Ação apreende 47 aviões de quadrilha internacional de drogas

Aeronave apreendida pela Polícia Federal (PF/Reprodução)

A Polícia Federal deflagrou hoje (21) a Operação Flak para desarticular uma organização criminosa especializada no transporte aéreo de drogas para o Brasil, Estados Unidos e Europa. No total, são cumpridos 54 mandados de prisão e 81 mandados de busca e apreensão, expedidos pela 4ª Vara Federal de Palmas (TO).

A investigação começou há dois anos, no período de 2017 a 2018. Foram identificados 23 voos transportando em média 400 quilos de cocaína cada, no total de mais de nove toneladas.

Segundo os investigadores, aviões eram adulterados para ter mais tempo de vôo.

Estados

(Tomaz Silva/Agência Brasil)

A operação é executada em Tocantins, Goiás, Paraná, Pará, Roraima, São Paulo, Ceará e no Distrito Federal. Mais de 400 policiais federais estão envolvidos.

Também participam a Força Aérea Brasileira (FAB) e o Grupamento de Rádio Patrulha Aérea da Polícia Militar de Goiás (GRAER/PMGO).

Há, ainda, o bloqueio de contas bancárias de aproximadamente 100 pessoas e empresas envolvidas, a apreensão de 47 aeronaves, o sequestro de 13 fazendas com mais de 10 mil cabeças de gado bovino e a inclusão de seis pessoas no Sistema de Difusão Vermelha da Interpol.

Crimes

Os investigados devem responder, na medida de suas participações, por tráfico transnacional de drogas, associação para o tráfico, financiamento ao tráfico, organização criminosa, lavagem de dinheiro e atentado contra a segurança do transporte aéreo.

O nome da operação Flak faz alusão a uma expressão utilizada pelos países aliados durante a Segunda Guerra Mundial para se referirem à artilharia antiaérea alemã.

Rapaz de 25 anos é preso ao embarcar com cocaína para Lisboa

Droga estava camuflada em duas malas (Receita Federal/Reprodução)

Um brasileiro que embarcava no Aeroporto de Viracopos, em Campinas, com destino a Lisboa, em Portugal, foi flagrado com 3,75kg de cocaína. O flagrante foi feito pelo Grupo de Repressão da Receita Federal.

O trabalho de inteligência e gerenciamento de risco da Receita Federal identificou o passageiro, de 25 anos.  Natural de Porto Velho, ele havia iniciado a viagem em Curitiba, de onde voou para Viracopos para, então, embarcar para Lisboa. 



Após realização de entrevista e inspeção das bagagens, o Grupo de Repressão encontrou a droga escondida em fundos falsos de duas malas. O passageiro foi detido por tráfico internacional de entorpecentes e encaminhado, junto com a droga, para a Polícia Federal. A cocaína foi avaliada em cerca de R$ 700 mil.

Momento em que a droga foi retirada do fundo falso da mala (Receita Federal/Reprodução)

Receita Federal descobre cocaína em carga para exportação

(Receita Federal/Reprodução)

A Alfândega da Receita Federal no Porto de Santos, em operação conjunta com a Polícia Federal, localizou 347 kg de cocaína escondidos em um contêiner prestes a ser enviado para a Europa. 

Graças ao trabalho de análise de risco, equipes da Receita Federal e da Polícia Federal localizaram a cocaína acondicionada em tabletes, agrupados em sacos de ráfia, inseridos dentro de um contêiner que continha uma carga de painéis de fibra de madeira. 

O contêiner seria embarcado em um navio com destino a Algeciras, na Espanha, porto de destino da carga regular. Suspeita-se da técnica criminosa denominada rip-on/rip-off, em que a droga é inserida em uma carga lícita sem o conhecimento dos exportadores e importadores. 

Neste ano, a Alfândega de Santos já localizou mais de 21 toneladas de cocaína em cargas de exportação com destino a Europa.

*com informações da Receita Federal

Cocaína é encontrada em carga que seguia para Europa

(Receita Federal/Reprodução)

A Alfândega da Receita Federal do Brasil do Porto de Santos, em operação conjunta com o Departamento de Polícia Federal, localizou cocaína escondida em duas cargas prestes a serem exportadas para a Europa.

A primeira carga consiste em minério com destino à Antuérpia, na Bélgica. O minério estava acondicionado em grandes sacas denominadas “big-bags”. Em cinco delas, estavam escondidos, ao todo, quinze sacos de ráfia, contendo diversos tabletes de cocaína, totalizando 605 kg.



A segunda carga é de chapas de cobre, com destino à Alemanha. Nesta, a droga estava oculta dentro de estrados metálicos, os quais estão sendo cortados para a retirada da droga no momento em que está sendo elaborada esta nota, motivo pelo qual não temos o peso total desta apreensão.

As localizações se deram graças à análise de risco e contaram com a participação da Equipe de Condutores de Cães de Faro da Receita Federal.

Neste ano, a Alfândega de Santos e a Polícia Federal já interceptaram mais de 19 toneladas de cocaína em cargas de exportação para a Europa, no Porto de Santos.

*com informações da Receita Federal