Cinco são contaminados por Covid-19 após abrir caixão em velório na Bahia

Cinco pessoas contraíram a Covid-19 após a família decidir abrir o caixão durante o velório na cidade de Cairu, na Bahia. A morte foi registrada na última quinta-feira (7) e, como havia suspeita da doença, o caixão saiu lacrado da Santa Casa de Valença. As informações são do jornal Folha de S.Paulo.

No entanto, a família resolveu abrir o caixão durante o velório, mesmo com recomendações contrárias da secretaria municipal de Saúde de Cairu. O resultado do exame da vítima saiu na segunda-feira (12) e deu positivo para o novo coronavírus.

Após a confirmação, a prefeitura procurou as 12 pessoas que participaram do velório. Em um primeiro momento, os familiares não quiseram aceitar o diagnóstico. Depois, foram convencidos a também fazerem o exame. Cinco deles testaram positivo.

Monopólio do serviço funerário é revisto pela prefeitura

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas, disse hoje (23) que a cidade ainda não enfrentou seu pior momento com relação à pandemia do coronavírus. “O isolamento social é fundamental. O pior ainda está por vir”, afirmou Covas.

O isolamento social no estado de São Paulo ontem (22)  chegou a 48% e acendeu o alerta amarelo para o governo paulista. A taxa ideal de isolamento para diminuir a propagação do vírus e não provocar colapso nos hospitais é acima de 70%, mas o governo admite que uma taxa entre 50% e 60%, que chama de cenário possível, já ajuda a conter o avanço do vírus.

Segundo o prefeito, o vírus está se espalhando por toda a cidade. “Em todas as regiões, em todos os bairros, já temos casos de óbito confirmados que chegam a quase mil na cidade de São Paulo”, disse Covas, ressaltando que, em bairros da periferia como Brasilândia, Sapopemba e Capela do Socorro, a quantidade de óbitos é ainda maior.

Cemitérios

Preocupado com o avanço da doença e tentando evitar que a capital enfrente problema semelhante ao que ocorreu em Guayaquil, no Equador, Bruno Covas informou  que será publicado amanhã (24)  um decreto flexibilizando o monopólio do serviço funerário na cidade. Com isso, explicou o prefeito, todos os velórios e sepultamentos nos cemitérios privados poderão ocorrer sem passar pelo serviço funerário da prefeitura.

Covas disse ainda que a prefeitura está elaborando um plano de contingência para que se tenha um planejamento adequado do sistema funerário na capital.

Entre as medidas anunciadas pela prefeitura para o sistema funerário — algumas já em andamento –, estão a ampliação da capacidade dos cemitérios, passando de 240 corpos sepultados todos os dias para 400, além da contratação de mais 220 coveiros e do aumento do número de carros funerários de 36 para 68. Também foi criada uma central telefônica junto ao serviço 156 da prefeitura.

“Suspendemos os velórios para os casos confirmados e suspeitos de covid-19 e reduzimos o velório para uma hora em outros casos, limitando a 10 pessoas [por velório]. Estamos também abrindo 13 mil novas valas e, se necessário, vamos ter capacidade para trabalhar 24 horas por dia na cidade de São Paulo”, disse o prefeito.

Outras medidas anunciadas foram a construção de um centro de logística no Cemitério da Vila Formosa e a compra de oito câmaras refrigeradas que podem armazenar mil corpos aguardando sepultamento.

Covas disse ainda que pretende aumentar a capacidade de leitos hospitalares na cidade.

“Já viabilizamos 2 mil novos leitos. Construímos o hospital de campanha do Anhembi e o do Pacaembu. Já entregamos dois novos hospitais, o de Parelheiros e o da Bela Vista. Vamos entregar mais dois: o Hospital Nossa Senhora do Caminho e o Hospital da Brasilândia. O hospital do M’Boi Mirim está sendo ampliado. Mesmo assim, já estamos com 70% dos leitos de UTI [unidade de terapia intensiva] ocupados na cidade de São Paulo”, acrescentou o prefeito.

Por Elaine Patricia Cruz – Repórter da Agência Brasil 

Enterrado corpo de Gugu Liberato; Acompanhe

Veja os principais fatos durante o velório do apresentador Gugu Liberato.

12h25

Corpo de Gugu Liberato é enterrado. Fãs, familiares e amigos acompanharam o sepultamento.

(Nivaldo Lima/SP Agora)
(Nivaldo Lima/SP Agora)

11h40

Corpo de Gugu é recebido com aplausos no cemitério. Veja o vídeo.


