Tite convoca Seleção Brasileira para a Copa América

Nesta quarta-feira (9), o técnico Tite oficializou os nomes dos 24 jogadores que defenderão a seleção brasileira em busca de mais um título da Copa América. A lista manteve a base que participou dos dois últimos jogos das Eliminatórias da Copa do Mundo do Catar de 2022 (vitórias contra o Equador por 2 a 0, no Beira-Rio, em Porto Alegre, e novamente por 2 a 0 sobre o Paraguai no Defensores del Chaco, em Assunção). A única mudança no grupo verde e amarelo é a saída do zagueiro Rodrigo Caio, que substituiu  Thiago Silva  nesses dois jogos.

De acordo com o departamento médico da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), o atacante Gabriel Barbosa, do Flamengo, queixou-se de dores musculares na perna direita depois do jogo desta terça-feira (8). Nessa manhã, em São Paulo, ele foi submetido a uma ultrassonografia que apontou um pequeno edema, mas que não o impede de ser convocado e estar à disposição do técnico Tite para a Copa América. Os médicos do Flamengo acompanham de perto a situação do jogador.

De acordo com a programação da CBF, os jogadores devem se reapresentar na próxima sexta-feira (11), em São Paulo. No Grupo B, o Brasil estreia no dia 13 contra a Venezuela, na Arena Mané Garrincha, em Brasília, às 18 horas. No mesmo dia, às 21 horas, Colômbia e Equador fecham a rodada dessa chave em  jogo na Arena Pantanal. O Peru, quinto time do Grupo, folga na primeira rodada.


Confira a lista:

GOLEIROS
Alisson – Liverpool (ING)
Ederson – Manchester City (ING)
Weverton – Palmeiras

LATERAIS
Alex Sandro – Juventus (ITA)
Danilo – Juventus (ITA)
Emerson – Barcelona (ESP)
Renan Lodi – Atlético de Madrid (ESP)

ZAGUEIROS
Éder Militão – Real Madrid (ESP)
Felipe – Atlético de Madrid (ESP)
Marquinhos – Paris Saint-Germain (FRA)
Thiago Silva – Chelsea (ING)

MEIO-CAMPISTAS
Casemiro – Real Madrid (ESP)
Douglas Luiz – Aston Villa (ING)
Everton Ribeiro – Flamengo
Fabinho – Liverpool (ING)
Fred – Manchester United (ING)
Lucas Paquetá – Lyon (FRA)

ATACANTES
Everton – Benfica (POR)
Gabriel Barbosa – Flamengo
Gabriel Jesus – Manchester City (ING)
Neymar Jr. – Paris Saint-Germain (FRA)
Richarlison – Everton (ING)
Roberto Firmino – Liverpool (ING)
Vini Jr – Real Madrid (ESP)

Por Juliano Justo – Repórter da TV Brasil e da Rádio Nacional 

Conmebol tira Copa América da Argentina por agravamento da pandemia

Reprodução / Twitter Oficial Conmebol

A Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) anunciou neste domingo (30) que suspendeu a realização da Copa América de 2021 na Argentina. Em publicação no Twitter, o perfil oficial da entidade disse que “analisa a oferta de ouros países que mostraram interesse em abrigar o torneio continental” e que a decisão foi tomada “em atenção às circunstâncias presentes”.

Por “circunstâncias presentes”, leia-se agravamento da pandemia do novo coronavírus (covid-19). Na última quinta-feira (27), segundo o governo da Argentina, foi registrado um recorde de 41.080 novos casos diários no país. Ainda neste domingo (30), horas antes do anúncio da Conmebol, o ministro do Interior, Wado de Pedro disse no Twitter, que considerando “a situação sanitária de todas as jurisdições, em particular as de Buenos Aires, Tucumán, Mendoza, Córdoba e Santa Fe”, seria “muito difícil” ter a Copa América em território argentino.

