Ubatuba é a cidade mais pesquisada para festas de fim de ano

Nascer do sol com algumas nuvens no céu. Ao lado do sol, que aparece pequeno, rente à água do mar, está uma ilha cheia de árvores. No primeiro plano, as ondas calmas quebrando na areia.

Ubatuba é a cidade mais procurada pelos brasileiros para as festas de fim de ano de 2021, segundo levantamento feito pela plataforma Booking.com. A “Capital do Surfe” ficou, até mesmo, à frente de municípios como o Rio de Janeiro, onde a passagem do Réveillon é tradição.

A análise considerou as buscas realizadas na plataforma durante as quatro primeiras semanas de novembro para estadias entre 23 de dezembro de 2021 e 6 de janeiro de 2022. A pesquisa também apontou que a preferência é por destinos de praia.

Os locais mais procurados pelos viajantes brasileiros na plataforma da Booking.com, em novembro, para estadas no Natal e Ano Novo, são:

Nascer do sol com algumas nuvens no céu. Ao lado do sol, que aparece pequeno, rente à água do mar, está uma ilha cheia de árvores. No primeiro plano, as ondas calmas quebrando na areia.
(Juliano Budel/Pixabay)

1) Ubatuba (SP)
2) Rio de Janeiro (RJ)
3) Florianópolis (SC)
4) Guarujá (SP)
5) Balneário Camboriú (SC)

Atrativos

Uma das vantagens de Ubatuba é sua extensão, com 100 km de costa e mais de cem praias, opções não faltam para quem quer fugir das aglomerações. Além das praias, a cidade ainda tem cachoeiras, trilhas, comunidades tradicionais (como aldeias indígenas e quilombos), atrativos turísticos – como prédios históricos da região central, rota do artesanato e, ainda, locais para visitação, como Ruínas da Lagoinha, castelo dos Arautos, mirantes, Ilha dos Pescadores, Caisão e Píer.
Além disso, é importante destacar que Ubatuba possui gastronomia variada e uma rede hoteleira capaz de atender a todos os gostos e valores.

Natal luz

Quem visitar o município neste fim de ano vai se surpreender: há cinco pontos com ornamentação iluminada, que fazem parte da iniciativa denominada “Natal Luz: Reacendendo a Esperança”: Praça 13 de Maio (estação Papai Noel); Praça Matriz (Estação Presépio); Praça da Baleia (Estação Gelada dos Pinguins); avenida Iperoig (árvore de natal de led com 12 metros de altura) e ruas Thomaz Galhardo e Guarani (estação ruas iluminadas). A decoração enfeita a cidade até o dia 06 de janeiro, que é a data que marca o Dia de Reis.

Ranking

Neste ano, a cidade vem se destacando por apresentar uma serie de índices positivos. Ubatuba foi a cidade mais bem colocada no ranking entre os 70 municípios classificados como estâncias turísticas no estado de São Paulo, permanecendo na posição por três anos. Também foi uma das três finalistas a concorrer o Prêmio Top Destinos Turísticos da edição 2021 na categoria Sol e Praia, disputando com Praia Grande (Litoral Sul) e São Sebastião, e indicada para o prêmio das cidades excelentes, classificada entre 30 municípios (pelo desenvolvimento em pilares como educação e saúde e bem-estar).

Preparação para o fim de ano

Com a propensão em receber um grande número de turistas no final desse ano, a prefeitura já visa adotar diversas medidas durante o período. É importante destacar que ainda é necessário cumprir os protocolos sanitários de combate à Covid-19 como o uso de máscaras, a higienização das mãos e o distanciamento social.

Por Pref. de Ubatuba

Ataque de tubarões: aumento de pessoas no mar pode explicar incidentes

Dois acidentes envolvendo tubarões deixaram duas pessoas feridas em praias de Ubatuba, litoral norte de São Paulo, nos dias 3 e 14 de novembro. Os ferimentos causados foram leves e eram compatíveis com a mordedura de tubarão, de acordo com informe técnico do Laboratório de Pesquisa de Elasmobrânquios da Universidade Estadual Paulista (Unesp).

