Chuva provoca alagamentos em São Paulo

A chuva forte que caiu na cidade de São Paulo na tarde desta terça-feira (20) provocou vários alagamentos em diversas regiões pelo segundo dia seguido, de acordo com o Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE) da Prefeitura de São Paulo. Por causa dos alagamentos, a cidade registrou o pico de 216 quilômetros de lentidão às 16h30, segundo a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET).

A Zona Norte foi a região mais afetada– e, até a última atualização desta reportagem, ainda havia registros de bairros sem luz. A Enel, responsável pelo fornecimento, afirma que equipes da empresa “estão atuando nos locais para restabelecer a energia o mais breve possível.”

Vários carros forram arrastados pela chuva ou ficaram submersos na Zona Norte durante a tarde. No bairro do Imirim, diversos veículos que estavam em um lava rápido foram arrastados para um córrego e formaram uma pilha de carros após fim do temporal.

O Corpo de Bombeiros de São Paulo recebeu ao todo 42 chamados para enchentes, a maioria na Zona Norte, além de 21 ocorrências de queda de árvores e 3 desabamentos. De acordo com o capitão André Elias, porta-voz dos Bombeiros, nenhuma das ocorrências envolveu vítimas.

De acordo com o CGE, a cidade registrou 18 pontos de alagamentos na capital durante a tarde. O instituto registrou o transbordamento de dois córregos: o do Mandaqui, na Avenida Engenheiro Caetano Álvares, na Zona Norte, e o Saracura, na altura do número 200 na Avenida 9 de Julho, na Zona Sul. Também na Zona Norte, a enxurrada invadiu um dos acessos à estação Santana da Linha 1-Azul do Metrô. O CGE verificou ainda ventos de 87km/h no Aeroporto de Cumbica, em Guarulhos.

Segundo a CET, a lentidão nas vias da cidade por causa dos alagamentos tinha caído para 149 quilômetros às 18h.

Por causa do transbordamento do córrego do Mandaqui, na Zona Norte, a avenida Engenheiro Caetano Álvares foi coberta pela água e a enchente invadiu o estacionamento de uma concessionária de carros no número 3.500, encobrindo pelo menos 20 veículos.

Por volta das 13h uma forte descarga elétrica danificou a rede aérea da linha 11-Coral da CPTM entre as estações Tatuapé e Itaquera. A linha opera com velocidade reduzida entre Luz e Estudantes e a previsão é que o serviço seja normalizado até 19h30.

Segundo o Metrô, devido à ocorrência na CPTM, as transferências gratuitas nas estações Tatuapé e Corinthians-Itaquera foram mantidas abertas e a operação da Linha 3-Vermelha foi reforçada no fim da tarde.

Por causa da chuva forte, a capital paulista entrou em estado de atenção por volta das 14h12, com pancadas fortes de chuva principalmente nas zonas Norte, Sul e Oeste. O estado de atenção em toda a cidade terminou 17h20, após o fim das chuvas, segundo o CGE.

Na cidade de Barueri, na Grande SP, a chuva afetou a operação dos ônibus da EMTU, desviando as linhas 468BI1 e 313 devido aos alagamentos registrados nas imediações da alameda Araguaia durante a tarde desta terça.

Chuva na segunda-feira
Na segunda-feira (19) um temporal causou alagamentos, queda de árvores e um nó no trânsito na Grande São Paulo. Rajadas de vento de até 46 quilômetros por hora foram registradas na capital. A chuva mais volumosa ocorreu na região na Zona Norte.

Com a queda de árvores, diversos bairros da capital ficaram sem luz. Segundo a Enel, as regiões mais atingidas pelas chuvas e pela queda de energia foram os bairros de Tremembé e Santana, na Zona Norte, e Vila Prudente, na Zona Leste.

O CGE verificou a ocorrência de chuva de granizo nas subprefeituras da Penha, na Zona Leste, e de Pirituba, na Zona Norte.

