Rodízio volta a valer segunda-feira na Marginal Pinheiros

Em virtude da liberação do viaduto da Marginal Pinheiros, no dia 16 de março, a Secretaria Municipal de Mobilidade e Transportes informa que, a partir de segunda-feira (25), voltam a valer as regras antigas em relação ao Rodízio Municipal Veicular e à circulação de táxis em corredores de ônibus. Veja como ficarão as ações que haviam sido adotadas durante o período de interdição:

Rodízio

O Rodízio Municipal Veicular, que havia sido suspenso apenas em alguns trechos da Marginal Pinheiros, volta a vigorar a partir da próxima segunda-feira (25). A retomada do rodízio valerá tanto para veículos leves como pesados. A partir dessa data, quem desrespeitar a restrição estará sujeito à autuação.

Circulação de táxis em corredores de ônibus

A circulação de táxis, que estava totalmente liberada nos corredores de ônibus Campo Limpo/Rebouças/Centro, Santo Amaro/Nove de Julho/Centro e Berrini, volta a ser restrita também a partir do dia 25 de março. A partir de 25/3, os táxis só poderão circular nos corredores nas seguintes condições:

  • com passageiro, em qualquer horário e dia da semana;
  • com ou sem passageiro de segunda a sexta, das 20h às 06h, e aos sábados, domingos e feriados, por período integral.

Bolsões de táxis

Seguem ativos os bolsões de táxis que foram criados nas proximidades da Marginal Pinheiros como parte das ações para melhorar o trânsito durante a interdição. Com a liberação do viaduto, novos estudos serão feitos para verificar a necessidade da permanência ou suspensão desses bolsões.

Viaduto na Marginal Pinheiros é liberado após queda

(Arquivo/Leon Rodrigues/Prefeitura de SP)

Após quatro meses em obras, o viaduto da Marginal Pinheiros é liberado à circulação de todos os tipos de veículos – leves e pesados – a partir deste sábado (17). A Prefeitura faz a liberação do tráfego com dois meses de antecedência ao prazo inicialmente previsto (15 de maio), para recuperação da estrutura, que cedeu cerca de 2 metros em 15 de novembro último.

Durante as obras, o trânsito foi interrompido em cima do viaduto, e os veículos com destino à Rodovia Presidente Castello Branco foram desviados e orientados a pegar caminhos alternativos.

Após os últimos testes realizados hoje, com supervisão da Secretaria Municipal de Infraestrutura Urbana e Obras (SIURB), o tráfego foi liberado na via, não somente para veículos leves, como também para caminhões.

Histórico

Ações complementares importantes tomadas pelo Poder Público, com a participação da Secretaria de Mobilidade e Transportes, CET e SPTrans, mitigaram o impacto na região nesse período: dentre elas, o Rodízio veicular foi suspenso entre a Av. dos Bandeirantes e a Ponte dos Remédios e transposições (passagem de uma pista à outra) ampliadas.

A CET também reforçou sua equipe de agentes de trânsito ao longo da Marginal Pinheiros e colocou faixas de vinil e painéis móveis de mensagens variáveis pela cidade, para orientar sobre a interdição da pista expressa, necessária para viabilizar o andamento das obras.

Com a liberação ao tráfego geral, a circulação pelo sentido Castello Branco da Marginal do Rio Pinheiros volta à normalidade. A Engenharia de Campo da CET segue monitorando as condições de trânsito, a favor da segurança viária dos usuários.

Rodízio é retomado a partir de 25/03

Com o Viaduto liberado, o Rodízio Municipal Veicular que havia sido suspenso no trecho da Marginal volta a vigorar, a partir da segunda-feira, 25 de março. A retomada do rodízio valerá tanto para veículos leves como pesados. Quem não obedecer estará sujeito à autuação.

A Secretaria Municipal de Mobilidade e Transportes (SMT) publicará uma Portaria no Diário Oficial da Cidade revogando a Portaria SMT.DSV nº 117/2018, de 23 de novembro de 2018, que suspendeu a vigência do Rodízio devido à obra emergencial do Viaduto sobre a Linha 9 – Esmeralda da CPTM.