Segundo o Ministério da Saúde da Argentina, o país está com 76,5% dos leitos de unidade de terapia intensiva (UTI) ocupados. Desde o início da pandemia, em março do ano passado, são 3.753.609 casos e 77.456 mortes pelo novo coronavírus.

Inicialmente, a Copa América seria realizada, de forma conjunta, por Argentina e Colômbia. Este último foi retirado da organização por conta da onda de protestos sociais no país. Caso a Conmebol encontre uma nova sede e mantenha o calendário inicial, a competição deverá começar em 13 de junho. Vale lembrar que, por consequência da covid-19, Austrália e Catar, que disputariam o torneio como convidados, declinaram da participação.

Por Lincoln Chaves – Repórter da Agência Brasil

Brasil vence o Peru e é campeão da Copa América

(Lucas Figueiredo/CBF)

“Não vai ser de brincadeira ele vai ser campeão”. O torcedor avisou antes mesmo de a bola rolar neste domingo (7). No campo, a Seleção Brasileira correspondeu à altura. Em noite de reencontros, “o campeão voltou”. Voltou ao Maracanã, voltou a disputar uma final. Dentro de casa, o Brasil venceu o Peru por 3 a 1 e levantou a taça da Copa América pela nona vez em sua história.

E se é em solo brasileiro, o torneio só podia terminar com o título da Canarinho. A edição 2019 da competição foi a quinta que aconteceu no país e em todas elas a Seleção Brasileira sagrou-se campeã (1919, 1922, 1949, 1989 e 2019). 

O jogo

O duelo começou nervoso para a Seleção Brasileira, que viu o Peru criar duas boas chances em cinco minutos de jogo. Na primeira tentativa, Cueva cobrou falta com perigo e, na sequência, Tapia arriscou de fora da área. Passado o susto inicial, o Brasil colocou a bola no chão e na base da habilidade mostrou o que sabe fazer de melhor. E foi desse jeito que a rede balançou pela primeira vez.

Aos 14 minutos, Gabriel Jesus recebeu lançamento na direita, driblou a marcação e cruzou na medida para Everton, que apareceu livre na área e emendou o chute fazendo explodir a torcida presente no Maracanã.

O gol deu tranquilidade para a Canarinho, que seguiu pressionando e ocupando todos os espaços do campo ofensivo. Na marca dos 23 quase veio o segundo. Dessa vez chegando pela esquerda, Firmino achou Coutinho pelo meio. O camisa 11 fez o desvio e viu a bola tirar tinta da trave adversária.

O Brasil não deu trégua e, aos 35, Firmino cabeceou por cima da meta depois de ótimo cruzamento de Alex Sandro. Já aos 40 minutos, o Peru tentou responder e a arbitragem pegou um toque de mão dentro da área assinalando pênalti para os peruanos. Foi aí que o VAR entrou em ação e a tensão tomou conta do estádio.

Com penalidade confirmada, Guerrero deixou tudo igual, aos 43: 1 a 1. Mas o empate durou pouco. Quatro minutos foi o tempo que a Seleção Brasileira precisou para reassumir o placar. Nos acréscimos da primeira etapa, Arthur deu belo passe para Gabriel Jesus, que bateu rasteiro no cantinho sem dar chances para defesa do goleiro Gallese.

Na volta do intervalo, a Canarinho não quis saber de diminuir o ritmo. Logo aos cinco minutos, Coutinho invadiu a área e mandou para o gol com muito perigo. Na sequência, Firmino teve mais uma chance. Everton fez jogada individual pela esquerda, tocou para Alex Sandro, que cruzou para o atacante cabecear rente ao poste.

Aos 24, o Brasil passou a jogar com um a menos após expulsão de Gabriel Jesus. Em vantagem numérica, os peruanos ensaiaram uma pressão no ataque. Bem postado na defesa, a Seleção se fechou bem, na raça segurou o ímpeto dos adversários e ainda ampliou o marcador. Aos 41, o árbitro marcou pênalti para a Canarinho depois que Everton foi derrubado na área. Com a bola na marca da cal, Richarlison bateu com segurança e fechou a conta.