Em Osasco e em Barueri, na Grande São Paulo, e no trecho da capital da Dutra, enchentes prejudicaram o trânsito em rodovias. O temporal provocou ainda acidentes nas principais estradas da região metropolitana, que têm tráfego carregado no início da noite desta segunda.

O Corpo de Bombeiros da capital recebeu 10 chamados para quedas de árvores, em bairros da Zona Norte como Santana e Casa Verde, além de 11 para enchentes e alagamentos. Na Vila Maria, uma árvore caiu sobre uma residência às 16h30. Ninguém ficou ferido. Em Arujá, na região metropolitana, uma pessoa sofreu ferimentos leves com o desabamento de um muro.

A chuva também afetou a operação da Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos de São Paulo (EMTU) nas cidades de Embu das Artes, Taboão da Serra e Itapecerica da Serra, com atrasos de 25 minutos na circulação dos ônibus em cinco linhas.

Shoppings da capital poderão funcionar das 12h às 20h

Com a publicação de portaria em Diário Oficial hoje (21), a prefeitura de São Paulo vai autorizar que os shoppings da capital possam funcionar das 12h às 20h, todos os dias. Isso será possível após autorização do governo estadual, que ampliou o horário de funcionamento de seis para oito horas diárias de estabelecimentos comerciais localizados em regiões que estejam na Fase 3-Amarela do Plano São Paulo, que direciona a retomada da atividade econômica depois de quarentena adotada para evitar disseminação do novo coronavírus.

Avenida Paulista, em São Paulo (Roberto Parizotti/Fotos Públicas)

Pela portaria municipal, ficará também estabelecido que o comércio de rua e as galerias comerciais vão funcionar das 10h às 18h, enquanto os shoppings populares terão funcionamento liberado das 5h às 13h. Já os bares e restaurantes podem fracionar as oito horas diárias, mas terão que fechar as portas às 22h.  

A portaria também faculta ao comércio de rua, às galerias comerciais e aos shoppings que queiram funcionar em horário diferenciado ao que foi estabelecido pela prefeitura para que coloquem uma placa na porta dizendo em quais horários eles vão funcionar.

Escritórios, concessionárias, imobiliárias, academias, salões de beleza e barbearias poderão também funcionar por oito horas por dia, de forma corrida ou fracionada, de forma livre, no horário que quiserem.

A capital paulista está na Fase 3 – Amarela do Plano São Paulo desde o dia 26 de junho. Nesta fase, bares, restaurantes, shoppings centers, comércio de rua, salões de beleza e barbearias podem reabrir, mas com limitação de 40% do público.

O Plano São Paulo, elaborado pelo governo paulista em virtude da pandemia do novo coronavírus, é dividido em cinco fases que vão do nível máximo de restrição de atividades não essenciais (vermelho) a etapas identificadas como controle (laranja), flexibilização (amarelo), abertura parcial (verde) e normal controlado (azul). O Plano São Paulo também é regionalizado, ou seja, o estado foi dividido em 17 regiões e cada uma delas é classificada em uma fase.

Parques

Segundo o prefeito da capital, Bruno Covas, os 70 parques municipais da cidade vão passar a funcionar, a partir da próxima semana, em horário normal. Eles vão continuar fechados aos finais de semana, mas poderão funcionar em seus horários normais, os que eram habituais antes da pandemia. O Ibirapuera, por exemplo, funcionará de segunda a sexta-feira, das 6h à meia-noite.

Capital libera aplicação de vacina da gripe em motoboys

(Marcos Santos/USP Imagens/via Fotos Públicas)

A prefeitura de São Paulo incluiu os motoboys entre as categorias que podem receber gratuitamente a vacina contra a gripe. Para tomar uma dose, o profissional deverá ir até um posto de vacinação e apresentar um comprovante de que exerce a função – pode ser a carteira de trabalho, a carteirinha do sindicato, o cadastro em qualquer plataforma de transporte, ou a inscrição de microempreendedor. 