11h22

Corpo de Gugu chega ao cemitério, na zona sul de São Paulo. Público acompanha o sepultamento. O apresentador Ronnie Von é uma das celebridades no local.

Público aguarda chegada do corpo (Nivaldo LIma/SP Agora)

11h

João, filho do apresentador, segue trajeto até o cemitério dentro do caminhão dos bombeiros.

(Twitter/Reprodução)

10h50

Corpo segue em carro aberto para o cemitério. No trajeto, fãs acenam.


10h10

Parentes dão o último adeus antes do cortejo. Mãe do apresentador, dona Maria do Céu foi amparada.


9h50

Últimos fãs se despedem de Gugu. Fila foi fechada às 9h para que cerimonial consiga cumprir os horários previstos para cortejo e enterro.

(Nivaldo Lima/SP Agora)

8h45
Rose Miriam, esposa do Gugu, chora diante do corpo do marido ao retornar ao velório na manhã de hoje (29).

8h35

Família do Gugu volta à Assembléia Legislativa para finalizar o velório do apresentador. Na chegada, João fez um gesto de coração com as mãos para agradecer aos fãs pelo apoio.


7h40

Fãs terão até 9h para entrar na fila do velório do Gugu. Após esse horário, o cerimonial vai monitorar a fila para que não haja atraso em relação ao horário de encerramento do velório. A informação é da Record TV.

(Nivaldo Lima/SP Agora)

7h25

O enterro de Gugu Liberato está previsto para ocorrer ao meio dia, no Cemitério Gethsêmani, no Morumbi, na zona sul de São Paulo. O velório segue na Assembléia Legislativa, na região do Ibirapuera, até às 10h. O caixão será levado em carro aberto do Corpo de Bombeiros.

(Band/Reprodução)

7h

Fãs voltam a fazer filas para se despedir de Gugu Liberato. Ontem (28), o tempo de espera na fila passou de 1h30.


6h

Cortejo e enterro de Gugu podem ter chuviscos. As primeiras horas da manhã de hoje (29) seguem com céu encoberto, segundo o Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE). Os termômetros oscilam entre mínimas de 15°C ao amanhecer e 20°C no período da tarde.


5h34

Mesmo com o frio, muitos fãs aproveitaram a madrugada para ir até o velório se despedir de Gugu. Por volta de 4h, o salão foi fechado para limpeza e reabriu pouco depois das 5h. A cerimônia vai até às 10h.


1h25

Durante a madrugada artistas como Chris Flores, Ratinho, Leão Lobo e Sérgio Malandro também estiveram na Alesp para homenagear Gugu.

Sergio Malandro é entrevistado ao deixar o velório (Twitter/Reprodução)

22h

A cantora Roberta Miranda foi ao velório de Gugu e falou sobre a relação que tinha com o apresentador.


21h30

Família de Gugu, após mais de 11 horas de velório, deixa o local. Fãs que esperavam na fila para se despedir do apresentador aplaudiram. Os familiares do apresentador viajaram no mesmo avião que trouxe o corpo dos Estados Unidos até Campinas, no interior de São Paulo.

Do Aeroporto de Viracopos, eles seguiram até a Alesp para o velório, onde passaram o fim da manhã, a tarde e parte da noite.


17h

(Alesp/Reprodução)

Durante todo dia, mesmo debaixo de chuva, fãs fizeram fila para se despedir de Gugu. Segundo a Record TV, o tempo de espera na fila chegou a 1h30. O velório segue até amanhã (29), às 10h.


16h45

(Alesp/Reprodução)

Rose, esposa de Gugu, é cumprimentada durante o velório. Ela e os três filhos permanecem no velório desde o início.

16h35

(Alesp/Reprodução)

Mara Maravilha deixa o velório emocionada. Fãs cumprimentaram a apresentadora do lado de fora da Alesp.


16h30

(Band/Reprodução)

Carlos Alberto de Nóbrega ficou muito emocionado ao se aproximar do caixão. Ele estava acompanhado da esposa.


15h40

Sabrina Sato e Marcos Mion se despedem de Gugu. Emocionado, Mion conversou com a mãe de Gugu e recebeu, como gesto de carinho, um beijo no rosto em agradecimento pelas palavras.

14h25

Leandro, do KLB, durante entrevista ao chegar ao velório (Nivaldo Lima/SP Agora)

Artistas da TV e cantores já estiveram no velório de Gugu. Entre eles, Ana Hickmann, Simoní, Eliana, Mara Maravilha, Luciana Gimenez, Luiz Bacci, irmãos do KLB (Kiko, Leandro e Bruno).


