Moradias populares serão construídas onde prédio desabou

As chamas consumiram o prédio que acabou desabando (Arquivo/Reprodução)


A prefeitura de São Paulo anunciou, hoje (29), a construção de uma unidade de moradias populares no terreno do edifício Wilton Paes de Almeida, que desabou em 2018, após um incêndio. O novo prédio terá 14 andares e 90 apartamentos.

O terreno pertence ao governo federal, e após negociações, ficou estabelecida a transferência da titularidade da área para a esfera municipal. A exigência era a de que a prefeitura apresentasse à Secretaria do Patrimônio da União (SPU) o projeto executivo da obra. O acordo para transferência do terreno foi firmado nesta terça-feira (28).

As obras do prédio estão previstas para começar em 1º de maio, quando a tragédia completa dois anos, deixando sete mortos.

De acordo com a prefeitura, como a área do terreno é tombada, o projeto deverá seguir a lei de zoneamento e o plano diretor da cidade. Para a viabilização do empreendimento, serão utilizados recursos do programa Pode Entrar.

Depois do incêndio e desabamento do prédio, moradores ficaram acampados na praça perto da igreja. (Arquivo/Rovena Rosa/Agência Brasil)

A edificação original contava com 24 andares e abrigava, pelo menos, 291 famílias. Situada no Largo do Paiçandu, foi inaugurada em 1968, e chegou a ser sede da Polícia Federal, mas estava abandonada há 15 anos, quando foi ocupada.

Embora o prédio fosse de alvenaria, o espaço interior era dividido com paredes de compensado de madeira. A precariedade das condições de vida no local também podia ser constatada pelo sistema de fornecimento de água e energia elétrica, instalados de forma irregular e pagos pelos moradores a pessoas designadas como coordenadores do local.

Por  Letycia Bond – Repórter da Agência Brasil 

Cresce número de ciclistas na área central

Por  Flávia Albuquerque

Placa instalada no centro da capital (Reprodução)


Um levantamento sobre o uso das bicicletas na região central de São Paulo, feito por uma empresa de mobilidade em parceria com a Associação dos Ciclistas Urbanos de São Paulo (Ciclocidade), mostrou que 1.609 ciclistas passaram pela Rua Líbero Badaró (na intersecção com o Viaduto do Chá e a Praça do Patriarca), no bairro da República, ao longo de 14 horas, no dia 3 deste mês. O volume é 65% maior do que o registrado no ano passado.

Segundo a pesquisa, foram 115 deslocamentos em bicicleta por hora. No dia 27 de novembro, passaram pela Avenida Paulista 3.203 ciclistas, 51% a mais que no ano passado.

De acordo com o levantamento, o fluxo de mulheres usando as ciclovias foi de 5% na República e de 11% na Paulista.

Na República, outro dado da pesquisa chamou a atenção: em 2010, quando foi realizado o primeiro estudo na região, 20% dos ciclistas pedalavam na contramão. Este ano, o percentual caiu para 1%. Isso também ocorreu com o número de ciclistas que trafegavam nas calçadas, que passou de 27% para 3%.

Metodologia 

Segundo a Ciclocidade, o método usado para fazer a contagem foi desenvolvido pela Associação Transporte Ativo, do Rio de Janeiro. O método consiste no uso de uma planilha com um desenho esquemático do local, com espaços a serem preenchidos com a origem e o destino do ciclista, além de informações complementares como acessórios, faixa etária, gênero e tipo de bicicleta, entre outros. 

Grupo preso é suspeito de aplicar golpes em desempregados

(SSP/Reprodução)


Quatro pessoas foram presas pela Polícia Civil, na região central da capital paulista, suspeitas de aplicar golpes em pessoas que procuravam empregos.

No local, policiais do 4º DP Consolação encontraram algumas das vítimas que estavam esperando para serem atendidas. Elas eram orientadas a pagar um curso profissionalizante para conseguir a vaga, que não existia.

As investigações apontaram que, mesmo fazendo o curso, nenhuma das vítimas havia conseguido, de fato, o emprego. Além disso, elas eram teriam que comprar uniformes para a suposta função.

A equipe apreendeu diversos currículos e um livro com informações de documentos, que comprovavam a realização das fraudes e anotações de supostos contratos de emprego. Durante a ação, os policiais conseguiram identificar que dois dos envolvidos já haviam participado de outros crimes semelhantes.

O grupo foi encaminhado à unidade policial e autuados por estelionato e associação criminosa.

*Com informações do Governo do Estado de SP

‘Sexta sem carro’ fecha ruas do centro histórico da capital

(Jorge Araujo/Fotos Publicas)

Com o objetivo de incentivar o debate sobre o uso do veículo na cidade e estimular o uso do transporte coletivo e as pequenas viagens a pé ou de bicicleta, nesta sexta-feira, 30 de agosto, será realizado o Programa Sexta Sem Carro, da Secretaria Municipal de Mobilidade e Transportes.

