Defesa Civil alerta para rajadas de vento e frio

Céu encoberto na região da zona norte de São Paulo (Nivaldo Lima/SP Agora)

A região metropolitana de São Paulo pode ter fortes rajadas de vento na tarde de hoje (21), segundo alerta a Defesa Civil do Estado de São Paulo. “Tenha cuidado. Evite permanecer embaixo de árvores, postes ou fios elétricos”, diz trecho do comunicado publicado em uma rede social.

Os ventos são resultado da aproximação de uma frente fria que deve mudar o clima na região metropolitana. O calor, com termômetros na casa dos 33°C na Capital, hoje, deve dar uma trégua nos próximos dias, e as temperaturas vão despencar. “A Coordenadoria Municipal de Defesa Civil de São Paulo decretou hoje às 09h35, estado de atenção para Baixa Temperatura em toda a Capital”, informa o Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE-SP).

Segundo os meteorologistas do órgão, há previsão de chuva isolada e a temperatura mínima deve ser de 13ºC amanhã (22) e 12°C na quinta-feira (23).

Vento forte interrompe serviço de trens e fecha ponte Rio-Niterói

Devido à chegada de uma massa pré-frontal, massa de ar quente que antecede uma frente fria, a região metropolitana do Rio foi atingida por rajadas de vento superiores a 70 quilômetros por hora (km/h), provocando diversos transtornos à cidade e aos moradores. O município do Rio entrou em estado de mobilização às 15h20, devido aos registros de vento forte na Base Aérea de Santa Cruz (57,4 km/h),na zona oeste, no Aeroporto do Galeão (68,5 km/h), na Ilha do Governador,  e no Aeroporto Santos Dumont (64,8 km/h), na região central da cidade. 

Por medida de segurança, devido à ventania, no vão central da Ponte Rio-Niterói, houve interdição nos dois sentidos, às 14h40. O fechamento da ponte durou 41 minutos e foi liberada ao tráfego novamente às 15h21.

Os carros estão fazendo a travessia com a velocidade reduzida para evitar transtornos. Em função dos fortes ventos que atingem a região metropolitana do Rio, a circulação dos trens do ramal da SuperVia foi suspensa nos ramais Japeri, Santa Cruz, Belford Roxo e Saracuruna e nas extensões Paracambi, Vila Inhomirim e Guapimirim. 

A ventania provocou também queda de árvores em vários pontos da região metropolitana do Rio. A Rua Leopoldo Bulhões, na zona norte, está interditada no sentido Bonsucesso devido à queda de árvore na altura do nº 31.

A Companhia de Limpeza Urbana da prefeitura foi acionada para cortar os galhos da árvore e liberar o trânsito para os veículos. Na Rua Capitão Salomão, no bairro do Humaitá, uma árvore caiu sobre dois carros.

Os bombeiros do quartel central informaram que foram mobilizados para diversos pontos da cidade, devido a queda de árvores. A Marinha informou que o mar está de ressaca, e os banhistas e embarcações de pequeno porte devem evitar entrar na água. A concessionária de energia Light informou que vários bairros estão às escuras, devido à ventania.

Por Douglas Corrêa – Repórter da Agência Brasil 

Alerta de vento forte e ressaca nas praias paulistas

A Defesa Civil do estado de São Paulo emitiu alerta para ventos fortes e ressaca em todo litoral paulista válido para hoje (23) e amanhã. A entidade orienta as pessoas a não praticarem esportes aquáticos ou influenciados pelo vento, como surf e windsurf, e também a não se abrigar embaixo de árvores ou coberturas metálicas frágeis.

Quem mora no estado de São Paulo pode enviar o número do CEP de residência, por SMS, para o número 40199 e passar a receber, antecipadamente e de forma gratuita, os alertas meteorológicos da Defesa Civil do estado.

Marinha

O Centro de Hidrografia da Marinha também emitiu avisos de mau tempo no litoral paulista. Estão ativos dois alertas para a região: de vento forte, ou muito forte, com rajadas, com validade até amanhã; e ressaca, com ondas de até dois metros e meio de Santos (SP) a Cabo de São Tome (RJ), aviso válido até quarta-feira (26).