12h30

Mãe de Gugu, Maria do Céu, permanece sentada próximo do caixão.


12h15

Após um período de despedida reservada à família e aos amigos, o velório do apresentador Gugu foi liberado para o público. Fãs que passaram a madrugada em uma fila tiveram a chance de homenagear o ídolo.


11h58

(Record TV)

Apresentador e ex-patrão de Gugu, Silvio Santos enviou uma coroa de flores ao velório.


11h46

Governador de São Paulo, João Doria, chega ao velório de Gugu. Logo após, postou uma foto ao lado do caixão. A post foi apagado depois.

(Twitter/Reprodução)
https://twitter.com/jdoriajr/status/1200107121829920768

11h45

Velório será aberto ao público ao meio dia. A entrada para o velório é pela Avenida Sargento Mário Kozel Filho.


11h25

(Nivaldo Lima/SP Agora)

Jornalistas aguardam do lado fora até a liberação do velório para o público.


11h

Fã exibe foto do apresentador enquanto aguarda para ver o corpo de Gugu
(Nivaldo Lima/SP Agora)

As primeiras horas do velório são reservadas aos familiares e amigos mais próximos. Enquanto eles se despedem de Gugu, do lado de fora fãs aguardam para homenagear apresentador.


10h45

O filho mais velho de Gugu, João Augusto Liberato, carregou o caixão na entrada na Alesp.


10h30

Corpo chega à Alesp para o velório.


10h

(Nivaldo Lima/SP Agora)

Fãs esperam a chegada do corpo de Gugu na Assembleia Legislativa.


8h35

Corpo do apresentador deixa o aeroporto de Viracopos, em Campinas, em direção à São Paulo. Trajeto, escoltado por viaturas da polícia, foi debaixo de chuva. Comboio percorreu a Rodovia dos Bandeirantes, a Marginal Tietê e a ligação Norte/Sul.


6h01

(Record TV/Reprodução)

Corpo de Gugu Liberato chega ao Brasil em um voo da Azul Linhas Aéreas. O pouso foi em Viracopos, em Campinas. De lá, corpo do apresentador foi levado para a Assembleia Legislativa de São Paulo.

Funerária prepara corpo de Gugu para traslado ao Brasil

Por Elaine Patricia Cruz

Gugu Liberato durante programa na Record TV (Reprodução)


O velório do apresentador Gugu Liberato ocorrerá na Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp) e será aberto ao público. Ele morreu na última sexta-feira (22), vítima de um acidente doméstico que aconteceu na quarta-feira (20), nos Estados Unidos. A data ainda não está confirmada, mas a previsão é de que o corpo do apresentador chegue ao Brasil na próxima quinta-feira (28). Ele será sepultado no jazigo da família no Cemitério Getsêmani, no Morumbi, também na capital paulista.

A assessoria de imprensa de Gugu Liberato informou que o corpo dele foi liberado hoje (25) pelo instituto responsável por necrópsias e laudos (equivalente ao IML, no Brasil). O próximo passo é a retirada do corpo pela funerária, que vai prepará-lo para o traslado aéreo.

Doação de órgãos

A família decidiu doar todos os órgãos. Na madrugada de ontem (24) foi realizada uma cirurgia para a retirada dos órgãos, que durou mais de seis horas. Cerca de 50 pessoas deverão ser beneficiadas pela doação.  

Gugu sofreu uma queda acidental de uma altura de cerca de quatro metros, quando fazia um reparo no ar condicionado instalado no sótão de sua casa. Ele tinha 60 anos e deixa três filhos: João Augusto, de 18 anos, e as gêmeas Marina e Sophia, de 15 anos.

Corpo de Gugu será velado na Assembléia Legislativa

Por  Pedro Ivo de Oliveira

Gugu Liberato tinha 60 anos (Record TV/Reprodução)


O governador de São Paulo, João Doria, anunciou hoje (23) luto oficial de três dias em homenagem ao apresentador e empresário Antônio Augusto de Moraes Liberato, o Gugu Liberato, vítima de um acidente doméstico na quarta-feira (20), que resultou na sua morte. Os órgãos do apresentador, que faleceu após cair de uma altura de 4 metros em sua residência, nos Estados Unidos, serão doados para pessoas em filas de transplante. A doação foi autorizada pela família e comunicada por meio de nota.