“Para a nossa categoria, é uma grande vitória pela importância da vacina da gripe para os profissionais que estão trabalhando mais do que o dobro e expostos ao coronavírus, devido ao isolamento da população”, destacou o presidente do SindimotoSP, Gilberto Almeida dos Santos.

A Secretaria municipal da Saúde recomenda que os profissionais motociclistas procurem a unidade básica de saúde (UBS) mais próxima de sua residência ou trabalho e levem também, se possível, a carteira de vacinação ou cartão do Sistema Único de Saúde (SUS) – ambos não são obrigatórios, mas importantes para registro. A vacinação para os motoboys está liberada desde ontem (27).

Por Bruno Bocchini – Repórter da Agência Brasil 

Capital tem 859 vagas para Hospitais de Campanha

A Prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Trabalho, abre processo seletivo para 260 vagas na área da saúde para trabalhar por 90 dias no Hospital de Campanha do Anhembi, que está sendo construído no centro de eventos da zona norte da capital. As inscrições on-line podem ser realizadas até as 13h desta sexta-feira, 27 de março, pelo site.

“A Prefeitura está fazendo todos os esforços para promover o enfrentamento ao coronavírus. Diante da necessidade de contratação de profissionais para o Hospital de Campanha do Anhembi, disponibilizamos as equipes do Cate para auxiliar a entidade que irá gerenciar o equipamento, na seleção dos profissionais que irão trabalhar no atendimento às pessoas infectadas pelo coronavírus”, explica a secretária de Desenvolvimento Econômico e Trabalho, Aline Cardoso.

As vagas são para os cargos de farmacêutico, fisioterapeuta, nutricionista, técnico de farmácia, técnico em gasoterapia, assistente social, auxiliar de rouparia, escriturário, oficial de manutenção e recepcionista.

Serão exigidos ao menos seis meses de atuação na área hospitalar e comprovação de escolaridade completa nas áreas técnica e superior e acordo com o cargo. Para recepcionista, escriturário e auxiliar de rouparia, o requisito obrigatório é o ensino médio completo.

Durante o processo seletivo será informado o salário, benefícios e horário de trabalho para as equipes a serem formadas. Os candidatos selecionados na primeira fase passarão por prova e entrevista.

Pacaembú

Segundo o G1, o Hospital Albert Einstein informou que vai contratar 599 funcionários da área de saúde para trabalhar no Hospital de Campanha do Pacaembú. Informações são encontradas no site do hospital.

*Com informações da Prefeitura de SP

Riquezas do Estado de São Paulo cresceram 2,5% em 2019

O Produto Interno Bruto (PIB) do estado de São Paulo atingiu, em 2019, R$ 2,38 trilhões, resultado 2,5% superior ao registrado em 2018. O setor de serviços teve alta de 3,3% e a indústria, de 1%. Já a agropecuária teve queda de 1,3%. Os dados, divulgados hoje (26), são da Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados (Seade), vinculada à Secretaria de Governo do estado de São Paulo.

De acordo com o levantamento, a região metropolitana de São Paulo fechou o ano com PIB de R$ 1,28 trilhão, um crescimento de 3,5% em relação a 2018. A região registrou resultado positivo nos serviços (4,5%) e negativo nos setores da indústria (-0,2%) e agropecuária (-5,6%).

No interior paulista, os destaques na expansão do PIB foram as regiões de Campinas, com elevação de 2,5%, Sorocaba, com 3,5%, Franca, com alta de 3,3% e Itapeva, com 4%.

Por Bruno Bocchini – Repórter da Agência Brasil

Covid-19: Prefeitura libera caminhões dentro de SP

(Arquivo/SP Agora)

A Prefeitura de São Paulo informou que, por determinação do prefeito Bruno Covas, estará liberada, a partir de hoje (19), a circulação em período integral, por tempo indeterminado, dos veículos de carga das seguintes categorias: 

– Transporte de produtos alimentares perecíveis

– Caminhões do Segmento de feiras livres

– Transporte de materiais imunológicos, vacinas e kits de sorologia

– Veículos Urbanos de Carga (VUCs) 



Desse modo, os veículos que já possuem autorização especial do Departamento de Operação do Sistema Viário (DSV) para realizar essa atividades poderão circular livremente pela cidade, sem as limitações estabelecidas pela Zona de Máxima Restrição à Circulação de Caminhões (ZMRC) e pelo rodízio de placas para veículos pesados.