Táxis

Já a circulação de táxis com ou sem passageiros pelos corredores exclusivos de ônibus Campo Limpo/Rebouças/Centro, Santo Amaro/Nove de Julho/Centro e Berrini, que havia sido liberada em qualquer dia e horário da semana desde 27 de novembro de 2018, voltará a ser restrita nesses locais. A SMT, por meio do Departamento de Transporte Público (DTP), publicará Portaria no Diário Oficial do Município restabelecendo a restrição.

Vereador protocola pedido de CPI das pontes e viadutos

Caio Miranda (PSB), vereador de São Paulo (Divulgação)

O vereador de São Paulo Caio Miranda (PSB) protocolou o requerimento para instauração de Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para apurar o cadastramento e os programas de manutenção de pontes, viadutos e passarelas da capital paulista.

O intuito é descobrir como estão sendo administrados os recursos destinados à conservação das edificações e também localizar onde estão os projetos das atuais pontes e viadutos da cidade. Estes documentos não possuem cadastro e precisam ser digitalizados e organizados.

No último ano foram destinados apenas 5,37% do orçamento previsto para manutenção de pontes e viadutos em São Paulo. O vereador quer apurar quantas administrações deixaram de destinar o valor integral à manutenção desses.

“Sabemos que não se trata de um problema recente e este é o intuito para a instauração desta CPI”, comenta o vereador.

Viaduto da Marginal Pinheiros tem data para ser liberado

(Arquivo/Leon Rodrigues/Prefeitura de SP)

O prefeito Bruno Covas anunciou nesta terça-feira (12) que o viaduto da Marginal Pinheiros poderá ser aberto para circulação de carros leves no dia 18 de março. A reabertura para os carros ocorrerá dois meses antes do previsto.

Acompanhado dos secretários municipais Edson Caram (Mobilidade e Transportes) e Vitor Aly (Infraestrutura Urbana e Obras), o prefeito vistoriou a instalação das fibras de carbono no tabuleiro, material mais resistente e durável que substitui o aço, e também acompanhou a recuperação da junta de dilatação e a troca dos aparelhos de apoio de dois pilares. O investimento nesta etapa das obras foi de R$ 19,9 milhões.

Segundo o prefeito Bruno Covas, serão feitos alguns testes durante o período do carnaval. “As obras de manutenção poderão ser feitas já com o viaduto sendo utilizado pela população com carros leves. Vamos fazer uma fase de testes para poder comprovar. Caso os testes confirmem essa hipótese o viaduto será liberado para carros leves a partir do dia 18 de março”.

Covas confirmou que o edital de licitação para recuperar o restante da estrutura do viaduto será lançado na próxima semana. O valor é estimando em R$ 10 milhões. Entre as principais intervenções estão previstas: trocas de juntas de apoio, de duas juntas de dilatação (no começo e no final da estrutura) e dos guarda-corpos, além da correção de fissuras nos pilares.

Outra novidade anunciada é que a velocidade de circulação dos trens da linha 9 Esmeralda da CPTM volta ao normal nesta terça (12). Os trens da linha 9 Esmeralda estavam operando em velocidade reduzida desde o dia 19 de novembro. Esta foi uma das medidas adotadas para a preservação do viaduto.

A Prefeitura fez todos os esforços para manter  a estrutura  do viaduto, já que sua demolição e reconstrução levaria até 3 anos, ao custo de R$ 70 milhões,

Histórico

Poucas horas após o incidente, no dia 15 de novembro de 2018, foi iniciado o escoramento de 120 dos 200 metros da parte da pista (tabuleiro) que cedeu. Todos os esforços de engenharia ficaram voltados para preservar a estrutura do viaduto. Ao lado do pilar sobre o qual a pista cedeu, foi feito outro de apoio, com três macacos hidráulicos, para alivio do peso do tabuleiro.

Após 15 dias, foi iniciada a bem sucedida operação para que fosse reerguida a estrutura. O processo, conhecido na engenharia como macaqueamento, foi concluído uma semana antes do previsto.

Foram utilizados seis macacos hidráulicos, cada um com capacidade para erguer 300 toneladas. A instalação dos equipamentos foi feita sobre um bloco de reação, apoiado em dez estacas. Trabalharam na operação 60 operários e engenheiros da JZ Engenharia, contratada em caráter emergencial para as obras do viaduto; 17 engenheiros, técnicos e topógrafos da São Paulo Obras (SPObras), responsável pelo gerenciamento da obra. Quatro técnicos da CPTM acompanharam a operação, já que durante o macaqueamento a linha 9 Esmerada teve a circulação de trens interrompida, para garantir a segurança dos usuários.