Enquanto isso, nas arquibancadas o torcedor fazia seu show com gritos de “é campeão”, “olé” e tudo mais que se tem direito em um domingo de futebol, Maracanã e título.

BRASIL: Alisson; Dani Alves, Marquinhos, Thiago Silva e Alex Sandro; Casemiro, Arthur e Coutinho (Éder Militão); Everton (Allan), Gabriel Jesus e Firmino (Richarlison). Técnico: Tite

*Conteúdo da CBF

https://www.youtube.com/watch?v=HJCfKeneZ4s

 

Messi é expulso, mas Argentina garante o bronze

Por Elaine Patrícia Cruz

(Gaspar Nóbrega/Fotos Públicas)

Com estádio cheio, mas não lotado, e com o maior jogador do mundo expulso ainda no primeiro tempo da partida, a Argentina conquistou na tarde de hoje (6) o terceiro lugar da Copa América, vencendo o Chile por 2 a 1, na Arena Corinthians, em São Paulo.

A conquista vem depois de uma semana de muitas reclamações da seleção argentina, após a derrota para o Brasil na última terça-feira (2). A Argentina, principalmente na figura de Messi, reclamou de lances no jogo contra o Brasil que poderiam resultar em pênalti e nos quais não houve consulta ao VAR. A equipe também reclamou dos gramados e da organização do campeonato.

Messi foi expulso aos 37 minutos de primeiro tempo, após se estranhar com Medel em um lance fora do campo chileno. O árbitro acabou expulsando ambos os jogadores de campo. Quando o árbitro levantou o cartão para Messi, o estádio todo protestou. O árbitro consultou o VAR e manteve as expulsões, o que não agradou a torcida, que passou a xingar o juiz.

Foi o segundo cartão vermelho de Messi em toda sua carreira: o primeiro foi em 2005, em sua estreia pela seleção argentina. Na saída para o intervalo, quando a Argentina já vencia por 2 a 0, a torcida não perdoou: a arbitragem saiu do gramado sob vaias e xingamentos.

Primeiro tempo

O jogo começou morno, muito estudado e concentrado no meio de campo, sem muitas opções de ataque. A primeira delas aconteceu aos 6 minutos, em um chute de Aguero, da entrada da área, que passou perto da trave chilena. Cinco minutos depois, o mesmo Aguero abriu o placar para a Argentina, quando recebeu uma cobrança de falta rápida de Messi e, sozinho, driblou o goleiro. Os chilenos protestaram do lance que originou a falta argentina.

Aos 14 minutos, o técnico chileno foi obrigado a fazer sua primeira substituição no jogo, após Sanchez sentir uma lesão. O técnico Rueda decide colocar Junior Fernandes em campo, no lugar de Alexis Sanchez.

O segundo gol argentino saiu aos 21 minutos aindo no primeiro tempo: um golaço de Dybala que partiu em velocidade e tocou na saída do goleiro Arias, após receber um belo passe de Lo Celso.

Com o segundo gol argentino, o clima começou a esquentar dentro de campo, apesar do frio desta tarde de sábado em São Paulo. Aos 25 minutos, Vidal e Dybala se estranham em campo e o juiz parou o jogo para segurar a confusão. Vidal recebeu cartão por reclamação.

Aos 28 minutos, o Chile avança na grande área com Fernandes e pede toque de mão de Otamendi. O árbitro marca apenas o escanteio. Aos 30 minutos, Dybala quase fez um golaço para a Argentina, de voleio.