A medida, tomada em razão da pandemia do Covid-19, tem como garantir o abastecimento de mercadorias e os produtos na cidade de São Paulo. 

Vão continuar valendo algumas proibições:

– ZMRC e o rodízio de placas para os demais veículos pesados (caminhões);

– Zona de Máxima Restrição ao Fretamento (ZMRF).

– Restrição de circulação de veículos de passeio em faixas e corredores exclusivos de ônibus

– Zona Azul

*Com informações da Prefeitura de SP

Liberado acesso da Rua da Consolação para Radial

Foi liberado para o trânsito o acesso que liga a Rua da Consolação à Ligação Leste-Oeste, continuação da Radial, na área central de São Paulo. O quarteirão ficou mais de 24 horas interditado por causa de um caminhão que entalou no túnel debaixo da Praça Franklin Roosevelt.

Na madrugada de ontem (5), um motorista ignorou a sinalização, que proíbe passagem de caminhões no local, e acessou a via. Quando já estava dentro do túnel, a caçamba do caminhão levantou e atingiu a estrutura.

O motorista ficou ferido e chegou a ser levado para o hospital. Por causa do acidente, o quarteirão ficou bloqueado e o trânsito na região deu um nó, principalmente no fim do dia.

Foi preciso escorar a estrutura do túnel para retirar o caminhão. O veículo foi removido pela Companhia de Engenharia de Tráfego na madrugada de hoje (6).

Após a remoção das escoras, a via foi liberada por volta de 9h da manhã.

Acesso da Rua da Consolação para Radial segue interditado

O acesso da Rua da Consolação para a ligação Leste-Oeste, na região Central de São Paulo, segue interditado há mais de 24 horas. Durante a madrugada, o caminhão foi retirado do local, mas ainda há obras no local.

O viaduto foi escorado e operários trabalham para reconstruir a viga atingida pelo caminhão. Ainda não há prazo para que a liberação da via.

O acidente foi na madrugada de ontem (5) quando a caçamba do caminhão levantou ao passar pelo trecho. Ainda não se sabe porque a caçamba foi acionada.



O acesso, que tem trânsito proibido para caminhões, passa por baixo da Praça Franklin Rosevelt.

Opção

A opção para quem desce a rua da Consolação e pretende seguir para a Zona Leste da Capital é seguir reto por mais 150 metros, entrar à esquerda na Rua Rêgo Freitas, depois novamente à esquerda na rua General Jardim e, por fim, à esquerda na Amaral Gurgel – continuação da ligação Leste-Oeste.

Alerta de temporal entre hoje e amanhã na Capital

A região metropolitana de São Paulo deve receber entre 90 milímetros (mm) e 140 mm de chuvas de hoje (20) para amanhã (21), segundo alerta da Defesa Civil estadual. Um volume semelhante também deve atingir as regiões do Vale do Ribeira, Baixada Santista, Sorocaba e Itapeva.

Deve chover forte, apesar de com menos intensidade, no litoral norte, em Marília, Campinas, Bauru, Araçatuba, Presidente Prudente e Vale do Paraíba, onde estão previstos cerca de 75 mm de precipitação.

Alerta

A prefeitura de São Paulo emitiu um alerta para o potencial de estragos que o grande volume de chuvas pode trazer para a cidade. Segundo o aviso, há o risco de transbordamento de rios e córregos e alagamentos em vias da cidade. Como o solo está encharcado pelas chuvas constantes dos últimos dias, pode haver ainda deslizamentos de terra em áreas de risco.

A instabilidade é causada por uma frente fria que chegou ao estado.