“Atendendo a uma vontade dele, a família autorizou a doação de todos os órgãos. Gugu sempre refletiu sobre os verdadeiros valores da vida e o quão frágil ela se revela. Sua partido nos deixa sem chão, mas reforça nossa certeza de que ele viveu plenamente”, declarou a assessoria de imprensa do apresentador.

Doação de órgãos

No Brasil, a lista de órgãos transplantáveis mais comuns, de acordo com o Sistema Único de Saúde (SUS) é composta por coração, pulmões, rins, fígado, córneas, medula óssea, vasos sanguíneos, pâncreas e demais tecidos, como pele ou meninge. O processo de doação depende da compatibilidade entre o doador e o receptor.

De volta ao Brasil

O processo de doação e traslado do corpo de Gugu não deve ser concluído até quarta-feira (27). O corpo será velado na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo. Ainda não há data definida para o velório, que será aberto ao público. Gugu será sepultado no jazigo da família, no cemitério do Morumbi, em São Paulo.

O apresentador tinha 60 anos e deixa três filhos: João Augusto de 18 anos e as gêmeas Marina e Sophia de 15 anos.

Vida e carreira

O apresentador, paulistano e filho de portugueses, nasceu no dia 10 de abril de 1959. Seu pai era caminhoneiro e sua mãe dona-de-casa. Ele tinha apenas 14 anos quando fez sua primeira aparição na TV, participando de uma gincana. Com 19 anos tornou-se auxiliar de escritório e, pouco depois, ganhou um cargo como produtor de TV. Mas acabou desistindo da carreira e indo estudar Odontologia. Sua passagem pela faculdade foi muito breve e ele acabou voltando para a TV. 

Em 1982, passou a comandar o programa de auditório Viva a Noite, no SBT, emissora onde trabalhou por mais de 30 anos. Lá, ele passou por diversos outros programas, como Passa ou RepassaSabadão Sertanejo e Domingo Legal, atração que rivalizava com o Domingão do Faustão, na Globo, em uma acirrada guerra pela audiência. Em 2009, chegou à Record, onde apresentou o Programa do GuguGuguPower Couple Brasil.

Recentemente, Gugu apresentava o programa Canta Comigo, na TV Record. Ele também era empresário, proprietário da GGP Produções, pólo de desenvolvimento audiovisual. Além de empresário e apresentador, Gugu também era cantor: ele ficou conhecido por suas versões de Pintinho Amarelinho e A Dança da Galinha Azul. Como ator, teve participação em diversos filmes, especialmente nos do grupo Os Trapalhões.

Estado quer acelerar indenizações de vítimas de massacre

Por Camila Maciel

Feridos foram levados para hospitais de Suzano e região (Nivaldo Lima/SP AGORA)

O governo paulista criou um comitê executivo para viabilizar o pagamento de indenização aos familiares das vítimas do atentado ocorrido na Escola Estadual Professor Raul Brasil, em Suzano. Fazem parte do grupo, a Procuradoria-Geral do Estado, as secretarias da Educação, Segurança Pública e Assistência Social, além de membros da Defensoria Pública.

O governador João Doria disse, por meio de nota, que a medida não tem como propósito “compensar as vidas perdidas”, mas para que as famílias não enfrentem “burocracia e processos lentos para terem acesso aos recursos”.

O comitê será oficializado por um decreto, a ser publicado amanhã (15), no Diário Oficial. O texto prevê que o grupo determine, no prazo máximo de 30 dias, os valores que serão pagos pelo governo estadual aos familiares das vítimas.

Serão indenizadas as famílias dos cinco alunos e duas funcionárias mortos dentro da escola, por ser um ambiente público, de responsabilidade da Secretaria de Educação.

O valor da indenização ainda será estudado pela Procuradoria, mas o governador João Doria disse que deve ser de aproximadamente R$ 100 mil para cada familia. A indenização deve ser paga em até 30 dias. “Até 15 de abril o pagamento será feito às famílias dos cinco jovens e das duas auxiliares de ensino da Escola Raul Brasil, em Suzano”, informou Doria.

O governador ressaltou que essa indenização não será condicionada, ou seja, a família vai recebê-la sem precisar assinar um documento abrindo mão de abrir processo contra o estado mais tarde. “O governador São Paulo tomou a decisão independentemente de qualquer recurso judicial, de qualquer nível de pressão. É uma decisão que tomamos. Amanhã (15) ela será publicada no Diário Oficial”, disse o governador, acrescentando que “cada família poderá tomar sua decisão. Se ele preferir demandar judicialmente o estado, ele está dentro dos seus direitos”.