Segundo tempo

Na entrada do segundo tempo, logo aos 5 minutos, Jara caiu no chão e pediu para ser substituído por Maripán. Aos 10 minutos, o árbitro para o jogo para consultar o VAR e rever um lance em que Lo Celso faz falta em Aránguiz em cima da linha. Ele então marca pênalti para o Chile. Vidal cobra e marca, diminuindo o placar e animando a torcida chilena, que esteve mais quieta no primeiro tempo.

O futebol caiu muito no segundo tempo. Aos 21 minutos, o técnico da Argentina fez sua primeira substituição, tirando Dybala para a entrada de Di María. Aos 26, Aránguiz lança para Vargas na grande área, que chega chutando para grande defesa de Armani.

A Argentina respondeu aos 31 minutos, após uma grande jogada de Di María, passando por três jogadores, invadindo a área, e tocando para Agüerro. O goleiro chileno faz a defesa depois de uma tentativa de drible de Agüero.

Aos 36 minutos, Agüerro sai para a entrada de Suarez. O técnico do Chile também aproveitou para fazer sua última substituição, tirando Aránguiz e colocando Castillo. Nos minutos finais, a Argentina fez a última substituição, saindo Lo Celso para a entrada de Funes Mori.

Já nos acréscimos de jogo, o Chile reclamou muito da arbitragem, pedindo mão na bola na grande área, mas o juiz não marcou, apesar dos protestos.

Ficha técnica

Argentina 2 x 1 Chile

Competição: Copa América (disputa de terceiro lugar)

Local: Arena Corinthians, em São Paulo

Juiz: Mario Díaz de Vivar (Paraguai)

Argentina: Armani; Foyth, Pezzella, Otamendi e Tagliafico; Paredes, De Paul e Lo Celso (Funes Mori); Messi, Agüero (Suarez) e Dybala. (Di Maria) Técnico: Lionel Scaloni

Chile: Arias; Mauricio Isla, Diaz, Gary Medel, Jara (Maripán), Beausejour; Erick Pulgar, Charles Aránguiz (Castillo), Arturo Vidal; Eduardo Vargas, Alexis Sánchez (Junior Fernandes) , Técnico: Reinaldo Rueda.

Gols: No primeiro tempo: Agüero (11 minutos) e Dybala (21 minutos). No segundo tempo: Vidal (13 minutos)

Expulsões: Messi e Medel (37 minutos do primeiro tempo)

Copa América: Presa quadrilha com ingressos falsificados

Por Douglas Corrêa

Daniel Alves durante jogada na disputa contra a Argentina, no Mineirão, em Belo Horizonte (Lucas Figueiredo/CBF)

A Delegacia do Consumidor (Decon) prendeu, nessa sexta-feira (6) à tarde, cinco homens acusados de venda de ingressos falsos para a final da Copa América, que ocorre neste domingo (7), no Estádio do Maracanã, entre as seleções do Brasil e Peru. A prisão da quadrilha teve o apoio da Coordenadoria de Operações e Recursos Especiais (Core), grupo de elite da Polícia Civil.

Os agentes chegaram ao grupo a partir da denúncia de uma mulher que negociava pela internet a compra de dois ingressos para a decisão da Copa América. Desconfiada, ela marcou com um dos supostos vendedores nas proximidades da Cidade da Polícia, no bairro do Jacaré, na zona norte da cidade. Ao perceber que o ingresso parecia falso, ela acionou uma equipe da Core que passava na hora e encaminhou o suspeito com a vítima para a Decon.

A partir de informações repassadas por ele, os demais integrantes do grupo foram pesos próximo ao Terreirão do Samba, no centro da cidade, com 21 ingressos falsificados e prontos para serem comercializados.

As investigações indicam que os bilhetes para a decisão da Copa América estavam sendo vendidos no valor de R$ 500 a R$1.500. Os cinco acusados foram presos e autuados em flagrante e vão responder por estelionato, formação de quadrilha e receptação.

