Delegacias de Defesa da Mulher passam a atender transexuais em SP

As Delegacias de Polícia de Defesa da Mulher (DDMs) do estado de São Paulo passaram a atender as vítimas de violência doméstica, familiar ou crimes contra a dignidade sexual levando em conta a identidade de gênero e não só o sexo biológico.

De acordo com alteração do decreto de nº 29.981, de 1° de junho de 1989, a partir desta quinta-feira (13), as delegacias devem registrar crimes praticados contra pessoas com identidade de gênero feminino e contra crianças e adolescentes.

A modificação, no entanto, não significa que transexuais antes eram impedidas de serem atendidas nas unidades. Segundo a coordenadora das delegacias em São Paulo, Jamila Ferrari, a mudança traz mais segurança e garantia a este público no momento de registrar o boletim de ocorrência.

“A intenção foi deixar claro que nós, como Instituição, não atendemos essas vítimas conforme o sexo biológico, mas, sim, pela maneira como elas se enxergam. É desta forma que trabalham as DDMs”, destacou.

Outra alteração em relação às competências das delegacias de defesa das mulheres é o fato de que a partir de agora, as unidades as passam a atender e investigar apenas “infrações penais relativas à violência doméstica ou familiar e infrações contra a dignidade sexual “.

Antes disto, casos como briga entre vizinhas eram levadas à delegacia por ter mulheres envolvidas. Agora essas ocorrências passam a ser tratadas como desentendimento comum em qualquer delegacia.

Por Flávia Albuquerque – Repórter da Agência Brasil 

Neymar presta depoimento à Delegacia da Mulher

Por Camila Boehm 

Jogador chega à delegacia (TV Band/Reprodução)

O jogador de futebol Neymar Jr. chegou pouco depois das 15h para prestar depoimento à Polícia Civil, na 6ª Delegacia de Defesa da Mulher (DDM), em Santo Amaro, Zona Sul da capital paulista.

Ele é acusado de agressão e estupro pela modelo Najila Trindade Mendes de Souza, durante encontro em Paris no mês passado.

Ontem os advogados do jogador foram à delegacia para combinar o esquema de segurança. Hoje a delegacia ficou fechada para o público geral e quem buscou atendimento foi orientado a ir a outras unidades das DDM.

Para isolar a delegacia, grades foram montadas e cavaletes foram colocados na rua para evitar a circulação de carros. As janelas da delegacia foram cobertas com papel pardo para evitar fotos e gravações em vídeo durante o depoimento. Havia cerca de 30 pessoas aglomeradas no entorno, além dos profissionais da imprensa que aguardam do lado de fora.

Leia Também:

http://spagora.com.br/sem-imagem-delegacia-blinda-janelas-para-ouvir-neymar/

Sem imagem: Delegacia ‘blinda’ janelas para ouvir Neymar

Janelas foram cobertas com pedaços de papel (Nivaldo Lima/SP AGORA)

A Delegacia de Defesa da Mulher de Santo Amaro, na zona sul, usou papel para ‘blindar’ as janelas e impedir que jornalistas gravem imagem da movimentação dentro do prédio durante o depoimento de Neymar. O jogador deve chegar ao local no meio da tarde desta quinta-feira (13).

Najila, em entrevista ao SBT (Youtube/Reprodução)

A Polícia Civil também instalou grades para impedir a aproximação de jornalistas e deve bloquear o trânsito na região para receber o jogador. Neymar é acusado de agressão e estupro pela modelo Najila Trindade Mendes de Souza.

Vai ser o segundo depoimento do jogador à polícia desde que o caso foi tornado público. Jornalistas do Brasil e de veículos internacionais estão na porta da delegacia desde as primeiras horas da manhã.

Com uma contusão na perna, o Neymar tem dificuldade de locomoção e deve chegar à região da delegacia, segundo o G1, de helicóptero.