O presidente da Sociedade Brasileira para o Estudo de Elasmobrânquios, colaborador do Arquivo Internacional de Ataques de Tubarões e professor da Unesp Otto Bismarck Gadig foi o responsável pela confirmação dos dois acidentes.

Ele explicou que quanto maior o número de pessoas no mar e quanto mais as pessoas invadem esse ecossistema, maior é a chance de interação com a fauna marinha.

Ubatuba, no litoral norte (Arquivo/Daniel Linguitte/Fotos Publicas)

Segundo Gadig, ainda é precipitado apontar outras explicações para as ocorrências. “Os acidentes com tubarões no mundo aumentaram nos últimos 70 anos de acordo com o aumento populacional humano. Isso só reforça o que eu estou colocando”, disse. Ele ressaltou que ambos os casos ocorreram próximos a feriados, períodos que costumam gerar maiores aglomerações em praias.

No entanto, o especialista acrescenta que outras causas para esses acidentes só poderão ser confirmadas por meio de monitoramento ao longo do tempo. “Se tem outros fatores de pano de fundo, ou seja, mudanças climáticas, fatores oceanográficos, alguma perturbação no ecossistema, isso é possível de saber, mas não agora. Então, é ficar monitorando a situação para ver se esses acidentes se repetem para tentar achar explicações ligadas a processos mais complexos”, explicou.

Cuidados

O professor avalia que, quando os acidentes são ocasionais, como esses de Ubatuba, não é necessário fechar praias, mas as pessoas podem tomar alguns cuidados básicos. “São condutas preventivas que a gente pode sugerir para as pessoas evitarem ou diminuírem o risco de encontrar com tubarões, lembrando que mesmo sem essas condutas o risco é muito baixo”, disse.

Entre os cuidados que podem ser tomados pelos banhistas, o professor citou não entrar no mar sozinho, procurar ficar em grupo; não entrar no mar se tiver com algum ferimento que possa sangrar, porque esses animais são muito sensíveis do ponto de vista sensorial; não urinar na água, já que isso pode atrair um animal que esteja por perto.

O professor sugere ainda que as pessoas evitem entrar no mar em horário de escuridão, à noite, no final da tarde ou começo do dia, porque muitas espécies são mais ativas para alimentação nesse período. Também não é recomendado usar objetos brilhantes que podem refletir a luz do sol e brilhar, o que poderia ser confundido com pequenos peixes que são eventualmente presas de tubarões.

Por Camila Boehm, da Agência Brasil

Bombeiros buscam avião que desapareceu no mar entre Ubatuba e Paraty

Parte do barco usado para buscas ao avião com o mar ao fundo.

O Corpo de Bombeiros do Estado de São Paulo, em conjunto com a Marinha e a Capitania dos Portos, está realizando as buscas de três pessoas que estavam em avião bimotor que caiu em mar aberto entre as cidades de Ubatuba, no litoral norte de São Paulo, e Paraty, no litoral do Rio de Janeiro.

O voo saiu às 20h30 do Aeroporto dos Amarais, em Campinas, e pousaria no Aeroporto de Jacarepaguá, no Rio de Janeiro. No início da manhã, a Força Aérea Brasileira (FAB) localizou destroços que podem ser do avião.

Segundo as informações, a queda teria ocorrido por volta das 21h de ontem (25).

O Corpo de Bombeiros de São Paulo informou que recebeu o chamado do Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro à 1h20 informando sobre a queda da aeronave e, em seguida, de parentes do piloto que relataram problemas com o avião. Além do piloto, estavam no avião mais um tripulante e um passageiro.

por Agência Brasil

Idosa é atacada por tubarão em Ubatuba

Imagem panorâmica de uma praia, em Ubatuba

Uma idosa de 79 anos foi atacada por um tubarão na Praia Grande, em Ubatuba, litoral norte de São Paulo. O incidente aconteceu no último domingo (14) e cidade já havia registrado outro ataque este mês, que feriu um turista francês.

