Motivos e dicas para estudar medicina em Cuba

Motivos e dicas para estudar medicina em Cuba
Motivos e dicas para estudar medicina em Cuba
Foto:Pixabay

Se você é um dos estudantes que quer sair da zona de conforto, buscar novos horizontes para conseguir uma educação diferenciada, além de conhecer o mundo de forma ampla, é hora de pensar em fazer a sua graduação no exterior; e você pode optar por estudar em Cuba.

É possível estudar medicina em Cuba? Sim, principalmente medicina, pois o país é uma referência na América Latina nesta área, com excelentes programas médicos, bolsas de estudo e escolas médicas bem conceituadas.

E se você ainda continua se perguntando por que estudar medicina em Cuba, precisa saber que muitos estudantes internacionais escolhem o país como destino porque suas universidades estão na vanguarda da pesquisa médica em todo o mundo.

A medicina em Cuba é uma das mais completas e avançadas do mundo. Portanto, é uma boa ideia estudar a graduação neste país ou fazer uma pós-graduação. Mas se isso não for suficiente para você, aqui estão mais razões pelas quais a ilha do Caribe seria uma vantagem na sua educação.

A educação em Cuba é uma prioridade.

A reputação das 60 universidades públicas de Cuba cresceu nas últimas décadas graças ao compromisso do governo e de seu povo com a educação. São instituições que oferecem uma ampla gama de disciplinas e seus programas médicos são particularmente bons.

Três de universidades cubanas conquistaram lugares no ranking QS 2022 das melhores universidades da América Latina. Esta conceituada avaliação considera métricas como notoriedade acadêmica; reputação do empregador; proporção professor-aluno; ambiente internacional e qualidade da pesquisa.

As universidades cubanas têm um sistema de saúde de primeira linha.

Dada a reputação excepcional de Cuba no que diz respeito à educação médica, não é surpresa que também seja reconhecida por um sistema de saúde de classe mundial. Quão extraordinário é o atendimento à saúde em Cuba? O Diretor-Geral da Organização Mundial da Saúde (OMS) diz: “Cuba é o único país que possui um sistema de saúde estreitamente vinculado à pesquisa e ao desenvolvimento.” Quer você esteja buscando uma educação médica inovadora ou simplesmente desejando se beneficiar do amplo acesso do país aos serviços médicos, encontrará muito em Cuba.

A política e a história do país são fascinantes.


Cuba é uma ilha do Caribe, portanto não é surpreendente que tenha lindas praias de areia branca, vilas e cidades pitorescas e arquitetura impressionante, como muitos outros destinos dessa região do continente americano. Mas o que diferencia Cuba? Certamente é sua história notável, para começar.

Embora seja uma pequena ilha, é o lar de nove sítios do patrimônio mundial da UNESCO e outros três que constam na lista provisória. Estes lugares históricos, naturais, agrícolas e arquitetônicos significativos variam de fortalezas a restos de plantações de café. E, claro, nenhum assunto sobre Cuba está completo sem o reconhecimento de seu compromisso de longa data com o comunismo, com os embargos econômicos e pressões externas.

Não há nada como a música cubana.

A música cubana foi influenciada por diferentes culturas e estilos com origens europeias e africanas. Como resultado, a cena musical da ilha não é apenas única e vibrante, mas também está intrinsecamente ligada à vida cotidiana. Onde quer que você vá, pode esperar ouvir música ao vivo. Você já é fã do Buena Vista Social Club? Este é apenas o começo da sua experiência. De chá-chá-chá e conga a timba e trova, não há fim para os ritmos comoventes que você ouvirá enquanto estuda em Cuba.

Você vai melhorar suas habilidades em espanhol.

Se você deseja aprender espanhol ou melhorar suas habilidades no idioma, terá muitas oportunidades como estudante em Cuba. No entanto, vale a informação de que existe uma diferença entre o espanhol falado na Espanha e o falado na América Latina, principalmente em Cuba, que tem grande influência caribenha. No entanto, os especialistas em idiomas concordam que se você falar e entender o espanhol cubano, está em excelente forma, pois é amplamente considerado um dos sotaques mais desafiadores.

Se você quer estudar medicina em Cuba, terá que trabalhar para garantir sua vaga.