Dois meses após a estrutura ter cedido, a viga recebeu concretagem e foi concluída a reforma de dois pilares, que agora também  contam com pilares de apoio.

Fotos mostram como ficou a estrutura do viaduto após acidente

Fotos mostram como ficou a estrutura debaixo do viaduto na Marginal Pinheiros que cedeu no dia 15 de novembro. A Prefeitura de São Paulo recorreu a macacos hidráulicos para nivelar a estrutura e, a partir daí, descartar a possibilidade de demolição.

A partir do nivelamento, os engenheiros do município analisam que tipo de intervenção vai ser mais apropriada. Veja abaixo as fotos de Leon Rodrigues.



(Leon Rodrigues/Fotos Públicas/Reprodução)
VIADUTO DA MARGINAL PINHEIROS LEON RODRIGUES/SECOM
(Leon Rodrigues/Fotos Públicas/Reprodução)
(Leon Rodrigues/Fotos Públicas/Reprodução)

Macaco hidráulico nivela viaduto e Prefeitura descarta demolição

Fernanda Cruz/Agência Brasil


(Rovena Rosa/Agência Brasil)

A Prefeitura de São Paulo concluiu neste domingo (2) a elevação do viaduto na interligação da pista expressa na Marginal Pinheiros, próximo à Ponte do Jaguaré, que cedeu no dia 15 de novembro. Macacos hidráulicos foram instalados sob a parte da estrutura que se inclinou, com objetivo de nivelar a superfície.



O prefeito Bruno Covas disse que, com a conclusão da elevação, será possível avaliar, num prazo de 15 dias, qual o tipo de obra de engenharia necessária para a recuperação do viaduto. Segundo ele, o trabalho com os macacos hidráulicos, que começou na manhã de ontem, contou com 2 mil funcionários por hora.

“Hoje, a gente descarta em 100% a hipótese de demolição do viaduto. Com o resultado que a gente teve aqui do macaqueamento, a gente já consegue prever isso. Essa ainda era uma hipótese que a gente levava em consideração, o que significaria mais prazo para fazer a demolição e a construção de um novo viaduto”, declarou.

CPTM

Por causa da realização dos testes para a elevação do viaduto, a Linha 9-Esmeralda da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) ficou sábado (1) sem operar entre as estações Villa Lobos-Jaguaré e Cidade Universitária. No domingo, com a conclusão antecipada das obras, a linha foi normalizada às 15h30.

Começam os testes para reerguer viaduto na Marginal

Bruno Bocchini/Agência Brasil

(Leon Rodrigues/Prefeitura de SP/Reprodução)

A prefeitura de São Paulo iniciou hoje (1º) testes para reerguer parte do viaduto na Marginal Pinheiros que cedeu cerca de 2 metros no feriado de 15 de novembro. A ação pretende examinar as reações da estrutura quando submetida à força de macacos hidráulicos para colocá-la na posição adequada.

“Não sabemos a reação do viaduto ao esforço de trazê-lo de volta, por isso, estamos sendo muito precavidos, é um teste”, disse o secretário de Infraestrutura e Obras da prefeitura, Vitor Aly. “Vamos começar fazendo um deslocamento mínimo, ver o que acontece e entender como aquela estrutura vai reagir no momento que colocarmos a carga. Nossa preocupação é com a segurança”, acrescentou.



Em razão dos testes, a circulação de trens foi interrompida na Linha 9-Esmeralda entre as estações Villa Lobos-Jaguaré e USP-Cidade Universitária. A ciclofaixa Rio Pinheiros também está bloqueada no trecho. A linha férrea e a a ciclofaixa passam por baixo do viaduto afetado.

Os usuários poderão percorrer o trecho interditado em ônibus gratuitos da prefeitura. Os passageiros serão informados das mudanças por meio de cartazes e avisos sonoros nos trens e estações. Também podem buscar informações na página da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos e pelo telefone 0800-0550121. 

Neste domingo (2), a circulação na Linha 9 também poderá ser alterada, dependendo da avaliação da prefeitura em relação aos testes feitos hoje.