Por Bruno Bocchini – Repórter da Agência Brasil

‘Ciclone bomba’ provoca destruição e mortes

Chega a nove o número de mortes confirmadas no Sul do Brasil devido às consequências de um ciclone extratropical que atingiu a região na tarde desta terça-feira (30), causando fortes ventos, chuvas, granizo e muitos estragos.

Galpão destruído no município de Palmitos. (Defesa Civil de SC/via Agência Brasil)

As nove mortes confirmadas aconteceram em Santa Catarina, onde ao menos 49 cidades foram afetadas. Um possível décimo óbito está sob análise pericial no Rio Grande do Sul. Trata-se de um homem de 53 anos que morreu soterrado após ser atingido por um deslizamento de terra enquanto trabalhava em uma obra, em Nova Prata.

Segundo a Defesa Civil do Rio Grande do Sul, embora o acidente tenha ocorrido no meio da tarde, quando já chovia forte no estado, será preciso aguardar o resultado da perícia para saber o quanto as chuvas de ontem contribuíram para a instabilidade do solo, causando o deslizamento.

Em Santa Catarina, a Defesa Civil já confirmou nove mortes. Três óbitos foram registrados em Tijucas (3). Os demais em Chapecó; Santo Amaro da Imperatriz; Governador Celso Ramos; Ilhota; Itaiópolis e Rio dos Cedros. Em Brusque, uma pessoa está desaparecida.

Segundo o governo catarinense, mais de mil bombeiros estão atendendo ocorrências, especialmente relacionadas a quedas de árvores e de placas. Até esta manhã, a corporação já tinha atendido por volta de 1,6 mil chamados.

De acordo com as Centrais Elétricas de Santa Catarina (Celesc), o rompimento de cabos e outros problemas interromperam o fornecimento de energia elétrica para 1,5 milhão de unidades consumidoras. Em muitas cidades, segundo o governo estadual, não há sinal de telefone ou internet.

Em seu perfil no Twitter, o governador de Santa Catarina, Carlos Moisés, prometeu, ontem a noite, que “o governo não medirá esforços para auxiliar os catarinenses neste momento de dificuldade”.

Também pela rede social, o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, anunciou que a situação dos municípios gaúchos afetados pelo ciclone está sendo acompanhada pela Defesa Civil estadual.

“Todas as equipes estão mobilizadas para dar suporte [à população]. O Estado já distribuiu mais de 3 mil m² de lona e está atuando também no corte de árvores caídas e na desobstrução de vias”, comentou Leite, referindo-se ao material entregue a moradores de Iraí, onde ao menos 300 casas foram destelhadas ou sofreram outros danos.

Além de Iraí, as cidades gaúchas mais afetadas foram Cacique Doble, Barracão, Vacaria e Capão Bonito do Sul. De acordo com a Defesa Civil do Rio Grande do Sul, 1.119 pessoas e 921 residências foram atingidas pela chuva e pelos fortes ventos em todo o estado. Só em Vacaria, o vendaval desalojou 520 pessoas e danificou 130 casas.

Em Capão Bonito do Sul, até esta manhã, a relação de pessoas desalojadas já tinha 400 nomes. Em Barracão, até o hospital municipal foi atingido, ficando parcialmente destelhado.

No Paraná, o fenômeno climático afetou a 3.127 pessoas em 30 cidades, danificando a 666 casas e forçando ao menos 81 pessoas a deixarem temporariamente seus lares. O fornecimento de energia elétrica para cerca de 1,2 milhão de residências e estabelecimentos comerciais chegou a ser interrompido segundo a Companhia Paranaense de Energia (Copel). Só na região leste do estado, 2.562 unidades consumidoras continuavam sem energia até esta manhã.

“Os efeitos que sofremos são apenas o resquício do ciclone que afetou principalmente Santa Catarina”, disse à Agência Brasil a sargento Caroline Pompeu, da Defesa Civil paranaense. Segundo o órgão estadual, embora as fortes chuvas decorrentes do ciclone extratropical comecem a afastar, os ventos podem atingir entre 50 e 70 km/h entre o sul e parte do leste do estado.