 A região central foi escolhida por possuir uma vasta opção de transporte público, como estações de metrô e diferentes linhas de ônibus. Por isso, as vias do Centro Histórico para o trânsito de carros e motos ficam fechadas, das 6h às 18h.

 Na Sexta Sem Carro somente ônibus, táxis, veículos escolares, bicicletas e carros que possuem cartões do idoso e pessoas com deficiência (Defis) podem circular em toda a extensão das seguintes vias: Rua Boa Vista, Ladeira Porto Geral, Largo de São Bento, Rua Líbero Badaró, Viaduto do Chá e num trecho da Rua Florêncio de Abreu (entre a Ladeira da Constituição e a Rua Boa Vista).

Confira as linhas que trafegam pelas ruas Boa Vista, Líbero Badaró e no Viaduto do Chá:

Rua Boa Vista e Rua Líbero Badaró – 10 linhas 

2002/10 – Term. Pq. D. Pedro II – Term. Bandeira

408A/10 – Machado de Assis – Cardoso de Almeida

4112/10 – Sta. Margarida Maria – Pça. da República

4113/10 – Gentil de Moura – Pça. da República

508L/10 – Term. Princ. Isabel – Aclimação

7411/10 – Cid. Universitária – Pça. da Sé

8615/10 – Pq. da Lapa – Term. Pq. D. Pedro II

908T/10 – Term. Pq. D. Pedro II – Butantã

930P/10 – Term. Pq. D. Pedro II – Term. Pinheiros

CT01/1 – Circular Turismo

Viaduto do Chá – 14 linhas

2002/10 – Term. Pq. D. Pedro II – Term. Bandeira

408A/10 – Machado de Assis – Cardoso de Almeida

4112/10 – Sta. Margarida Maria – Pça. da República

4113/10 – Gentil de Moura – Pça. da República

508L/10 – Term. Princ. Isabel – Aclimação

702C/10 – Jd. Bonfiglioli – Metrô Belém

702U/10 – Cid. Universitária – Term. Pq. D. Pedro II

7411/10 – Cid. Universitária – Pça. da Sé

8615/10 – Pq. da Lapa – Term. Pq. D. Pedro II

908T/10 – Term. Pq. D. Pedro II – Butantã

909T/10 – Term. Pinheiros – Term. Pq. D. Pedro II

909T/1 – Term. Pinheiros – Term. Pq. D. Pedro II  

930P/10 – Term. Pq. D. Pedro II – Term. Pinheiros

CT01/1 – Circular Turismo

Para informações sobre itinerários ligue 156

*conteúdo da Prefeitura de SP

Poesia ocupa o centro da capital neste final de semana

Por Daniel Mello

Região central de São Paulo (Rovena Rosa/Agência Brasil)

Com o conceito “O que uma poesia e um poeta podem fazer por uma cidade?”, a primeira edição do Poesia no Centro vai ocupar o centro histórico de São Paulo com apresentações, oficinas e exposições. A programação vai durar todo o dia no sábado (13) e no domingo (14).

Na Praça do Patriarca, às 10h30 deste sábado, o dia começa com um show da Trupe Trupé. O grupo tem um repertório de composições próprias com influência de diversos elementos da cultura popular brasileira, atraindo a atenção de crianças e adultos. Durante a tarde, a praça receberá uma oficina de escrita japonesa e de lambe-lambe (cartazes artesanais para serem afixados na rua).

A Cia. Los Xerebas, grupo de improvisação e clown de Guarulhos (SP), apresentará Balões Poéticos na parte da tarde, nos dois dias do fim de semana. A ação vai envolver todo o perímetro do evento, saindo da Praça do Patriarca, passando pela Rua da Quitanda, Rua 15 de Novembro até a Praça Antônio Prado.

Nos fins de tarde, às 17h de sábado e domingo, o Teatro do Incêndio estará com a Kombi Poesia no Largo do Café. Fundado em 1996, o grupo faz experimentações com diversas linguagens com foco em como a pressão dos valores e convenções sociais influenciam os seres humanos.

No sábado, o Samba dos Amigos encerra a tarde na Praça Antônio Prado e, no domingo, a Praça do Patriarca recebe a partir das 19h a roda de samba-sarau do coletivo Massembas de Ialodês.

Poderá ser vista ainda a exposição Um Olhar Para Contar, com fotos do centro da capital paulista. O evento é uma realização da Secretaria Municipal de Turismo.