Tecnologia terá destaque na abertura da Copa América

Por Elaine Patricia Cruz

O ex-lateral da Seleção Brasileira, Cafu, posa com o mascote da Copa América Brasil 2019, no Estádio do Morumbi, zona oeste de São Paulo (Rovena Rosa/Agência Brasil)

Com 400 pessoas em cena, 100 músicos e muita tecnologia, a cerimônia de abertura da Copa América vai mostrar o sonho de 12 crianças, cada uma representando um dos países que participarão da competição. Segundo os organizadores da Copa, a história das crianças será contada em duas partes: a primeira, no início, e a segunda, no encerramento da cerimônia, que terá início as 21h10 de sexta-feira (14), no estádio do Morumbi, em São Paulo.

“É a primeira vez, em grandes eventos, que a gente conta [uma história] neste formato [dividida em duas partes]. Desta vez, o Brasil, como anfitrião, convida toda a América do Sul para contar uma história juntos. Os protagonistas serão os 12 países juntos, com os dois convidados [Japão e Catar]”, disse o diretor artístico da cerimônia, Edson Erdmann. “A plateia do estádio vai participar e vai contar a história junto”, ressaltou.

Erdmann lembrou que os espetáculos que abriram a Copa do Mundo, em 2014, e os Jogos Olímpicos, em 2016, contaram a história do Brasil. “Agora teremos ancestrais de todos os países convidados e vamos contar a história da América do Sul”, afirmou.

Durante a cerimônia será cantada a música-tema da Copa América deste ano, Vibra Continente, escrita por Rafinha RSQ, Léo Santana, Karol G e Ovy On the Drums. A canção, que será interpretada por Léo Santana e pela colombiana Karol G, mistura o swing latino e o funk.

A organização ainda não sabe quantos chefes de Estado vão participar do jogo de abertura da Copa América, entre Brasil e Bolívia. Até este momento, apenas o presidente Jair Bolsonaro e o emir do Qatar, Tamim bin Hamad al Thani, confirmaram presença.

Das 12 seleções que vão participar do evento, oito já estão no Brasil, e duas chegam hoje (12): Peru e Japão. As equipes do Paraguai e do Uruguai chegam amanhã (13).

Os portões do Morumbi serão abertos quatro horas antes do início do jogo entre Brasil e Bolívia, marcado para as 21h30. A dica é que as pessoas usem o transporte público e cheguem cedo ao estádio, já que será proibido circular de carro dentro da área de segurança estabelecida ao redor de cada um dos estádios.

Ingressos

O diretor-geral do Comitê Organizador Local, Segundo Agberto Guimarães, informou que torcedores de mais de 117 países adquiriram ingressos para a Copa América no Brasil. Segundo Guimarães, té este momento, mais de 65% dos ingressos foram vendidos, mas a expectativa é de aumento do volume de vendas com o início da competição.

Greve geral

Quanto à greve geral, convocada para esta sexta-feira, dia de abertura da Copa América, Agberto Guimarães, informou que a organização do evento acompanhará de a possível paralisação. “O que posso dizer é que nossas áreas de operação e segurança têm trabalhado em parceria com as instituições governamentais. As ações que devem ser tomadas, devem ser tomadas pelos entes públicos. Não temos autoridade para impedir nada disso. Vamos acompanhar de perto, em parceria. E esperar que tudo aconteça de forma pacífica, sem nenhum problema.”

Competição

A 46ª Copa América, que reúne 12 seleções, será disputada em cinco cidades: Belo Horizonte, São Paulo, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo.

O Brasil está no Grupo A e enfrentará as seleções da Bolívia, Venezuela e Peru. O Grupo B é formado pelas equipes da Argentina, da Colômbia, do Paraguai e do Catar. Fazem parte do Grupo C o Uruguai, o Equador, o Chile e o Japão.

O atual campeão é o Chile. O Brasil obteve seu último título na Copa América em 2007, na Agentina.