Pesquisadores da Universidade Estadual de São Paulo (UNESP), suspeitam que a mulher tenha sido vítima da espécie cabeça-chata ou tubarão-tigre.

A vítima que é de Minas Gerais, estava em Ubatuba a passeio, aproveitando o feriado da Proclamação da República.

Imagem panorâmica de uma praia, em Ubatuba
(Pixabay/Reprodução)

A idosa teve um ferimento de cerca de 25 centímetros na perna, foi encaminhada para a Santa Casa, e liberada após ter ferimento saturado.

Ilha Comprida

Também no feriado prolongado, na última segunda-feira (15), um garoto de 11 anos foi ferido na perna esquerda por um cardume de cação (espécie de tubarão de pequeno e médio porte), em Ilha Comprida, no litoral sul de São Paulo. O incidente ocorreu na Praia do Boqueirão Norte por volta das 12h.

Só que neste caso, segundo a Prefeitura de Ilha Comprida, não houve evidência de ataque ou marca de mordida. “O cardume esbarrou e feriu a criança, causando lesão sem gravidade. A criança foi atendida na Unidade de Pronto Atendimento (UPA), levou dois pontos na coxa esquerda e está bem”, explicou.

*com TV Cultura

Ônibus tomba e mata seis pessoas a caminho do litoral

Bombeiros observam ônibus tomabado na lateral da rodovia

Um ônibus de turismo tombou na rodovia Oswaldo Cruz, na altura do km 76, em São Luiz do Paraitinga, no litoral de São Paulo, na manhã deste sábado (13). Segundo o Corpo de Bombeiros, o veículo tinha 66 passageiros mais o motorista. Dessas, 48 foram socorridas, 12 saíram ilesas e 6 pessoas morreram (incluindo uma criança).

Ao todo, 11 viaturas da corporação, um helicóptero da Polícia Militar e viaturas do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) foram deslocadas para a ocorrência. Os Bombeiros foram acionados às 6h16 e estão no local há mais de 14 horas.

O veículo é um ônibus de dois andares da empresa Arca Turismo e fazia uma viagem de São Paulo a Paraty (RJ).

Bombeiros observam ônibus tomabado na lateral da rodovia
(Corpo de Bombeiros)

As pessoas que ficaram feridas foram levadas para hospitais. 34 delas foram para a Santa Casa de Ubatuba, 11 para o Hospital Regional de Taubaté e outras três para o pronto-socorro de São Luiz de Paraitinga.

Trecho da estrada era proibido para ônibus

Ainda não foi identificado o motivo para a queda do ônibus na estrada. Essa será uma tarefa para a pericia, que já chegou ao local. Mas, uma informação importante já foi levantada. No trecho onde ocorreu o acidente é proibida a passagem de ônibus e caminhões.

Devido o acidente, os dois trechos da rodovia ficaram interditados pelo Departamento de Estradas de Rodagem de São Paulo por mais de 14 horas. O departamento já liberou a estrada para os turistas. 

Posicionamento da empresa

A Andreatur, responsável pela Arca Turismo, disse ter acionado a seguradora após o acidente do ônibus. Além disso, providenciou ajuda médica para todos os envolvidos.

“Com relação ao triste acidente ocorrido hoje (13) pela manhã, no Km 75 da rodovia Oswaldo Cruz, no trecho de serra em São Luiz do Paraitinga, a empresa Andreatur lamenta profundamente e se solidariza com os passageiros e familiares. 

Esclarece ainda que acionou a seguradora logo após o ocorrido e a assessoria médica já está prestando todo suporte para o melhor atendimento às vítimas. 

Transcorrido este período de choque a empresa disponibilizará todo suporte técnico e jurídico para trâmite com a seguradora. 