Mais de cinco mil pessoas já passaram por velório em Suzano

Por Camila Maciel

(Nivaldo LIma/SP AGORA)

Mais 5 mil pessoas, segundo a prefeitura de Suzano, já passaram pelo velório coletivo dos estudantes e funcionários mortos no atentado na Escola Estadual Raul Brasil, em Suzano, no interior paulista. O velório ocorre na Arena Suzano desde as 7h de hoje (14). No entorno do ginásio, pessoas em uma longa fila aguardam para entrar no local e prestar solidariedade aos parentes das vítimas. Às 11h foi celebrada uma missa, e às 14h, haverá um ato ecumênico.

Além das famílias, estudantes da escola, pais de alunos e vizinhos estão no local. A confeiteira Rosália Vieira de Melo, 39 anos, era amiga da coordenadora pedagógica Marilena Ferreira Umezo, 59 anos. “Éramos irmãs de igreja. Cheguei em Suzano em 1998 e pouco tempo depois já nos conhecemos na igreja. Ela era voluntária e trabalhava muito nos Encontros de Casais com Cristo com a gente. Era ministra da Eucaristia. Muito querida por todos nós. É uma grande perda, como profissional e também como voluntária”, relembrou.

O estudante Thales Medeiros, 20 anos, é um dos sobreviventes do atentado. Aluno do 3° ano do Ensino Médio, ele estava no refeitório quando os atiradores chegaram e se juntou ao grupo de pelo menos 50 pessoas que se esconderam na despensa da cozinha. Ele mora próximo ao estudante Claiton Antonio Ribeiro, 17 anos, e fez questão de abraçar a família do colega morto. “Ele sempre foi humilde, respeitador. Sempre na dele, nunca arrumou confusão”, descreveu.

Thales disse que a escola é conhecida por manter um clima tranquilo entre os estudantes. “É muito bom. É uma escola que é difícil ter confusão. Quando tem, a diretora, as tias, acalmam, apaziguam. É um clima muito bom, familiar mesmo. Eu mesmo já tive muito problema na escola, era bagunceiro, e agora estou mais tranquilo. A escola me ensinou isso”.

Sobre o retorno para a escola, Thales disse que sabe que será um momento de muita tristeza. “Mas temos que voltar. Fazer a alegria da escola como era antes. Aos poucos nós vamos retomando o nosso caminho”.

Já para a estudante Juliana Souza, 14 anos, a volta às aulas ainda não é uma certeza. Ela estuda no centro de línguas, que funciona na Escola Raul Brasil, há cerca de um mês. “Sempre foi uma escola ‘da hora’. Sempre quis mudar para lá, porque todo mundo se dá superbem. Ninguém esperava que isso fosse acontecer”, disse. Ela estava na sala de aula quando começaram os tiros. “Eu acho que ninguém vai querer mais voltar para lá. Foi um momento de desespero. Todo mundo em pânico. Isso vai ficar na cabeça. Quando saímos da sala, vimos eles [atiradores] mortos e também os outros alunos”, relembrou a jovem que foi ao velório acompanhada da mãe Cristina de Souza.

Também estiveram no velório o ministro da Educação, Ricardo Vélez, que cumprimentou as famílias e conversou com o secretário estadual da Educação, Rossieli Soares da Silva, e com o prefeito de Suzano, Rodrigo Ashiuchi.

Solidariedade

O azulejista Alberto dos Santos, 53 anos, de Guarulhos, levou oito flores para homenagear as vítimas dos dois atiradores, ex-alunos de 17 e 25 anos, que invadiram a escola e disparam contra estudantes e funcionários, matando oito pessoas. “Faço esse gesto porque sou pai e, como pai, precisamos olhar para os nossos filhos. O nosso jardim está mais triste”, disse, emocionado.

O motorista de transporte escolar Vaninho Clemente da Silva, 44 anos, contou à Agência Brasil que estava trabalhando, levando crianças para a escola, quando soube da notícia pelo rádio. “Ali já ficamos consternados. Tristes. Nós que somos da área, transportamos as crianças todos os dias, e acontece um episódio desse bem próximo da gente, é muito difícil”.

Velório

Estão sendo velados no local os corpos dos estudantes Caio Oliveira, 15 anos; Claiton Antonio Ribeiro, 17 anos; Kaio Lucas Costa Limeira, 15 anos; e Samuel Melquiades, 16 anos, além da coordenadora pedagógica Marilena Ferreira Umezo, 59 anos, e da funcionária Eliana Regina de Oliveira Xavier, 38 anos. O estudante Douglas Murilo Celestino, por motivos religiosos, está sendo velado em uma igreja da Assembleia de Deus.

