https://spagora.com.br/militar-preso-com-droga-na-espanha-tem-salario-de-r-72-mil/

Militar preso com droga na Espanha tem salário de R$ 7,2 mil

Sargento da Aeronáutica atuou na comitiva de três ex-presidentes, segundo a Folha de S. Paulo
(El País/Reprodução)

O militar preso com cocaína na Espanha ao desembarcar de um avião oficial do governo brasileiro tem salário de R$ 7,2 mil. A informação é do jornal Folha de S. Paulo.

Nesta quarta-feira (26), o comando da Aeronáutica informou que instaurou um inquérito policial militar (IPM) para apurar as circunstâncias da prisão do sargento Manoel Silva Rodrigues, no aeroporto de Sevilha. O militar está à disposição das autoridades espanholas e teve o nome divulgado pela imprensa espanhola e confirmado pelo jornal, que descobriu, por meio do portal da transparência, a participação do sargento em, pelo menos, 29 viagens no Brasil e para o exterior desde 2011, e atuou na comitiva de três ex-presidentes.

De acordo com a nota, o sargento da Aeronáutica trabalha como comissário de bordo na aeronave VC-2 Embraer 190. O texto informa ainda que ele fazia parte da missão de apoio da viagem presidencial e que ficaria em Sevilha, não integrando, portanto, a equipe que acompanha o presidente.

“Esclarecemos que o sargento partiu do Brasil em missão de apoio à viagem presidencial, fazendo parte apenas da tripulação que ficaria em Sevilha. Assim, o militar em questão não integraria, em nenhum momento, a tripulação da aeronave presidencial, uma vez que o retorno da aeronave que transporta o Presidente da República não passará por Sevilha, mas por Seattle, Estados Unidos”.

Na nota, a Aeronáutica informa que regularmente adota medidas para prevenir crimes como este e que, diante do ocorrido, “essas medidas serão reforçadas”.

“O Comando da Aeronáutica reitera que repudia atos dessa natureza, que dá prioridade para a elucidação do caso e aplicação dos regulamentos cabíveis, bem como colabora com as autoridades”, conclui o texto.

Repercussão

Na tarde desta quarta-feira, o presidente da República, Jair Bolsonaro, usou a rede social Twitter para informar que exigiu “punição severa” ao responsável, no episódio que classificou como “inaceitável”.

Ver imagem no Twitter

*Com informações da Agência Brasil

PF prende traficante internacional de drogas

Por Flavia Albuquerque 

A Polícia Federal prendeu hoje (23), como parte da Operação Aplique, uma pessoa que faz parte de um grupo que atuava no tráfico internacional de drogas e lavagem de dinheiro. Outros 14 mandados de busca e apreensão foram cumpridos em São Paulo e Campo Grande (MS). O preso já estava sendo monitorado e investigado desde julho de 2017 por ter enviado mulas (pessoas que transportam drogas) com cocaína para Portugal.

Segundo o delegado regional de investigação e combate a crime organizado da Polícia Federal, Marcelo Ivo de Carvalho, foram notadas coincidências entre remessas apreendidas e o envio dessas pessoas ao exterior. “A partir das investigações, descobrimos que essas mulas eram entregues em um apartamento em São Paulo. A partir da coleta de imagens, em locais onde foram feitas reuniões com essas mulas, identificamos o alvo da operação”.

As pessoas que transportavam drogas eram enviadas para o exterior por meio do Aeroporto Internacional de Guarulhos e transportavam, em média, entre 30 e 40 kg de cocaína. “As mulas tinham características semelhantes, as drogas eram embaladas da mesma forma”. Entre o grupo havia estrangeiros de nacionalidade boliviana e espanhola, um deles com condenação por tráfico de drogas, na Bolívia, e outro com mandado de prisão expedido pela Espanha.

O alvo foi preso em casa, porque havia um temor da PF de que ele fugisse do país. “A intenção era deflagar a operação de forma conjunta, mas em virtude dessa possibilidade de fuga, ele acabou sendo preso antes. Essa investigação acabou cruzando com a outra que era desempenhada pela Delegacia de Repressão a Entorpecentes, que acabou sendo usada para confirmar a lavagem de dinheiro oriundo do tráfico de drogas”.

De acordo com o responsável pela Delegacia de Repressão a Entorpecentes da PF, Luiz Carlos Ratto Tempestini, foi feita um investigação paralela com relação à lavagem do dinheiro, na qual constatou-se movimentação financeira acima do declarado e incompatível com a atividade.

“A movimentação financeira da conta corrente foi de R$ 30 milhões em um ano e meio. A lavagem era feita por meio de salões de beleza e empresas de outros ramos”.

Todos os bens em nome do preso foram sequestrados pela Justiça, ou seja, ficam indisponíveis para o titular e, posteriormente, são revertidos para a União.

Passageiros são flagrados com 27 kg de cocaína em Cumbica

Cães de faro ajudaram a identificar a droga (Receita Federal/Reprodução)

Três passageiros nigerianos foram presos por tráfico internacional de entorpecentes no Aeroporto Internacional de São Paulo, em Guarulhos, entre quinta-feira (21) e a madrugada de hoje (22). A Receita Federal localizou, com ajuda de cães, cocaína nas bagagens deles. 

No primeiro caso, o passageiro viajaria para a cidade de Enugu, na Nigéria. Em sua bagagem despachada foram localizados 135 pacotes de sopa que ocultavam cocaína em seu interior, totalizando 10,775 kg da droga. 

Outro passageiro ocultou, aproximadamente, 8,6 kg de cocaína em embalagens de bombons. Nesse caso, a droga seria enviada para a cidade de Lagos, também na Nigéria. 

Droga seguiria para diferentes cidades da Nigéria (Receita Federal/Reprodução)

Nas duas bagagens despachadas pelo terceiro passageiro estavam 161 pares de sandálias que foram usadas para dissimular 7,728 kg de cocaína. O homem pretendia viajar para a cidade de Cotonou, no Benin. 

Os três passageiros foram conduzidos à Delegacia de Polícia Federal do aeroporto e autuados em flagrante.