Vale ressaltar que ainda não há como precisar a causa do acidente, apenas após a conclusão do laudo da perícia científica será possível disponibilizar essa informação. 

Sem mais, agradecemos a compreensão e reafirmamos que a Andreatur mantém uma política de total transparência, mobilizando uma equipe para atendimento através do telefone (11) 3390-3690 ou pelo (11) 97681-9821″.

*Com TV Cultura

Chuva provoca enchente e causa prejuízos no litoral

As fortes chuvas que atingiram a cidade litorânea de Ubatuba (SP), no primeiro dia de 2021 até a madrugada de hoje (2), provocaram estragos, alagando a região central da cidade e causando problemas no abastecimento de água.

 A Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) informou que o tratamento de água teve que ser interrompido devido a galhos, lama e pedras que bloquearam a captação de água e que está trabalhando para a normalização do sistema.

De acordo com a prefeitura, o fornecimento de água pode levar até 12 horas para ser completamente.

Também houve problemas com a coleta de lixo. Devido à interdição da ponte que dá acesso ao transbordo, a empresa responsável pela coleta do lixo teve dificuldades para descarregar os caminhões, o que só ocorreu quando o nível da água do rio baixou. O serviço, segundo a prefeitura, foi normalizado hoje de manhã.

Ainda segundo a prefeitura da cidade, seis famílias que moram em residências na Rua Acre ficaram desalojadas. Elas foram levadas, para a Escola Municipal Presidente Tancredo de Almeida Neves, pela manhã, onde devem permanecer até a situação estiver normalizada.

 A prefeitura solicita doações para os desalojados e desabrigados, que podem ser encaminhadas à escola Tancredo Neves ou para o Ginásio Tubão.

Por Elaine Patricia Cruz – Repórter da Agência Brasil 

Caiçaras e quilombolas denunciam agressões e ameaças da PM

Pescadores relatam abordagens truculentas em Ubatuba, no litoral de SP, e pedem que Ministério Público investigue policiais; “racismo ambiental”, define biólogo

Para biólogo, perseguição a pescadores autônomos é “racismo ambiental” | Divulgação: PM Ambiental de SP

Roberto* relata que nunca passou tanta humilhação como na tarde de 5 de junho, quando retornava do mar após ter pescado camarão em Ubatuba, no litoral norte paulista. Enquanto transportava a carga do barco para um carro, após um dia inteiro de trabalho, ouviu a sirene e viu uma viatura da Polícia Militar Ambiental. “Ele [PM] chegou de arma na mão, gritando pra gente sair da Kombi, mandando colocar a mão na cabeça. Eu só dizia que não era bandido e que ele não podia falar assim comigo”, lembra.

O homem afirma que o policial o agrediu enquanto o revistava. “Eu estava com uma ferida na perna e ele bateu tão forte na minha perna na hora que me revistava, que a ferida piorou”, afirma. Após pedir a documentação do barco, que estava em dia, o policial deixou local.

César*, que pesca há mais de 30 anos, conta que no dia 6 de maio, por volta das 8h30, cinco PMs entraram no seu rancho de pesca, uma espécie de tenda de bambu e lona para guardar canoa e equipamentos. “Eles ameaçaram tacar fogo em tudo, me levar preso, dizendo que eu tinha montado o rancho na APA (Área de Proteção Ambiental), mas eu não desmatei nada”, disse à Ponte.

Esses são alguns dos relatos de pescadores artesanais (são assim chamados porque são autônomos) de comunidades quilombolas e caiçaras durante abordagens policiais na cidade. Desde o ano passado, ele dizem que os PMs têm intensificado as abordagens e agido com truculência, especialmente o 3º sargento Amadeu Alves Neto, que teria agredido Roberto* e é citado em outros casos.