Sábado: Carros e motos serão proibidos no centro

Dia mundial sem carro ocorre neste sábado (Reprodução)

A Secretaria Municipal de Mobilidade e Transportes, por meio da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), vai fechar neste sábado (22) algumas ruas do Centro Histórico da capital para o trânsito de carros e motos, das 6h às 18h, para celebrar o Dia Mundial Sem Carro.

Somente ônibus, táxis, veículos escolares, bicicletas e carros que possuem cartões do idoso e pessoas com deficiência (Defis) poderão circular em toda a extensão das seguintes vias: Rua Boa Vista, Ladeira Porto Geral, Largo de São Bento, Rua Líbero Badaró, Viaduto do Chá e em um trecho da Rua Florêncio de Abreu (entre a Ladeira da Constituição e a Rua Boa Vista).

A ação não altera a circulação de linhas de ônibus, uma vez que o tráfego desse tipo de veículo e de táxis nas vias bloqueadas é permitido.

Há um ano, o Dia Mundial Sem Carro deu origem à Sexta Sem Carro, que é realizada toda a última sexta-feira do mês, fechando algumas ruas do centro para incentivar o debate sobre o uso do veículo na cidade e estimular a utilização do transporte coletivo e as pequenas viagens a pé ou de bicicleta.

A região central foi escolhida por possuir uma vasta opção de transporte público, como estações de Metrô e diferentes linhas de ônibus.

Bloqueios:

– Praça da Sé com Rua Venceslau Brás;
– Praça da Sé com Rua Floriano Peixoto;
– Rua Coronel Xavier de Toledo com Viaduto do Chá;
– Rua Florêncio de Abreu com Ladeira da Constituição.

 Alternativas:

– Sentido Praça da Sé / Praça Ramos de Azevedo: Rua Senador Feijó, Rua Cristóvão Colombo, Rua Riachuelo, Túnel Papa João Paulo II, Avenida Prestes Maia, Avenida Senador Queirós, Avenida Ipiranga, Avenida São Luís, Rua Coronel Xavier de Toledo e Praça Ramos de Azevedo.

– Sentido Praça Ramos de Azevedo / Praça da Sé: Rua Conselheiro Crispiniano, Avenida São João, Avenida Ipiranga, Avenida São Luís, Viaduto Nove de Julho, Viaduto Jacareí, Rua Maria Paula, Viaduto Dona Paulina, Praça Doutor João Mendes, Rua Anita Garibaldi, Rua Roberto Simonsen, Rua Venceslau Brás e Praça da Sé.

Confira abaixo as informações sobre a oferta de ônibus na região:

Rua Boa Vista – 8 linhas

2002/10 – Terminal Parque Dom Pedro II – Terminal Bandeira

408A/10 – Machado de Assis – Cardoso de Almeida

4113/10 – Gentil de Moura – Praça da República

508L/10 – Terminal Princesa Isabel – Aclimação

8615/10 – Parque da Lapa – Terminal Parque Dom Pedro II

908T/10 – Terminal Parque Dom Pedro II – Butantã

930P/10 – Terminal Parque Dom Pedro II – Terminal Pinheiros

CT01/1 – Circular Turismo

 Rua Líbero Badaró – 10 linhas

2002/10 – Terminal Parque Dom Pedro II – Terminal Bandeira

408A/10 – Machado de Assis – Cardoso de Almeida

4113/10 – Gentil de Moura – Praça. da República

508L/10 – Terminal Princesa Isabel – Aclimação

702C/10 – Jardim Bonfiglioli – Metrô Belém

702U/10 – Cidade Universitária – Terminal Parque Dom Pedro II

8615/10 – Parque da Lapa – Terminal Parque Dom Pedro II

908T/10 – Terminal Parque Dom Pedro II – Butantã

930P/10 – Terminal Parque Dom Pedro II – Terminal Pinheiros

CT01/1 – Circular Turismo

Viaduto do Chá – 10 linhas

2002/10 – Terminal Parque Dom Pedro II – Terminal Bandeira

408A/10 – Machado de Assis – Cardoso de Almeida

4113/10 – Gentil de Moura – Praça da República

508L/10 – Terminal Princesa Isabel – Aclimação

702C/10 – Jardim Bonfiglioli – Metrô Belém

702U/10 – Cidade Universitária – Terminal Parque Dom Pedro II

8615/10 – Parque da Lapa – Terminal Parque Dom Pedro II

908T/10 – Terminal Parque Dom Pedro II – Butantã

930P/10 – Terminal Pq. D. Pedro II – Terminal Pinheiros

CT01/1 – Circular Turismo

A Engenharia de Campo da CET vai monitorar os bloqueios e orientar o tráfego na região, visando manter as condições de segurança e fluidez no trânsito.

Fale com a CET – Ligue 1188. Atende 24 horas por dia para informações de trânsito, ocorrências, reclamações, remoções e sugestões.