Os atiradores Luiz Henrique de Castro, 25 anos, e Guilherme Taucci Monteiro, 17 anos, estão sendo velados em outro local.

Jorge Antonio de Moraes, 51 anos, dono da locadora de onde os atiradores roubaram o carro utilizado na ação, e tio do Guilherme, também está sendo velado em outro local.

Vítimas de massacre são veladas em Suzano

Corpos são velados em quadra de esportes (Nivaldo Lima/SP AGORA)

A população de Suzano, a 57 quilômetros de São Paulo, amanheceu hoje (14) questionando o por quê do massacre na Escola Estadual Professor Raul Brasil, em que morreram dez pessoas e há 11 feridos. A quinta-feira feira será um dia de despedidas. Estão previstos velórios e enterros.

A cidade, com mais de 1,3 milhão de habitantes, se prepara para o luto oficial de três dias e o velório coletivo na Arena Suzano, no Parque Max Feffer. Cinco estudantes foram assassinados pelos atiradores Guilherme Taucci Monteiro, de 17 anos, e Luiz Henrique de Castro, de 25 anos, além de duas funcionárias da escola, o tio de um dos responsáveis pelo ataque e duas pessoas que passavam pela rua.

Amanhã (15), por orientação da prefeitura, os educadores se reunirão para definir as ações que serão tomadas com os 26 mil alunos das escolas públicas municipais. O objetivo é adotar medidas para combater a violência e o assédio moral no esforço de estabelecer a cultura de paz.

Assistência

Equipes de psicólogos vão apoiar o trabalho. Eles se colocaram à disposição, ao lado de assistentes sociais, psiquiatras, enfermeiros e terapeutas ocupacionais, para ajudar os amigos e parentes das vítimas. Só ontem cerca de 200 pessoas passaram pelo local.

Para a Secretaria de Segurança Pública de São Paulo, o crime foi meticulosamente organizado. Os jovens atacaram, primeiro, Jorge Antônio Moraes, tio de um deles, em uma locadora. Depois, roubaram um carro e saíram em disparada na direção da escola. No colégio, eles entraram e partiram para os ataques.

Segundo as investigações, os atiradores utilizaram um revólver calibre 38, uma besta (espécie de arma antiga que se assemelha ao arco e flecha) e uma machadinha. Eles só pararam quando se viram cercados pela polícia e sem saída. Neste momento, um dos jovens atirou no outro e depois se matou.

Histórico

De acordo com os policiais, Guilherme Taucci Monteiro e Luiz Henrique de Castro estudaram no colégio, que se transformou em palco da tragédia. Eles moravam perto de uma das vítimas, que sobreviveu, e próximo à escola.

O secretário de Educação de São Paulo, Rossieli Soares, disse que Guilherme Monteiro estudou no colégio até 2017 e não havia registro de mau comportamento ou qualquer tipo de dificiuldade. Mas, no ano passado, ele abandonou o colégio e estava sendo acompanhado para retornar à sala de aula.

Despedida das vítimas do ataque será em velório coletivo

Seis das vítimas do massacre em Suzano (Facebook/Reprodução)

A despedida das vítimas do massacre em Suzano será realizada nesta quinta-feira (14) em um velório coletivo. Segundo a prefeitura, o início da cerimônia será às 7h.

Durante a noite desta quarta-feira (13), o Instituto Médico Legal (IML) liberou todos os corpos para o velório. Eles foram levadas para funerárias da cidade para preparação.

*Correção: Erramos ao afirmar neste post que o massacre foi em Osasco. O texto já foi corrigido

Lula deixa velório e está a caminho de Curitiba

Lula com o neto Arthur (Reprodução)

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva está retornando à carceragem da Polícia Federal (PF) em Curitiba, após participar do velório e acompanhar a cremação do corpo de seu quinto neto, Arthur Lula da Silva, que morreu aos 7 anos por causa de uma meningite meningocócica.

Lula deixou o cemitério de São Bernardo do Campo, na região do ABC Paulista, de onde tomou helicóptero para se deslocar até o aeroporto de Congonhas, em São Paulo, de onde embarca para Curitiba.

A viagem de volta à capital paranaense será feita em avião do governo do Estado, conforme pedido da Polícia Federal.

https://spagora.com.br/lula-esta-em-sao-bernardo-e-participa-de-velorio-do-neto/