Há pescadores que também narram que estão sendo sendo multados e tendo a carga apreendida mesmo com a documentação regularizada. Desde 2015, segundo o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, as emissões de licenças de Pescador Profissional Artesanal estão suspensas após uma auditoria ter identificado problemas nas inserções dos documentos. Com isso, a pasta determinou, em portaria redigida em 2019 e prorrogada neste ano, a apresentação de protocolo de requerimento de licença como comprovação da atividade de pesca.

Os pescadores, no entanto, afirmam que os PMs não aceitam o documento. “Eu tô esperando a minha carteirinha para renovar já tem sete anos, aí eu mostro o protocolo, mas a polícia não aceita e isso já vira motivo para ser multado, de perder sua pescaria, é muito abusivo”, conta Luís*. “A gente está no sufoco tentando sobreviver e não enxergam a gente como trabalhador”, prossegue.

Após uma reunião com os caiçaras e quilombolas, membros da Renap (Rede Nacional de Advogados e Advogadas Populares) entraram com uma representação ao Ministério Público Estadual solicitando a investigação dos policiais. “A questão principal que estamos trabalhando é o abuso de autoridade, porque coloca a vida deles em risco. Tem pescador que nem está pescando mais em Ubatuba, está indo para Paraty [no Rio de Janeiro] para pescar, com medo da polícia”, explica Pedro Camilo de Fernandes, um dos advogados que escreveu a representação.

De acordo com ele, há também denúncias de que mesmo havendo algum tipo de infração cometida pelos pescadores, como o tamanho da rede ou da embarcação estar em desacordo com a legislação, as abordagens acontecem de forma truculenta e as apreensões das cargas não estariam sendo feitas corretamente, com pesagem adequada e armazenamento, tendo em vista o que decreto 6514/2008, que trata das infrações ambientais, determina a doação dos produtos perecíveis apreendidos. Essa apreensão incorreta poderia configurar improbidade administrativa, na avaliação do advogado.

Para o biólogo e coordenador do Fórum de Comunidades Tradicionais em Ubatuba Santiago Bernardes, a atuação do Estado tem criminalizado os pescadores. “Isso se classifica como racismo ambiental porque, além da pesca industrial, também se tem várias intromissões e invasões de mansões e resorts em áreas que estão diretamente ligadas à pesca, como, por exemplo, no manguezal, que é um berçário de espécies, e não se tem o mesmo rigor da fiscalização. E quando acontece, são processos morosos, que se protelam por anos”, critica.

Bernardes também aponta a dificuldade de formalizar as denúncias dos pescadores pelo receio de perseguição. “Uma abordagem na rua, você tem pessoas ali que podem estar filmando, há uma contenção muitas vezes. Mas no mar, essa truculência prevalece porque é mais difícil para o pescador filmar, se ele tenta, é impedido, embora isso seja um direito”, argumenta.

O que diz o Ministério Público

Procurada pela reportagem, a assessoria de imprensa do órgão declarou que a Promotoria de Justiça de Ubatuba “constatou que se tratava de matéria afeta à Justiça Militar” e encaminhou o procedimento para apurar abuso de autoridade ao Ministério Público Militar.

O procedimento para apurar improbidade administrativa está no Conselho Superior do Ministério Público aguardando deliberação, já que o órgão indeferiu a solicitação dos advogados para apurar esse suposto crime e eles entraram com recurso. Segundo o advogado Pedro Camilo de Fernandes, a negativa se deu pelo fato de os pescadores solicitarem anonimato.

Já a Promotoria de Justiça Militar informou que recebeu o caso de abuso de poder no dia 13 de julho e que “por trata-se de protocolo recente, o presente expediente ainda aguarda distribuição a algum dos Promotores de Justiça que atuam nesta Especializada para análise”.

O que diz a PM

Ponte solicitou à corporação entrevista com o sargento Amadeu, porém, a InPress, assessoria de imprensa terceirizada da Secretaria de Segurança Pública, respondeu por nota informando que a PM abriu procedimento para apurar o caso e que “constatada qualquer irregularidade, as providências cabíveis serão adotadas”.