Décadas atrás, quem teria acreditado que um programa médico mundial seria gratuito e oferecido a você em um país com sistema político como o cubano? A maioria dos alunos que optam por estudar em Cuba vêm de outros países da América Latina e do Caribe, muitos dos quais assinaram acordos para facilitar estes estudos.

Mesmo assim, outras nações estão começando a reconhecer a atratividade de Cuba como parceiro de intercâmbio de ensino superior. Como exemplo, a África do Sul assinou um acordo para promover o intercâmbio acadêmico e estudantil com Cuba. Além disso, embora as complexas relações políticas entre os Estados Unidos e Cuba tenham restringido muito as viagens entre os dois países, estudantes e acadêmicos estão os isentos de restrições.

Com informações da viveenbuenosaires.com

Promessa olímpica de Cuba, Jordan Diáz deserta na Europa

(Inder Cuba/Reprodução)

O atleta Jordan Díaz, uma das maiores promessas do esporte cubano, desertou para a Europa e não disputará os Jogos Olímpicos de Tóquio. A informação foi confirmada neste sábado (03/07) pelo governo em Havana.

A deserção aconteceu na Espanha, onde Díaz, de 20 anos, estava junto a sua delegação participando de um torneio de atletismo na província de Castellón.

“Ele abandou sua equipe na Europa”, confirmou José Antonio Miranda, diretor de atletas de alto rendimento do Instituto Nacional de Esportes de Cuba (Inder).

Sem Díaz, que era esperança de medalha no salto triplo, a delegação cubana em Tóquio será composta por 69 atletas em 15 modalidades.

A deserção de Díaz acontece apenas um mês depois de três jogadores de beisebol e o psicólogo da seleção cubana deixarem a delegação para viver em Miami, onde disputavam o torneio pré-olímpico.

“Também nesta semana o jogador de basquete Raudelis Guerra deixou a seleção cubana durante uma escala no aeroporto de Barajas, em Madri”, disse o site do Diario de Cuba.

Com 20 anos e 1,85 metros de altura, Jordan Diaz é considerado uma das maiores promessas do esporte cubano e a maior do salto triplo. 

Ele foi campeão mundial sub-18, dos Jogos Olímpicos da Juventude e fez a sexta melhor marca do ano no salto triplo, com 17,34 metros, a 35 centímetros do português nascido em Cuba Pedro Pichardo (17,69), favorito ao pódio em Tóquio.

Por Deutsche Welle

rpr (dw)

Em viagem a Cuba, Lula testa positivo para covid-19

Lula e Fernando Morais (Ricardo Stuckert/Instituto Lula)

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva testou positivo para covid-19 durante viagem a Cuba, onde esteve para gravação de um documentário. Lula retornou hoje (21) ao Brasil, 30 dias após viajar, e já tendo cumprido o isolamento social de 14 dias.

O diagnóstico da doença ocorreu enquanto Lula estava em território cubano. “Seguindo as recomendações da OMS para viagens internacionais, o ex-presidente, sua mulher Janja, e os sete integrantes de sua comitiva foram submetidos a exames de diagnóstico da Covid19 no Brasil, antes de viajar, e na data da chegada a Cuba, em 21 de dezembro”, informa a assessoria do ex-presidente.

O teste foi refeito, por orientação e protocolo cubanos, no dia 26 de dezembro, confirmando que Lula estava contaminado.

“Todos os 9 membros da comitiva, exceto a jornalista Nicole Briones, tiveram diagnóstico positivo ao longo do monitoramento com RT-PCR. Todos permaneceram em isolamento sob vigilância sanitária, de acordo com diagnóstico, respeitando os protocolos do sistema de saúde cubano”, esclarece.

Como estava fora do Brasil, diz a assessoria, Lula preferiu não divulgar, preservando a família dele e dos demais integrantes da comitiva. “O médico infectologista, ex-ministro da Saúde e deputado federal Alexandre Padilha foi comunicado desde o início e acompanhou toda a evolução da doença, em contato direto e diário com os médicos cubanos, que prestaram assistência diuturnamente à toda delegação”.

O ex-presidente não precisou ser hospitalizado. O escritor Fernando Morais, que também participou da viagem, ficou 14 dias internado, mas já recebeu alta.

“Ao longo do acompanhamento, o ex-presidente foi diagnosticado em tomografia computadorizada com lesões pulmonares compatíveis com broncopneumonia associada à Covid19, apresentando excelente recuperação”, explica.