Chuvas

Do dia 9 para o 10 de fevereiro, a capital paulista recebeu 114 mm de chuvas. Os temporais causaram fortes transtornos, com o registro de 160 pontos de alagamento por toda a cidade. O Corpo de Bombeiros recebeu mais de mil chamados de pessoas ilhadas pelas enchentes ou afetadas por deslizamentos de terra. Em todo o estado, ao menos 516 pessoas ficaram desalojadas e 142 desabrigadas.

O Centro de Gerenciamento de Emergências da Prefeitura de São Paulo recomenda que as pessoas evitem transitar por áreas alagadas e que busquem abrigo em casas ou prédios. Também é importante ficar longe da rede elétrica ou de árvores. Caso seja necessário, deve se solicitar ajuda a órgãos competentes, como o Corpo de Bombeiros.

Por Daniel Mello – Repórter da Agência Brasil

Peça ‘Café’ é atração no Centro Cultural da Diversidade

Espetáculo terá preços populares (Vinicius Santos)


Criada a partir de um poema escrito pelo dramaturgo Herácliton Caleb, “CAFÉ” é uma peça jovem que aborda as expectativas e rituais de passagem dos romances juvenis para a fase adulta, com verdade e empatia, convidando o público de todas as idades para um momento de aproximação com o universo juvenil.  

A montagem que tem direção e dramaturgia de Bruna Vilaça, e atuação de Gabriel Galante e Weslley Nascimento, busca dialogar com o público jovem de forma sincera. 

Através de uma conexão verdadeira com suas verdades e inverdades, fugindo de estereótipos e formas caricatas de se retratar a juventude, o espetáculo valoriza o jovem como protagonista de sua própria história, já que uma fatia expressiva deste público, por muito tempo, se viu pouco representada em espetáculos teatrais.

A obra adentra a vida de dois garotos que vivenciam uma trajetória romântica permeada somente por assuntos sobre café. Conflitos, inseguranças, paixões, fantasias, um misto de sensações que permeiam o período da juventude, retratadas com sensibilidade, cuidado e empatia.

“Como é se perceber e perceber o outro, em meio a este grande período de transição que a juventude representa a cada um de nós?” é uma das reflexões propostas por esta montagem cuja encenação transpassa o convencional teatro realista, misturando linguagens como artes plásticas, dança-teatro e musicalidades, facilitando a aproximação e a conexão entre a obra e o público jovem.  

CAFÉ é um convite para jovens e adultos refletirem sobre a passagem do tempo e sobre como cada um de nós lida com as mudanças inerentes a ela. A montagem marca a estreia da Companhia dos Solilóquios, que busca através do Teatro Jovem, se aproximar de temas e reflexões muito importantes e necessárias. 

Idealizada em 2018, a Companhia dos Solilóquios tem como proposta a montagem de obras inéditas, afim de contribuir com a propagação de dramaturgias exclusivamente brasileiras e de novos formatos cênicos que possuam um grande poder de comunicação com o público, partindo sempre das temáticas sociais referentes ao nosso tempo.

A montagem CAFÉ estreou no Centro Cultural São Paulo em Janeiro de 2019, onde realizou uma temporada de grande sucesso de público e repercussão na mídia. A convite da SP Escola de Teatro, realizou sua segunda temporada de Abril a Maio. Em Agosto de 2019, a Companhia dos Solilóquios arrebatou o público em uma temporada de muito sucesso no SESC 24 de Maio, encerrando sua programação do ano uma temporada de circulação pelo Programa Biblioteca Viva. Agora, o grupo realiza uma nova temporada em um dos mais novos espaços culturais da cidade: o Centro Cultural da Diversidade. 

Serviço

  • Quando: 13, 14, 15 e 16 de fevereiro de 2020 
  • Horários: Quinta-feira, sexta-feira, sábado às 21h00 / Domingo às 19h00.
  • Onde: Centro Cultural da Diversidade
  • Endereço: Rua Lopes Neto, 206 (Itaim Bibi). Próximo à estação Cidade Jardim da CPTM
  • Ingressos: R$20 (inteira) R$10 (meia)