O que diz o Ministério da Agricultura

Questionamos a respeito do Registro Geral de Pesca e a pasta confirmou a paralisação das emissões das carteirinhas, destacando a vigência das portarias que asseguram a apresentação dos protocolos de requerimento de licença como documento comprobatório da atividade de pesca. “Assim sendo, qualquer pescador que porta seu protocolo devidamente identificado poderá apresentá-lo como documento regular para poder realizar a atividade de pesca”, garantiu em nota.

A assessoria do ministério também declarou que não é de conhecimento oficial que os órgãos de fiscalização estejam rejeitando os protocolos. Nesses casos, a pasta solicita que as denúncias sejam formalizadas pelo e-mail [email protected], com o nome completo e o nº CPF da pessoa, “a fim de que sejam dados os encaminhamentos necessários para evitar quaisquer tipos de prejuízos aos pescadores profissionais artesanais”. 

*Os nomes foram trocados a pedido dos entrevistados que temem sofrer represálias.

Por Jeniffer Mendonça – Repórter da Ponte

Ubatuba assina contrato com a Sabesp

foto panorâmica mostra a praia de ubatuba. Do lado esquerdo, casas. ao centro, a faixa de areia e do lado esquerdo está o mar, com a água em tom verde claro. Ao fundo, montanhas e algumas nuvens no ceu.

A Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) e a Prefeitura de Ubatuba assinaram contrato para a prestação dos serviços de água e esgoto do município. Após São Sebastião e Caraguatatuba, Ubatuba é o terceiro município do litoral norte a estabelecer um compromisso com a Sabesp pelos próximos 30 anos, com investimentos de R$ 687 milhões em obras de saneamento básico a curto, médio e longo prazos, além da previsão de antecipação das principais obras e investimentos para os primeiros seis anos de contrato, em prol da população.

Ubatuba, no litoral norte do Estado (Sabesp/Reprodução)

Até 2022, a expectativa de investimentos é de R$ 49,9 milhões em abastecimento e R$ 78,7 milhões em sistemas de esgotos. A médio prazo, entre 2023 e 2035, serão investidos R$ 87 milhões em água e R$ 313,7 milhões em esgoto e, de 2036 a 2048, os valores são de R$ 26,7 milhões em abastecimento e R$ 108,8 milhões em esgotamento sanitário.

Água

Em abastecimento, a Companhia fará obras importantes como a ampliação do sistema de abastecimento Carolina e instalação de 3 novos reservatórios, o que irá beneficiar 24 mil famílias. A Praia Dura também contará com reforço no sistema de abastecimento com mais 2.400 ligações.

O sistema Itamambuca também será ampliado e vai beneficiar 1.280 imóveis incluindo nesse montante 500 novas residências. As interligações dos reservatórios Toninhas e Lázaro às estações de água tratada beneficiarão 900 famílias e 3 mil famílias, respectivamente.

Esgoto

Em esgotamento sanitário, haverá a ampliação da estação de tratamento de esgotos Principal, com investimentos de R$ 18 milhões já iniciados com a instalação do canteiro de obras. Dentro desse sistema central, a Estação Elevatória de Esgotos Tamoios também será ampliada, possibilitando 8 mil novas ligações que, somadas às existentes, beneficiarão um total de 13 mil residências.

O sistema Maranduba, que englobará também os bairros Sapê, Lagoinha e região do Sertão da Quina, possibilitará mais 3.600 ligações. E o sistema Perequê-Mirim, que inclui Domingas Dias, Lázaro, Perequê-Mirim e Enseada, contará com 2.600 novas ligações.

Ubatuba hoje conta com cobertura de 93% de água e 51% de esgotos. Com os investimentos previstos, até 2028 esses índices devem chegar a 98% (água) e a 96% (esgoto).