Lula agradeceu os cuidados que recebeu em Cuba, elogiou os profissionais de saúde do Brasil e aproveitou para criticar Jair Bolsonaro.

“E quero estender as minhas saudações a todos os profissionais de saúde que se esforçam para fazer o mesmo aqui no Brasil, apesar da irresponsabilidade do presidente da República e do ministro da Saúde”, disse o ex-presidente por meio de uma rede social.

Vacina

Lula também disse que é preciso dar um basta na ignorância e defendeu a vacinação como única forma de livrar a humanidade do coronavírus. “Estou preparado pra tomar a vacina, assim que tivermos vacina para todos. Sigo esperando minha vez na fila, com o braço à disposição para tomar assim que puder. E enquanto todos não se vacinam, vou continuar com máscara, sem aglomerações e passando muito álcool gel”, afirmou.

Radiação de micro-ondas seria causa da “síndrome de Havana”

(Embaixada dos EUA/Reprodução)

A exposição direta à radiação de micro-ondas foi a provável causa do que ficou conhecido como “síndrome de Havana”, os distúrbios experimentados por diplomatas americanos e canadenses na capital cubana. A conclusão é de um estudo a cargo de um comitê de pesquisadores e divulgado no sábado (05/12) pela Academia Nacional de Ciências dos Estados Unidos.

“O comitê considerou que muitos dos sinais clínicos e sintomas apresentados por aqueles funcionários eram coerentes com efeitos de energia de micro-ondas pulsada e dirigida”, afirma o relatório.

Entre o final de 2016 e maio de 2018, mais de 20 enviados por Estados Unidos e Canadá para Havana, além de alguns de seus parentes, apresentaram problemas como falta de equilíbrio e coordenação, vertigem, enxaqueca, ansiedade e irritabilidade. Muitos relataram uma espécie de “névoa cognitiva”. Também houve relatos similares, ainda que em menor número, no consulado americano em Guanghzhou, na China, no início de 2017.

Na época, nem EUA nem o Canadá deram explicações públicas sobre esse fenômeno, que ficou conhecido como “síndrome de Havana“. Também não confirmaram ou desmentiram se esses sintomas eram reflexos de um ataque com algum tipo de misteriosa arma acústica, como a imprensa americana chegou a sugerir.

Os incidentes levaram o Departamento de Estado americano a expulsar dois diplomatas cubanos de Washington em 2017. O presidente Donald Trump culpou o governo cubano pelos episódios. As autoridades cubanas negaram terminantemente envolvimento e disseram tratar o assunto com a máxima importância.

O estudo encomendado pelo Departamento de Estado é a última tentativa de encontrar uma causa para os misteriosos sintomas. Os pesquisadores constataram que “a energia direcionada de radiofrequência parece ser a explicação mais plausível” para o que foi relatado pelos diplomatas.

Esta explicação, segundo os pesquisadores, é mais provável do que outras causas anteriormente consideradas, tais como doenças tropicais, uso de pesticidas ou problemas psicológicos.

O estudo não cita uma fonte de energia e não afirma categoricamente que ela foi fruto de um ataque deliberado, embora não o descarte. Mas destaca que pesquisas anteriores sobre os efeitos de ondas de radiofrequência pulsadas em lugar de contínuas foram realizadas na antiga União Soviética.

Em seu relatório, o comitê de 19 membros observa que enfrentou desafios significativos na tentativa de desvendar o mistério. Entre eles, o fato de nem todos os pacientes terem relatado os mesmos sintomas. Além disso, a pesquisa da Academia Nacional de Ciências não teve acesso a todos os estudos anteriores sobre os sintomas, já que alguns deles são secretos.

“O comitê considerou esses casos preocupantes, em parte devido ao papel plausível da energia de radiofrequência dirigida e pulsada como mecanismo, mas também devido ao sofrimento e debilidade significativos que ocorreram em alguns destes indivíduos”, disse o presidente do comitê, David Relman, professor de medicina da Universidade de Stanford. “Nós, como nação, precisamos tratar desses casos específicos, bem como da possibilidade de casos futuros com uma abordagem coordenada e abrangente.”

Alguns dos americanos criticaram a resposta do governo dos EUA às suas queixas de saúde e pelo menos um deles entrou com uma ação na Justiça contra o Departamento de Estado.