A administração municipal anunciou ainda a implantação de uma ciclofaixa provisória na Rua Costa Carvalho, ligando a ciclovia da Avenida Pedroso de Moraes à Estação Pinheiros. Segundo a prefeitura, a ação foi motivada pelo aumento do uso de bicicletas na região após os problemas no viaduto.

Promotoria investiga uso do orçamento para conservar viadutos

Bruno Bocchini/Agência Brasil

(Leon Rodrigues/Prefeitura de SP/Reprodução)

O Ministério Público do Estado de São Paulo (MP-SP) instaurou nesta segunda-feira (26) um inquérito para apurar o uso, pela prefeitura da capital paulista, de apenas 5% do orçamento destinado para conservação e manutenção de pontes e viadutos do município. De acordo com o MP,  estavam previstos, para 2018, R$ 44,7 milhões, mas até agora foram gastos apenas R$ 2,4 milhões.

A ação do MP ocorre após parte de um viaduto da pista expressa da Marginal Pinheiros ter cedido cerca de dois metros. A falha ocorreu no último dia 15 de novembro, impedindo a passagem de veículos. “Os gestores têm obrigação orçamentária prevista em lei para aplicar esses recursos, mas não o fizeram. Tanto que resultou quase na queda do viaduto”, destacou o promotor de Justiça do Patrimônio Público e Social, Marcelo Milani, autor do inquérito.

Um levantamento citado pelo MP apontou que a capital tem mais de 180 pontes e viadutos que podem apresentar sérios problemas estruturais e que necessitam de manutenção. O promotor classificou o não uso dos recursos disponíveis para evitar falhas na estrutura viária da cidade como uma “omissão grave”. De acordo com o MP, o inquérito irá investigar possível inobservância ao princípio da eficiência e afronta à lei de improbidade administrativa.

“Essas obras [de manutenção de pontes e viadutos] estão sendo relegadas a segundo plano”, disse Milani. 

Prefeitura

Em nota, a prefeitura informou que prestará os esclarecimentos ao MP assim que for notificada. “Vale reforçar que, por considerar as vistorias visuais insuficientes, o prefeito Bruno Covas já havia determinado que sejam feitas vistorias completas e detalhadas em todos os 185 viadutos da capital”.

De acordo com a prefeitura, a informação sobre valores está equivocada. Segundo a administração municipal, o total empenhado para obras em estruturas de pontes e viadutos em 2018, até o momento, é de R$ 9.547.855,62, e não R$ 2,4 milhões. 

“O valor é superior a todo o ano de 2017 (R$ 2.924.156,34) e não se aproximou mais do que estava previsto no orçamento [de R$ 44,7 milhões, segundo o MP] porque apenas no dia 9 de novembro foi lançado o Programa de Recuperação de Pontes e Viadutos, que havia sido abandonado durante a gestão entre 2013 e 2016, e foi retomado no ano passado”.

Obra emergencial em viaduto terá prazo de seis meses

Fernanda Cruz/Agência Brasil

(Rovena Rosa/Agência Brasil)

A prefeitura de São Paulo anunciou o prazo de seis meses para realização das obras de recuperação do viaduto que sofreu ruptura parcial na interligação da pista expressa na Marginal Pinheiros, próximo à Ponte do Jaguaré, na zona oeste da cidade. A decisão emergencial, publicada no Diário Oficial do município, teve contratação com dispensa de licitação da empresa JZ Engenharia e Comércio.

No dia 15 deste mês, o viaduto cedeu cerca de 2 metros após um abalo na estrutura, e interrompeu o trânsito na segunda via mais importante da capital paulista. Por volta das 9h de hoje (23), a cidade registrava 135 quilômetros (Km) de congestionamento, a maior parte, 61 Km, na zona sul, região mais prejudicada pelo bloqueio.



Desconto em táxi

Os taxistas que trabalham com a plataforma SPTaxi vão oferecer 40% de desconto em corridas que tenham origem ou destino a área afetada pela interdição. A prefeitura se comprometeu em criar bolsões de estacionamento para facilitar o embarque e o desembarque dos passageiros de táxi em trechos críticos.

Outro ponto problemático é a região da Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo (Cegaesp), onde a circulação de veículos salta de 12 mil para 26 mil ao dia, devido às compras do Natal e Ano Novo. A abertura dos portões para os caminhões foi antecipada em três horas, passando a abrir à meia-noite. A entrada de mercadorias no domingo foi antecipada, passa a ser a partir das 20h (antes era às 2h). Duas novas entradas foram criadas, ampliando de cinco para 11 o número de faixas de acesso de caminhões.