Por Alex Rodrigues – Repórter da Agência Brasil

Frente fria muda o tempo e causa ventos de 60 km

A propagação de uma frente fria pelo litoral paulista, associada com o ciclone extratropical que passou pelo Sul do Brasil e agora se encontra sobre o oceano, mudou o tempo na Grande São Paulo nesta madrugada (1). A quarta-feira começou com nebulosidade, rajadas de vento que superaram os 60 Km, chuvas isoladas e termômetros oscilando em torno dos 16,2°C. De acordo com as estações meteorológicas da Prefeitura de São Paulo, a mínima absoluta foi de 13,8°C na Capela do Socorro, Zona Sul. 

Marginal Tietê, em São Paulo

As próximas horas seguem com tempo instável e ainda há condições para mais rajadas de vento e chuvas isoladas, alternadas com períodos de melhoria no decorrer da manhã. No período da tarde o sol pode aparecer entre muitas nuvens, mas as temperaturas não sobem muito. As máximas não devem superar os 22ºC, enquanto a umidade relativa do ar permanece acima dos 45%. No final do dia os ventos frios que passam a soprar de sul e sudeste provocam acentuado declínio das temperaturas, com as mínimas de hoje em torno dos 12ºC previstas para o período da noite.

Segundo o Corpo de Bombeiros, entre meia noite e às 8h47 de hoje (1), a corporação recebeu oito chamados para queda de árvore.

Tendência para os próximos dias:

O sol retorna para a Grande São Paulo, mas a chegada de uma massa de ar frio provoca declínio das temperaturas nos próximos dias. Dessa forma, as madrugadas devem ser frias com formação de neblina e nevoeiros.

Na quinta-feira (02) o sol retorna entre nuvens, mas a sensação deve ser de frio na Capital paulista. Os termômetros variam entre mínimas de 8ºC e máximas que não devem superar os 18ºC. Não há previsão de chuvas significativas.

A sexta-feira (03) deve apresentar sol e poucas nuvens, o que ajuda a diminuir um pouco a sensação de frio no decorrer do dia. As mínimas oscilam em torno dos 11°C, enquanto as máximas não devem superar os 18°C.

*com informações da Prefeitura de SP

Chuva provoca vento forte e granizo na Capital

A chuva forte que atingiu São Paulo na noite de hoje (6) provocou ventos fortes e até granizo na região da Aclimação, segundo relatos de moradores. As zonas sul e oeste, além da Marginal Pinheiros, entraram em estado de atenção para alagamentos por volta de 22h. Vinte minutos depois, o risco de alagamentos foi estendido para toda capital, incluindo a Marginal Tietê.

Chuva na região da Aclimação (Valter de Almeida Costa/Cortesia)

O Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE) indica áreas de instabilidade, entre moderada e forte. “A rede de estações meteorológicas do CGE da Prefeitura de São Paulo registra a média de 20°C. O tempo permanece fechado nas próximas horas”, informa o boletim do órgão.

O Corpo de Bombeiros de São Paulo confirma as rajadas de vento, mas não há registro de ocorrências.

Para os próximos dias, “o sistema frontal se afasta do litoral paulista e o sol retorna, favorecendo a elevação das temperaturas, principalmente no decorrer da próxima semana”.

No domingo (07), a mínima prevista é de 16°C e a máxima de 24°C. 

“A segunda-feira (08) deve apresentar sol entre nuvens e temperaturas em elevação. Os termômetros variam entre mínimas de 16ºC e máximas que podem superar os 26ºC. Não há previsão de chuva para a Grande São Paulo”, finaliza o CGE.

*Com informações do CGE

Marinha faz alerta de vento forte no litoral Paulista

A Marinha divulgou hoje (25) um alerta sobre a possibilidade de ventos fortes atingirem o litoral norte de Santa Catarina, toda a faixa litorânea do Paraná e parte do litoral paulista entre a manhã desta quarta-feira (26) e a madrugada desta quinta-feira (27).

Segundo o Centro de Hidrografia da Marinha, a formação de uma frente fria poderá provocar ventos de até 74 quilômetros por hora (o que equivalente a 40 nós). Os ventos de direção Sudoeste a Sul deverão atingir mais fortemente o trecho entre o litoral catarinense a partir de Laguna e Santos, no litoral paulista.