Mascote

A mascote da competição é uma capivara, Zizito, cujo nome recebeu 65% dos votos em uma consulta nas redes sociais. A outra opção de nome, Capibi, ficou com 35% da preferência dos internautas.

Nesta quarta-feira, os artistas Léo Santana e Karol G, que interpretarão a música-tema da Copa América na cerimônia de abertura, e o ex-lateral da Seleção Brasileira Cafu, posaram no Morumbi, com a mascote, cujo nome homenageia o maior artilheiro da história da competição, Zizinho, que fez 17 gols e divide a liderança com o argentino Norberto Méndez.

Neymar está fora da Copa América

(Lucas Figueiredo/CBF via Agência Brasil)

O atacante Neymar Jr. foi desconvocado da seleção Brasileira depois de sofrer uma entorse no tornozelo aos 18 minutos do primeiro tempo do jogo contra o Catar, realizado na noite dessa quarta-feira (5), no Estádio Mané Garrincha, em Brasília.

O jogador ainda chegou a ficar no banco de reservas, onde chorou enquanto recebia atendimento do médico Rodrigo Lasmar. Depois, durante o segundo tempo da partida, o atleta deixou o estádio e foi levado para uma clínica, onde foi avaliada e submetido a exames complementares de imagem que confirmaram a ruptura ligamentar no tornozelo.

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF, No anúncio que fez em seu site sobre a desconvocação de Neymar, informou que por causa da “gravidade da lesão”, o jogador “não terá condições físicas e tempo de recuperação suficiente para participar da Copa América Brasil 2019. A partir desta quinta-feira (6), a comissão técnica da seleção brasileira iniciará a definição de um substituto”.

Durante o tempo em que esteva na clínica realizando os exames, o atacante da seleção brasileira recebeu a visita do presidente da República, Jair Bolsonaro. O presidente postou uma mensagem em sua conta no Twitter, na qual deseja que Neymar se recupere da contusão rapidamente. “Visitando @neymarjr no Hospital Home em Brasília. Desejo uma boa e rápida recuperação!”.

O Jogo

A seleção brasileira de futebol venceu o Catar por 2 x 0. O time comandado pelo treinador Tite, começou a partida com uma marcação forte, tentando recuperar a bola no campo de ataque. Aos 16 minutos do primeiro tempo, Richarlison marcou de cabeça após um cruzamento de Daniel Alves pela direita

Aos 17 minutos, Neymar deixou o campo com dores no tornozelo direito depois de pisar em falso após uma dividida. Ele foi para o banco, deixou o campo com gelo no pé direito e foi direto para o vestiário. O craque foi substituído pelo atacante do Grêmio, Everton. 

O segundo gol do Brasil saiu aos 23 minutos, também no primeiro tempo. Richarlison serviu Gabriel Alves que tirou o goleiro Al-Sheeb da jogando colocando a bola no funda da rede.

Nos acréscimos do segundo tempo, aos 49 minutos, o juiz marcou pênalti para o Catar após consultar o VAR (Árbitro assistente de vídeo) para analisar um lance em que Abdulsalam recebeu e Ederson caiu e tocou na bola. Khoukhi cobrou, mas acertou o travessão do gol de Ederson, confirmando a vitória do Brasil por 2×0.

O Brasil jogo com: Ederson; Daniel Alves (Éder Militão), Marquinhos, Miranda e Filipe Luís (Alex Sandro); Casemiro, Arthur (Fernandinho) e Philippe Coutinho (Lucas Paquetá); Richarlison (David Neres), Neymar (Everton) e Gabriel Jesus.

A seleção disputa o seu segundo amistoso contra Honduras no próximo domingo, dia 9, no Estádio Beira-Rio, em Porto Alegre. A estreia da seleção na Copa América será no dia 14 de junho, contra a Bolívia, no Estádio do Morumbi, em São Paulo.

*Com informações da CBF

https://spagora.com.br/assista-modelo-que-acusa-neymar-de-estupro-fala-pela-primeira-vez/