Comitê de Crise

O prefeito Bruno Covas criou o Comitê de Crise de Pontes e Viadutos em seu gabinete para lidar com a situação emergencial e para verificar a segurança e estabilidade de outras pontes e viadutos da cidade.

(Nivaldo Lima/SPAGORA)

Ceagesp antecipa abertura por causa da interdição de viaduto

Horário de abertura de portões foi antecipado (Ceagesp/Reprodução)

A Secretaria Municipal de Mobilidade e Transportes (SMT)  anunciou novas medidas emergenciais para melhorar o trânsito em decorrência da interdição do viaduto na Marginal Pinheiros, sentido Castelo Branco. Foram definidas três ações para melhorar o fluxo de veículos nos arredores da CEAGESP.

A abertura dos portões da CEAGESP para os caminhões será antecipada em três horas, ou seja, passa a abrir à 0h. Com isso, as operações internas do entreposto também se adiantarão, o que ajudará na desobstrução do tráfego no horário de rush no entorno. A entrada de mercadorias no domingo também será liberada a partir das 20h. Até então, a liberação ocorria a partir das 2h.

A CEAGESP também implantará duas novas entradas e ampliará de 5 para 11 o número de faixas de acesso de caminhões ao Entreposto. Uma nova entrada com duas cabines será no portão 10, localizado na Avenida Professor Ariovaldo da Silva, e outra no Portão 15, que fica na Rua Xavier Kraus.

Além disso, no Portão 13, o número de cabines de entrada passará de duas para quatro. O acesso pela Avenida Dr. Gastão Vidigal continua sendo realizado pelas quatro cabines do Portão 3. As mudanças valem a partir desta quinta-feira (22).

Mão-dupla

A CET irá implantar mão-dupla de direção na Rua Xavier Kraus, o que permitirá aos motoristas irem da Marginal Pinheiros em direção à Avenida Dr. Gastão Vidigal e assim acessar o Portão 3. Também irá facilitar o acesso ao Portão 10 pelas avenidas Prof. Ariovaldo da Silva e Manuel Bandeira, para quem vem à CEAGESP pela via local da Marginal Pinheiros.

A Polícia Militar irá reforçar as equipes na área para garantir segurança nas ruas de acesso ao Portão 10, e já aumentou a quantidade de policiais em motos para agilizar o patrulhamento na região.

A CEAGESP é responsável por cerca de 60% da distribuição de frutas, legumes, verduras, pescados e flores da Grande São Paulo, e 30% do abastecimento nacional. No final do ano é esperado que o número de veículos que circulam no Entreposto Terminal São Paulo passe dos 12 mil veículos por dia para cerca de 26 mil, devido às compras do Natal e Ano Novo.

Descontos nos táxis



A SMT também se reuniu hoje com representantes dos taxistas e de operadoras de transporte por aplicativo a fim de encontrar alternativas para auxiliar os deslocamentos da população enquanto durar a interdição da pista expressa da Marginal Pinheiros. Após o encontro, ficou definido que os taxistas irão oferecer 40% de desconto em corridas solicitadas por meio da plataforma SPTaxi que tenham origem ou destino na área afetada pela interdição.

Além disso, a Secretaria se comprometeu a estudar a criação de bolsões de estacionamento para embarque e desembarque em locais próximos aos trechos mais críticos e nas proximidades de estações e terminais de transporte público, para facilitar a integração entre modais.

A SMT, por meio do Departamento de Transportes Públicos (DTP) e do Departamento de Operação do Sistema Viário (DSV), deverá anunciar nos próximos dias a localização dos bolsões de estacionamento.

Aplicativos

O secretário de Mobilidade e Transportes, João Octaviano Machado Neto, se reuniu nesta quarta-feira com representantes de aplicativos de transporte de passageiros, que também se comprometeram a buscar alternativas para auxiliar os deslocamentos da população durante o período de interdição da pista expressa da Marginal Pinheiros.

A SMT informou às empresas do setor a área afetada pela interdição para que as operadoras estudem medidas para incentivar a utilização dos aplicativos nessa região, em substituição ao uso do carro próprio.