Além disso, com a formalização do contrato de prestação de serviços entre a Sabesp e Ubatuba, ao longo dos próximos 30 anos a Companhia fará o repasse de R$ 163 milhões ao município, que será depositado a cada semestre no Fundo Municipal de Saneamento para investimentos em regularização fundiária, sistemas de drenagem, resíduos sólidos e educação ambiental, que beneficiarão diretamente toda a população do município.

Economia de água

Outra vantagem é a inclusão de Ubatuba no Programa de Uso Racional da água, com desconto de 25% nas contas de consumo de prédios públicos do município. Estima-se que o valor a ser economizado será equivalente a R$ 491 mil/ano.

É importante destacar ainda que o ISS (Imposto Sobre Serviços) das obras que serão executadas pela Sabesp e que, portanto, retornará aos cofres públicos, chegará a R$ 2,3 milhões até 2021 e R$ 18,6 milhões até 2046.

Para o diretor de Sistemas Regionais da Sabesp, Ricardo Daruiz Borsari, a contratualização com Ubatuba é um marco. “Quero parabenizar os poderes Executivo e Legislativo de Ubatuba pela assertiva e sábia decisão. Digo isso porque manter na cidade os serviços da Companhia, uma empresa que tem como missão prestar serviços de saneamento, contribuindo para a melhoria da qualidade de vida e do meio ambiente, significa respeito à população fixa e flutuante que frequenta essa linda e progressista cidade do nosso litoral”, destacou.

O superintendente da Sabesp no Litoral Norte, Rui César Rodrigues Bueno, também falou sobre a importância da contratualização. “É uma oportunidade para a Sabesp organizar, planejar e executar obras essenciais na área de saneamento e, com isso, atingir índices de cobertura e atendimento para abastecimento de água e coleta e tratamento de esgotos compatíveis com o do estado de São Paulo, de forma estruturada e articulada com os anseios do município que, sabemos, necessita de altos valores de investimento. Para a cidade e para o executivo municipal, é a equalização de suas necessidades e a oportunidade de efetivamente buscar a universalização do abastecimento de água e coleta e tratamento de esgotos, em sua área formal de forma organizada e com prazos estabelecidos”, avaliou.

O prefeito de Ubatuba, Délcio Sato, avalia a contratualização como uma grande vitória. “A celebração desse contrato é o resultado da nossa luta travada desde o início da gestão. Foram três anos realizando reuniões com a Sabesp em São Paulo, que vinha operando em Ubatuba há 12 anos sem contrato. A partir de agora, Ubatuba receberá um grande volume de investimento que trará a universalização dos serviços básicos de água e esgoto. Essa é uma conquista histórica para Ubatuba, um legado para a cidade e às futuras gestões que estarão acompanhando a evolução”, finalizou.

*Com informações do Governo do Estado de SP

Coronavírus: Justiça manda fechar Rodovia e isola Caraguatatuba

(Arquivo/Concessionária Tamoios/Reprodução)

O juiz da 1ª Vara Cível de Caraguatatuba, Ayrton Vidolin Marques Junior, acatou o pedido do Ministério Público Estadual e da Prefeitura para concessão de liminar para o fechamento da Rodovia dos Tamoios (SP-99), principal via de acesso ao Litoral Norte.

Ele determinou o efeito de interditar parcialmente a Rodovia dos Tamoios enquanto perdurar o estado de emergência em Caraguatatuba.

“Fica proibido o acesso a Caraguatatuba de turistas e veranistas (assim considerados os visitantes temporários, ainda que possuam imóvel de veraneio)”, cita o magistrado.

Segundo o juiz, fica permitido o ingresso apenas de veículos de emergência e de locomoção para atendimento médico; de transporte e abastecimento de suprimentos; de prestação de serviços essenciais; que comprovadamente estejam em trânsito com destino a cidades situadas fora do Litoral Norte de São Paulo; que comprovem residência fixa nas cidades integrantes do Litoral Norte de São Paulo (Caraguatatuba, Ubatuba, São Sebastião, Ilhabela e Bertioga); que comprovem atividade comercial nas cidades do Litoral Norte; de casos reconhecidos como imprescindíveis pelos respectivos Municípios, através da emissão de autorização específica que deverá ser providenciada pelas autoridades de trânsito municipais.