Entre o final de 2016 e maio de 2018, vários diplomatas americanos e canadenses em Havana reclamaram de problemas de saúde de uma causa desconhecida. Uma contagem do governo dos EUA colocou o número de funcionários americanos afetados em 26. Alguns relataram ter ouvido sons agudos semelhantes aos de grilos enquanto estavam em casa ou hospedados em hotéis. A teoria, então, era de que se tratava de um ataque sonoro.

RPR/ap/ots

Por Deutsche Welle

Bolívia e Cuba suspendem relações diplomáticas

Jeanine Áñez, presidente interida da Bolívia, durante reunião com militares bolivianos (Arquivo/Senado da Bolívia/via Fotos Públicas)


O governo interino da Bolívia suspendeu hoje (24) as relações diplomáticas com Cuba. A decisão foi comunicada pelo chanceler interino do país, Yerko Núñez, que classificou de inadmissíveis as expressões utilizadas pelo chanceler cubano ao referir-se à presidente interina da Bolívia, Jeanine Áñez.

O chanceler cubano, Bruno Rodríguez, escreveu em sua conta no Twitter, no dia 22, que “a golpista e autoproclamada” presidente interina disse “vulgares mentiras e “deveria explicar ao povo que, após a saída dos médicos cubanos, mais de 454.440 atendimentos médicos deixaram de ser feitos”. 

“Dois meses sem a brigada médica cubana na Bolívia se traduzem em quase mil mulheres que não tiveram assistência especializada em seus partos e 5 mil intervenções cirúrgicas e mais de 2,7 mil cirurgias oftalmológicas que não foram realizadas. Não são apenas números, são seres humanos”, disse Rodríguez.

Em coletiva de imprensa hoje, em La Paz, o chanceler boliviano interino afirmou que a decisão de suspender as relações diplomáticas “obedece às recentes e inadmissíveis expressões do chanceler Bruno Rodríguez Parrilla, à permanente hostilidade e [às] constantes queixas de Cuba contra o governo constitucional boliviano e seu processo democrático”.

Por  Marieta Cazarré – Agência Brasil

Ministério pretende regularizar médicos cubanos no Brasil

Por Paula Laboissière

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, disse hoje (27) que a pasta pretende regularizar a situação de cerca de 2 mil médicos cubanos que permaneceram no Brasil após o rompimento do governo de Cuba com o Programa Mais Médicos. “Estão numa condição de exilados”, destacou.

Em audiência pública na Comissão de Assuntos Sociais do Senado, Mandetta explicou que a ação integra uma proposta, ainda em elaboração, de reformulação do Mais Médicos. A previsão, segundo ele, é que o pacote seja enviado ao Congresso Nacional em abril.

“Devemos ter uma proposta de como essas pessoas podem se reencontrar com a sua profissão, legalizados, e poder exercer sua profissão, já que eles são muito mais vítimas dessa negociação que foi feita entre países do que propriamente atores de algum ato que os colocasse dentro do país em situação irregular.”

“Temos uma série desses profissionais hoje trabalhando em secretarias de saúde, trabalhando como balconistas de farmácia, agentes comunitários. Talvez eles possam, com certeza, legalizar a sua situação profissional e podem ser sim uma opção de trabalho num país livre e democrático”, concluiu.

Cuba aprova nova Constituição, abre mercado e mantém socialismo

A Assembleia Nacional de Cuba aprovou a nova Constituição, que será submetida a referendo em 24 de fevereiro de 2019. O texto constitucional reconhece o papel do mercado e a propriedade privada. Porém, destaca o comunismo como regime de governo. O Estado se mantém como o principal pilar da economia.

O presidente cubano, Miguel Díaz-Canel, ressaltou os avanços sem abandonar a ideologia socialista. O novo texto foi aprovado ontem (22) por unanimidade, após dois dias de debates no Parlamento em Havana.

A proposta, antes de ser submetida à votação, foi levada a consulta popular entre agosto e novembro deste ano. No texto, o caráter socialista de Cuba e o papel de liderança na sociedade do Partido Comunista são os principais destaques.

No encerramento da sessão, na Assembleia Nacional em Havana, Díaz-Canel criticou as ações do governo do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump. Segundo ele, há um movimento que avança sobre Cuba com a intensificação do bloqueio econômico, financeiro e comercial.