Imprensa posicionada na porta da delegacia (Nivaldo Lima/SP AGORA)

Polícia investiga a morte de duas mulheres no fim de semana

Por Fernanda Cruz 

(Governo do Estado de São Paulo/Reprodução)

A capital paulista registrou dois casos suspeitos de feminicídios durante este final de semana. A recepcionista Daniele de Jesus Martim, de 38 anos, e a operadora de caixa Raqueline Correa Cavalcante, de 41 anos, foram mortas por seus companheiros, segundo informações da Secretaria da Segurança Pública (SSP). Um terceiro caso, na região de Perus, também é investigado.

Um dos acusados, de 49 anos, entregou-se à polícia e confessou ter matado a sua a ex-esposa Daniele na madrugada de sábado, às 4h30, na casa da própria vítima, no bairro Vila Matilde, zona leste. Os policiais encontraram o corpo da mulher debaixo de um cobertor, com uma toalha de mesa amarrada em seu pescoço.

Os policiais também apreenderam um vídeo que mostra o marido entrando na casa de Daniele no horário do crime. Um morador de rua da região, que também foi detido, confessou ter esperado, do lado de fora da casa, enquanto o crime era cometido. Ele recolheu pertences da vítima com ajuda de um carrinho de supermercado, mas disse não ter ajudado no homicídio.

Outro caso é o de Raqueline, encontrada morta por volta da meia-noite de domingo em sua casa, na região de Parelheiros, zona sul. Os policiais encontraram o corpo da vítima em seu quarto com corte profundo no pescoço, ao lado de uma faca e de uma marreta.

O suspeito foi preso na tarde de ontem (28) por policiais militares. O homem foi encaminhado ao Departamento Estadual de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP) e ficará detido temporariamente por 30 dias. Foram solicitados, no corpo de Raqueline, exames toxicológico, sexológico e subungueal (recolhe material da unha da vítima para comparar com o material genético do possível agressor).

Capital tem duas novas delegacias da mulher 24 horas

(Governo do Estado de São Paulo/Reprodução)

A Capital Paulista tem duas novas delegacias dedicadas ao atendimento às mulheres que funcionam 24 horas por dia. As unidades, inauguradas nesta sexta-feira (29), ficam nas zonas norte e leste.

Com a implantação do atendimento ininterrupto nestas unidades, o Estado passa a contar com 10 DDMs funcionando 24 horas, sendo sete na capital. As demais funcionam de segunda a sexta-feira, das 9h às 19h.

“Completando assim delegacias em todas as regiões da Capital de São Paulo. Agora temos na zona Leste, Sul, Oeste, Norte e a zona Central da cidade”, disse o Governador de São Paulo, João Doria.

Para o atendimento 24 horas por dia, além do efetivo lotado nas DDMs, há o reforço de 22 policiais, sendo 13 na zona norte e nove na unidade aberta na zona leste. Estes policiais foram realocados de outras unidades.

Outras unidades

A inauguração do atendimento 24 horas da DDM de Santos ocorreu na última quarta-feira (27). Na zona sul, em Santo Amaro, em Itaquera e São Mateus ocorreu no dia 8 de março. A delegacia de Campinas passou a ter atendimento ininterrupto a partir de 28 de fevereiro deste ano, a de Sorocaba desde 30 de janeiro e a delegacia da área central da Capital paulista desde 2016.

“Com atendimento de mulheres, com delegadas, escrivãs e investigadoras para o atendimento de mulheres vítimas de ameaça, de violência ou de qualquer situação que coloque em risco a sua integridade física e moral”, afirmou o Governador.

Violência contra a mulher

São Paulo é, segundo o Governo do Estado, pioneiro no combate à violência contra a mulher e conta com 133 DDMs, sendo nove na Capital, 16 na Grande São Paulo e 108 no Interior.

A Secretaria de Segurança Pública diz que todas as delegacias do Estado seguem o Protocolo Único de Atendimento, que estabelece um padrão para melhor acolher casos de violência contra a mulher.