A Marinha alerta os navegantes para que não saiam com suas embarcações sem antes consultar os avisos de mau tempo divulgados em seu site e informações meteorológicas atualizadas.

Fenômeno

No domingo (23), banhistas registraram um fenômeno repentino que pegou de surpresa muita gente que aproveitava o carnaval nas praias paulistas. Em meio à ressaca que já tinha atingido parte do litoral paulista na véspera, a súbita elevação da maré provocou uma onda que alcançou os banhistas, arrastando a pertences pessoais e equipamentos de barracas de praia e de ambulantes, como cadeiras e guarda-sóis. Cenas semelhantes foram registradas em várias praias paulistas distantes umas das outras, como Maresias, no litoral norte, e Itanhaém, no litoral sul, onde shows musicais que ocorreriam na praia tiveram que ser cancelados.

Equipes de limpeza atuam para remover areia trazida pela maré alta (Marcelo Martins/Prefeitura de Santos)

Em Santos (SP), o volume de areia carregado pela força d´água forçou a prefeitura a destacar equipes da Secretaria de Serviços Públicos para limpar parte da calçada da orla e de algumas ruas próximas alcançadas pela maré alta, as galerias pluviais e para desassorear os canais de escoamento pelos quais a cidade é conhecida – na praia, alguns dos canais simplesmente desapareceram, encobertos pela areia.

Por Alex Rodrigues – Repórter da Agência Brasil

Grande SP pode ter chuva forte, raios e ventos, alerta Defesa Civil



A Defesa Civil do Estado de São Paulo alerta para a previsão de chuvas fortes, com ventos e raios, na faixa leste do Estado de São Paulo, que compreende as regiões do Vale do Ribeira, Baixada Santista, Litoral Norte, Sorocaba, Vale do Paraíba, Grande São Paulo e Campinas. A previsão é válida até amanhã (3).

O alerta deve-se a passagem de uma nova frente fria sobre o Estado. As chuvas mais intensas são aguardadas para esta quinta-feira (2), com longa duração e risco para alagamentos, quedas de árvores e deslizamentos de terra.

A frente fria começa a se afastar na sexta-feira (3), porém ainda podem ser observadas pancadas de chuva forte no Vale do Paraíba e Regional de Campinas.

Para mais informações sobre como agir antes, durante e depois das chuvas, acesse os sites spalerta.sp.gov.br e defesacivil.sp.gov.br, além dos perfis em redes sociais @defesacivilsp (Twitter e Instagram) e @defesacivilestadual (Facebook). A Defesa Civil também emite alertas de chuvas por SMS. Para isso, cadastre seu CEP no número 40199 e receba os avisos referentes a sua região.

Dicas de segurança durante tempestades

Rodovias e estradas: Se estiver dirigindo, procure um local coberto e seguro e aguarde o tempo melhorar.

Enxurradas: Nunca enfrente enxurradas ou atravesse vias alagadas, pois águas de inundação são pesadas e violentas. Apenas 15 cm de água em movimento podem derrubá-lo, e 30 cm de água em movimento são suficientes para arrastar um veículo.

Áreas descobertas: Se estiver em locais como praia, piscina, estacionamento e campo de futebol, saia imediatamente e procure áreas cobertas e seguras.

Chuvas com raios: Mantenha distância de objetos altos e isolados ou metálicos, como árvores e guarda-sol. Não solte pipas e não carregue objetos como canos e varas.

Trovoadas: Ao escutar trovões, abrigue-se imediatamente em uma edificação ou veículo, permanecendo longe de janelas, tomadas e materiais metálicos.

Deslizamentos: Diante do aparecimento de fendas e rachaduras nas paredes ou de qualquer sinal de deslizamento, abandone o local imediatamente e procure abrigo fora da área de risco.

*Com informações do Governo do Estado de São Paulo

Chuva: Criança é atingida por telhas e vento derruba 80 árvores

Formação do temporal na Zona Norte (Nivaldo Lima/SP Agora)


A chuva forte que atingiu São Paulo e a região metropolitana no fim da tarde de hoje (27) colocou toda cidade em ‘Estado de Atenção para Alagamentos’. O Corpo de Bombeiros informou que as rajadas de vento levaram a 80 chamados para queda de árvores.