Detalhes

Foram acatadas modificações na estrutura do Estado, como a criação do primeiro ministro e ampliação dos direitos e garantias dos cidadãos. Pela proposta, o futuro presidente da República deverá ter, no mínimo, 60 anos, e poderá desempenhar dois mandatos seguidos, de cinco anos.

O limite foi fixado após longa discussão. A eleição do presidente da República se manterá com o sistema atual, por meio do Parlamento.

O texto também veta qualquer tipo de discriminação por orientação sexual. Porém, não foi aprovado o casamento entre pessoas do mesmo sexo.

Em relação ao mercado e à propriedade privada, Cuba, que é um país de economia mista, estabeleceu regras bem definidas para reconhecer os diferentes atores econômicos que surgiram no país nos últimos anos.

Muitos cubanos têm seus próprios negócios, vários informais, e representam expressiva força de trabalho para a economia. A nova Constituição permitirá a geração de riqueza privada, regulamentada por um sistema fiscal, definido por leis e sem concentração da propriedade.

*Com informações do Granma, jornal oficial de Cuba, e da Telesur, emissora multiestatal cuja sede é na Venezuela

Cuba discute permitir união entre pessoas do mesmo sexo

O presidente do Conselho de Estado de Cuba, Miguel Díaz-Canel (Twitter/Reprodução)

Reunida neste sábado (21), no Palácio das Convenções, em Havana, a 9ª Assembleia Nacional do Poder Popular de Cuba discute mudanças na Constituição. Na primeira etapa dos debates, foram discutidas mudanças nas áreas sociais e econômicas. No campo social, a proposta é que o novo texto defina matrimônio como união voluntária, sem resistências, entre duas pessoas e, não necessariamente entre homem e mulher. Na área econômica, o anteprojeto, submetido à discussão, menciona o “socialismo” como política de Estado. Na atual Constituição de 1976, no artigo 5, define o “avanço para a sociedade comunista”.

Há três dias, os 600 deputados da Assembleia Nacional do Poder Popular analisam o projeto da nova Constituição, após aprovar o novo Conselho de Ministros proposto pelo presidente de Cuba, Miguel Díaz-Canel. Os debates vão se estender até segunda-feira (23), quando o anteprojeto deve ser votado, depois submetido à consulta popular e, em seguida, por um referendo.

Os parlamentares analisaram por três dias a minuta da reforma constitucional reunidos nas dez comissões permanentes da Assembleia.

O  presidente da Assembleia Nacional, Esteban Lazo, ressaltou que os princípios que guiam o comando do país serão mantidos. “Isto não quer dizer que renunciamos às nossas ideias, mas que em nossa visão pensamos em um país socialista, soberano, independente, próspero e sustentável.”

Comunismo

Para defender a supressão do termo “comunismo”, Lazo também alegou que a situação atual de Cuba e o contexto internacional são muito diferentes em comparação a 1976, segundo o jornal oficial “Granma”.

O artigo 21 do novo texto submetido a debate reconhece “outras formas de propriedade como a cooperativa, a propriedade mista e a propriedade privada”, e admite o investimento estrangeiro como “uma necessidade e um elemento importante do desenvolvimento”.

As mudanças buscam adaptar a Constituição à realidade econômica de Cuba cujas mudanças foram impulsionadas durante o governo de Raúl Castro, que promoveu abertura e buscou meio para atenuar as dificuldades internas.

No âmbito político, o texto da minuta confirma que não haverá mudanças no “caráter socialista do sistema político e social” e mantém como “força dirigente superior” o Partido Comunista de Cuba, embora institua a figura do presidente da República, limite seu mandato a dez anos e proponha a criação de um primeiro-ministro.

(Twitter/Reprodução)

Matrimônio

A questão sobre mudanças no que refere ao casamento foi informada pelo secretario do Conselho de Estado, Homero Acosta. Segundo ele, a mudança é de conceito, sem especificar o gênero, como garantia da igualmente, rompendo barreiras e incorporando os conceitos – justiça, humanidade e igualdade.

Acosta lembrou que há em torno de 24 países que já compreendem e definem este conceito de matrimônio entre pessoas e não distintos sexos. “Não se trata somente do âmbito do direito de família, mas perpassa por outros direitos que têm a ver com o Código Civil, documentos e heranças”, disse.

*Com informações da Prensa Latina, agência pública de notícias de Cuba, e EFE.