Ainda de acordo com a decisão, serão instaladas barreiras e pontos de controle nos terminais de acesso e saída de Caraguatatuba, dirigidos à Prefeitura (ficando autorizado também o emprego da Atividade Delegada); ao Comando da Polícia Militar e ao Comando da Polícia Militar Rodoviária.

“Imponho ao Estado de São Paulo e à Concessionária Rodovia dos Tamoios a obrigação de que cooperem com a efetivação das barreiras e pontos de controle, bem como que se abstenham de criar embaraços à concretização da ordem”, explica o juiz.

No caso de descumprimento, o juiz Ayrton Vidolin fixou multa diária no valor de R$ 100 mil.

A medida começa a valer assim que a Concessionária Tamoios for notificada da decisão pelo Judiciário.

O prefeito de Caraguatatuba, Aguilar Junior, comemorou a decisão do Judiciário e parabenizou a atuação do MP na questão.

“Essa é uma vitória para proteger o nosso povo e para proteger o Litoral Norte. Temos um numero pequeno de respiradores na região e não sabemos até onde vai chegar essa pandemia. Agradeço a equipe da Saúde, do Jurídico da Prefeitura e a sensibilidade do Judiciário e do MP, pois quanto menos aglomerações em nossa cidade, vamos evitar a proliferação do vírus”, destaca o prefeito.

De acordo com a Ação Civil Pública, depois de adoção de medidas restritivas pelo Estado sobre o novo coronavírus (Covid-19), houve aumento do contingente de turistas que acessaram o Litoral Norte e o Município de Caraguatatuba, aumento na ocupação hoteleira e a utilização/aglomeração nas praias, restaurantes e demais estabelecimentos turísticos, viabilizando um grave aumento de contágios pela proliferação do coronavírus no Município, advindo da transmissão pelos turistas de outras regiões do Estado e Brasil.

*Com informações da Prefeitura de Caraguatatuba

Confira a previsão do tempo para Capital e Litoral

Capital amanhece com 18ºC e garoa na região da Marginal Tietê


As primeiras horas da manhã de hoje (24) apresentam céu encoberto e leve sensação de frio. Dados da rede de estações meteorológicas do Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE), da Prefeitura de São Paulo, apontam a média de 18°C.

Imagens do radar meteorológico não indicam presença de áreas de instabilidade em toda a faixa leste do estado. Há apenas chuviscos e garoa isolada em alguns bairros da Capital.

No decorrer do dia o céu continua apresentando nebulosidade e condições para chuviscos intermitentes. A temperatura máxima prevista é de 24°C. A partir do final da manhã o tempo melhora gradativamente, inclusive com curtos períodos de sol e sem previsão de chuvas para o restante do dia.

Previsão do Tempo

As simulações atmosféricas mais recentes indicam que o tempo volta a ficar firme a partir do sábado (25), aniversário da cidade de São Paulo. As temperaturas voltam a subir, principalmente no período da tarde, e não há previsão de chuvas no final de semana. Temperaturas variam entre a mínima de 17°C e a máxima atinge os 28°C.

Litoral

Avenida Ayrton Senna, em Praia Grande, amanhece com garoa e temperatura de 21ºC nesta sexta-feira (Prefeitura de Praia Grande/Reprodução)

Na baixada santista e no litoral norte, o sol brilha nesta sexta-feira entre muitas nuvens e pode chover a qualquer hora do dia. Temperaturas chegam a 26ºC em Praia Grande e Ubatuba. Ao longo do fim de semana, o sol predomina e temperaturas chegam a 31ºC em Praia Grande e 29ºC em Ubatuba. Não há previsão de chuva.

*com informações do CGE