Em Cotia, na Grande São Paulo, uma criança ficou ferida depois que o telhado desabou na rua Nova Odessa. Os bombeiros chegaram a ser acionados, mas a vítima foi socorrida antes da chegada da corporação. Houve pelo menos mais um desmoronamento, mas ainda não há detalhes da ocorrência.

Às 16h50, o Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE) colocou toda cidade em ‘Estado de Atenção para Alagamentos’. Campo Limpo e Ipiranga, na zona sul, chegaram a ficar em ‘Estado de Alerta’.

Pelo menos oito lugares ficaram alagados, sendo quatro deles intransitáveis, segundo o CGE.

A Defesa Civil já havia alertado para o risco de chuva forte, com vento, nesta quarta e quinta-feira.

*Atualizado às 18h20

Defesa Civil alerta para chuva forte e vento hoje e amanhã

(Arquivo/Marcos Ozanan/Fotos Públicas)


A Defesa Civil do Estado de São Paulo alertou hoje para o risco de ocorrer chuva intensa, com ventos fortes, hoje (27) e amanhã (28). A previsão, válida para regiões diversas do Estado, indica a passagem de uma frente fria que, somada ao calor, favorecerá a condição para precipitação de intensidade forte, acompanhada por raios e rajadas de ventos.

O risco é maior em 11 regiões, onde estão previstas chuvas de até 75 milímetros. Segundo o órgão do Governo do Estado, estão incluídas nesse alerta a Região Metropolitana de São Paulo, a Baixada Santista, Sorocaba, Campinas, Ribeirão Preto, Bauru, São José do Rio Preto, Araçatuba, Araraquara, Franca e Itapeva. Já em Registro, São José dos Campos, Presidente Prudente e no Litoral Norte pode chover até 50 milímetros.

Em caso de chuva forte, evite áreas em que alagamentos são recorrentes
(Arquivo/Nivaldo Lima/SP AGORA)

Em casos de emergência, a recomendação é para que o morador chame os Bombeiros (193), a Polícia Militar (190) e a Defesa Civil (199). Se houver raios, o indicado é permanecer em locais fechados e evitar áreas abertas, como terrenos ou praias.

Se estiver dentro de casa, durante a tempestade procure ficar distante de aparelhos e objetos ligados à rede elétrica, como TVs, geladeiras e fogões. Fique distante também de janelas, tomadas, torneiras, canos elétricos e evite tomar banho.

Previsão do tempo e risco de queda de árvore

A quarta-feira (27) começa com sol e temperaturas em elevação, segundo o Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE). O termômetros oscilam durante o dia entre a mínima de 18°C e a máxima podendo superar 30ºC. Vai ser a partir da tarde e começo da noite que áreas de instabilidade, associadas com a aproximação de uma frente fria pelo oceano, provocam pancadas de chuva com intensidade variando de moderada a forte.

O CGE faz um alerta, em função da possibilidade de chuva e vento fortes, para o risco de queda de árvores. O órgão chama a atenção ainda para o solo encharcado e a continuidade das chuvas, principalmente na quinta-feira, elevam o potencial para formação de alagamentos e deslizamentos de terra na Grande São Paulo.

Para amanhã (28), a propagação do sistema frontal pelo oceano organiza as áreas de instabilidade sobre o Estado de São Paulo, o que deixa o tempo instável com chuvas que devem se alternar com períodos de melhoria ao longo do dia. Os termômetros variam entre mínimas de 17ºC e máximas que não devem superar os 23ºC.

Alertas no celular e na TV

A Defesa Civil do Estado envia alertas gratuitamente por SMS com informações em tempo real sobre chuvas fortes e alagamentos. Basta cadastrar o número enviando seu CEP para 40199. É possível acompanhar avisos de ocorrências também pelo perfil @defesacivilsp no Twitter.

Clientes de TV por assinatura recebem mensagens de alertas de desastres naturais, deslizamentos de terra, vendavais e chuvas de granizo. As mensagens aparecem em formato de um pop-up (imagem sobreposta à tela) com tempo de exposição de 10 segundos. Não é necessário se cadastrar para receber as notificações de emergência pela TV paga. Há opção de o assinante fechar o pop-up se desejar.

*Com informações do Governo do Estado de SP e do CGE